Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Profissional da FBF exalta importância da psicologia no esporte: 'O trabalho é contínuo'
Glauber Guerra / Bahia Notícias

A psicologia do esporte é de extrema importância para potencializar o desempenho, a carreira e a saúde mental dos atletas. Essa é a opinião da psicóloga Thaise Coutinho, que trabalha na Federação Bahiana de Futebol (FBF). Nesta quinta-feira (9), ela explicou mais sobre o assunto em entrevista ao programa BN Na Bola. A profissional exaltou que o trabalho da parte mental é tão importante quanto a tática e a técnica. 

 

"Os clubes normalmente querem contratar para fazer trabalhos motivacionais nesse período de reta final. Precisamos lembrar que esse trabalho é contínuo, trabalhando várias questões e recursos que os atletas podem ter para lidar com essas pressões e adversidades", destacou. 

 

Thaise, que tem passagem pelo Vitória, acredita que a psicologia interfere de forma direta na partida, especialmente em decisões. Os dirigentes costumam recorrer ao famoso "bicho" nessas fases de campeonato, com o intuito de aumentar o desejo dos atletas de vencer. No entanto, nem sempre isso é benéfico. 

 

"As situações vão depender de como você as interpreta. Em uma final de campeonato, um mata-mata, a pessoa vai se sentir pressionada? Não sei. Depende de como aquele atleta vai ver. Pode ser que ele se sinta motivado, mas pode ser que se sinta muito mais pressionado, aumentando seu nível de ansiedade, e a gente tem prejuízo em nível de concentração, coordenação motora, visão periférica. Se você já tem uma preparação, fica mais apto para lidar com esse tipo de pressão", pontuou. 

 

A profissional também tem feito um trabalho com a arbitragem. "Muitas pessoas não sabem o quanto a arbitragem é cobrada. Fazemos o mesmo trabalho que fazemos com atletas. Desempenho esportivo, habilidades psicológicas, a carreira. As pessoas acham que o árbitro sai do carro e vai para o jogo pronto, mas há toda uma preparação", afirmou. 

 

Nesta quinta, a Federação Bahiana de Futebol anunciou a terceira e última temporada de preparação dos árbitros para a temporada 2022 (confira aqui). 

 

Thaise também falou sobre os e-Sports, que têm crescido cada vez mais. Neste contexto, há necessidade de preparar os atletas que passaram a ganhar muito dinheiro no mundo gamer, já que a pressão de torcida, patrocinadores e família é grande. 

 

"Hoje em dia há uma mudança muito grande nessa visão em relação aos esportes eletrônicos. Antes, não se pensava em uma carreira. Quem estava no início sofria uma pressão muito grande, mas hoje ainda existe. Muitas famílias não entendem como o futuro do atleta vai estar garantido com aquilo. Hoje em dia o mundo dos games tem movimentado a sociedade como um todo", avaliou. 

 

Confira a entrevista completa: 

 


Histórico de Conteúdo