Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Edcarlos acredita que apoio do torcedor 'é única forma' de salvar Vitória da Série C
Foto: Ulisses Gama / Bahia Notícias

Campeão de Brasileirão, Libertadores, Mundial e de mais uma série de competições, o zagueiro Edcarlos, que teve uma passagem pelo Vitória em 2019, acredita que "a única forma" de salvar o clube do rebaixamento para a Série C é com o apoio do torcedor. 

 

"É um momento crucial para o torcedor mostrar sua força. Não adianta querer protestar. Realmente o torcedor fica chateado, por tudo que sofre. Mas ainda há tempo para reverter. Tem muitos jogadores jovens que não tiveram o prazer de jogar próximo do seu torcedor, por causa da pandemia. Se psuder disponibilizar um tempo, ir no treinamento, jogar pra cima, ir no aeroporto, apoiar, é a única forma que eu acho", afirmou, em entrevista ao programa BN Na Bola, da Rádio Salvador FM 92,3, apresentado por Emídio Pinto, Glauber Guerra e Ulisses Gama. 

 

Atualmente, o Leão ocupa a 18ª colocação da Série B, com 29 pontos. São cinco a menos do que a Ponte Preta, primeiro clube fora da zona de rebaixamento. Porém, o Rubro-Negro possui um jogo a mais. 

 

Agora aposentado, Edcarlos teve uma saída polêmica do Vitória. Em maio de 2019, o então presidente Paulo Carneiro afirmou que o zagueiro seria afastado do clube (lembre aqui). À época, Carneiro disse que era uma decisão técnica, e que o time precisava de jogadores mais jovens. A versão foi confirmada pelo ex-atleta. 

 

"Ele chegou, o clube não estava bem, e precisava de mudanças. Num primeiro momento, pensei até que fosse um problema financeiro, salarial. Eu tinha o salário, mas tinha produtividade também. Mas, em reunião, ele disse que entendia que precisava por um time mais jovem, que ele tinha outros objetivos para o elenco, queria um time mais veloz. Uma conversa respeitosa entre eu e ele. Não lembro se teve algo além disso. Falei que respeitava a opinião, e resolvemos da melhor maneira possível", revelou. 

 

Olhando a atual situação do Leão, dentro e fora de campo, o zagueiro opina que está faltando experiência. "Eu já vivenciei momentos difíceis assim, principalmente no Fluminense, em 2008 e 2009. Tenho certeza que um elenco experiente fez a diferença. Muitas vezes os jovens não têm essa bagagem para suportar. A pressão é muito grande. O jovem está com o sonho de arrebentar para ajudar a família, tem que dar resposta para diretoria, torcida...", avalia. 

 

Quanto a salários atrasados, Edcarlos acredita que eles não atrapalham na hora do jogo, mas que podem influenciar na preparação. "Quando inicia o jogo, é zero, não passa na cabeça. Chega no vestiário pode dizer que não está pagando, não está correto. Tem essa também, de transferir responsabilidade. Na concentração, ao invés de estar pensando no jogo, está pensando em problemas. Pode ser que você não se preparou bem, mas dentro do campo não existe. Do primeiro minuto até o final, é o momento que o cara esquece de tudo", disse. 

 

Edcarlos tem 36 anos, e contou que resolveu se aponsentar para poder ficar com a família. "Com 17 eu já estava no profissional do São Paulo. A caminhada foi longa, tive oportunidade de jogar por 14 equipes diferentes, outro países. A família pesa um pouco nesse sentido. Não estou arrependido, estou feliz, porque estou curtindo bastante", afirmou.

 

O Vitória volta a campo na próxima terça-feira (19), contra o Itabaiana, pela Pré-Copa do Nordeste. O jogo será disputado no Barradão, às 21h30, e marcará a volta do torcedor rubro-negro ao estádio. 

Histórico de Conteúdo