Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sábado, 21 de Maio de 2022 - 00:55

Bellintani revela acordo com a BWA por dívida de R$ 21 milhões: 'Quitamos completamente'

por Ulisses Gama / Nuno Krause

Bellintani revela acordo com a BWA por dívida de R$ 21 milhões: 'Quitamos completamente'
Foto: Divulgação / EC Bahia

O presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, revelou, nesta sexta-feira (20), que o clube fez um acordo para quitar sua dívida de R$ 21 milhões com a empresa BWA. Desde 2019, por determinação do Tribunal de Justiça de São Paulo, até a semana passada, a agremiação tinha que destinar 10% de todas as suas receitas ao processo. 

 

"[Isso aconteceu] por causa e uma confissão de dívida assinada em 2011, pelo antigo presidente do clube. Resultou em um processo de mais de R$ 20 milhões. Tivemos R$ 21 milhões retidos desde 2019 até a semana passada. Poderia se continuar juntando, mas realizamos um acordo e quitamos completamente a dívida com a BWA", destacou o mandatário, em entrevista na zona mista após o triunfo do Esquadrão sobre a Ponte Preta, pela oitava rodada da Série B. 

 

Prejudicado financeiramente pela pandemia de Covid-19, o Bahia vive um processo de readequação para o pagamento de suas dívidas. A trabalhista, por exemplo, rendeu um bloqueio de R$ 8 milhões ao clube, problema que já foi resolvido. 

 

"Fizemos um acordo em 2020 em que conseguimos cumprir integralmente até setembro de 2021. No final do ano, com a queda do número de sócios, protocolamos um pedido na Justiça do Trabalho, requerendo a ativação de uma das cláusulas. Em caso de queda de receita, o Bahia tem o direito de rever o valor a ser pago, sentar para negociar. Desde outubro, dezembro novamente, fevereiro novamente, e essa audiência não foi marcada. Agora, conseguimos marcar e repactuamos a parcela, justamente como previa o acordo anterior. Saiu de R$ 450 mil para R$ 150 mil, muito mais adequado à realidade do clube. Além disso, deixamos para pagamento do passado até aqui o prêmio pela passagem de fase na Copa do Brasil. Foi um acordo muito bom para o clube, se adapta à realidade da Série B. Não vemos esses credores como adversários. São pessoas que prestaram serviços e devem receber por isso, mas da forma que o clube pode pagar. Já pagamos mais de R$ 40 milhões pré-2013", explicou Bellintani. 

 

O Tricolor vem discutindo, nos últimos meses, a possibilidade de implementar o projeto da Sociedade Anônima do Futebol (SAF). Caso isso aconteça, o presidente garante que "logicamente temos nessa negociação uma forma de resolver e sanar o problema da dívida histórica do Bahia". 

 

Enquanto isso, o Bahia se vira com o que tem. A venda do Fazendão, por exemplo, está avançada. "Estamos na fase de discussão de minuta contratual. Recebemos uma proposta muito boa, foi avaliada pela Assembleia de Sócios, foi aprovada. Depois dessa, recebemos uma proposta ainda melhor, que deve ser efetivada. Está em discussão contratual", revelou Bellintani. 

 

Apesar da situação financeira delicada, o presidente projeta contratações para a janela de transferências de julho. "Entendo que julho será o momento de reforçar o time. Sempre digo que não me ilude uma liderança, uma segunda colocação. O campeonato é muito difícil. O jogo de hoje mostrou isso. Um time do meio pra baixo da tabela, como a Ponte, fez um jogo muito difícil, foi superior ao Bahia em grande parte do jogo, mas a competição é isso. Tenho consciência de que estamos em um momento bom, mas que precisamos ficar atentos e não subir no salto", ponderou.

Histórico de Conteúdo