Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Casarão 17 realiza Semana de Moda, Arte, Cultura e Gastronomia

 

O Casarão 17, que fica em um dos mais belos cartões postais da cidade, no Terreiro de Jesus, realiza de 29 de abril a 2 de maio, das 11h às 19h, a Semana de Moda, Arte, Cultura e Gastronomia e se consolida como um dos primeiro Fun Clubs da cidade. No Casarão 17 estarão à venda roupas, acessórios e artigos de moda, com produtos de bazar, lançamentos para o Dia das Mães e promoções exclusivas de marcas como Havaianas, Cia Marítima, Santa Bata, Colcci, Lady Mary e Leila Daltro; haverá também, numa oportunidade única, a venda das obras de arte de artistas visuais baianos, que têm ateliês no Pelourinho, Bida, Arléo e Luiz Folgueira; os serviços turísticos do Centro Histórico também estarão disponíveis pelas agências homologadas ao Casarão 17 e a reconhecida gastronomia do exclusivo Café Restaurante Mariposa Pelourinho oferecerá um cardápio especial e ficará responsável por toda organização da ação.

A Semana de Moda, Arte, Cultura e Gastronomia do Casarão 17, além de ser uma excelente oportunidade para realizar compras para o Dia das Mães, é um bom momento para sair de casa e visitar um lugar que segue todos os protocolos de prevenção à Covid-19, reconhecidamente seguro pelos órgãos da Prefeitura e que oferece no mesmo lugar gastronomia, arte, moda e entretenimento. Um local de pura diversão e com toda facilidade de acesso aos estacionamentos e conforto para trasladar os visitantes em Carro Elétrico Temático.

Instagram @casarao17

Segunda, 26 de Abril de 2021 - 15:05

Mais cor para alegrar nossos dias iguais

Mais cor para alegrar nossos dias iguais


 

E é possível alegrar o visual abusando das combinações a partir de tons neutros como base. É o que garante a consultora de imagem Marcela Moura, que tem em seu portfólio de serviços a coloração pessoal, "Técnica que descobre as cores mais favoráveis a cada beleza e torna a nossa imagem mais harmônica".Pela manhã a escolha das roupas e das cores que usaremos durante o dia sempre refletem as expectativas do que temos pela frente em nossa jornada. Agora, nesses dias de isolamento social com a pandemia, quando nossa rotina está mais igual e monótona, as cores podem ajudar a melhorar o astral durante o dia. Fugir do preto e do cinza, mesmo em home office, contribui para elevar o humor e até a produtividade no trabalho.
 

Uma das composições sugeridas por Marcela é o azul e laranja. "Essas duas cores são opostas no círculo cromático, e seguramente se complementam quando juntas em um look que pode iluminar e alegrar seu dia, mesmo que ele esteja cinzento e monótono. O azul na sua versão Royal também contrasta muito bem com o laranja e se transforma em protagonista da composição", afirma a consultora.
 

Seguindo essa linha de cores complementares, o vermelho e o verde também resultam em ótimas harmonizações, assim como o amarelo e o roxo, que proporcionam um resultado mais colorido.
 

Para Marcela, uma outra combinação que garante ótimos looks, são o bege e o verde que podem ser explorados em qualquer estação do ano. "Seja taupe, camel, fendi, caramelo ou em uma das variações dentro do que muitos consideram bege, podemos criar um ponto focal de destaque investindo em composições com a cor verde, em suas tonalidades diversas! Fica lindo, chique e atemporal."

Mesmo com pandemia, segmento de franquias de Saúde, Beleza e Bem-Estar cresce


 

O balanço consolidado realizado pela ABF - Associação Brasileira de Franchising revela que o setor de franquias manteve sua curva de recuperação no 4º trimestre de 2020, se aproximando dos níveis pré-Covid-19. A retomada gradual da atividade econômica, as medidas de estímulo e a melhora nos índices de confiança empresarial e do consumidor devem incentivar novos negócios por parte de profissionais em busca de alternativas de renda e investidores, visando retornos financeiros mais altos.
 

Em 2020, mesmo com todas as dificuldades, um dos segmentos que mais chamou a atenção foi o de Saúde, Beleza e Bem-Estar por apresentar um bom desempenho no faturamento. Segundo a entidade, o segmento registrou desempenho positivo, de 5,4% no 4º tri e de 3,1% no ano.
 

O segmento de Saúde, Beleza e Bem-Estar foi beneficiado pelo fato de haver uma demanda ainda reprimida, pela decisão de parte dos pacientes em aproveitar a quarentena para realizar procedimentos mais invasivos, a acentuação do desejo de bem-estar mesmo em um contexto tão delicado e o redirecionamento de recursos que seriam utilizados para outros fins, como viagens e outras atividades sociais restritas nesse período.
 

"As franquias de Saúde e Beleza demonstraram grande resiliência e agilidade. O conhecido ‘efeito batom’ demorou um pouco mais a aparecer, mas se fez presente. De qualquer forma, apenas ele não explica o desempenho dessas franquias. Sim, o consumo de substituição e de gratificação foram importantes, mas as franquias deste segmento também fizeram sua parte. Se digitalizaram, criaram produtos e pacotes e, acima de tudo, mantiveram o relacionamento com franqueados e os consumidores. É importante destacar também o crescimento de serviços essenciais por meio do franchising, como odontologia, oftalmologia, clínica geral e cuidados com idosos que tiveram mais uma vez seu valor e potenciais reconhecidos mesmo com o mercado passando por tantas transformações", afirma Thais Ramos, coordenadora do Comitê de Saúde e Beleza da ABF.

Terça, 13 de Abril de 2021 - 12:05

Dia do Beijo: receitas de batons veganos!

 Dia do Beijo: receitas de batons veganos!

 

 

Nessa terça-feira (13), comemora-se o Dia do Beijo. E, pensando em opções sustentáveis, a Bio Mundo franquia de alimentos saudáveis, traz receitas caseiras de batons veganos para ajudar a preservar a saúde dos lábios e ainda dar cor, escolhendo a ideal para cada mood.

Além da praticidade em fazer um batom novinho, as opções veganas são livres de toxinas ou conservantes. Dentre os ingredientes estão presentes óleo de coco, manteiga de cacau e frutas, como amora, framboesa e romã, além de óleos essenciais.

Confira as receitas abaixo:

Batom Vermelho
Ingredientes
1 colher (sopa) de manteiga de cacau
2 colheres (sopa) de óleo de coco
1 amora
2 gotas de óleo essencial de amora

Modo de preparo: primeiro amasse a amora e misture as gotas do óleo essencial. Reserve. Enquanto isso, ferva em banho-maria a manteiga de cacau e acrescente o óleo de coco. Depois, misture tudo e espere esfriar. Mantenha refrigerado.

Batom Rosa
Ingredientes:
1 colher (sopa) de manteiga de cacau
2 colheres (sopa) de óleo de coco
½ limão
1 folha de repolho roxo pequeno
½ xícara (chá) de água
2 gotas de óleo essencial de limão

Modo de preparo: em um pilão ou triturador, bata o repolho com o limão, ferva e misture com a água. Reserve. Em banho-maria, derreta a manteiga de cacau e misture ao óleo de coco. Depois, em um recipiente coloque uma colher de chá da água tonalizada com repolho e limão, acrescente as gotas do óleo essencial e o restante dos ingredientes. Espere esfriar. Mantenha refrigerado.

Batom Alaranjado
Ingredientes:
1 colher (sopa) de manteiga de cacau
2 colheres (sopa) de óleo de coco
1 colher (chá) de colorau
2 gotas de óleo essencial de sua preferência

Modo de preparo: ferva em banho-maria a manteiga de cacau e acrescente o óleo de coco. Depois, misture a colher de colorau e as gotas do óleo essencial e esperar esfriar. Mantenha refrigerado.

Lip Tint Natural
½ colher (chá) de óleo de coco
3 amoras
1 framboesa
3 sementes de romã

Modo de preparo: amasse as amoras e framboesas e reserve. Esprema as sementes de romã e misture tudo com o óleo de coco. Depois é só usar o liquido para dar um tonzinho à boca enquanto a hidrata.

Quinta, 08 de Abril de 2021 - 13:05

Plantando em Casa

Plantando em Casa

 

Muita gente passou a cultivar horta em casa durante a quarentena, seja para ter mais contato com natureza ou até mesmo para aproveitar o tempo e ter uma atividade de bem-estar, mas acabou pegando gosto de colher o alimento para cozinhar e preparar refeições (seja vegetal ou tempero). Ao mesmo tempo, o tema sustentabilidade nunca esteve tão em voga, e muitas pessoas também começaram a repensar hábitos e buscar formas de ajudar sem sair de casa, e foi aí que a compostagem apareceu como ótima oportunidade para ajudar com o descarte correto do resíduo orgânico, cuja produção aumentou na pandemia e ainda não tem o devido descarte pelos serviços de coleta de lixo da maioria das cidades brasileiras. Como muitas mudanças desse período, essas são duas que vieram para ficar.

Para começar uma horta em casa, basta analisar se há um espaço, podendo ser grande ou pequeno, que bata sol e providenciar materiais como vaso, jardineira, terra, ferramenta e regador. "O sol é muito relevante, porque é energia para a planta. O ideal é ter no mínimo quatro horas de luz, mas mesmo que não tenha tanto tempo de iluminação, a planta acaba se adaptando. Na dúvida, escolha o local com maior luminosidade disponível e experimente", aponta Diego Diel, coordenador de vendas da ISLA Sementes. Para ajudar os iniciantes na empreitada, a empresa disponibiliza 600 variedades de sementes e kits para começar uma horta em casa no e-commerce.

Com relação à estrutura, há diversas formas. "Pode-se fazer uma estrutura suspensa, em cima de um cavalete, uma escada, parapeito ou janela. No chão ou em floreiras. É essencial pensar numa drenagem para escoar a água dada às plantas. As hortaliças gostam de solo úmido, mas não encharcado. Exemplos são os furos na base dos vasos ou ainda evitar terrenos que alaguem para uma horta em canteiros", explica Diego. Para escolher o que plantar, é interessante saber as características das plantas que se deseja cultivar. Manjericão, alecrim, pimenta, orégano, salsa, rúcula, coentro e microverdes são opções para começar a cultivar uma horta em casa. "Mas vale lembrar de conferir se a época condiz com o período recomendado para a sua região", ressalta Diel.

 

Compostando os resíduos orgânicos
 

Muita gente acha que, separando resíduos secos (recicláveis) e molhados (orgânicos) já está colaborando para o meio ambiente. Mas a verdade é que apenas o que é reciclável tem um descarte correto pela coleta de lixo. Na maior parte das cidades brasileiras, os rejeitos (parte do lixo que não temos capacidade e/ou tecnologia para reciclar) e os orgânicos acabam em aterros sanitários ou lixões a céu aberto.

"A compostagem é um processo biológico de transformação de resíduos orgânicos em adubo pela ação de microorganismos, principalmente bactérias", explica Rafael Zarvos, especialista em Gestão de Resíduos Sólidos e fundador da Oceano Resíduos. Para quem está começando, ele deixa duas dicas: comprar uma composteira doméstica ou fazer o próprio vaso compostor. O primeiro método utiliza minhocas, e o segundo método utiliza matéria seca, mas Rafael garante que nenhuma das duas opções libera odor.

As duas técnicas transformam lixo em alimento ao invés de ter o mesmo resíduo liberando toxinas que prejudicam o meio ambiente em aterros sanitários.

 

 
Receitas com Cacau: você pode vender ou preparar para sua família

 


O cacau é um dos principais ingredientes da produção do chocolate, e poucos sabem que o alimento é rico em em flavonoides, poderoso antioxidante que evita o envelhecimento precoce. Além disso, o grão é fonte de vitaminas e minerais, como o potássio, cobre, cálcio, magnésio e ferro, um alimento pra lá de saudável! Para mostrar a versatilidade do ingrediente, a Ana Conceição, personal chef criadora da marca "Tempeiro de mãe", cadastrada no GetNinjas, aplicativo de contratação de serviços, selecionou três receitas que levam pó de cacau em sua composição e que prometem agradar todos os gostos, confira:

Pão de mel:

Ingredientes massa:
- 1/2 xícara de chá de mel;
- 2 ovos;
- 2 xícaras de chá de açúcar refinado ou açúcar mascavo, se preferir;
- 2 xícaras de chá de leite;
- 2 colheres sopa de margarina;
- 1 colher de sobremesa de cravo em pó;
- 2 colheres de sobremesa de canela em pó;
- 1 colher de sopa de cacau em pó;
- 3 xícaras de chá de farinha de trigo;
- 2 colheres de sobremesa de bicarbonato de sódio;
- ½ quilo de doce de leite para rechear o pão de mel.

Ingredientes cobertura:
- 1 barra de 1kg de chocolate fracionado meio amargo;
- Papel-manteiga para escorrer os pães de mel.

Modo de preparo da massa:
Bata todos os ingredientes no liquidificador até obter uma massa uniforme
Desligue o liquidificador e acrescente a canela, o cravo e o cacau em pó;
Bata bem a mistura novamente no liquidificador;
Desligue novamente e acrescentar a farinha de trigo aos poucos;
Desligue novamente e acrescentar o bicarbonato de sódio;
Unte uma forma retangular até metade da altura do recipiente, pois a massa cresce muito;
Asse de 20 a 24 minutos no forno a 180º;
Depois de frio, corte em quadrados e depois no meio para rechear com doce de leite

Modo de preparo da cobertura:
Derreta uma barra de 1 kg de chocolate no banho-maria por 4 minutos;
Com a ajuda de um garfo, mergulhe os pães de mel na cobertura derretida;
Dê leves batidas para retirar o excesso e coloque sobre papel-manteiga;
Após secar, pode se deliciar com a sobremesa.

Bolo de Cacau com gengibre:

Ingredientes massa:
- 1 ovo
- 3/4 xícara de água em temperatura ambiente
- 1 xícara de leite
- 3/4 xícara de óleo
- 1 xícara e meia de açúcar refinado
- 1/2 xícara de cacau em pó
- 3 xícaras de farinha de trigo
- 1 colher de café de bicarbonato de sódio
- 1 colher de chá de fermento em pó
- Raspas de gengibre

Ingredientes calda:
- 100 g de chocolate ao leite;
- 100 g de creme de leite.

Modo de preparo para a massa:
Com o auxílio de um fouet misture os ovos e todos os ingredientes líquidos;
Acrescente o açúcar, o cacau em pó, farinha de trigo, bicarbonato, raspas de gengibre e, por último, o fermento;
Misture bem até que todos os ingredientes fiquem homogêneos;
Unte uma assadeira com óleo, coloque a massa e leve para assar em forno pré-aquecido a 180 graus por aproximadamente 40 minutos.

Modo de preparo da calda:
Derreta o chocolate em banho maria e adicione o creme de leite;
Misture bem os ingredientes e coloque sobre o bolo quando já estiver frio.

 

RBN Digital é opção de música e informação de qualidade pelo celular e pelo computador

A RBN Digital atinge mais de 1,2 milhão de ouvintes a cada 12 meses, e esse número não para de crescer. São mais de 100 mil espectadores por mês acompanhando a emissora digital por meio do aplicativo para iOS (baixe aqui) ou para Android (baixe aqui), ou também pelo próprio site da BRN Digital.

 

A rádio é uma iniciativa do Bahia Notícias que une música de qualidade com a credibilidade da informação do site. A programação da RBN Digital inclui boletins de hora em hora com as principais notícias do Brasil e do mundo e programas curtos sobre esportes, cultura, viagem, etc.

 

O final de semana também é repleto de informação e programação de alta qualidade, a exemplo do Time Machine, sob o comando de DJ Wilson, que faz um flash-back por grandes sucessos da cena musical. Conheça a RBN Digital, acesse pelo celular ou pelo site www.rbndigital.com!

Segunda, 22 de Março de 2021 - 09:55

Fios da Moda

Fios da Moda

 

A boa notícia ganhou eco com o relatório: Fios da Moda que traz dados inéditos sobre os impactos socioambientais das principais fibras utilizadas na indústria da moda brasileira: algodão, poliéster e viscose.

O conceito de economia circular é uma visão completa e complexa  para o problema da crise climática, e com este relatório brasileiro os players da indústria têxtil e moda ganham mais informações e ferramentas em direção a soluções dentro da realidade do país.

Apesar do estudo fazer uma análise das 3 principais fibras utilizadas no mundo, chama a atenção para a relação do algodão e da água neste dia.  A nível global as técnicas usadas de irrigação fazem com que o consumo de água na produção da matéria prima seja uma grande vilã, é comum vermos dados de quanto uma camiseta ou calça jeans consomem de água na sua produção mas, se o algodão for brasileiro existe grande chances da realidade ser bem diferente, o algodão no país é em sua maioria produzido em sequeiro ou seja, apenas com água da chuva.

“(...) as características específicas da produção brasileira parecem ser muito influentes para o consumo de água na cultura do algodão. O predomínio da produção de algodão em sequeiro (sem irrigação).

Contudo o estudo observa a movimentação do setor para a questão ambiental “(...) país tem investido em rastreabilidade e certificação para garantir uma produção com menor impacto ambiental. O Brasil é o maior produtor mundial de algodão certificado Better Cotton Initiative (BCI), respondendo por cerca de 30% do volume total de algodão BCI (BCI, 2020; TEXTILE EXCHANGE, 2019)”

No entanto a alternativa incentivada pelas pesquisadoras é o algodão agroecológico por conta dos seis pilares para a circularidade elaborados por elas, que se destaca por abordar uma avaliação que contempla além dos fatores ambientais também os fatores sociais envolvidos na economia circular :1) Design de produto circular, 2) Design de Processos e Fluxos Circulares 3) Sistemas Vivos: Regenerar a Natureza, 4) Recursos e Toxicidade Limitada, 5) Condições Locais: Internalizar Externalidades, e 6) Sociedade: Justiça e Ecologia Social.

Para o consumidor analisando o ciclo de vida de peças de algodão, o estudo aprofunda várias observações e comparações entre autores e destaca que sob o olhar do consumo da água, logo em seguida a etapa de produção, a fase do uso da peça é a que mais se destaca.

“As etapas de fiação e tecelagem e de tingimento também apresentam certo grau de impacto por consumirem quantidades consideráveis de água, especialmente o tingimento (QUANTIS, 2018). A etapa de uso é a segunda principal contribuinte em termos de consumo de água. Nessa etapa, a lavagem é o principal processo contribuinte para esse impacto (BEVILACQUA et al., 2014). Em análises de cenários, estima-se que máquinas de lavar eficientes consomem 30% menos água durante a lavagem do que máquinas de lavar convencionais (PERIYASAMY; WIENER; MILITKY, 2017) .

“A vontade de produzir um relatório sobre têxteis está ligada à urgência da transformação que precisamos fazer acontecer na próxima década se quisermos garantir condições de vida minimamente estáveis na Terra frente a um cenário climático em profunda transformação”, ressalta Marina Colerato, coordenadora do projeto. 

 
 
Quinta, 18 de Março de 2021 - 18:05

O Brasil é líder mundial em procedimentos íntimos

O Brasil é líder mundial em procedimentos íntimos
 


Segundo dados divulgados em dezembro de 2020 pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica (ISAPS), o Brasil foi o país que mais realizou cirurgias estéticas no ano de 2019, o que corresponde a 13,1% do total realizado em todo o mundo. De acordo com a cirurgiã plástica Maiéve Corralo, diretora do Instituto Maiéve Corralo, o país é líder mundial em procedimentos íntimos realiza cerca de 21 mil cirurgias por ano. 

"O aumento da procura pela cirurgia íntima pode estar relacionado com o uso da depilação completa ou mais cavada, assim como a diminuição dos tabus e ao empoderamento feminino. Além do fato das pessoas estarem mais em casa, num ritmo menor e com isso passaram a dar mais atenção e a tentar resolver os problemas que na correria do dia a dia acabam deixando para depois", declara a médica. 

Para ajudar a entender sobre o procedimento que vem fazendo a cabeça da mulherada, a dra. Maiéve explica o que é, como funciona, e em quais casos é indicado a realização da cirurgia. 

O que é a ninfoplastia? 
É a cirurgia plástica da genitália feminina, que pode diminuir os pequenos lábios, o prepúcio do clitóris ou o próprio clitóris, pode diminuir os grandes lábios vaginais e o monte pubiano com lipoaspiração ou pode preencher os grandes lábios com gordura, ácido hialurônico ou hidroxiapatita para trazer um aspecto mais jovem e com turgor. 

Quem pode fazer, quando há indicação? 
Mulheres a partir dos 18 anos. A indicação existe quando a estética genital incomoda a mulher ou quando os pequenos lábios hipertrofiamos passam a machucar na atividade física, ao contato com a calcinha ou durante o ato sexual. 

Como é o procedimento? Precisa de internação? Qual tipo de anestesia? 
O procedimento pode ser realizado em ambiente ambulatorial, sem internação, sob anestesia local (tópica + injetável). Podemos fazer a cirurgia clássica com uso de pontos absorvíveis ou com uso de laser de co2, sem pontos, com recuperação mais rápida, esta última é a minha preferência. 

Existe alguma contraindicação? 
Doenças clínicas graves que contraindiquem procedimentos cirúrgicos, mas como é um procedimento de pequeno porte quase não existe contraindicação. 

Como se dá o processo de recuperação? 
Nos primeiros dois dias pós-operatórios a paciente sente queimação no local e por isto aconselha-se o uso de compressas geladas que além de melhorarem a ardência, diminuem o edema (inchaço) e diminuem o sangramento. É comum a queixa de queimação ao urinar que se resolve com o uso de pomada hidratante imediatamente antes de urinar. Usualmente com 15-20 dias a ferida já está cicatrizada, mas o inchaço pode levar cerca 3-4 meses para regredir completamente. 

Em quanto tempo após a cirurgia é possível voltar a vida sexual? 
Usualmente após 15-20 dias, dependendo da completa cicatrização da ferida. 

Há perda da sensibilidade após o procedimento? 
Perda de sensibilidade não é uma queixa frequente, tendo em vista o fato de que a cirurgia não atinge a inervação clitoriana, mas alterações transitórias de sensibilidade no corte cirúrgico podem acontecer e costumam se resolver em cerca de 3-4 meses quando ocorrem. 

Há uma faixa etária mais comum entre essas mulheres que buscam o procedimento e quais as principais causas?
Na minha clínica a procura maior é nas mulheres na faixa entre os 30 e 50 anos, mas notamos um aumento da procura por mulheres mais jovens. As principais causas são principalmente o aumento dos pequenos lábios, seguida por plástica do prepúcio do clitóris e lipoaspiração do púbis com enxertia nos grandes lábios. Pacientes atletas ou que perderam muito peso procuram preenchimento dos grandes lábios com ácido hialurônico. 
 

Evento on line: Mulheres se unem para convocar mulheres que perderam seu trabalho na pandemia

Mais de 8,5 milhões de brasileiras perderam seus trabalhos durante a pandemia. Além das mulheres serem a maioria no quadro de demissões, milhares consideram desacelerar suas carreiras ou deixar o mercado de trabalho em função da jornada dupla junto às atribuições da casa e da maternidade 

O "Café com Mentoria" será um evento 100% online e gratuito dentro de uma plataforma fechada para garantir ambiente de confiança, proximidade e intimidade entre as mentoras e as inscritas. Foi desenhado para as mulheres poderem ouvir e serem ouvidas por convidadas inspiradoras em suas trajetórias. 

Haverá momentos de palestras, trocas e mentorias ao vivo, com mulheres referências em suas áreas de atuação, como: Rafa Brites, jornalista, escritora do livro Síndrome da Impostora; Dilma Campos, CEO da Outra Praia, e Caroline Marcon, desenvolvedora de pessoas e coach de altas executivos, formada na Columbia University. 

Além disso, o Padre Fábio de Melo, embaixador do Projeto Florada, irá realizar o fechamento do evento com suas reflexões profundas, que costumam ter alto engajamento entre mulheres e frequentemente tem seus pensamentos compartilhados por elas nas redes sociais. 

As inscrições são gratuitas, com vagas limitadas, e estarão abertas a partir do dia 8/3, Dia Internacional da Mulher, para todas as mulheres que perderam seu trabalho na pandemia. 


Dois grandes projetos que valorizam as mulheres se uniram para oferecer mentoria gratuita por meio da iniciativa "Café com Mentoria", que é fruto da parceria entre a 3 Corações e seu premiado Café Florada, exclusivamente produzido por mulheres produtoras de cafés especiais, e a Todas Group, plataforma digital que acelera carreiras femininas. 
Serviço: 

Café com mentoria - com a participação de Rafa Brites, jornalista, escritora do livro Síndrome da Impostora; Dilma Campos, CEO da Outra Praia, e Caroline Marcon, desenvolvedora de pessoas e coach de altas executivas, formada na Columbia University e encerramento do Padre Fábio de Melo. 
Data: 28 de março a partir das 16 h 
Inscrições gratuitas: todasgroup.com.br/cafementoria

Personal trainer baiana inova com lançamento de desafios para incentivar a prática de exercícios

Cada vez mais as pessoas estão em busca de saúde e qualidade de vida, principalmente neste momento quando é preciso fortalecer o sistema imunológico contra o corona vírus. Como alternativa diversos professores de educação física estão inovando, não é difícil encontrar aulas on line gratuitas. A Personal Trainer Catarina Urpia,  por exemplo, vem desenvolvendo um formato de atividade com um grupo virtual, além das aulas que disponibiliza no instagram dela @personalcatarinaurpia, ela insere pequenos treinos gravados e diversas dicas diariamente no grupo Desafio do whats app.

“Meus alunos complementam as aulas com o formato digital e vem dando certo. Recentemente lancei desafios pelo whats app, quem emagrecer mais, perder maior percentual de gordura e ganhar mais massa magra num período determinado é o campeão e camepeã do desafio”, explicou Catarina. Neste último desafio de fevereiro, foram 28 dias de atividades e dicas com uma nutricionista parceira. O vencedor foi o empreendedor digital Cláudio Araújo que perdeu mais de 4kg e 10% de gordura. Já a vencedora foi Andreia Gomes ela conseguiu perder quase 2kg e ganhou quase 2% de massa magra, um super exemplo e influência para os outros participantes.

Catarina explica que antes do desafio começar ela realiza o teste de biopendância que é super rápido e muito detalhado e o resultado é encaminhado para o aluno, quando o desafio termina novo teste é realizado e daí ela consegue avaliar quem são  os vencedores. “Este formato de competição estimula e motiva a prática de atividades físicas diversas e a alimentação saudável, já que contamos no grupo, também, com uma nutricionista e sempre dou dicas de comidinhas saudáveis e low carb”, disse ela. Diversas marcas entre elas o BN Mulher apoiaram o “Desafio” e os vencedores além de saírem mais saudáveis e magros também ganham prêmios.

Neste último desafio marcas como: @bahianoticiasmulher, @_inteligir_, @madamefogao, @beleza_power, @felipeleaos_personalfight, @biquinidaybyday, @esteticmel, @pedidos_fitfood, @marianaparanhosoficial, @cucaalimentos, @_jujumodafitness, @laicmello, @viver.natura, @saboresda.lili, @coachmyllarego, @araujo.2304 apoiaram a @personalcatarinaurpia.

Quer participar do próximo desafio? Manda um direct para ela!

Segunda, 08 de Março de 2021 - 09:05

Estamos contribuindo para o aumento de lideranças femininas no mercado de trabalho? 

por Livia Rigueiral

Estamos contribuindo para o aumento de lideranças femininas no mercado de trabalho? 


É inegável que, com o passar dos anos, mais mulheres se tornaram protagonistas no mundo corporativo ao assumir cargos de gestão. Inclusive, dados de uma pesquisa da Page Executive comprovam que a presença delas na liderança cresceu 7% de 2019 a 2020 - passando de 30% para 37%. No entanto, se considerarmos que no Brasil há mais mulheres que homens - de acordo com a PNAD 2019, 51,8% dos brasileiros são mulheres, e 48,2% são homens -, a representatividade delas ainda é baixa. 

Você já parou para se perguntar, por quê? 

É claro que fatores culturais, apesar de retrógrados, virão à mente de todos como resposta quando o assunto for desigualdade de gênero no mercado de trabalho. É um problema estrutural grave e enraizado, que dados do estudo "Informe e percepção de gênero", do LinkedIn comprovam. Eles revelam, por exemplo, que na corrida por uma oportunidade de trabalho, as mulheres têm 13% menos chances de terem seus perfis vistos pelos recrutadores que os homens. Os responsáveis por selecionar os candidatos dão preferência a candidatos do sexo masculino, sem sequer terem aberto o perfil da candidata para avaliar suas competências. Parece algo distante da nossa realidade, até vermos dados como esses, que se encarregam de nos mostrar que o preconceito por conta do gênero está mais presente no nosso dia a dia do que imaginamos. Mas de que forma nós mesmos contribuímos para que ele continue existindo?

A falta de oportunidade, aliada à falta de confiança nelas, figura para mim no primeiro lugar do ranking de razões pelas quais há menos mulheres ocupando cargos de chefia. Se tomarmos como exemplo mentorias - que, segundo estudo da Concordia University, contribuem para o crescimento tanto dos mentorados quanto dos mentores, e tem papel fundamental na formação de grandes líderes -, não vemos números significativos na procura por mulheres para mentorarem homens. Uma pesquisa realizada pela Universidade do Michigan revelou que houve apenas 21 resultados nas buscas no Google por "mulheres mentoria para homens", enquanto "mulheres mentoria para mulheres" teve 807 resultados. 
 

Muitas vezes, os colaboradores - mesmo que do sexo feminino - demonstram menos respeito às líderes, ao compararmos com a atenção que desprendem aos chefes do sexo masculino. Será por falta de competência das que estão à frente das equipes, ou apenas o velho hábito de ver nos homens esse papel de mentor, associar homens a cargos de destaque no universo corporativo, e respeitá-los mais por essa posição "que lhes pertence"? 
 

Para te ajudar em sua reflexão sobre como o meio contribui para que as mulheres tenham menor participação no alto escalão das empresas, acho importante destacar a disputa quase que desleal que é travada, absolutamente sem propósito racional algum, entre eles e elas. Digo desleal porque, além de terem que desenvolver mais habilidades técnicas que os homens para serem consideradas competentes, ainda é cobrado das líderes que elas sejam calorosas e agradáveis, afinal, desde os primórdios, essas características erroneamente ficaram associadas às mulheres. E é aí que mora um grande problema. Em uma sociedade estruturalmente machista, esse comportamento terno automaticamente distancia a mulher da imagem forte que um cargo de gestão exige, logo, elas se veem mais distantes também da possibilidade de liderar equipes. 
 

Acredito que a sociedade tem repetido discursos e, consequentemente, erros do passado, o que acaba por tornar falha a valorização das muitas atribuições que naturalmente encontramos no modelo de gestão das mulheres, como a inteligência emocional, capacidade de criar estratégias e gerenciar crises - ainda mais em tempos de pandemia -, dentre tantos outros pontos técnicos ou de relações interpessoais, que só agregam ao ambiente corporativo. Apesar do peso que apenas pelo fato de serem mulheres as gestoras já carregam, é nelas que deposito minha esperança quanto à quebra de paradigmas, quanto a mudanças significativas a curto e médio prazo para que, a longo prazo, a força feminina seja disseminada e todos se conscientizem sobre a importância - e os impactos positivos - que a igualdade no mercado de trabalho pode gerar às mulheres, a famílias inteiras, empresas, e ao país. 

As batalhas são diárias, por isso, chamo homens e mulheres a uma reflexão, e à ação. Para que haja uma evolução significativa do debate sobre a importância de uma sociedade mais igualitária, transpondo a teoria e passando à prática, é fundamental inserir mais mulheres no mundo dos negócios. Que tal dar o primeiro passo e contratar/respeitar mulheres? Ou, melhor ainda, que tal incentivar e promover a presença delas em áreas majoritariamente masculinas, ou dar suporte às que se dedicam ao trabalho e também à criação dos filhos? 

Lívia Rigueiral é CEO do Homer e sócia-investidora da venture builder Ipanema Ventures. Engenheira de formação, a executiva ainda colaborou como Gestora de Produto e Projetos da CorretorVIP. 

Pandemia interrompe participação crescente de mulheres no empreendedorismo, diz estudo
Foto: Reprodução / Folha

Um levantamento do Sebrae obtido pelo jornal Folha de S.Paulo mostra que a pandemia interrompeu um ciclo de crescimento de quatro anos contínuos da participação feminina no empreendedorismo brasileiro.

No terceiro trimestre do ano passado, a proporção de mulheres entre os donos de negócio caiu quase um ponto percentual em comparação com o mesmo período de 2019 —chegando a 33,6% dos cerca de 25,6 milhões empreendedores no país. Em números absolutos, a queda representa um retorno a patamares abaixo dos vistos em 2017, com a perda de 1,3 milhão de mulheres à frente de um negócio.

O estudo mostra que todos foram afetados pela crise da Covid-19, mas as mulheres foram mais, afirma Renata Rodrigues Malheiros, analista de relacionamento com o cliente e coordenadora do projeto Sebrae Delas. Para a especialista, entre as razões que explicam essa ruptura está o desequilíbrio na divisão das tarefas domésticas, problema que, além de empreendedoras, também afetou mulheres no ambiente acadêmico e nas empresas privadas no ano passado.

“Durante uma crise, você precisa se dedicar mais horas à inovação. Mas como vou fazer isso se estou cuidando de três filhos em aulas virtuais? A situação que estamos vendo é um reflexo da divisão de papéis. Isso, quando não estamos falando de mães solo. A pandemia é a mesma tempestade para todos, mas nem todos estão no mesmo barco”, diz.

Para a especialista, o tempo gasto com atividades de cuidado também se reflete em outro dado do mesmo levantamento do Sebrae: quando comparadas aos homens, as empreendedoras trabalham menos horas por semana em seus negócios —59% delas trabalham menos de 40 horas semanais.

Apesar de ser agravada com pandemia, essa disparidade já era anterior. As mulheres dedicaram aos cuidados de pessoas ou afazeres domésticos quase o dobro de tempo que os homens em 2019, de acordo dados mais recentes do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Quando se fala em nível de ocupação, existe uma diferença entre homens e mulheres na faixa dos 25 a 49 anos com crianças de até três anos em casa. Para elas, a taxa é de 54,6% e, para eles, de 89,2% —entre mulheres pretas ou pardas, o índice cai para 49,7%. Os números constam no levantamento “Estatísticas de Gênero: Indicadores Sociais das Mulheres no Brasil”, divulgado nesta quinta (4) pelo instituto.

A pandemia escancara fragilidades que já existiam estruturalmente e algumas dessas dificuldades se acumulam de acordo com vulnerabilidades históricas, como é o caso de mulheres negras, indígenas e mães, diz Tayna Leite, gerente do Ganha-Ganha Brasil, programa para estimular a equidade de gênero nos negócios realizado pela ONU Mulheres em parceria com a (OIT) Organização Internacional do Trabalho e União Europeia.

Uma dessas fragilidades é o estereótipo de gênero estabelecido em torno dos cuidados, diz Tayna. “A feminização do cuidado é atribuir essa responsabilidade à mulher. Precisamos mostrar que o cuidado é uma responsabilidade coletiva, não há nada inerente à natureza feminina ligada a ele. É um passo que parece simples, mas não é”, diz Tayna.

Outro fator que indica como as empreendedoras foram afetadas pela pandemia é a área de negócios em que atuam: segundo o estudo do Sebrae, mulheres estão mais presentes no setor de serviços (50%, contra 34% dos homens), bastante afetado pela crise.

Ao abrir negócios, muitas empreendedoras optam por um segmento em que já têm uma habilidade desenvolvida, diz Regina Madalozzo, coordenadora do Núcleo de Mulheres e Território do Insper. “No mercado de trabalho ou no empreendedorismo, elas só se sentem preparadas quando têm completo domínio do que estão fazendo. E seguro é ficar em tarefas de cuidado”, diz a especialista.

Ainda que tenham mais instrução (maior porcentagem de ensino superior comparado a homens até a faixa dos 64 anos, segundo o IBGE), as mulheres não procuram áreas de estudo como matemática e isso impacta na sua relação a tecnologia, diz Dani Junco, fundadora da B2Mamy, que capacita e conecta mães ao ecossistema de inovação e tecnologia.

Em 2019, mulheres correspondiam a apenas 13,3% das matrículas nos cursos presenciais de graduação na área de computação e tecnologias da informação, contra 88,3% na área de bem-estar (que inclui cursos como serviço social), segundo levantamento organizado pelo IBGE.

Quando iniciam capacitações relacionadas ao tema de tecnologia na B2Mamy, muitas mulheres se questionam por que nunca haviam cogitado atuar no setor, diz Junco. “Elas imaginam que é uma coisa de outro mundo. Mas, quando começam a trabalhar com isso, pensam ‘uau, como não mudei de área antes’. Tem muita vaga e dinheiro para quem quer trabalhar nesse setor”, diz ela.

Com o conjunto de dificuldades enfrentadas no dia a dia, mulheres parecem ter sido mais afetadas psicologicamente do que homens com os impactos da pandemia, de acordo com dados de uma pesquisa realizada pelo Instituto Rede Mulher Empreendedora feita com 1.555 empreendedores entre setembro e outubro do ano passado.

Segundo o documento, as palavras mais citadas pelas mulheres sobre como se sentem nos últimos meses foram ansiosa (66%), confiante (60%) e cansada (52%) —para os homens, em contraposição, as palavras foram confiante (65%), ansioso (58%) e tranquilo (39%).

Apesar desse cenário, as mulheres foram capazes de buscar inovações para manter seus negócios, lembra Ana Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora.

“Cerca de 40% das empreendedoras têm no negócio a principal fonte de renda, então inovar não é uma questão só estratégica, mas uma questão de sobrevivência. Elas aplicaram medidas práticas, como reduzir despesas, reorganizar as contas, postergar dívidas, mas também procuraram o caminho da capacitação, principalmente no que diz respeito a transformação digital”, diz.

Além da capacitação, as redes de troca entre empreendedoras vêm se consolidando como alternativa para aquelas que estão em busca de apoio ou soluções para o negócio. “As redes ajudam a encurtar distâncias, mas também são espaços fundamentais de troca. Culpa materna é uma das questões que as empreendedoras mais trazem a nós. E isso impacta toda a gestão da empresa”, diz Renata Malheiros, do Sebrae.


VEJA PROGRAMAS DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO FEMININO

B2Mamy Womby

O projeto B2Mamy tem diferentes frentes de capacitação para mães, entre eles o Womby, voltado a mulheres periféricas, com formação em profissões digitais. Além disso, também tem uma casa em Pinheiros que funciona como hub, em que mulheres podem se conectar umas com as outras

Sebrae Delas

Projeto de aceleração voltado a empreendedoras mulheres, que oferece capacitação e acesso a eventos e redes de networking

Plataforma B2B

Com objetivo de promover oportunidade de negócios, o site é parte do programa Ganha-Ganha, da ONU Mulheres, e serve como ponte entre mulheres empreendedoras e empresas que querem comprar produtos ou serviços. Quem faz a inscrição, que vai até 18 de março, pode depois participar de rodadas de conversas e negócios de diferentes setores.

Potência Feminina

Programa do Instituto Rede Mulher Empreendedora é feito parceria com o Google e oferece capacitações gratuitas em empreendedorismo e empregabilidade e tecnologia para mulheres. Além da iniciativa, o instituto tem outros programas como o Ela Pode e Elas Prosperam, e uma programação voltada ao Dia Internacional das Mulheres.

Segunda, 01 de Março de 2021 - 10:05

Tom sobre tom, a tendência multicolor em unhas degradê

Tom sobre tom, a tendência multicolor em unhas degradê

 

Não se pode falar de moda sem citar o clássico degradê, que trabalha com várias tonalidades de uma cor na mesma mão, agradando os estilos mais fofos até os mais sérios. Essa tendência nunca sai de moda por ser agradável aos olhares e por combinar com todos os tipos de ocasião

A convite da Bella Brazil, a blogueira e especialista em unhas Cris Oliveira apresenta passo a passo com técnica super elegante e diferente de unhas multicolor degradê com uma mistura de animal print.

1° Aplique a base vitaminada;

2° Escolha 4 cores em tons de nude que formem um degradê de cores. Aqui foram usadas do dedão para o mindinho as cores Acertei, Na Medida, Relax e Ritmo Certo, sendo que esta última foi aplicada nas unhas do dedo anelar e mindinho;

3° No dedo mindinho, faça um círculo irregular usando a cor Na Medida, e com a pontinha do palito, ou com um pincel fininho, faça um traço em dois lados desse círculo usando a cor: Acertei;

4° Repita o passo anterior por toda a unha, variando o tamanho das manchas, e, no espaço que ficar entre elas, faça pequenos círculos irregulares usando a cor: Acertei;

5° Finalize a unha decorada com a Base Fosca;

6° Finalize as outras unhas com o Top Coat Efeito Gel.

 

Segunda, 01 de Março de 2021 - 08:05

Dicas para aplicar Feng Shui em casa 

 Dicas para aplicar Feng Shui em casa 


A pandemia fez com que os brasileiros passassem mais tempo em casa por conta do trabalho e estudo remoto, bem como por causa da reclusão. Sem a correria, as pessoas perceberam como seus lares interferem no seu bem-estar e para tornar os ambientes mais confortáveis e agradáveis, uma solução é investir em uma repaginada na decoração e se aprofundar no Feng Shui, técnica chinesa milenar de harmonização dos espaços. Para ajudar aqueles que querem equilibrar a energia da casa, a Karis Brito, consultora holística de organização e interiores em São Paulo cadastrada no Get Ninjas, selecionou quatro dicas sobre a aplicação do Feng Shui. 

O que é 

Primeiramente, Karis esclarece que Feng Shui não tem nenhuma ligação com religião. Trata-se de uma técnica chinesa milenar de harmonização dos espaços. Com o Feng Shui é possível identificar padrões vibratórios de energia de um determinado local - através da leitura da planta baixa e da observação - e harmonizar seus espaços garantindo bem-estar e equilíbrio mental e espiritual para os moradores do imóvel. 

Benefícios 


"A nossa casa é como a nossa alma, reflete nossa essência e nosso estado de espírito!", explica a consultora. Sendo assim, ao harmonizar a energia do lar com o Feng Shui, os moradores podem ter inúmeros benefícios, tais como: ter mais saúde, melhorar a carreira, obter prosperidade, ter mais criatividade e concentração, solucionar problemas de relacionamento, conquistar realização pessoal, aumentar o foco e cultivar o otimismo. Entretanto, o primeiro passo para conquistar tais benefícios é depositar intenção e confiança ao seguir o Feng Shui. 

Home Office 

"No home office é importante que a mesa esteja posicionada de uma forma em que a pessoa sentada veja quem está entrando no local; é o que chamamos de posição de comando. Precisamos estar na posição de comando para que nossa vida flua e a gente consiga tomar as rédeas da vida. Porém é preciso evitar que o móvel fique de costas para a janela, pois essa é uma posição desfavorável para o sucesso. Outra posição que deve ser evitada é a de manter a mesa de frente para a porta de entrada, pois dessa forma, há muito desgaste de energia e a pessoa pode se sentir cansada e ter falta de foco e ânimo para trabalhar", aconselha Karis. 

O que evitar 


Há algumas arrumações e organizações de móveis que devem ser evitadas e que são fáceis de reproduzir na casa, tais como: posicionar o sofá de costas para a porta de entrada ou posicionar sofá, cama, mesa de costas para a janela. Segundo o Feng Shui, a cozinha e o fogão simbolizam prosperidade, e por isso, é preferível manter o espaço sempre limpo e evitar usar apenas uma das bocas do eletrodoméstico. 

 

Terça, 23 de Fevereiro de 2021 - 12:05

Terapia Quântica ajuda jovens com ansiedade e emocional abalado na pandemia

por Ana Cláudia Queiroz Pereira

Terapia Quântica ajuda jovens com ansiedade e emocional abalado na pandemia

“A terapia tem sido algo maravilhoso. Neste momento de quarentena as pessoas não estão passando por momentos bons... No espaço quântico aprendemos muito, sinto a energia e uma sensação incrível e a tia Ana Cláudia é uma fonte de coisas boas”. Este é o depoimento da estudante Bruna Isensée de 12 anos. Assim como ela atendo diversas outras crianças em meu espaço quântico. Sentimento de solidão, principalmente por que estão sem os amigos, sem escola e sem a família completa, é o começo de tudo ... eles sentem um vazio e como não compreendem bem os fatos, desenvolvem ansiedade, irritabilidade, agressividade, indiferença e carência, que por sua vez podem desencadear o déficit de atenção, a síndrome do pânico e a depressão. Onde já se viu criança com depressão?

 

O trabalho com crianças e adolescentes surgiu por acaso. Após uma sessão de barras de access com terapia quântica, uma cliente ficou convencida que funcionaria muito bem com a própria filha. Na semana seguinte ela trouxe a criança que tinha 8 anos. A experiência foi incrível. Enquanto eu fazia as barras de access, a criança conversava comigo com muita naturalidade sobre os probleminhas dela. Nessa hora percebi que ela já sabia de muitas coisas do ponto de vista quântico. A memória cósmica dela era muito recente, mas ninguém lhe dava atenção ou acreditava nela, e por isso estava sempre chamando atenção para ser notada. Com esse desabafo dela, lembrei da minha criança quando tinha oito anos, cheia de conflitos, medos e inseguranças. Mas a criança em questão não tinha com quem conversar e desabafar, ou até mesmo falar sobre seus amigos imaginários. O déficit de atenção, que era o maior problema que essa criança trazia, foi resolvido em 4 sessões. Fiquei tão feliz com o resultado que convidei um filho de uma amiga, então com 12 anos, para repetir o trabalho e comprovar o resultado. Ele aceitou o convite. Menino lindo, inteligente, mas com a autoestima muito baixa. Estava passando por uma mudança muito grande e a mãe não estava sabendo lidar com tal situação. Repeti o trabalho com ele, fizemos 5 sessões e ele voltou a se socializar lindamente.

 

Como o rio só corre para o mar, continuei recebendo esses jovens com inseguranças diversas. A verdade é que durante a terapia eles logo se identificam com a minha criança interior e o trabalho flui naturalmente! Como somos todos energia, e energia não envelhece, somos todos um, uno com o criador, nos identificamos rapidamente. O trabalho com essa turminha está sendo um grande presente para as famílias nesse momento tão perturbador de pandemia e só nos resta plantar a semente do agora com as nossas crianças. O futuro é hoje, e por isso se faz necessário e importante esse trabalho de cura na raiz do problema.

A pandemia trouxe a família pra dentro de casa. Como a conversa, o diálogo já não se fazia muitas vezes por falta de tempo, perdemos de alguma forma a intimidade com os nossos familiares. De repente o mundo mudou e tivemos todos que entrar em um espaço muito novo, aonde estamos tendo que aprender a conviver com o novo normal.

Experiência Profissional 

Uso várias técnicas aprendidas em mais de 20 anos de estudos e cursos, mas o que cura mesmo no final das contas é o resgate do amor, o amor-próprio. Trabalho com crianças de 8 a 80 anos. Em todos os casos tratamos basicamente as mesmas coisas, crenças limitantes e padrões negativos da criança interior. Cada idade com suas demandas. Tenho ajudado bastante as pessoas a se reconhecerem seres infinitos poderosíssimos e optarem por novas escolhas. Sair da casa negativa de infância e perdoar a história, para que possam seguir o fluxo da vida com facilidade, alegria e glória!

 

Uso PNL (Programação Neurologista), Reiki, Deekha, Alinhamento dos chackas, linguagem do corpo, Barras de Access, Facelift e diversos processos corporais que atuam diretamente nas doenças que foram criadas pelos sentimentos negativos. Todas essas técnicas são acompanhadas de muita conversa quântica, pautada em muito conhecimento dos grandes cientistas e grandes mestres, a começar por Jesus Cristo. Meu trabalho não tem nenhum cunho religioso. Mas Jesus foi o homem mais quântico de toda a história e por isso me inspira a cada trabalho com o exemplo de amor, seja em uma sessão de terapia com barras de access, ou qualquer outra técnica, ou no workshop “SAIA DA CAIXA E EMPODERE-SE!” Este é um trabalho lindo realizado em jovens e adultos, voltamos à casa de infância para perdoar nossa história no caso dos adultos, e para compreender o que está se passando na vida e criando perturbação no caso dos jovens e adolescentes. Passamos um dia inteiro juntos, são 8 horas de muito autoconhecimento, exercícios, meditações, vivências e expansão da consciência. Um dia de imersão total aonde o empoderamento acontece para quem escolhe se reconhecer a potência máxima que nasceu ser, saindo da casa de infância com gratidão! Vamos aprender que gratidão é o amor maior. É o amor refinado! O puro néctar da vida.

O retorno é de muita gratidão! A transformação é um fato real e todos se transformam. E eu como fico? Transbordando no meu propósito de vida, sendo a energia que quero ver no mundo começando por mim mesma!

@anaclaudiaquantica

Uma artesã e uma startup transformaram 450kg de redes de pesca em produtos ecológicos

Nara Guichon é artista plástica, ambientalista e designer têxtil. Há mais de 40 anos desenvolve e fomenta a moda ética e sustentável em seu atelier, fundado em 1983 no sul da Ilha de Santa Catarina. Em 2014, ela firmou uma parceria com a Positv.a, empresa B que cria soluções para cuidar da casa, do corpo e da natureza, para que esta se tornasse o representante exclusivo dos esfregões e de lá para cá, a parceria só trouxe resultados benéficos. Só em 2020 a parceria fez com que 450 quilos de redes de pesca fossem retirados dos oceanos para se tornarem esfregões e saquinhos.

 

 
   
Como fazer um planejamento financeiro familiar? Veja 8 passos para não errar

 

Em momentos de crise é fundamental a união das famílias para passar por esse momento da melhor forma possível e, em relação às finanças não é diferente. Para Reinaldo Domingos, educador financeiro do canal Dinheiro à Vista, o melhor caminho para um adequado planejamento financeiro familiar é envolver todos, em busca de propósitos maiores, os sonhos. 
 

"As famílias planejadas passam melhor por imprevistos. Conversando é possível fazer até as crianças entenderem as necessidades, auxiliando a vencer as dificuldades e construindo um caminho mais próspero financeiramente. Mas, é fundamental que todos estejam à vontade para falar do tema, assim, não se deve chamar uma reunião para cortar gastos, mas sim para realizar sonhos e propósitos", explica Reinaldo Domingos. 
 

Assim, uma importante orientação é buscar falar sobre dinheiro em um ambiente agradável. É possível usar planilhas e folhas de anotações, mas o mais importante é a conversa, conhecer melhor a família, isso fará a diferença na hora de organizar as finanças e ‘blindar’ o dinheiro. 
 

Para simplificar o caminho, o educador financeiro elaborou um passo a passo para colocar em prática: 
 

1- Fale com a família 

Sente e converse com todos os integrantes da família, inclusive as crianças, para falar sobre os sonhos e propósitos individuais e coletivos. Esse é um passo muito importante para mudar a forma como a família lida com o dinheiro, passando a entender que ele é um meio para realizar sonhos. Viajar, trocar de carro, casa ou sair das dívidas são objetivos a serem considerados. 
 

2- Pesquise os sonhos 

Procure saber quanto custam e fazer cotações até achar a melhor possibilidade de preços para realizá-los. Assim você tomará os primeiros passos para realizar sonhos, seus e de sua família. Isso é o planejamento, agir com antecedência; 
 

3- Coloque no papel 

Coloque no papel os compromissos dos próximos 12 meses, como datas comemorativas, pagamento de impostos (IPVA e IPTU), matrícula e material escolar, etc. Registre o valor previsto a ser gasto com cada uma dessas atividades e também com os sonhos. Claro, os números podem mudar no meio do caminho, mas é importante já ter uma ideia para se programar; 
 

2- Anote as parcelas 

Caso tenha parcelas de compras feitas anteriormente, elas também devem estar registradas nesse planejamento, para fazer parte do orçamento financeiro dos meses seguintes; 
 

5- Poupe dinheiro 

Guarde dinheiro para cada sonho simultaneamente e escolha o melhor investimento de acordo com o prazo de realização de cada um. Para os de curto prazo (até um ano), coloquei na caderneta de poupança, para os de médio prazo (de um a dez anos), no CDB, Tesouro Direto, fundos de investimento, aos de longo prazo (acima de dez anos), Tesouro Direto, previdência privada e ações são boas opções; 
 

6- Reduza despesas 

Faça um diagnóstico financeiro, ou seja, anote tudo o que for gasto ao longo de um mês, separando as despesas por categorias (energia elétrica, água, alimentação, combustível, telefone, etc.), para saber onde exatamente se pode diminuir ou até mesmo cortar. Acredite, todos nós temos, pelo menos, 20% de desperdício ou exagero nas contas. Assim também saberá como está gastando cada centavo do dinheiro; 
 

7- Não fale de corte, fale do sonho 

Em vez de criticar a família, quando ocorrem desperdícios, por exemplo, busque apontar a mudança como algo positivo, isso trará a família para caminhar junto. Fale que sempre que se economiza está um pouco mais perto da realização dos sonhos e propósitos. Um discurso diferente muda tudo! 

Tendência nos EUA, boutiques de condicionamento físico começam a chegar no Brasil


O ano de 2020 se mostrou desafiador tanto na vida pessoal quanto na vida profissional. A crise econômica e as altas taxas de desemprego fizeram com que a procura por franquias aumentasse e o modelo de negócios puxou a retomada econômica. O setor de saúde, beleza e bem estar cresceu quase 9,9% no 3º trimestre de 2020 em relação ao mesmo período em 2019, segundo a Associação Brasileira de Franchising. 

Dentro desse cenário, o investimento em franquias de academias se mostra vantajoso em relação a outros negócios. O formato de franquia não é o único motivo para se investir em academias. Levantamento da International Health Racquet and Sportsclub Association (IHRSA), mostra que o número de membros de academias aumentou em toda América Latina. Com destaque para o Brasil que pulou de 5,5 milhões de pessoas em 2010 para 9,6 milhões em 2016. 

Em porcentagem, o País tinha 2,7% da população matriculada em alguma academia e em 2016 passou a ter 4,6%. Apesar do crescimento, o Brasil está atrás de países como: Canadá, Espanha e Argentina. Dentro do mercado de academias dois formatos se destacam: academias low cost e academias Boutiques. As academias de baixo custo fizeram sucesso no Brasil e entre os anos de 2014 e 2019,o crescimento foi de 10%. Já as academias boutique tiveram um "boom" no mercado norte-americano e em dois anos (2012 e 2014) cresceu 400%. Sendo responsável por 42% do faturamento do mercado fitness nos EUA. 

Com experiência nesse ramo, Fernando Nero buscou tendências da Europa e nos EUA para lançar o seu novo portfólio de academias. "O momento é perfeito para franquias Fitness, que em torno dessas oportunidades de mudança de comportamento do consumidor oferecem um serviço segmentado e com alto grau de retenção. Esses tipos de operações são a verdadeira aposta de impulsionamento do setor da próxima década" defende o empresário. 

Malha todos os dias e não vê resultados? Explicação pode estar na alimentação!

 

Ter mais energia, melhorar ganho de massa muscular e emagrecer são 3 objetivos comuns entre as pessoas que fazem atividades físicas. No entanto, uma dúvida recorrente é qual alimento ingerir antes e depois do treino para obter melhores resultados. De acordo com a expert em emagrecimento, Edivana Poltronieri, a alimentação pré-treino é importante para dar força e energia ao corpo para a prática dos exercícios, já a alimentação pós-treino ajuda o corpo a recuperar a energia gasta, mas sem comprometer a performance do organismo na perda de calorias. Com os objetivos de cada etapa da alimentação definidos, Poltronieri dá dicas de como selecionar os alimentos antes e após os exercícios. 

PRÉ-TREINO: Alimente-se no tempo certo!

Não basta escolher o grupo certo de alimentos, mas fazer a ingestão no momento adequado para o organismo ter tempo de absorver os nutrientes e gerar a energia necessária para a prática dos exercícios. “O importante é deixar um espaço de até 2h entre a refeição e o treino porque isso evita dores no estômago e enjoos durante as atividades físicas”, orienta.

 

PRÉ E PÓS TREINO: Hidratação full time

Mais importante do que a alimentação adequada, é se hidratar bem. “Durante o treino é normal criar esse hábito, mas ele é importante também é importante antes. No pré-treino, o ideal é beber cerca de 1 copo de água a cada 15 minutos até o momento da atividade física. Ao terminar, indico a ingestão de até 3 copos de água”, explica Poltronieri.

 

PRÉ-TREINO: O que comer?  

As principais fontes de combustível do corpo são gordura corporal e carboidratos. Antes do exercício, Edivana orienta investir em carboidratos do bem, além de proteínas e gorduras boas. Dentro desse grupo de alimentos, a expert dá algumas sugestões: pasta de amendoim, geleia de fruta natural com pão integral, omelete com salada, mingau de aveia com banana e lascas de amêndoas ou ovos com torrada. Lembrando que, o ideal é que a alimentação seja, no mínimo, até 2 horas antes do treino! 

Se não o exercício for em até 1 hora, a dica é investir em outros grupos de alimentos, como iogurte natural, frutas ou batata doce. Outra dica é o uso de suplementos, com acompanhamento e liberação de um nutricionista, pois eles melhoram o desempenho, aumentam a massa magra corporal e diminuem a fadiga.

 

PÓS-TREINO: O que comer?

Depois de treinar, Edivana Poltronieri indica alimentos de fácil digestão a fim de aumentar a absorção de nutrientes, como pudim de chia com leite vegetal ou iogurte natural, maçã, quinoa, ovos, salmão, smoothie de frutas e wrap de peito de peru com folhas.

Dia do Dermatologista: a importância de consultas regulares
 

 

Durante os meses mais quentes do ano é comum que a preocupação com a pele aumente, pois estamos mais expostos ao sol. Orientações para aplicar o protetor solar diariamente, hidratar e higienizar a pele1 ganham destaque durante o verão. O que muita gente esquece é que esses cuidados devem ser contínuos, indiferentemente da estação do ano. Além disso, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) recomenda consultar regularmente um dermatologista1, cujo dia é celebrado em 5 de fevereiro. 

Entre as 55 especialidades médicas no Brasil2, a dermatologia é a responsável pelos cuidados com o maior órgão do corpo humano: a pele. Os mais de 10 mil dermatologistas do país podem cuidar tanto da parte estética quanto da prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças relacionadas à pele, como psoríase, urticária crônica espontânea, dermatite atópica, melasma, entre as mais de três mil doenças dermatológicas. 

Existem subespecializações dentro da dermatologia. Enquanto 80% dos médicos estão focados em estética, os outros 20% são especialistas em diferentes áreas como doenças infecciosas, doenças inflamatórias, dermatologia pediátrica, câncer de pele, entre outros. De qualquer maneira, consultar um médico regularmente pode fazer a diferença na vida do paciente. 

"A visita periódica nos dá uma melhor chance de diagnosticar precocemente alguma dessas doenças, pois, ao perceber o surgimento de sintomas na pele, já conseguimos investigar e, se preciso, iniciar um tratamento adequado", afirma Ricardo Romiti, médico dermatologista. 

No caso da psoríase, o paciente leva em média 14 anos para receber o diagnóstico. O Dr, Ricardo explica que essa demora muitas vezes está associada à falta de informações ou dificuldade de acesso ao especialista. "Muitas pessoas nunca ouviram falar nessa doença, então, quando surgem lesões avermelhadas cobertas por escamas brancas, em qualquer lugar do corpo mas especialmente no couro cabeludo, joelhos e cotovelos e unhas5, não pensam em investigar mais a fundo e procuram soluções rápidas com conhecidos ou se automedicam", diz. 

O médico alerta que a psoríase ainda não tem cura, mas possui tratamentos bastante eficazes para controlar o quadro. "Estamos falando de uma doença inflamatória crônica que já tem terapias inovadoras e seguras para a melhora substancial das lesões de pele 5,6. Assim, o dermatologista poderá discutir e avaliar as opções disponíveis de acordo com a gravidade de cada paciente. Com isso, reitero a importância de consultas médicas regulares, ao invés de se automedicar, ou apenas ir ao pronto atendimento", afirma o dermatologista. 
 

Terça, 02 de Fevereiro de 2021 - 09:05

Coleção: andarilhos, mendigos, refugiados, moradores de rua e chapeuzinho vermelho

por Iga Bastianelli

Coleção: andarilhos, mendigos, refugiados, moradores de rua e chapeuzinho vermelho


“A impressão é que o número de moradores de rua e pessoas em situação de vulnerabilidade cresceu de forma alarmante em Salvador, durante a pandemia ”, constatou o artista e estilista Tom Salvatore. A recessão que aflige diferentes setores e que já afetava a moda brasileira, mesmo antes da pandemia, inspirou o artista.

 

Sensível a este triste fenômeno, Tom Salvatore criou a coleção Andarilhos, Mendigos, Refugiados, Moradores de Rua e Chapeuzinho Vermelho. Ele tenta mostrar e chamar atenção sobre o fato através das peças de upcycling. São cerca de 30 looks feitos de descarte, sobras, retalhos de tecidos e acessórios que seriam destinados ao lixo. 

“Meu projeto foi contemplado através do edital do @sebraebahia com curadoria do estilista Walter Rodrigues, em parceria com Instituto By Brasil para o evento @Inspiramaisoficial. O prêmio não contemplava nenhum apoio financeiro, ganhei como empresa de moda e sustentabilidade uma consultoria do Sebrae e iria participar de um evento de Moda em São Paulo, que foi suspenso por causa da pandemia.”, explicou o estilista Tom. 

Coleção Upcycling:

Outono -Inverno 2021 .
Tema: Andarilhos Mendigos Refugiados Moradores de Rua e Chapeuzinho Vermelho

 

"Com a coleção pronta meu desejo é que alguma empresa patrocine um desfile em espaço público aberto com transmissão ao vivo", conta Tom que continua persistente no propósito da moda.

Tom Salvatore é estilista, produtor dos eventos, entre eles o Encontro de Brechós, Bazar das Loucas e do projeto O Sanatório da Moda. 
@tomsalvatore_

Segunda, 01 de Fevereiro de 2021 - 12:05

Quando é necessário remover a prótese de silicone?

 Quando é necessário remover a prótese de silicone?
 

As cirurgias estéticas são um fenômeno mundial e a última pesquisa global da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (Sociedade Internacional de Cirurgias Plásticas Estéticas - ISAPS)¹ comprova isso, ao apontar que, em 2019, houve um aumento de 7.9% nas realizações de procedimentos estéticos ao redor do globo. 
 

Famoso entre celebridades e grandes personalidades nacionais e internacionais, o implante de silicone nos seios está nesta lista de procedimentos favoritos entre a população, porém vale ressaltar que esse tipo de intervenção possui riscos e contraindicações como qualquer outra cirurgia. Segundo Vivian Milani, médica radiologista especializada em mamas, que atua na Fundação Instituto de Pesquisa e Estudo de Diagnóstico por Imagem (FIDI), apesar de se tratar de um procedimento comum e considerado seguro, com uma porcentagem de risco de apenas 2%, existem algumas complicações que podem decorrer da colocação das próteses, quando nem tudo sai como esperado. 
 

"Com o passar dos anos, os implantes podem apresentar, roturas (rompimento de alguma estrutura anatômica), contratura (rejeição) ou até uma mudança do eixo da prótese (rotação), por exemplo. Essas alterações podem evoluir lentamente para rupturas maiores, causando dor e desconforto", destaca. 
 

Trocar ou retirar? 
 

Ainda de acordo com Dra. Milani, a retirada das próteses acontece em casos mais extremos, mas existem, sim, fatores que podem contribuir para este caminho, principalmente quando surgem essas ou outras complicações decorrentes da cirurgia, como é o caso de infecções, contratura, rotura e até mesmo dificuldade na cicatrização causada pelo volume muito grande da prótese. Além disso, por questões estéticas, muitas mulheres decidem voltar atrás e realizar a retirada. "Algumas ficam insatisfeitas com o tamanho das próteses, outras ganham peso, o que resulta no aumento do volume das mamas e, em alguns casos, também há o medo de desenvolver outras doenças associadas ao silicone", completa a médica radiologista. 
 

Entretanto, a situação é mais crítica quando há o agravamento de quadros como o desenvolvimento de linfoma anaplásico de grandes células, infecção na mama resistente ao tratamento, rompimento ou contratura. Nestes casos, o explante mamário deve ser feito o quanto antes, sendo realizado por meio de um procedimento cirúrgico no qual, em geral, pode-se usar a mesma cicatriz feita para a colocação da prótese de silicone." 
 

Cuidados básicos 
 

Para evitar ser surpreendida por dores, incômodos ou complicações mais sérias, Dra. Milani afirma ser essencial o acompanhamento da prótese por meio de exames de rotina, como ultrassom e mamografia e até mesmo ressonância magnética. Também vale considerar que próteses mais antigas possuem data de validade e devem ser trocadas no período de 10 a 25 anos. "Já os implantes mais recentes, chamados de texturizados (feitos de gel coesivo), geralmente não necessitam ser trocadas tão cedo, embora uma consulta com o médico que realizou o procedimento possa ser realizada a cada 10 anos, com o intuito de garantir que tudo está dentro do esperado." 
 

 

Sexta, 29 de Janeiro de 2021 - 08:05

“A Bahia é pioneira no Brasil em tecnologia de implante hormonal” 

por Iga Bastianelli

“A Bahia é pioneira no Brasil em tecnologia de implante hormonal” 



Defensora da Terapia de Reposição Hormonal, a médica ginecologista Dra Marisabel Boere estudou medicina na UFBa, mas toda sua especialização foi no Rio de Janeiro: fez residência no Instituto da Mulher da Fundação Oswaldo Cruz, pós-graduação na Santa Casa de Misericórdia e Especialização em endoscopia ginecológica, na UFRJ. Ela chefiou o centro obstétrico da Maternidade Leila Diniz, primeira maternidade a ser concebida com propósito de parto humanizado, também no RJ.

Quando retornou para a Bahia, em 2003, trabalhou como professora substituta na UFBa e acompanhou durante alguns anos, aquele que havia sido seu professor: Dr Elsimar Coutinho. Foi assim que conheceu o mundo dos implantes hormonais e se encantou com esse via de tratamento. Atualmente é medica do CICAN, hospital estadual referência no tratamento de câncer na Bahia, e também atende em sua própria clínica , onde se valendo da tecnologia dos implantes hormonais, oferece a suas clientes um tratamento eficiente, por uma via cômoda, prática e segura.

De acordo com Dra.Marisabel, sono, alimentação, atividade física, controle do estress e modulação hormonal são considerados pilares de uma longevidade saudável. Por isso acredita que quanto menos você fizer seu corpo sofrer com a deficiência hormonal, mais a paciente vai desacelerar seu envelhecimento e melhor qualidade de vida terá.
A médica disse acredita que quanto mais se falar sobre o tema, mais tabus são quebrados. “É absolutamente segura a reposição que a gente faz atualmente utilizando os hormônios chamados bioidênticos”. Essas substâncias, embora sejam sintetizados em laboratórios, são moléculas iguais às que o nosso ovário fabrica: estradiol, testosterona e progesterona. 

A médica destaca que a Bahia é a pioneira no Brasil no que há de mais moderno em tecnologia dos implantes hormonais, nosso estado é vanguardista neste assunto graças ao Dr Elsimar que desenvolveu esta tecnologia aqui no Bahia há mais de 30 anos. “Os implantes hormonais são inseridos na região da nádega, sob anestesia local e podem durar de 6 a 12 meses. O Brasil está a frente de outros países do mundo em relação aos implantes hormonais, não existe outro país com maior expertise dessa tecnologia. Segundo a médica, nos EUA a reposição hormonal já é bem aceita, mas lá, o uso dos implantes ainda é bem reduzido e a reposição hormonal quando prescrita é feita de forma extremamente complicada: cheio de cremes e óvulos para passar e tomar em diversas horas do dia. “Já na Europa, nem isso! Praticamente não fazem a terapia hormonal. Por esse motivo, cada vez mais tenho atendido brasileiras que vivem em diversos países da Europa e também dos EUA, que vêm nos implantes uma forma mais segura e prática de fazerem sua reposição hormonal”, explicou ela. 


Essas mulheres aproveitam a vinda regular ao Brasil para colocarem seus implantes. A reposição feita por via oral, tem o inconveniente de passar pelo fígado e o estrogênio pode alterar fatores de coagulação; coisa que não acontece com a técnica do implante. Além de poupar a passagem hepática, essa técnica tem a vantagem de não depender da disciplina da mulher, já que ela não corre o risco de esquecer de usar ou até não levar nas viagens. O implante libera  todos os dias a quantidade de hormônio correta, de uma forma que se assemelha a função ovariana, com uma tecnologia extraordinária, explicou a médica.

São inúmeros os benefícios da terapia hormonal para a qualidade de vida da mulher:
- Proteção da massa óssea, prevenindo a osteoporose.
-  Melhora das dores articulares comum no climatério .
-  Prevenção do Alzheimer 
-  Diminui a incidência de depressão.
-  Diminui em 20% o risco de desenvolver o diabetes tipo II 
-  Diminui a resistência periférica a insulina com melhora do controle da glicemia .
-  Diminui a circunferência abdominal e o nível de gordura corporal.
-  Diminuição nos níveis do colesterol total e do colesterol ruim. Melhora nos níveis do colesterol bom.
-  Melhor controle da hipertensão e proteção cardiovascular. 
-  Melhora o ressecamento vaginal.
-  Melhora a vascularização genital e a resposta aos estímulos sexuais. 
-  Melhora da Incontinência urinária de esforço e da incontinência por urgência.
-  Diminui a incidência das infecções urinária de repetição. 
-  Manutenção da espessura da derme e da epiderme, com preservação da camada de colágeno e elastina. Garantindo e preservando a hidratação da pele.
-  Diminui a incidência de câncer colorretal

De acordo com a médica, o uso de hormônios é muito específico e individual, por esse motivo, há uma fórmula específica para mulher. Há que se considerar a idade, o peso, as necessidades e as comorbidades que cada uma apresenta. Via de regra o próprio organismo sinaliza que os ovários já não estão funcionando adequadamente. Isso pode se manifestar por diversas formas: irregularidade menstrual, ondas de calor, ressecamento vaginal, baixa libido, alterações sono ou quando a mulher acorda cansada e desanimada, sem coragem para fazer as coisas habituais. Estes são apenas alguns exemplos dos sintomas que caracterizam que já está na hora de procurar uma avaliação hormonal e  dar maior atenção a essa questão.

 

Mas Dra. Marisabel Boere chama atenção que algumas mulheres fazem parte de grupos que não podem fazer a Reposição Homonal, são elas: mulheres diagnosticadas com câncer de mama, câncer de endométrio, com sangramento genital de natureza ainda desconhecida, pacientes com doença hepática grave, doenças coronarianas, com demência, com doença hematológica do tipo porfiria e mulheres com com alto risco de trombose: obesa, sedentária, hipertensa e diabéticas.

“Observo na minha prática diária que mulheres que fazem reposição hormonal são nitidamente mais dispostas, mais joviais, tem circunferência abdominal menor, avalio que são mais cuidadas e zelosas com a saúde e com seu exames de rotina”. A médica afirma não ver nenhuma desvantagem quanto ao uso de hormônios, apenas deve ser respeitado o grupo de mulheres que, de fato, tem contra indicação e não pode fazer a terapia de reposição hormonal e que o manuseio dessa reposição é mais fácil para os médicos ginecologistas pois possuem maior intimidade com útero, sangramentos genitais e outras questões do universo feminino pois são especializados no assunto. Dra. Marisabel completa esse ano, 30 anos de formada.

 

Acompanhe Dra Marisabel pelo Instagram @dramarisabelboere

Quarta, 27 de Janeiro de 2021 - 09:05

A designer Juliana Dourado aposta em moda artesanal e valoriza mão de obra baiana

por Iga Bastianelli

A designer Juliana Dourado aposta em moda artesanal e valoriza mão de obra baiana

 

Graduada em Design de Moda pela UNIFACS, com especialização em estilo e imagem pessoal pelo SENAC, Juliana Dourado nem imaginava que teria uma marca própria de roupas pois sempre pensou em ser veterinária, até que um dia resgatou memórias da infância com a avó que costurava e resolveu empreender. “Escolhi moda porque sempre fez parte da minha vida, fui criada por minha vó que costurava e na verdade sempre gostei também de bordar e fazer crochê”, lembra ela.

Nosso maior desafio foi lançar a marca Juliana Dourado e a superação foi perceber a aceitação da marca pelo público baiano e pelos estrangeiros, turistas que frequentam o restaurante Lua Cheia onde a loja está localizada, no bairro da Pedra Furada, Cidade Baixa.

Juliana cuida de todo o processo, desde a criação das peças, produção de croquis, escolha das estampas, aviamentos, fechamento das peças, marketing e divulgação do Ateliê, que desde 2013 vem valorizando a mão de obra local. “Todo nosso processo é artesanal, o corte, a costura e cada vez mais percebo que nossos detalhes fazem a diferença para uma peça com mais durabilidade e qualidade”, garante Juliana.

A natureza sempre foi a inspiração para a marca Juliana Dourado: pássaros, flores, paisagens, outros animais e muitas cores. Com a pandemia os valores defendidos pela marca se tornaram ainda mais fortes e respeitados pelo consumidor, que quer investir em peças sustentáveis, produzidas localmente e que não sejam descartáveis. “A nossa loja é verão o ano todo, temos um estilo fluido e leve que valoriza as mulheres de todos os biotipos  e apostamos sempre em tecidos de fibras naturais. O perfil de nossas clientes são pessoas que amam cores, estampas descoladas e marcantes. Acredito numa moda mais lenta, que realmente foca nos atemporais e mais sustentável”, disse ela. Segundo Juliana apenas 6 peças são confeccionadas, por modelo, em cada coleção.

 

Para quem quiser conhecer a loja pode ir lá presencialmente ou acessar o Instagram @use.julianadourado: “O que me dá mais prazer é ouvir a cliente no provador dizer: esta roupa foi feita para mim”, comemora Juliana.

Segunda, 25 de Janeiro de 2021 - 11:05

Maquiagem uma aliada para mulher madura

Maquiagem uma aliada para mulher madura


 

A Maquiagem é uma grande aliada no momento de esconder imperfeições e alguns sinais que surgem com a idade. As mulheres são mestras na arte de envelhecer com elegância, mas mesmo com procedimentos estéticos, cremes anti sinais e vários outros aliados que retardam esse processo, é preciso tomar um certo cuidado quando seguimos tendência de algum tutorial de maquiagem que acabam desfavorecendo a aparência da pele. 

A maquiadora profissional Jéssica Bittencourt listou alguns dos erros mais comuns que envelhecem o rosto das mulheres. 

Excesso de Base 

É um verdadeiro equívoco achar que aplicar muita base no rosto pode ajudar a esconder imperfeições na pele. Com o passar do tempo o produto aplicado em excesso evidencia as linhas de expressão, poros dilatados e pode até criar marcas que você não tem naturalmente. Simples expressões como sorrir, por exemplo, podem fazer a base abrir e formar um "bigode chinês" profundo e nada favorável. Bases de textura líquida e bem fluída não tem esse problema. 

Pó de alta cobertura 

Um dos produtos mais populares na maquiagem, que aplicado em todo o rosto pode deixar a pele com aspecto ressecado ao invés de aveludado. Para que isso não aconteça, utilize pó solto ou compacto de textura fina, que de preferência não adicione cor. Mas cuidados com os que têm sílica na composição, pois esses estouram nas fotos à noite, deixando aquele aspecto fantasma. 

Blush aplicado no lugar errado 

Em diversos lugares é possível aprender que você deve sorrir e aplicar o blush na parte que saltar das maçãs do rosto, não é mesmo? Pois isso está totalmente errado! Para cada formato de rosto o blush exige um local correto de aplicação, mas num modo geral, aplicar o blush dessa forma faz com que quando você não estiver mais sorrindo, a posição dele desça e você garante um aspecto de bochechas "derretidas". Um dica pra melhorar é aplicar o blush em cima do osso zigomático, limitando-se a região que vai das têmporas ao centro da bochecha. 

Sobre Jéssica Bittencourt 
Jessica Bittencourt deixou a carreira na área de Recursos Humanos para atuar como maquiadora há quase quatro anos. Para quem segue a maquiadora no Instagram - onde ela dá várias dicas e tutoriais de make - sabe que ela tem um estilo próprio de maquiar. 

Covid-19 provoca mudanças de hábitos de obesos, hipertensos, diabéticos e cardíacos

 

Pacientes diabéticos, hipertensos, obesos ou com doenças cardiovasculares estão na lista dos que sofrem mais riscos de mortalidade quando acometidos pela Covid-19. Especialistas do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo (HSPE) afirmam que após a alta do tratamento no novo Coronavírus, os pacientes com essas comorbidades passaram a relatar mudança de rotina e hábitos alimentares com foco na melhora de qualidade de vida. 

No HSPE, os pacientes internados com diagnóstico de Covid-19 apresentam uma ou mais comorbidades, segundo o departamento de Moléstias Infecciosas (MI). "A pandemia do novo Coronavírus tem transformado a vida das pessoas e a maneira como eles passaram a se cuidar", afirma o Dr. Evandro Portes, endocrinologista do HSPE. 

 

De acordo com o especialista do HSPE, pacientes obesos e portadores de Diabetes Mellitus, com quadro clínico descompensado, evoluem pior quando infectados pela Covid-19. Uma das explicações se dá pelo processo inflamatório crônico característico destas doenças. O paciente acaba perdendo a capacidade imune quando agredido pelos agentes infecciosos que afetam a imunidade, causando a disfunção de órgãos como rins e coração. Por este motivo são considerados grupo de risco. 

Mudar hábitos alimentares e praticar exercícios físicos é necessário em qualquer situação, com ou sem a pandemia. Pacientes que já sofrem com determinadas doenças crônicas são o grupo que mais preocupa os especialistas, pois com o isolamento social podem relaxar os cuidados e não manter a medicação em dia. 

"Parte dos pacientes mais bem orientados sabem que as comorbidades aumentam o risco para uma evolução da Covid-19. O tratamento e acompanhamento da Hipertensão Arterial (HA), o controle da Insuficiência Cardíaca (IC) depois de um Infarto do Miocárdio (IM) é fundamental. Além disso, uma dieta adequada para a redução da obesidade, a medicação e o monitoramento das taxas de diabetes diminui os riscos de complicações quando contaminados pelo novo Coronavírus. Infelizmente, uma parcela significativa da população não sabe que é hipertenso, diabético ou que sofre de Insuficiência Cardíaca", destacou o Dr. Ney Valente, cardiologista do HSPE. 

"O novo Coronavírus está deixando um legado histórico na vida das pessoas com doenças crônicas. Readaptar e mudar a rotina pela saúde e qualidade de vida se tornou prioridade. Os pacientes do grupo de risco que se recuperaram da Covid-19 trazem consigo diversas sequelas do período de internação e estão fazendo novas escolhas para o futuro", afirma a Dra. Andrea Almeida, infectologista e coordenadora do Comitê Covid-19 do HSPE. 

Para o Dr. Ney Valente, durante e após o tratamento da Covid-19, o paciente deve seguir com a medicação e dieta apropriada (baixa quantidade de sal nos alimentos) para controlar a pressão arterial. Já os obesos, quando contaminados pelo novo Coronavírus, sofrerão mais dificuldades respiratórias, devido o espessamento da parede torácica, com consequente piora da sua expansibilidade e agravamento da respiração. Por esse motivo, pessoas com altos Índices de Massa Muscular Corpórea (IMMC) precisam manter o controle do peso com a prática regular de exercícios físicos, além de dieta saudável, com baixa ingestão de gordura e aumento do consumo de verduras e legumes. 

Para diabéticos, orientam-se dietas, medicação regular e o controle frequente da taxa de glicemia. Para todos os casos é necessário manter o acompanhamento médico regular. 

Quinta, 21 de Janeiro de 2021 - 10:05

Valorize sua decoração com a cor do ano

 Valorize sua decoração com a cor do ano

O tapete é um acessório cheio de charme, que traz várias funções: servir como peça decorativa, melhorar a acústica, delimitar ambientes, melhorar a sensação térmica e oferecer charme e sofisticação para o cômodo eleito. E este ano, a PANTONE, marca considerada autoridade em cores no mundo, selecionou duas apostas, o Ultimate Gray um cinza "neutro", sólido, que representa sabedoria, inteligência e construção e o Illuminating, um amarelo brilhante e alegre que expressa uma mensagem de positividade e felicidade. 

Pensando naqueles que querem ficar por dentro da moda e incluir esses tons no décor, de maneira rápida e funcional, a Avanti tapetes, marca referência no setor de tapetes e carpetes de alta qualidade há mais de 40 anos, oferece o serviço de customização e personalização do produto, com uma leitura única e conceitual. Sendo assim, os tapetes tornam-se a grande aposta para inserir as cores da PANTONE ao décor, arrematando os ambientes de forma acolhedora. 
 

Além do mais, os tapetes são excelentes acessórios que vão além da decoração. Peças curingas que acrescentam aconchego, elegância e muito conforto.

Sexta, 15 de Janeiro de 2021 - 09:05

Janeiro Branco: "a cura está dentro de nós"

por Por Marta Castro

Janeiro Branco:

Numa das primeiras aulas do curso de psicologia, fomos apresentados à Freud e à psicanálise. Me chamou a atenção quando o professor falava das histéricas. Nosso vocabulário geralmente generaliza no masculino mas, na aula, não se falava dos histéricos. Não resisti e perguntei. O professor explicou que, naquela época, se pensava que a doença acometia apenas as mulheres, que eram a grande maioria dos pacientes. Hoje se sabe que acomete também os homens. Ainda intrigada, perguntei  porque as mulheres eram quase a totalidade dos pacientes e ele me explicou que era por conta da repressão que sofriam. 
 

De Freud para cá (final do século XIX, início do século XX), muita coisa mudou. A mulher ganhou espaço, passou a votar e a trabalhar fora de casa. A psicologia e a psiquiatria avançaram e novas doenças foram classificadas e novos tratamentos surgiram. Mas tem algo não mudou: a relação da repressão feminina, hoje travestida e disfarçada, com a saúde emocional das mulheres.

 

Pesquisas mostram que a depressão e outros transtornos como ansiedade, stress, perda de sono, etc, acometem duas mulheres para cada homem. Na raiz do problema, repressão sexual, submissão, dependência econômica, jornadas longas e repetitivas conciliando trabalho e vida pessoal (em especial os cuidados com a casa e os filhos) e falta de tempo para lazer e descanso.

 

Hoje quando alguém me pede um conselho eu digo: vá cuidar da sua cabeça, do seu coração e da sua alma. Ainda que as mulheres liderem a procura por apoio psicológico ou terapias alternativas, muitas ainda não priorizam isso. Acham que não precisam, que dão conta. Na minha opinião, muitas preferem dedicar seu pouco tempo e dinheiro livres para o salão ou as compras e só vão pedir ajuda quando a situação já está muito séria.

 

Talvez porque ainda exista muito preconceito e desinformação com relação aos cuidados com a saúde mental. Vale lembrar que a psicologia surge como um processo de autoconhecimento e autodesenvolvimento, passando a ser associada aos transtornos no período do pós guerra. Ou seja, não precisamos estar doentes para buscar apoio. Podemos ter ajuda de um profissional para nos fortalecer, assumir o controle das nossas vidas e, acima de tudo, evitar adoecer.Falo da psicologia, mas o cuidado com a saúde mental envolve outros fatores como por exemplo fazer exercício para produzir endorfina, meditar para produzir dopamina e serotonina, namorar e sair com as amigas para dar boas risadas e produzir ocitocina. Todos estes nomes estranhos são hormônios de prazer e felicidade.

 

O autoconhecimento nos leva a caminho muito mais profundos. Às vezes estamos reclamando de uma relação tóxica, de uma relação de trabalho injusta, de falta de tempo e dinheiro, de uma série de coisas, mas nos sabotamos e nos mantemos nestes ciclos viciosos. Não vamos encontrar a solução em artigos como esse ou em livros de autoajuda se não estivermos dispostas a mergulhar de cabeça em nós e, sim, encarar nossos fantasmas dessa existência ou de outras que trazemos nosso campo morfogenético. Porque sim, trazemos uma memória genética de nossas mães, avós, bisavós, de muitas mulheres que sofreram no passado para que pudéssemos ser o que somos hoje.

 

Amigas, janeiro (branco) chegou junto com a segunda onda da Covid no Brasil, com as alarmantes estatísticas sobre feminicídio e com mulheres à beira de um ataque de nervos. Mais do que nunca precisamos nos cuidar. E a cura está dentro de nós, não fora. E ela não vem como um passe de mágica. Ela é construída com prevenção, tratamento e manutenção. Com amor próprio e auto cuidado. Fica a dica.

Quarta, 13 de Janeiro de 2021 - 09:05

Futuro do trabalho: 2020 foi o ano da digitalização e 2021 é o ano da humanização

por Por Natasha de Caiado Castro

Futuro do trabalho: 2020 foi o ano da digitalização e 2021 é o ano da humanização

 

Antes da pandemia, o senso comum acreditava que os escritórios eram essenciais para a produtividade e, por isso, grandes empresas investiam em locais de primeira linha nos principais centros urbanos do mundo. Muitas, inclusive, se concentravam em soluções que promoviam a integração entre as pessoas com espaços para que os funcionários pudessem relaxar durante suas pausas e com projetos de escritórios abertos. 

Quando a pandemia se instalou, muitas pessoas ficaram surpresas com a rapidez e eficácia com que foram adotadas tecnologias para videoconferência e outras formas de colaboração digital. Para muitos, os resultados foram melhores do que se imaginava, pois a produtividade ganhou bastante sem a necessidade de locomoção. 

Agora, mais de oito meses se passaram desde que a Organização Mundial da Saúde declarou a Covid-19 uma pandemia, trabalhar em casa se tornou algo corriqueiro para muitos e, cada vez mais, um número crescente de empresas vem estudando a possibilidade de manter este formato indefinidamente. Do ponto de vista do funcionário, a mudança também foi enorme: as pessoas estão fazendo novas escolhas sobre onde querem viver e criando novas expectativas sobre flexibilidade, condições de trabalho e de qualidade de vida que, muito provavelmente, não poderão mais ser desfeitas. 

Portanto, se 2020 foi o ano em que percebemos ser possível trabalhar de qualquer lugar graças à digitalização dos processos, 2021 será pautado pela forma com que as corporações acolhem seus funcionários para muito além das ferramentas que os permite serem produtivos e alcançarem bons resultados. O próximo ano será focado na humanização das relações de trabalho. 

Nestes tempos de incerteza, a forma como as empresas estão agindo terá um impacto duradouro no comportamento dos funcionários, incluindo em seu engajamento, produtividade, lealdade e ainda: sua saúde e bem-estar. 

Eis alguns pontos de partida que ajudarão a sua empresa a se comprometer com seus colaboradores de forma mais humanizada: 

Ofereça flexibilidade de horários 

Alguns de seus funcionários podem ter responsabilidades adicionais durante esse período já que escolas e creches fecharam em muitos locais, sendo assim, está mais difícil conciliar as tarefas pessoais com as profissionais. Se a função do colaborador permitir, considere oferecer horários flexíveis. Esta mudança pode ajudar a reduzir o nível de estresse de seus funcionários, permitindo que cuidem de suas necessidades, agendando horas de trabalho em horários compatíveis com suas responsabilidades pessoais. Esta atitude sinaliza que a empresa respeita suas vidas pessoais tanto quanto valoriza suas contribuições profissionais. 

Mantenha as linhas de comunicação abertas com as equipes 

É possível que muitos funcionários remotos não se sintam envolvidos com a empresa devido a uma cultura de comunicação apenas por e-mail. Essa ideologia torna a interação complicada e muito menos pessoal do que mensagens diretas e bate-papo por vídeo. Considere iniciar um grupo de bate-papo para que todos possam falar livremente a qualquer momento. Você também pode se comunicar com sua equipe por vídeo pelo menos uma vez por semana.

Ofereça feedbacks 

Pesquisadores do Instituto Gallup estudaram o comportamento humano por décadas e descobriram que valorizar os pontos fortes dos funcionários dando-lhes feedbacks positivos é uma abordagem muito mais eficaz do que se fixar nos pontos fracos. Infelizmente, a maioria dos gestores se concentra em dar feedbacks apenas dentro do contexto corretivo. Ao contrário do que a maioria acredita, o feedback positivo não significa apenas reconhecer o seu esforço para fazê-los sentir-se bem. Embora esses sejam fatores importantes, há muito mais do que isso: funcionários que recebem feedback positivo e eficaz regularmente são mais engajados, produtivos, permanecem mais tempo na empresa e apresentam maior lucratividade. 

Incentive a colaboração e um senso de comunidade 

Uma das melhores maneiras de humanizar seu local de trabalho é construindo um senso de comunidade. Se as pessoas sentem que pertencem a algo maior, é mais provável que se envolvam na colaboração da equipe e nas atividades coletivas e, às vezes, coisas simples também funcionam muito bem. Por exemplo: você pode começar criando um calendário de aniversários nos documentos da empresa e reunindo a equipe em uma rápida chamada por vídeo para cantar parabéns para o aniversariante do dia. 


Se preocupe com saúde mental dos colaboradores 

Em um mundo que se tornou virtual da noite para o dia, muitas vezes a ansiedade toma conta e, por isso, pensamentos e sentimentos negativos podem acontecer com frequência. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, globalmente, estima-se que 264 milhões de pessoas sofrem de depressão e, muitas delas, também possuem sintomas de ansiedade. Os locais de trabalho que promovem a saúde mental e apoiam as pessoas com transtornos mentais têm maior probabilidade de reduzir o absenteísmo, aumentar a produtividade e se beneficiar dos ganhos econômicos associados. 

*Natasha de Caiado Castro é CEO da Wish International, empresa especializada nos segmentos de MICE - Meetings, Incentives, Conventions and Exhibitions - e IDX - Innovation and Disruptive Experience 

Histórico de Conteúdo