Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quarta, 27 de Outubro de 2021 - 14:00

Gilberto Braga, morto aos 75 anos, ganhará biografia inédita no ano que vem

por João Gabriel Telles | Folhapress

Gilberto Braga, morto aos 75 anos, ganhará biografia inédita no ano que vem
Foto: Reprodução / João Miguel Júnior / TV Globo

Morto nesta terça (26) aos 75 anos, o autor de novelas Gilberto Braga ganhará uma biografia no ano que vem. O livro, ainda sem título, será lançado pela Intrínseca e tem autoria de Maurício Stycer e Artur Xexéo --o último, morto em junho este ano, assina o trabalho postumamente.
 

Stycer, que é jornalista e colunista do jornal Folha de S.Paulo, conta que o livro busca esmiuçar o processo criativo do autor de novelas como "Vale Tudo" e "Celebridade", trazendo "a visão dele sobre cada trabalho, as dificuldades, as coisas de que gostava". Isso tudo, ele completa, "enriquecido pela visão das pessoas que estavam ao redor dele em cada um desses momentos".
 

O jornalista, que publicou em 2018 uma biografia de Silvio Santos, conta que foi procurado pelo próprio Gilberto Braga para tocar o projeto da biografia após a morte de Xexéo. "Eu disse ao Gilberto que eu topava, que era uma honra, mas que queria ver o material que já havia sido levantado, para ter ideia do trabalho a ser feito", ele afirma.
 

A bibliografia já reunida era robusta --contava com algo em torno de 14 horas de conversas com Gilberto Braga e 20 entrevistas com conhecidos seus. Cabe a Stycer aparar as arestas e finalizar a pesquisa. "Faltam algumas coisas a respeito do processo criativo, esclarecer depoimentos conflitantes e também um pouco da vida familiar, coisas que têm mais de uma versão."
 

Stycer afirma que não pode se aprofundar muito no conteúdo do livro, mas adianta que a pesquisa também faz um mergulho na vida de Braga antes de ele se tornar dramaturgo, em sua infância e juventude.
 

Inclui ainda o período em que ele atuou como crítico de teatro do jornal O Globo, e sua história com Edgar Moura Brasil, com quem teve um relacionamento de quase cinco décadas. Tudo isso, conta o jornalista, de certo modo influiu em sua obra.

Histórico de Conteúdo