Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Figueiredo aciona Vitória na Justiça e pede rescisão contratual por salários atrasados
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias

Cria da base do Vitória, o volante Figueiredo, de 19 anos, acionou o clube na Justiça e pediu a rescisão contratual. O atleta alega ter ficado três meses sem receber salários e não recolhimento de FGTS. Ele é considerado uma das promessas divisões de base do Leão. O vínculo dele é válido até 2025. 

 

Segundo o advogado de Figueiredo, João Henrique Chiminazzo, a audiência já está marcada para setembro, mas a defesa do jogador deseja que ela seja antecipada, pois ele está "parado há dois meses".

 

"Ele tem a família para sustentar, as pessoas dependem dele. O grande problema é não receber. De repente, recebe um tanto e não sabe ao que é referente, não consegue planejar sua vida, isso dificulta a organização pessoal", destacou Chiminazzo, em entrevista ao programa BN Na Bola, da rádio Salvador FM 92,3, apresentado por Emídio Pinto, Glauber Guerra e Ulisses Gama. 

 

O advogado, que já defendeu Alexandre Pato, Muricy Ramalho, Rogério Ceni e outras figuras importantes do futebol, destacou que, após Figueiredo entrar com a ação na Justiça, o Vitória pagou um montante referente a salários atrasados. "Me parece que tinha dinheiro. E talvez não tinha dinheiro para pagar todo mundo, e aí entrou com o pagamento para evitar algo mais grave", afirmou. 

 

Buscar a solução na Justiça foi a última opção após uma série de tentativas de acordo por parte do jogador, relata Chiminazzo. "O Vitória foi procurado antes do ingresso da ação, mas não teve possibilidade de conversa. Entendo e respeito a situação do clube, mas temos que entender o sonho do jogador. O Vitória tinha mais de 3 meses de salários atrasados e FGTS não recolhidos. Pelo atigo 31 da Lei Pelé, isso é motivo para recisão indireta do contrato, e nós entramos com o pedido (...) Figueiredo sempre esteve aberto e estará aberto para conversar quando for preciso. Respeita o Vitória, mas precisa pensar na carreira dele", ressaltou. 

 

Advogado João Henrique Chiminazzo (Foto: Reprodução | ESPN)

 

Figueiredo não deve mais atuar pelo Leão, porque será "mais saudável" para ambas as partes. Ele já recebeu propostas de outros clubes, inclusive, mas a diretoria rubro-negra optou por não ouvir as ofertas e decidiu não negociá-lo por empréstimo, diz o advogado. Caso a rescisão seja estabelecida pela Justiça, o volante estará livre no mercado. 

 

O atleta já integrou a equipe principal do Vitória, e nesta temporada estava alternando entre as equipes sub-20 e sub-23. Confira a entrevista completa: 

 

Histórico de Conteúdo