Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Terça, 03 de Agosto de 2021 - 09:45

No salto com vara, Thiago Braz conquista a medalha de bronze para o Brasil em Tóquio

por Leandro Aragão

No salto com vara, Thiago Braz conquista a medalha de bronze para o Brasil em Tóquio
Foto: Gaspar Nóbrega / COB

Thiago Braz garantiu mais uma medalha para o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. O paulista ficou com o bronze na disputa do salto com vara no atletismo na manhã desta terça-feira (3). Ele superou a marca dos 5,87m, mas errou as três tentativas dos 5,93m.

Isaquias chora após ficar em quarto na canoagem velocidade: 'Sofremos muito'
Foto: Breno Barros / rededoesporte.gov.br

O baiano Isaquias Queiroz não segurou o choro após terminar a prova do C2 1000 metros da canoagem velocidade, ao lado de Jacky Goodman, na quarta colocação. O atleta não conseguiu garantir a primeira medalha que esperava nos Jogos Olímpicos de Tóquio, na madrugada desta terça-feira (3) (lembre aqui).

 

Em meio ao choro, ele declarou: "Pode parecer um discurso repetido de nós atletas, mas a gente sabe o quanto a gente treina. Treinamos muito, cara, sofremos muito. Não adianta quem está em casa falar que foi porque o Jesus (Morlán, técnico espanhol falecido em 2018) não estava, porque o Lauro (de Souza, atual treinador) se matou de trabalhar. Treinamos todo dia, sofremos, foi duro. Queríamos medalha. Ninguém ia vir para cá, viajar não sei quantas horas de voo, com um sol quente desses para querer ficar em quarto. Enfrentar a quarentena toda e ficar no quarto. Queria a medalha porque foi um trabalho doído, sofrido, com dedicação máxima que a gente teve e o apoio dos nossos familiares, e sem dúvidas do Comitê Olímpico".

 

O tempo da dupla brasileira, apesar de ser excelente (3min27s603), não foi o suficiente para superar os adversários de Cuba, China e Alemanha. Isaquias chegou a vomitar durante a preparação para a Olimpíada, como afirmou em entrevista ao SporTV, após a prova.

 

"Não estou dando desculpa nenhuma, mas, como o Lauro falou, a gente treinou, e se alguém vai ganhar da gente é porque treinou mais, mas a gente fez tudo certinho como tinha que fazer. Lógico, às vezes perdemos algum treinamento ou outro, mas fizemos o que o treinador pedia, e eu até chegava vomitando em alguns treinamentos, mas a gente fazia o treinamento bem completo", lamentou.

 

Jacky Goodman, estreante em Olimpíadas, afirmou que, apesar de tudo está feliz pelo resultado. Ele foi convocado após Erlon de Souza, parceiro de Isaquias há anos, sofrer uma lesão no quadril.

 

"Estou muito feliz mesmo. Infelizmente, não veio a medalha que a gente queria (...) A gente estava bem, um pouco sem visão dos adversários, que estavam mais para o lado. Nós viemos bem, mas no finalzinho não conseguimos nos impor como queríamos. Infelizmente, não conseguimos. Fizemos o que o treinador mandou, demos nosso máximo. Mas, infelizmente, não deu", destacou o canoísta de apenas 22 anos.

 

Isaquias voltará a competir em outra prova nesta edição dos Jogos Olímpicos. Na próxima quinta-feira (5), às 21h52 (de Brasília), o baiano disputa a prova do C1 1000 metros, na qual é campeão mundial e conquistou a prata na Rio-2016.

 

"Agora é começar a rodar a chave que daqui a dois dias tem outra prova que a gente vai ter que trabalhar melhor para poder buscar um ouro. Não quero sair daqui sem meu ouro, sem o ouro do Lauro, que trabalhou muito para isso, e sem o ouro que o Jesus sonhava", prometeu.

Terça, 03 de Agosto de 2021 - 09:25

Brasil tira estudo da gaveta por vitória contra os russos e final no vôlei masculino

por Carlos Petrocilo | Folhapress

Brasil tira estudo da gaveta por vitória contra os russos e final no vôlei masculino
Foto: Jonne Roriz / COB

Atual campeã olímpica, a seleção brasileira masculina de vôlei é apontada como uma das principais candidatas a brigar pelo ouro nas Olimpíadas de Tóquio. Porém, para conseguir o bicampeonato consecutivo, terá que superar na semifinal o Comitê Olímpico Russo, que tem se mostrado o seu adversário mais incômodo.
 

O duelo entre as equipes será na quinta-feira (5), na Ariake Arena, ainda sem horário definido.
 

"Vamos ter, agora, que tirar o estudo da gaveta e treinar em função do estilo de jogo dos russos", disse o técnico da seleção, Renan Dal Zotto, após a vitória contra o Japão, que garantiu a classificação à semifinal.
 

"Por causa do saque e do bloqueio dos russos, a gente poderá travar em algum momento da partida, mas não podemos sofrer com algumas dificuldades que virão", completou o técnico.
 

Pelas quartas de final, o Brasil levou a melhor sobre o Japão por 3 sets a 0, parciais de 25/20, 25/22 e 25/20, na madrugada desta terça-feira (3).
 

Em seu compromisso pelas quartas de final, o Comitê Olímpico Russo atropelou o Canadá, também por 3 sets 0, parciais de 25/21, 30/28 e 25/22.
 

Brasil e os russos vão se enfrentar pela terceira vez neste ano, e só os europeus venceram até agora: triunfo pela Liga das Nações, em junho, na Itália, e na fase de grupos dos Jogos de Tóquio, ambos pelo placar de 3 sets a 0.
 

"Saímos frustrados, sim, porque não conseguimos jogar [contra os russos] como gostaríamos e deveríamos. É um estilo de jogo completamente diferente do Japão, mas na semifinal é preciso deixar tudo na quadra", falou o levantador e capitão Bruninho.
 

O Brasil tem sucumbido diante do estilo de jogo da equipe europeia. Fortes fisicamentes, são bem eficientes na marcação e no bloqueio, além de incomodarem os adversários com saques potentes.
 

"Os russos sempre foram bons bloqueadores, agora vai do atacante ter a consciência para buscar opções melhores. Falo por mim, comecei aquele jogo tomando dois bloqueios. É a hora de a cabeça fazer mais diferença que a força", afirmou Lucarelli.
 

Nos demais confrontos das quartas de final, a Itália mede forças com a Argentina, e a Polônia encara a França.
 

Contra uma defesa sólida do Japão, o ponta Leal fez a sua melhor apresentação até aqui nas Olimpíadas. Ele e o oposto Wallace marcaram cinco pontos cada no primeiro set. O central Lucão, outro destaque, interceptou Yamauchi e, na sequência, o central Ishikawa mandou a bola para fora: 25 a 20.
 

No segundo o set, a seleção empatou com Leal em 17 a 17 e passou à frente, com Wallace, pela primeira vez na partical.
 

Os brasileiros dispararam: 25 a 22. No último set, Lucarelli, Wallace e Leal enfileiraram pontos, o Japão sentiu o golpe e não conseguiu incomodar os brasileiros, que fecharam a vitória.
 

Ishikawa foi o maior pontuador da partida, com 17 pontos, e Leal finalizou o jogo com 16.

Terça, 03 de Agosto de 2021 - 08:38

Daniel Alves elogia seleção após vitória nos pênaltis: 'O destino queria assim'

por Leandro Aragão

Daniel Alves elogia seleção após vitória nos pênaltis: 'O destino queria assim'
Foto: Lucas Figueiredo / CBF

O Brasil vai brigar pelo bicampeonato olímpico do futebol masculino nos Jogos de Tóquio 2020. Na manhã desta terça-feira (3), a seleção brasileira eliminou o México nos pênaltis por 4 a 1, após empatar em 0 a 0 na prorrogação. O lateral-direito e capitão Daniel Alves elogiou a atuação da equipe. O baiano abriu a sequência brasileira convertendo a penalidade.

 

"Sobretudo quando você tem um adversário que a gente respeita muito, pela escola. Já sofremos bastante com esse adversário. Mas isso é o futebol. Acredito que tivemos uma atuação muito boa, sofremos quando tivemos que sofrer, mas acredito que merecidamente estamos na final", disse em entrevista ao SporTV. "O gramado estava um pouco irregular, mas nada serve de desculpa. Para uma equipe que propõe o jogo, quando o campo está irregular assim, tem sempre que dar um toque a mais. As conduções são complicadas, mas acho que não teve nenhum problema não, porque colocamos as ocasiões, tivemos chances de ganhar o jogo, mas não foi possível. Acho que o destino queria que fosse desse jeito, assim foi. Volto a insistir, muito respeito ao México, uma escola que gosto muito. Mas é aquilo, só pode passar um e felizmente foi a gente", completou.

 

Aos 38 anos, Daniel Alves vai disputar mais um final em busca do seu 43º título na carreira, recordista absoluto de conquistas na história do futebol. A final do torneio olímpico será no próximo sábado (7), às 8h30 no horário de Brasília, no estádio de Yokohama. O adversário será o vencedor do confronto entre Japão e Espanha.

 

"Falta um. Temos que manter o foco, a concentração. É muito difícil ganhar jogos, é muito difícil enfrentar adversários, porque eles são diferentes. Tem que ter uma adaptabilidade muito grande, porque cada um joga de uma maneira e você tem que se reinventar dentro do jogo e da competição. Mas apesar da idade da rapaziada, tem um estafe que controla muito bem isso, passa as informações muito bem, a gente assimila, coloca em prática e tem dado resultado. Agora só falta um passo e vamos tentar dar esse passo firme", finalizou.

 

Campeão olímpico nos Jogos Rio-2016, o Brasil acumula duas pratas em 1988 e 2012 e dois bronzes em 1996 e 2008.

Terça, 03 de Agosto de 2021 - 08:15

Simone Biles volta, leva bronze na ginástica e se despede das Olimpíadas num novo papel

por Daniel E. de Castro | Folhapress

Simone Biles volta, leva bronze na ginástica e se despede das Olimpíadas num novo papel
Foto: Divulgação / Tokyo 2020

Quando Simone Biles entra em ação, é normal que todo o ginásio pare para observar a melhor ginasta do mundo. Nesta terça-feira (3), porém, a subida da americana na trave do centro de ginástica de Ariake não foi acompanhada pela expectativa de mais um show.
 

Havia tensão generalizada para saber como Biles se apresentaria após tudo o que aconteceu com ela nas Olimpíadas de Tóquio.
 

Maior estrela dos Jogos, Biles voltou a competir após uma semana na qual abriu mão de quatro finais. Despediu-se com uma medalha de bronze. O ouro foi para Guan Chenchen, e a prata, para Tang Xijing, ambas da China. A brasileira Flavia Saraiva terminou na sétima posição.
 

O domínio de Biles nas grandes competições de ginástica começou em 2013. Desde então, foram 25 medalhas em Campeonatos Mundiais, 19 de ouro.
 

Nas Olimpíadas do Rio-2016, a americana subiu cinco vezes no pódio, com quatro medalhas de ouro e uma de bronze. Agora no Japão, a expectativa era pela confirmação dessa performance dominante.
 

Sua primeira apresentação em Tóquio foi no dia 25 de julho. A atleta obteve a melhor nota geral, se classificou para as finais de todos os aparelhos, mas cometeu erros que não costuma cometer. Avançou com a melhor nota geral e no salto. No solo, em que sobrou contra as rivais nos últimos anos, terminou na segunda posição. Na trave, foi sétima, e nas barras assimétricas, décima.
 

Dois dias depois, na competição por equipes, as americanas começaram pelo salto. Biles foi para a primeira apresentação, errou a chegada e recebeu uma nota baixa.
 

Na sequência, vestiu o agasalho e não voltou a executar nenhum movimento nos outros aparelhos. Desistiu da disputa e foi substituída no time dos EUA, que perdeu para as russas e ficou com a prata.
 

As suspeitas de que ela tivesse algum problema físico foram descartadas pela própria atleta na sequência, em entrevista que concedeu ainda no ginásio.
 

"Fisicamente, me sinto bem", disse Biles ao canal americano NBC. "Emocionalmente, varia com a hora e o momento. Ser a estrela principal das Olimpíadas não é uma tarefa fácil. Então estamos apenas tentando viver um dia de cada vez. Veremos."
 

Subitamente, a maior estrela dos Jogos transformou as expectativas pelo seu desempenho atlético num grande debate sobre saúde mental no esporte de alto rendimento.
 

"Também temos que nos concentrar em nós mesmos, porque no fim das contas também somos humanos", disse Biles. "Portanto, temos que proteger nossa mente e nosso corpo, em vez de apenas sair e fazer o que o mundo quer que façamos."
 

Desde então, ela abriu mão de competir em quase todas as finais para as quais havia se classificado: individual geral, salto, solo e barras assimétricas.
 

Na segunda (2), a federação americana, que afirmou apoiar totalmente a atleta em suas decisões, confirmou seu retorno para a trave, no último dia de programação do esporte nos Jogos.
 

Após ter falado de forma mais genérica sobre as questões de saúde mental inicialmente, Biles contou nas suas redes sociais que vinha sofrendo de um problema de desorientação espacial conhecido no meio da ginástica como "twisties". Apesar de não ser algo incomum, não há explicações consolidadas sobre suas causas e possíveis tratamentos.
 

Os movimentos que a ginasta executa sobre a trave, embora requeiram muita precisão, são menos acrobáticos e envolvem menos giros do que nos dos demais aparelhos. Isso possivelmente influenciou a decisão por voltar a competir nessa prova, apesar de nunca ter sido a mais dominante da americana.
 

Biles entrou no ginásio como terceira da fila, posição que indicava a ordem em que iria competir. Com olhar compenetrado, acenou para as câmeras que acompanhavam seus passos e logo começou o aquecimento.
 

Enquanto a canadense Elsabeth Black e Xijing Tang se apresentavam, a americana conversou bastante com seus treinadores. A demora para que saísse a nota da chinesa elevou a tensão da expectativa por sua entrada.
 

Quando chegou a hora, Biles fez uma apresentação segura --a nota de dificuldade, 6.100, ficou quatro décimos abaixo da série da classificação-- e aparentou ter ficado satisfeita. De longe, foi a mais celebrada entre as finalistas.
 

O sorriso no rosto diminuiu quando soube que não seria o suficiente para ultrapassar Tang, mas Biles continuou de pé, apoiando a americana Sunisa Lee, conversando com os técnicos e cumprimentando as outras competidoras.
 

Após pautar as Olimpíadas em temas que vão muito além de suas acrobacias e terminar o evento com duas medalhas -nenhuma de ouro-, Simone Biles se despede dos Jogos de Tóquio subvertendo o papel esperado para sua grande estrela.

Terça, 03 de Agosto de 2021 - 07:55

Zagueiro Mateus Moraes, do Vitória, está na seleção da 15ª rodada da Série B

por Glauber Guerra

Zagueiro Mateus Moraes, do Vitória, está na seleção da 15ª rodada da Série B
Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ Bahia Notícias

Tem jogador do Vitória na seleção da 15ª rodada da Série B. Trata-se do zagueiro Mateus Moraes que recebeu nota 7,8 no jogo contra o Avaí, disputado no último sábado (31), no Barradão. O duelo terminou empatado em 0 a 0 (relembre aqui).

 

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) elege a seleção da rodada com base nos dados do aplicativo de estatística SofaScore.

 

Mateus Moraes tem 20 anos e é cria das divisões de base do Vitória. Nesta Série B, ele já atuou em sete jogos.

 

Com Mateus Moraes em campo, o Vitória enfrenta o Grêmio nesta terça-feira (3), às 19h, na Arena do Grêmio, válido pelo confronto de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. Para levar a decisão para os pênaltis, o time rubro-negro precisa vencer por pelo menos três gols de diferença, já que perdeu o primeiro duelo por 3 a 0. 

 

Pela Série B, o próximo compromisso do Vitória é contra o Vasco, sábado (7), às 19h30, no Barradão.

Terça, 03 de Agosto de 2021 - 07:41

Nos pênaltis, Brasil vence o México e vai disputar o ouro no futebol masculino

por Leandro Aragão

Nos pênaltis, Brasil vence o México e vai disputar o ouro no futebol masculino
Foto: Lucas Figueiredo / CBF

Após o empate sem gols na prorrogação, o Brasil venceu o México nos pênaltis por 4 a 1, na manhã desta terça-feira (3), no estádio Ibaraki Kashima, pela semifinal do futebol masculino dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Atual campeão olímpico, o time Canarinho vai disputar a medalha de ouro.

 

Na disputa das penalidades, a seleção brasileira converteu suas cobranças com Daniel Alves, que abriu a sequência, Gabriel Martinelli, Bruno Guimarães e Renier. Os mexicanos perderam a primeira batida com Eduardo Aguirre que parou em Santos, Vásquez ficou na trave. Rodríguez descontou para o selecionado da América do Norte.

 

O técnico André Jardine colocou em campo: Santos; Daniel Alves, Nino, Diego Carlos e Guilherme Arana; Douglas Luiz (Matheus Henrique), Bruno Guimarães e Claudinho (Renier); Antony (Malcom), Richarlison e Paulinho (Gabriel Martinelli).

 

O adversário do Brasil na final será o vencedor do confronto entre Japão e Espanha, que se enfrentam nesta terça logo mais às 8h no horário de Brasília. A decisão do ouro acontece no sábado (7), às 8h30, no estádio Yokohama.

Terça, 03 de Agosto de 2021 - 07:17

Abner Teixeira perde para cubano e é medalha de bronze no boxe

por Leandro Aragão

Abner Teixeira perde para cubano e é medalha de bronze no boxe
Foto: Gaspar Nóbrega / COB

Abner Teixeira foi derrotado pelo cubano Julio La Cruz na semifinal do boxe na categoria pesado (81 - 91kg), na manhã desta terça-feira (3). Com isso, ele ficou com a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, já que não há disputa pelo terceiro lugar na modalidade.

 

Adversário de Abner Teixeira, Julio La Cruz é o atual campeão olímpico e tetracampeão mundial amador.

 

Em Tóquio, o boxe do Brasil igualou o melhor desempenho numa Olimpíada com três medalhas garantidas. Além do bronze de Abner, os baianos Hebert Conceição e Beatriz Ferreira vão disputar a semifinal das suas categorias. Nos Jogos de Londres-2012, a baiana Adriana Araújo, Esquiva Falcão e Yamaguchi subiram no pódio.

Terça, 03 de Agosto de 2021 - 07:06

Wanderson Oliveira perde para cubano nas quartas de final do boxe e fica sem medalha

por Leandro Aragão

Wanderson Oliveira perde para cubano nas quartas de final do boxe e fica sem medalha
Foto: Jonne Roriz / COB

O brasileiro Wanderson Oliveira foi derrotado pelo cubano Andy Cruz, atual bicampeão mundial e pan-americano, na manhã desta terça-feira (3), pela semifinal do boxe nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. O duelo valia vaga na semifinal da categoria peso-leve (até 63kg) e uma medalha, já que não tem disputa pelo terceiro lugar na modalidade. O carioca perdeu na decisão dos juízes por 4-1.

 

"Foi uma luta de bastante experiência, tive que fazer o jogo reverso, que não é muito meu jogo. Ele é bem ágil, o Andy é bom. Gostei bastante do combate, bastante acirrado, e vou me preparar melhor para no próximo campeonato bater de frente com ele. É uma emoção enorme, é muito difícil alguém como eu da comunidade chegar nos Jogos Olímpicos, e eu consegui chegar e estou representando o Brasil todo", disse Wanderson em entrevista ao canal SporTV.

 

O boxe do Brasil já garantiu medalhas com os baianos Hebert Conceição e Beatriz Ferreira. Além deles, Abner Teixeira sobe no ringue nesta terça para disputar a semifinal. A campanha iguala o melhor desempenho do país na modalidade que foi nos Jogos de Londres-2012.

Terça, 03 de Agosto de 2021 - 06:55

Dinei passa por cirurgia para reconstruir ligamento do joelho

por Glauber Guerra

Dinei passa por cirurgia para reconstruir ligamento do joelho
Foto: Pietro Carpi/ Vitória

O atacante Dinei, do Vitória, passou por uma cirurgia, na terça-feira (2), para a reconstrução do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo. O procedimento foi realizado em um hospital de Salvador (BA) pelo médico Wilson Vasconcelos. 

 

Dinei, de 37 anos, sofreu a lesão durante o jogo contra o CSA no último sábado (24), no Rei Pelé. O Leão perdeu o jogo por 2 a 1.

 

O prazo de recuperação da cirurgia é de seis meses. Ou seja: Dinei não jogará mais nesta Série B.

Missão difícil! Vitória pega o Grêmio precisando golear para avançar na Copa do Brasil
Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ Bahia Notícias

Uma missão para lá de espinhosa. É o que Vitória tem pela frente no confronto contra o Grêmio, nesta terça-feira (3), na Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS). O Leão perdeu o primeiro jogo por 3 a 0 no Barradão e necessita vencer por quatro gols de diferença para avançar as quartas de final da Copa do Brasil. Se bater por três tentos, o duelo será decidido nos pênaltis.

 

O lateral Roberto revelou como será a estratégia do Vitória. Não tem o que fazer. É ir para cima de qualquer jeito. Sabemos que amanhã vai ser um jogo diferente, em que realmente tem que arriscar. É já pensar mais no poder ofensivo. Claro que a gente tem que tomar cuidado para não tomar gols, mas o principal agora é pensar na parte ofensiva. Arriscar. Falei no jogo que, se for para morrer, a gente vai morrer atirando. A resposta é somente essa, ir para cima e atacar.

 

Para a partida, o técnico Ramon Menezes não poderá contar com o volante Pablo Siles, vetado pelo departamento médico em razão de um problema muscular. 

 

No Grêmio, a novidade é o retorno do volante Thiago Santos, recuperado de lesão muscular. O zagueiro Kannemann segue de fora.

 

FICHA TÉCNICA
Grêmio x Vitória
Copa do Brasil – oitavas de final (jogo de volta)

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Data: 03/08/2021 (terça-feira)
Horário: 19h
Árbitro: Léo Simão Holanda (CE)
Assistentes:  Nailton Júnior de Sousa Oliveira (CE) e Cleberson do Nascimento Leite (CE)
Quarto Árbitro: Luiz César de Oliveira Magalhães (CE)
Quinto Árbitro: Fabricio Lima Baseggio (RS)
Árbitro de Vídeo: Rafael Traci (Fifa/SC)
Auxiliar do VAR: Thiaggo Americano Labes (SC)
Observador de VAR: Cláudio José de Oliveira Soares (RJ)


Grêmio: Gabriel Chapecó; Vanderson, Geromel, Ruan e Cortez; Thiago Santos (Lucas Silva ou Fernando Henrique), Darlan, Léo Pereira, Jean Pyerre e Alisson; Ricardinho. Técnico: Felipão.
 

Vitória: Lucas Arcanjo; Van, Marcelo Alves, Mateus Moraes e Roberto; Gabriel Bispo, João Pedro, Eduardo e Bolota Soares; Guilherme Santos e Samuel. Técnico: Ramon Menezes.

Terça, 03 de Agosto de 2021 - 05:16

Bia Ferreira vence uzbeque e garante mais uma medalha para o boxe do Brasil

por Ulisses Gama

Bia Ferreira vence uzbeque e garante mais uma medalha para o boxe do Brasil
Foto: Gaspar Nóbrega/COB

O Brasil tem mais uma medalha no boxe, dessa vez com Bia Ferreira. Na manhã desta terça-feira (3), a baiana foi para cima da uzbeque Raykhona Kodirova e venceu por decisão unânime dos juízes nas quartas de final da categoria feminina peso-leve (até 60kg) nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Na semifinal, a adversária será a finlandesa Mira Potkonen.

 

No primeiro round, Bia tomou a iniciativa e buscou os golpes, mas a adversária não deixou barato e também tentou atacar. Na segunda parte, a tônica foi similar, com a baiana sendo mais precisa - e mais forte - nos golpes. Por fim, o último round foi marcado por um amplo domínio de Bia, que não poupou força para atingir Kodirova. 

 

Após a luta, a atleta destacou o trabalho que vem sendo realizado e apontou a missão de conquistar o primeiro lugar.

 

"Foi do jeito que eu esperava, já tinha planejado o jogo e deu certo. Foi uma luta que eu precisava me impor mais, por ser uma adversária que não desiste. A gente vem treinando há cinco anos para isso aqui, então estamos que ter todos os jogos", disse.

 

"Já temos três medalhas e a gente está treinado para o ouro. Ninguém pode se contentar só com o bronze, a gente quer mais, mas já estamos felizes de estar no pódio", completou.
 

 

Essa é a terceira medalha que o boxe consegue nessa edição dos Jogos. Além de Bia, o baiano Hebert Conceição e Abner Teixeira já haviam garantido um lugar no pódio.

 

Até o momento, o Time Brasil tem 12 medalhas. São três ouros, três pratas e seis bronzes. Nessa madrugada, o verde e amarelo ganhou destaque com o ouro de Martine Grael e Kahena Kunze na vela (confira aqui), e o bronze com Alison dos Santos nos 400 metros com barreira (veja).

Terça, 03 de Agosto de 2021 - 00:57

É ouro! Martine e Kahena são bicampeãs olímpicas na classe 49er FX da vela

por Nuno Krause

É ouro! Martine e Kahena são bicampeãs olímpicas na classe 49er FX da vela
Foto: Divulgação / World Sailing

Após uma corrida impecável, Martine Grael e Kahena Kunze são medalha de ouro na classe 49er FX da vela nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Campeãs na Rio-2016, as brasileiras repetiram o feito nesta terça-feira (3), nas águas de Hiroshima.

 

Elas ficaram com a terceira colocação da "medal race" (corrida da medalha), mas, por resultados acumulados anteriormente, garantiram o lugar mais alto do pódio, com 76 pontos perdidos (na vela, o país que perde menos pontos vence). 

 

A prata ficou com a Alemanha, que perdeu 81 pontos, e o bronze com a Holanda, que perdeu 86. 

 

A vela se mantém como um dos esportes que mais traz medalhas ao Brasil. Agora, são 19, no total, sendo a terceira modalidade no ranking, atrás do judô (24) e do vôlei (23).

 

Nos Jogos Olímpicos de Tóquio, o Brasil chega a 12 medalhas. São 3 de ouro, 3 de prata e 6 de bronze. 

Terça, 03 de Agosto de 2021 - 00:25

Alison dos Santos leva bronze nos 400m com barreiras e bate recorde sul-americano

por Nuno Krause

Alison dos Santos leva bronze nos 400m com barreiras e bate recorde sul-americano
Foto: Wagner Carmo / CBAt

O brasileiro Alison dos Santos, o "Piu", conquistou a medalha de bronze nos 400 metros com barreira, nesta terça-feira (3), nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

 

Com o tempo de 46s72, novo recorde sul-americano, ele ficou atrás apenas do norueguês Karsten Warholm, que bateu o recorde mundial, com 45s94, e o americano Rai Benjamin, medalha de prata com 46s17. 

 

É o primeiro pódio alcançado pelo Brasil na história da prova, e também o primeiro do atletismo nesta edição dos Jogos. Agora, o país possui 11 medalhas em Tóquio, sendo 2 de ouro, 3 de prata e 6 de bronze. 

Terça, 03 de Agosto de 2021 - 00:03

Sem medalha: Isaquias e Jacky ficam em quarto na final do C2 1000 metros

por Nuno Krause

Sem medalha: Isaquias e Jacky ficam em quarto na final do C2 1000 metros
Foto: Wander Roberto / COB

Os baianos Isaquias Queiroz e Jacky Goodman ficaram, nesta segunda-feira (2), com a quarta colocação na prova C2 1000 metros da canoagem velocidade e não conquistaram a medalha nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Eles fizeram o tempo de 3min27s603. 

 

O ouro ficou com a dupla cubana, Madrigal Torres e Jorge Henriquez, que quebraram o recorde mundial, com 3min24seg995. A prata foi a China, de Liu Hao e Zheng Pengfei, que fizeram 3min25seg198, e o bronze com os alemães Sebastian Brendel e Tim Hecker, que terminaram a prova em 3min25seg615. 

 

Isaquias Queiroz ainda disputará nova medalha nessa Olimpíada, na categoria C1 1000 metros. As eliminatórias começam na próxima quinta-feira (5). 

Saúde estava preocupada com novas variantes do coronavírus durante Copa América
Foto: Agência Brasil

"Lembra que o comentário antes da realização da Copa América era de que a competição aumentaria os casos de Covid-19 no Brasil? Não foi isso que aconteceu", escreveu o Ministério da Saúde, orgulhoso, no dia 11 de julho de 2021, logo após o fim da Copa América. Contudo, conforme revelou documento divulgado pelo Fiquem Sabendo, agência especializada no acesso a informações públicas, a pasta ficou preocupada com o surgimento de novas variantes durante o evento (veja aqui).

 

Dados do Ministério apontam que 99,4% dos testes de Covid-19 entre os 28.772 realizados em meio à Copa América foram negativos. Contudo, a Câmara Técnica de Diretrizes e Orientações para o Manejo da Covid-19 do Distrito Federal produziu um parecer desfavorável à realização do torneio.

 

Segundo o órgão, havia a possibilidade de que novas variantes do novo coronavírus começassem a circular no país, aumentando assim a taxa de transmissão da doença. "Mesmo os jogos sendo fechados ao público, os torcedores podem promover aglomerações em outros locais, tais como visto em jogos anteriores", destaca o documento.

 

Nos 29 dias de Copa América, 179 casos de Covid-19 foram contabilizados entre os participantes do torneio. A variante B.1.621 foi oficialmente identificada no período. 

Técnico do Botafogo-BA avalia que adversário 'amarrou' 1º jogo da final da Série B do Baiano
Foto: Divulgação

O técnico do Botafogo Bonfinense, Matheus Vazquez, avaliou que o Barcelona de Ilhéus tentou amarrar a partida de ida da final da Série B do Campeonato Baiano, que garante acesso à Primeira Divisão ao campeão. O Diabo-Rubro venceu por 2 a 1, no Estádio Pedro Amorim Duarte, em Senhor do Bonfim, e abriu vantagem na decisão. 

 

"Como a gente esperava, eles vieram mais para se defender e jogar no contra-ataque. Foi o que ocorreu no primeiro tempo. Eles acabaram fazendo o gol, que foi um gol contra nosso, e continuaram a amarrar o jogo. No segundo tempo, nossa postura foi jogar. Continuamos com mais posse, mas passamos a agredir mais, a finalizar mais", destacou o comandante, em entrevista exclusiva ao Bahia Notícias. 

 

Com apenas 22 anos, o técnico comanda um time de futebol pela primeira vez na vida, e, até o momento, está invicto, com três vitórias e um empate (saiba mais detalhes aqui). Ele também comentou sobre a estreia em uma final de campeonato. 

 

"Foi bacana. Eu achava que ia ficar mais nervoso, ansioso. Desde semana passada, estou mais ansioso para o segundo jogo. Eu acho que me portei bem, tava bem tranquilo, mas é uma experiência bem rica, já poder fazer história e fazer um clube tradicional tentar voltar à elite", lembrou. 

 

Por fim, já projetou o próximo jogo. "Nossa maneira de jogar não vai mudar. Por mais que precisemos empate. Vamos para lá para vencer", ressaltou. 

Último ciclo olímpico teve redução de R$ 111 milhões em investimento no Bolsa Atleta
Foto: Divulgação / COB

O ciclo olímpico para a Olimpíada de Tóquio, que está em andamento, teve uma redução de R$ 111 milhões no investimento do programa Bolsa Atleta, quando comparado com o período que antecedeu os Jogos do Rio de Janeiro, em 2016. Os dados são do Instituto de Pesquisa Inteligência Esportiva (IPIE), da Universidade Federal do Paraná (UFPR), e foram revelados nesta segunda-feira (2) pelo Fiquem Sabendo, agência de dados especializada no acesso a informações públicas.

 

Entre 2017 e 2021, foram investidos cerca de R$ 530 milhões no projeto, contra R$ 641 milhões entre 2013 e 2016 (saiba mais aqui) - 17% de queda. A pesquisa indicou também que mais de 81 mil bolsas foram concedidas para quase 30 mil atletas de todo o país desde 2005, quando o programa foi criado, com investimento total de R$ 1,3 bilhão.

 

Ao todo, 79% dessas bolsas foram destinadas a modalidades olímpicas, 58% a atletas homens e 54% para a região Sudeste. O Nordeste é a terceira região com maior investimento (14%). Está atrás do Sul (21%), e à frente de Centro-Oeste (7%) e Norte (4%).

 

Com diversos problemas de atraso de pagamentos, o Bolsa Atleta não teve edital em 2020 pela primeira vez desde sua criação. Esses percauços ocorrem desde o fim da gestão Temer. Segundo a Secretaria Nacional de Esporte de Alto Rendimento (SNEAR), 2021 teve um orçamento de R$ 145,2 milhões.

Vitória faz trabalho tático, treina pênaltis e finaliza preparação para pegar o Grêmio
Foto: Divulgação/ Vitória

O Vitoria encerrou, na tarde desta terça-feira (2), a preparação para a partida contra o Grêmio, válido pelo confronto de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. O treino foi realizado no CT do Internacional, em Porto Alegre (RS).

 

O técnico Ramon Menezes comandou um trabalho tático. Ele também deu atenção para as cobranças de pênaltis. 

 

Como perdeu o primeiro o jogo por 3 a 0, o Vitória precisa vencer o Grêmio por quatro gols de diferença para avançar sem a necessidade de pênaltis. Três tentos leva a decisão para as penalidades.

 

Para a partida, o Vitória não poderá contar com o volante Pablo Siles, vetado pelo departamento médico em razão de um desconforto na coxa (relembre aqui). Quem também está de fora é o atacante Wesley Pionteck, com problema muscular. Ele chegou a ser relacionado, mas acabou cortado.

 

O duelo contra o Grêmio acontece na terça-feira (3), às 19h, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS).

Após Landim e Bastos aceitarem comando temporário da CBF, Justiça do Rio anula decisão
Foto: Divulgação

Poucos minutos após o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, e o da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos, aceitarem a nomeação para comandar temporariamente a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro anulou a decisão que os colocava como interventores da entidade e invalidava a eleição de Rogério Caboclo à presidência (lembre aqui).

 

Nesta segunda-feira (2), o desembargador Luiz Umpierre de Mello Serra, da 19ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça, concedeu um efeito suspensivo aos advogados da CBF.

 

O ponto principal da argumentação, segundo informações do site ge.globo, é a Lei Pelé, que estaria sendo contrariada pela intervenção, já que dirigentes de clubes não podem assumir "cargo ou função em entidade de administração do desporto".

 

Sendo assim, Landim não poderia assumir qualquer cargo na CBF, mesmo que de forma temporária. O ministério Público deve recorrer da decisão desta segunda.

 

Enquanto isso, Antônio Carlos Nunes, o Coronel Nunes, segue no comando da CBF de forma interina, enquanto Rogério Caboclo tenta esclarecer as acusações de assédio sexual e moral feitas por uma funcionária a ele.

 

O presidente afastado está sendo investigado pela Comissão de Ética da entidade, e pode ser banido do futebol, caso seja considerado culpado. As investigações terminam em agosto.

Segunda, 02 de Agosto de 2021 - 17:45

Após revés para o Sport, elenco do Bahia se reapresenta no CT Evaristo de Macedo

por Ulisses Gama

Após revés para o Sport, elenco do Bahia se reapresenta no CT Evaristo de Macedo
Foto: Divulgação / EC Bahia

O elenco do Bahia voltou a treinar na tarde desta segunda-feira (2) pensando no jogo contra o Atlético-MG, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. A partida será nesta quarta-feira (4), às 21h30, no Joia da Princesa, em Feira de Santana.

 

Os atletas que atuaram mais de 45 minutos na derrota para o Sport fizeram um trabalho regenerativo entre academia e fisioterapia.

 

Já os outros foram ao gramado e fizeram um trabalho técnico em campo reduzido, com a presença dos goleiros. 

 

Substituído por um incômodo na coxa, o volante Jonas ficou em tratamento. Ele é dúvida para a partida.

 

Com a necessidade de vencer ao menos por dois gols de diferença para se manter vivo, o Tricolor volta a treinar na tarde desta terça-feira (3), às 15h30. Na sequência, o grupo viaja para o interior baiano.

 Douglas Schwengber da Silva apita duelo entre Juazeirense e Santos, pela Copa do Brasil
Foto: José Tramontin / OFEC

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) definiu, nesta segunda-feira (2), a arbitragem do confronto entre Juazeirense e Santos, jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. Douglas Schwengber da Silva será o árbitro principal, auxiliado por Leirson Peng Martins e Lucio Beiersdorf Flor. O trio é do Rio Grande do Sul.

 

Na cabine do VAR, estarão Jean Pierre Gonçalves Lima e Mauricio Coelho Silva Penna, também do RS. A partida está marcada para a próxima quinta-feira (5), às 19h15 no estádio Adauto Moraes, em Juazeiro. 

 

Na ida, apesar do esforço dos jogadores do time do interior baiano, o Santos aplicou uma goleada de 4 a 0 (veja aqui). Sendo assim, o Cancão de Fogo precisa vencer por 5 gols de diferença para avançar às quartas de final, e por 4 para levar a decisão para os pênaltis.

Segunda, 02 de Agosto de 2021 - 17:00

Tóquio-2020: Bia Ferreira briga por medalha no boxe; vela e atletismo têm chance

por Nuno Krause

Tóquio-2020: Bia Ferreira briga por medalha no boxe; vela e atletismo têm chance
Foto: Rodolfo Vilela / Ministério da Cidadania

Dormir é para os fracos. É essa a tônica do dia 11 de competições nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Quem dormir, mesmo que por alguns minutos, vai perder algo importante. No boxe, a campeã mundial Beatriz Ferreira pode garantir medalha para o Brasil. A baiana de 28 anos vai disputar as quartas de final da categoria peso-leve (até 60kg) contra a uzbeque Raykhona Kodirova, às 5h desta terça-feira (3), pelo horário de Brasília. Como o boxe não possui disputa pelo terceiro lugar, pelo menos o bronze já estará garantido, em caso de vitória de Bia.

 

Pouco mais de quatro horas antes, mais especificamente à 00h20, Alison dos Santos disputa a final dos 400 metros com barreiras. O brasileiro foi o segundo melhor colocado da semifinal, com o tempo 47.31, melhor marca de sua carreira e recorde sul-americano. O norueguês Karsten Warlhom, que obteve o melhor tempo da série, fez 47s30. Outros favoritos, além deles, são Rai Benjamin, dos EUA, e Kyrom McMaster, das Ilhas Virgens Britânicas.

 

Tradicional esporte brasileiro, a vela também briga por medalha nesta madrugada, com Martine Grael e Kahena Kunze. Pela classe 49er FX, as atuais campeãs olímpicas dão a largada para final a partir de 00h33. A prova estava marcada para ocorrer nesta segunda (2), mas teve de ser adiada por falta de vento.

 

Outros dois baianos a competirem neste 11º dia de Jogos Olímpicos são Isaquias Queiroz e Jacky Goodman, na categoria C2 1000 metros da canoagem velocidade. Eles disputarão a semifinal e, caso estejam entre os quatro melhores colocados de sua bateria, avançam à decisão. Inicialmente, Isaquias competiria com Erlon de Souza nesta prova, mas o também baiano sofreu uma lesão no quadril e ficou de fora da Olimpíada (lembre aqui). A competição começa às 21h44.

 

Em provas individuais, o Brasil possui mais dois finalistas: Thiago Braz, atual campeão olímpico do salto com vara, tenta repetir o feito em Tóquio, às 7h20, e Flávia Saraiva tenta aumentar o número de medalhas conquistadas pela ginástica artística feminina, após o show de Rebeca Andrade (veja aqui e aqui), às 5h48.

 

No futebol, o Brasil faz a semifinal contra o México, a partir de 5h. No vôlei, a bola sobe à 1h, para as quartas de final entre Brasil e Japão.

 

Atletismo: 

21h - Almir dos Santos (classificatórias do salto triplo) 

21h16 - Thiago André (classificatórias dos 1.500 metros rasos) 

21h20 - Jucilene de Lima (classificatórias do lançamento de dardo)

22h01 - Tiffani Silva Marinho (classificatórias dos 400 metros rasos) 

22h50 - Laila Ferrer (classificatórias do lançamento de dardo)

23h05 - Jorge Vides (classificatórias dos 200 metros rasos) 

23h21 - Aldemir Junior (classificatórias dos 200 metros rasos) 

00h20 - Alison dos Santos (final dos 400 metros com barreiras)

7h10 - Gabriel Constantino (classificatórias dos 110 metros com barreiras) 

7h15 - Darlan Romani (classificatórias do arremesso de peso) 

7h20 - Thiago Braz (final do salto com vara)

7h34 - Rafael Pereira (classificatórias dos 110 metros com barreiras) 

7h42 - Eduardo de Deus (classificatórias dos 110 metros com barreiras)

 

Canoagem Velocidade: 

21h44 - Isaquias Queiroz e Jacky Goodman (semifinal do C2 1000 metros masculino)

 

Vôlei de Praia: 

22h - Ana Patrícia e Rebecca x Vergé-Dépré e Heidrich (quartas de final)

 

Vela: 

A partir de 00h05 - Ana Barbachan e Fernanda Oliveira (classe 470 feminino)

A partir de 00h05 - Henrique Haddad e Bruno Bethlem (classe 470 masculino)

A partir de 00h33 - Martine Grael e Kahena Kunze (final da classe 49er FX feminino)

A partir de 3h33 - Gabriela Nicolino e Samuel Albrecht (classe Nacra 17 misto)

 

Vôlei masculino: 

1h - Brasil x Japão (quartas de final)

 

Luta livre: 

1h10 - Laís Nunes (BRA) x Taybe Yusein (BUL) 

 

Futebol masculino: 

5h - México x Brasil (semifinal)

 

Boxe: 

5h - Beatriz Ferreira (BRA) x Raykhona Kodirova (UZB) (quartas de final da categoria peso-leve)

6h18 - Wanderson Oliveira (BRA) x Andy Cruz (CUB) (quartas de final da categoria peso-leve)

6h50 - Abner Teixeira (BRA) x Julio La Cruz (CUB) (semifinal da categoria peso-pesado)

 

Ginástica artística: 

5h48 - Flávia Saraiva (final da trave de equilíbrio)

 

Hipismo: 

7h - Yuri Mansur Guerios (classificatória de 'Saltos Individual')

Após 14 jogos e nenhuma vitória, Jair Ventura é demitido da Chapecoense
Foto: Márcio Cunha / ACF

Após a derrota por 1 a 0 para o Santos, neste domingo (1º), pela 14ª rodada da Série A do Brasileirão, a Chapecoense anunciou a demissão do técnico Jair Ventura. Sob o comando dele, a equipe não venceu nenhum dos 14 jogos que disputou. Foram quatro empates e 10 derrotas - aproveitamento de 9,5%.

 

Segundo o site ge.globo, o auxiliar Emílio Faro, o preparador físico Ricardo Henriques e o analista Antonio Macedo também deixaram o clube. O auxiliar Felipe Endres assumirá de forma interina, até que um novo nome seja definido para assumir a Chape.

 

Endres, inclusive, esteve na beira do campo na última vitória conquistada pelo clube, sobre o ABC, na partida de ida da terceira fase da Copa do Brasil, por 3 a 1.

 

A Chapeconese ocupa a lanterna do Brasileirão, com apenas quatro pontos conquistados, nove a menos que o Cuiabá, primeira equipe fora da zona de rebaixamento. O próximo compromisso do Verdão do Oeste é contra o Grêmio, na próxima segunda-feira, às 20h.

Segunda, 02 de Agosto de 2021 - 15:30

Rebeca deixa Olimpíadas 'flutuando' e pronta para virar inspiração

por Daniel E. de Castro | Folhapress

Rebeca deixa Olimpíadas 'flutuando' e pronta para virar inspiração
Foto: Ricardo Bufolin / CBG

Rebeca Andrade tem a imagem perfeita para descrever como se sentiu nos últimos dias, em que conquistou duas medalhas nas Olimpíadas de Tóquio. "Eu estava muito segura de mim, parecia que eu estava flutuando."
 

Para chegar a esse nível de concentração e leveza, a ginasta precisava estar com o joelho direito em ordem, após ter passado por três cirurgias no local, e também muita força mental.
 

Sem as lesões que a tiraram de grandes competições nos últimos anos para atrapalhar, ela enfim teria sua chance de brilhar. Era "só" fazer o que sabia e tentar não se deixar afetar pela pressão, o que nunca é fácil no maior palco do esporte.
 

Mesmo depois da prata no individual geral, obtida na última quinta (28) e que fez o seu nome ganhar repercussão inédita no Brasil, ela se manteve serena para conquistar o ouro no salto no domingo (1º). Nesta segunda (2), encerrou sua participação olímpica com o quinto lugar no solo, resultado que encarou com normalidade.
 

Numa prova de alto nível técnico, a brasileira deu um passo para fora do tablado e recebeu a nota 14.033, muito próxima da que teve na classificação: 14.066. No individual geral, quando pisou fora duas vezes, tirou 13.666.
 

A vencedora foi a americana Jade Carey (14.366). Aos 30 anos, a italiana Vanessa Ferrari obteve sua primeira medalha e ficou com a prata (14.200). A japonesa Mai Murakami e a russa Angelina Melnikova dividiram o bronze (14.166).
 

"Eu me senti incrível, porque não me senti pressionada para levar uma medalha para o Brasil, para acertar tudo. Mesmo querendo acertar. Foi uma coisa muito natural mesmo, que só fluía", disse.
 

Se antes a cobrança era sobre o que precisava fazer nos treinos para melhorar tecnicamente, hoje em dia a mensagem é muito mais emocional. "Fica tranquila, confie em você, porque você já fez milhões de séries desse jeito, vai lá e faz seu melhor'. Acho que o fato de eu começar a pensar assim me ajudou muito."
 

Por mais que não quisesse ser contagiada pela euforia envolvendo seu nome no Brasil, ela não podia ignorar que agora possui 2,1 milhões de seguidores no Instagram. Muito menos que a britânica Jessie J, que está no seu "top 3 de cantoras favoritas", compartilhou um vídeo em que a atleta e o ginasta Arthur Nory dançam uma de suas músicas.
 

Após dormir ao lado de suas duas medalhas, ela acordou empolgada com a notificação.
 

"Isso foi muito incrível. Ela nem me seguiu, mas para mim já valeu [risos]. Fiquei muito feliz. E vários famosos me seguindo, o tanto de pessoas dizendo que eu sou uma ótima influencer por causa da minha história. Pessoas começam a se inspirar em mim, crianças que querem fazer esporte e antigamente não tinham em quem se inspirar e hoje eu estou aqui representando", afirmou.
 

A história que inspira é a de uma menina negra, criada na periferia de São Paulo, em Guarulhos, filha de mãe solo que criou uma família numerosa e fez grandes esforços para manter a garota no esporte que agora a consagra mundialmente.
 

Missão concluída, fica a mensagem que ela gostaria de passar para quem acompanhou sua trajetória: "É sempre acreditar em você, não desistir de maneira alguma. Tive várias oportunidades de ter desistido, mas tive pessoas incríveis me falando que não estava na hora. Tem que ser forte, saber que um dia vai melhorar e acreditar em você, porque vai dar tudo certo."

Com Macris no banco, Brasil vence o Quênia e vai pegar as russas no vôlei feminino

O Brasil garantiu a liderança do Grupo A do torneio de vôlei de quadra feminino dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Na manhã desta segunda-feira (2), a seleção brasileira venceu o Quênia, com tranquilidade, por 3 sets a 0, com parciais de 25/10, 25/16 e 25/8. A equipe comandada pelo técnico José Roberto Guimarães vai enfrentar o Comitê Olímpico Russo nas quartas de final.

 

A notícia animadora foi a presença da levantadora Macris no banco de reservas da seleção. Ele se recuperou de uma lesão no tornozelo direito sofrida na vitória sobre o Japão, na última quinta (29) (lembre aqui). A atleta participou do aquecimento do time antes do duelo contra as quenianas. Ela esta sendo substituída por Roberta no time titular.

 

Brasil e o Comitê Olímpico Russo se enfrentam na próxima quarta (4), às 9h30 no horário de Brasília. Quem vencer garante vaga na semifinal e vai encarar o vencedor do confronto entre Sérvia e Itália.

Jacuipense anuncia a contratação do técnico Luizinho Lopes para a sequência da Série C
Foto: Jefferson Peixoto / Ag. Haack / Bahia Notícias

O Jacuipense anunciou nesta segunda-feira (2) a contratação do técnico Luizinho Lopes para a sequência da disputa da Série C do Brasileiro. Ele chega para o lugar do demitido Jonilson Veloso (leia aqui). A apresentação será nesta terça (3).

 

Aos 39 anos, Luizinho Lopes chega ao Leão Grená credenciado pelo trabalho feito à frente do Manaus. Em duas passagens pela equipe amazonense, ele disputou 32 jogos. Na última, deixou o clube de forma repentina logo após a conquista do campeonato estadual. Nesta ocasião, obteve 11 vitórias, um empate e três derrotas, uma delas foi a goleada para o Bahia por 4 a 1, em Pituaçu, pela segunda fase da Copa do Brasil. Um aproveitamento de 77%.

 

Luizinho Lopes assume o Jacuipense brigando contra o rebaixamento, ocupando o nono lugar do Grupo A da Série C com 10 pontos, um a menos do que o Floresta, que está fora da degola no oitavo lugar. O próximo compromisso do Leão Grená será no sábado (7), às 15h, contra o Tombense, fora de casa, pela 11ª rodada.

Jardine cogita Reinier e espera jogo 'gostoso de ver' da seleção contra o México
Foto: Lucas Figueiredo / CBF

Além de Malcom e Paulinho, o técnico André Jardine abriu mais possibilidades de escalação caso Matheus Cunha seja desfalque da seleção brasileira nesta terça-feira (3), às 5h, contra o México, pela semifinal do futebol masculino nas Olimpíadas de Tóquio. Uma das alternativas apontadas pelo comandante é o meia Reinier, o que mudaria a forma de jogar da equipe, que manteve a mesma base nos quatro jogos até agora.
 

"A gente trabalhou com várias possibilidades, usamos até os últimos minutos antes do treino para tomar a decisão de quem jogaria porque nosso elenco dá possibilidades diferentes. Primeiro estudamos bastante o México para tentar pegar através do adversário alguma pista. Lamentamos a situação do Cunha, mas isso abre possibilidade de alguma situação que o México não espera", afirmou o treinador em entrevista coletiva concedida após o treino de hoje (2), em Kashima.
 

Depois, Jardine mencionou as alternativas pensadas para além dos substitutos naturais Malcom e Paulinho: Reinier, como segundo meia alinhado com Claudinho, e Matheus Henrique ou Gabriel Menino, para fortalecer o meio-campo contra o México: "Trabalhamos uma dessas possibilidades, mas não vou contar para não facilitar a vida do México. Digo que essa opção pode potencializar o jogador que entra numa função que domina completamente e que a coletividade e identidade não saem prejudicadas porque o elenco é forte e temos jogadores à altura."
 

Sobre Malcom e Paulinho, o treinador diferenciou os dois. Segundo ele, o primeiro é um jogador de beirada que joga pela direita, na mesma faixa e função de Antony, mas também pode ser deslocado para a esquerda; enquanto o outro pode atuar como ponta ou como centroavante graças às suas "capacidade de finalização, potência e velocidade". Apesar disso, ele pretende esperar até o fim por Matheus Cunha.
 

"Partimos do estudo do México para tomar essa decisão. A decisão está praticamente tomada, mas contamos com a recuperação do Cunha e a chance existe, porque ele não tem histórico de lesão muscular e nem sabe como é, fez exame e acredito que tenha chance", disse, antes de contar o que espera para o jogo de amanhã:
 

"Trato como um grande clássico mundial, de seleções de tradição que praticam futebol ofensivo. O México sempre vem com uma seleção forte, na última Copa do Mundo foi extremamente difícil e também tem tradição na base. É um clássico e acredito que seja mais aberto, porque nossos adversários depois da Alemanha jogaram só na defesa. Acredito que os times vão se duelar, se desafiar, se atacar, deve ser um jogo mais gostoso de ver, com jogadores de potencial de drible, jogo coletivo e ofensivo. E sendo semifinal de Olimpíada ganha um brilho especial."
 

O Brasil tem três vitórias e um empate nos quatro primeiros jogos das Olimpíadas e agora tenta entrar na disputa pela medalha de ouro contra Espanha ou Japão no sábado.

Atleta holandesa chama atenção com vitória após sofrer queda nos 1.500m; assista
Foto: Divulgação / Tokyo 2020

A atleta holandesa Sifan Hassan chamou atenção ao vencer a eliminatória dos 1.500m feminino do atletismo nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 mesmo após sofrer uma queda no início do trajeto. A disputa aconteceu na manhã desta segunda-feira (2).

 

Com 400m de prova, Hassan acabou tropeçando na queniana Edina Jebitok. As duas se enroscaram e caíram no chão. Porém, a holandesa se levantou e voltou a correr. Ela conseguiu ultrapassar as concorrentes e cruzou a linha de chegada na primeira colocação com o tempo de 4min05s17, seguida pela australiana Jessica Hall com 4min05s28. Já Jebitok completou o percurso no 12º lugar com 4min10s72 e foi eliminada. As demais classificadas foram a americana Elinor St Pierre (4min05s34), a italiana Gaia Sabbatini (4min05s41), a etíope Lemlem Hailu (4min05s49) e a tcheca Diana Mezulianikova (4min05s49).

 

No Twitter, o jogador da seleção brasileira olímpica de futebol, Antony elogiou Sifan Hassan pela superação na prova.

 

"Que prova da Sifan Hassan! Que superação, que espírito olímpico! Você já merece o ouro!", escreveu o atacante.

 

A semifinal dos 1.500m feminino será na próxima quarta (4), a partir das 7h no horário de Brasília. A final da disputa está marcada para sexta (6), às 9h50.

Grêmio x Vitória: Léo Simão Holanda apita duelo pela Copa do Brasil
Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ Bahia Notícias

O árbitro cearense Léo Simão Holanda foi designado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para apitar o jogo entre Grêmio e Vitória, terça-feira (3), às 19h, na Arena do Grêmio, válido pelo confronto de volta das oitavas de final da Copa do Brasil.

 

Nailton Júnior de Sousa Oliveira e Cleberson do Nascimento Leite serão os assistentes de Léo Simão. O trio é filiado à Federação Cearense de Futebol.

 

Quem ficará à frente do VAR é Rafael Tracci (SC), do quadro da Fifa. Thiago Americano Labes (SC) será o auxiliar do árbitro de vídeo, enquanto Cláudio José de Oliveira Soares (RJ) trabalhará como observado de VAR.

 

Como perdeu o jogo de ida por 3 a 0, o Vitória terá que vencer o Grêmio por três gols de diferença para levar a partida para os pênaltis.

 

FICHA TÉCNICA
Grêmio x Vitória
Copa do Brasil – oitavas de final (jogo de volta)

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Data: 03/08/2021 (terça-feira)
Horário: 19h
Árbitro: Léo Simão Holanda (CE)
Assistentes:  Nailton Júnior de Sousa Oliveira (CE) e Cleberson do Nascimento Leite (CE)
Quarto Árbitro: Luiz César de Oliveira Magalhães (CE)
Quinto Árbitro: Fabricio Lima Baseggio (RS)
Árbitro de Vídeo: Rafael Traci (Fifa/SC)
Auxiliar do VAR: Thiaggo Americano Labes (SC)
Observador de VAR: Cláudio José de Oliveira Soares (RJ)

Histórico de Conteúdo