Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

YouTube vai remover vídeos que fazem defesa da cloroquina; Bolsonaro pode ser afetado
Foto: Sérgio Lima / Poder360

O YouTube anunciou que removerá de sua plataforma todos os vídeos que defendem o uso de cloroquina e ivermectina contra a Covid-19. A medida vale tanto para conteúdos já publicados quanto para novas postagens. As informações são da revista Época.

 

Um dos prováveis atingidos pela decisão é o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que tem realizado transmissões ao vivo constantemente fazendo defesa desses medicamentos como preventivos da Covid-19, o que é contestado por estudos científicos.

 

No último dia 25 de março, Bolsonaro afirmou que, se for infectado novamente pela Covid-19, tomará o que o “salvou” da vez anterior, em referência ao kit cloroquina. “Se eu porventura for reinfectado, já tenho meu médico e sei o que ele vai receitar para mim, o que me salvou lá atrás”, disse.

 

“Não tem um medicamento certo para isso ainda de forma clara, não existe medicamento para isso ainda. Mas o médico tem alternativas que podem salvar sua vida”, afirmou o presidente da República.

 

No mês anterior, em 4 de fevereiro, Bolsonaro usou sua live para comparar a prescrição de remédios sem eficácia comprovada à aplicação de água de coco durante uma guerra.

 

“Se não faz mal, o médico falou para você que não está previsto... Esse mal que você tem naquela bula. Não provoca arritmia... Por que não tomar? Eu tomei. Vai que lá na frente aconteça, como aconteceu um fato concreto, na Guerra do Pacífico, quando botaram água de coco na veia do soldado que estava morrendo por sangramento, perda de sangue excessiva. Deu certo. Se não tivessem feito aquilo, quantos teriam morrido?”, defendeu.

Histórico de Conteúdo