Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quarta, 20 de Outubro de 2021 - 09:00

Viver Bem: Dia Mundial de Combate à Osteoporose

Viver Bem: Dia Mundial de Combate à Osteoporose
Foto: Pixabay

A osteoporose é uma doença causada pela diminuição da massa óssea no corpo. A consequência disso são ossos mais frágeis, aumentando os riscos de fraturas. Segundo especialistas, geralmente não há aparecimento de sinais ou sintomas. Uma pessoa geralmente descobre que tem a doença após sofrer algum tipo de fratura. Diretamente ligada à terceira idade, a osteoporose pode também acontecer entre os mais jovens, alerta o ortopedista do Sistema Hapvida, Dr. Carlos Eduardo Ferreira. "Por essa razão, é preciso estar atento às formas de prevenir, combater e tratar a doença, e o Dia Nacional e Mundial da Osteoporose, celebrado nesta quarta-feira, 20 de outubro, tem justamente esse objetivo", alerta o especialista. 

 

A data é dedicada  à conscientização da prevenção, do diagnóstico e do tratamento da osteoporose. De acordo com a Biblioteca Virtual do Ministério da Saúde, a ação "visa tornar a prevenção da osteoporose e das fraturas uma prioridade global, alcançando profissionais da saúde, mídia, formuladores de políticas, pacientes e o público em geral". Os profissionais da área enfatizam a ligação direta entre a osteoporose e fraturas, pois elas podem causar sério impacto na vida das pessoas, gerando dor, incapacidades e perda da independência por longos períodos.

 

"Aos vinte anos de idade a pessoa está numa crescente, isto é, adquirindo massa óssea. Porém, aos quarenta anos de idade iniciamos uma perda dessa massa. Isso pode ser agravado pelo tabagismo, por questões hormonais como a menopausa, a falta de testosterona nos homens e também pela deficiência de vitamina D", explica Dr. Carlos Eduardo.

 

A osteoporose pode ser dividida em dois principais grupos. Sendo a osteoporose primária ocorrida pelo próprio envelhecimento do paciente ou no caso das mulheres, pela menopausa, esta é chamada de osteoporose senil, a osteoporose relacionada à idade. "Já a osteoporose secundária é ocasionada principalmente por distúrbios endócrinos, do intestino, quando o corpo tem a dificuldade da absorção de vitamina D, de cálcio, através do reumatismo, uso de medicações e até mesmo uma doença como tumor, um câncer podem ocasionar essa dificuldade de absorção óssea", ressalta Dr. Carlos. Segundo o especialista do Sistema Hapvida, o isolamento social prejudica a absorção de vitamina D pelos pacientes por conta da diminuição dos mesmos à exposição solar. 

 

Segundo a Sociedade Brasileira de Geriatria, a falta da prática de exercícios físicos tem relação com o desenvolvimento da osteoporose. Uma pesquisa da Universidade Federal de São Paulo (USP) revelou que 13% das pessoas com mais de 60 anos caem de forma recorrente, durante a pandemia, esse número chegou a 30%. 

 

Saiba como prevenir

São várias medidas que são importantes para prevenir a perda de massa óssea e consequentemente a osteoporose, explica Dr. Carlos Eduardo Ferreira, do Hapvida. Segundo ele, é preciso uma boa ingestão de cálcio por parte dos pacientes.  "Esse nutriente pode ser encontrado em leite e derivados, no consumo de verduras e folhas, principalmente as escuras, como brócolis, espinafre e couve. Outro ponto importante é a exposição ao sol de uma forma moderada. Vinte a trinta minutos de um banho de sol entre as seis e onze horas da manhã, já ajuda consideravelmente nessa absorção de cálcio e de vitamina D", explica o ortopedista. 

 

Atividades físicas também ajudam no ganho de massa muscular. Promover o bem-estar físico por meio de exercícios tem como benefícios o aumento do equilíbrio e dos reflexos, fortalecendo consequentemente a nossa saúde mental também.

Histórico de Conteúdo