Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quarta, 06 de Outubro de 2021 - 10:22

Para Leur, fusão DEM-PSL fortalece projeto de Neto para o governo da Bahia

por Especial de Brasília | Gabriel Lopes

Para Leur, fusão DEM-PSL fortalece projeto de Neto para o governo da Bahia
Foto: Bahia Notícias

A fusão entre o DEM e o PSL, partidos que vão formar o União Brasil, chega aos passos finais nesta quarta-feira (6), em Brasília, em convenção conjunta das siglas que deve formalizar o processo. A união é apontada entre membros das executivas dos partidos como uma das maiores movimentações políticas. É o caso do deputado federal baiano Leur Lomanto Júnior, do DEM, presente na convenção.

 

"Esse foi um dos fatos políticos mais importantes que aconteceram nos últimos anos no Brasil. Nasce um partido político extremamente forte, consolidado em todos os estados brasileiros com uma ampla expectativa de um grande número de filiados: deputados federais, estaduais, vereadores, prefeitos. E [a fusão] consolida um projeto político que busca uma alternativa a essa polarização que se encontra hoje no Brasil. O desejo da maioria da população brasileira por unidade, diálogo e discussão de um novo modelo político para o Brasil", disse ao Bahia Notícias.

 

Na avaliação do parlamentar, a criação do União Brasil fortalece os planos do ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, na caminhada para o governo do estado em 2022.

 

"Na Bahia também fortalece muito o projeto político do nosso pré-candidato a governador ACM Neto, pois o partido terá o maior tempo de televisão, maior fundo partidário e sem sombra de dúvida fortalece muito esse projeto que estamos caminhando na Bahia", afirma Leur.

 

CANDIDATURA PRÓPRIA?

Como já foi divulgado por ACM Neto, com a fusão, a ideia é que a nova legenda tenha um nome próprio na disputa à presidência da República no próximo ano, mesmo com parlamentares defendendo frentes diferentes. Leur reconhece que há divergências ideológicas dentro do DEM e do PSL atualmente e afirma que essa discussão ficará para outro momento.

 

"A gente sabe que no próprio partido existem pensamentos diferentes, nos estados existem pensamentos antagônicos, tem lideranças que pensam de uma forma mais ligada a direita, outros mais de centro. Essa vai ser uma discussão mais a frente de como se dará o posicionamento oficial do partido. Mas a ideia inicial de formação do partido é ter um projeto próprio para a presidência da República, que simbolize ao equilíbrio, o diálogo, a união das forças políticas que possam dar outra alternativa ao Brasil", finaliza.

Histórico de Conteúdo