Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Segunda, 06 de Dezembro de 2021 - 11:10

Nelson Leal

por Gabriel Lopes / Anderson Ramos

Nelson Leal
Nelson Leal | Foto: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias

Após deixar a presidência da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) no início de 2021, Nelson Leal (PP) assumiu o comando da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) da Bahia. Há pouco mais de seis meses à frente da pasta, Leal comenta os desafios enfrentados em sua nova função, fala sobre os investimentos trazidos para a Bahia e aponta a pandemia como principal dificuldade em sua atuação na secretaria.

 

"Nós somos hoje o estado que mais investe em saúde, em educação, agricultura familiar, e somos o segundo que mais investe em infraestrutura. Então, nesse nesse ambiente propício nós estamos trabalhando para que novas empresas venham se instalar e que outras que já aqui estão que procure ampliar suas pontes", conta o secretário em entrevista ao Bahia Notícias.

 

Entre os projetos que estão na pauta da secretaria atualmente, a área de energia eólica e energia solar merece destaque. Segundo o titular da SDE, o governo trabalha para aumentar a produção de energias principalmente durante a crise hídrica que impacta o Brasil.

 

Durante a conversa, Nelson Leal falou ainda sobre planos para 2022, política e AL-BA. Confira a entrevista na íntegra:

 

Você assumiu a secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) em maio, nesses pouco mais de 6 meses, qual avaliação o senhor faz do trabalho? O que você encontrou pela frente?

Tem sido um desafio extremamente interessante, nós estamos tendo a oportunidade a oportunidade de juntamente com o governador Rui Costa de procurar trazer novos investimentos e procurar fomentar ampliações de empresas e fazer com que esse ambiente positivo que tem hoje no estado, nós que somos hoje o estado que mais investe em saúde como o estado que mais investe em educação, o estado que mais investe em agricultura familiar, somos o segundo que mais investe em infraestrutura. Então, nesse nesse ambiente propício nós estamos trabalhando para que novas empresas venham se instalar e que outras que já aqui estão que procure ampliar suas pontes.

 

Nesse tempo qual a maior dificuldade enfrentada no dia a dia?

A maior dificuldade tem sido a pandemia, a gente ainda ainda tem esse calo mas nós estamos conseguindo avançar em passos largos na área de eólica mesmo nós já temos cinco giga implantados mais cinco que irão implantar. Para você ter noção hoje nós temos 62 bilhões de reais de protocolos assinados. Conseguimos trazer grandes empresas e aqui eu quero dizer dos investimentos mais recente, a Bridgestone investiu mais de 700 milhões de reais para ampliar sua planta, a Fafen foi reativada graças a Unigel que também anunciou uma planta revolucionária que ela está fazendo, a primeira planta de hidrogênio verde do país e a maior do mundo. Ela também anunciou um investimento de um bilhão e quatrocentos e também anunciou mais quinhentos milhões na planta de ácido sulfúrico. Então várias empresas estão anunciando novos postos de trabalho e nós estamos felizes em contribuir para o progresso do desenvolvimento e crescimento da Bahia.

 

A venda da refinaria Landulpho Alves impacta de alguma forma, como a secretaria recebeu a notícia?

A venda para um fundo importantíssimo, um dos maiores do mundo como Mubadala, que tem interesse de modernizar a empresa, ampliar sua produção e tenho certeza que vão fazer novos negócios. Aqui nós tivemos lá no Emirados Árabes conversando com eles, eles tem vontade de investir e outras empresas, tem vontade dessa área de energia renovável, eu acredito que vai ser uma parceria importante para o estado da Bahia.

 

E hoje quais são os principais projetos da SDE?

Nós temos vários projetos importantes, mas nós estamos muito focados na eólica e na solar. Nós somos hoje líderes na produção de energia eólica e também da energia solar. E queremos ampliar ainda mais porque acreditamos que nós estamos vivendo um momento muito difícil com essa crise hídrica e que impacta no bolso de cada um do cidadão e a gente vai trabalhar muito pra que a gente possa ampliar cada vez mais esse essa produção de energia pra Bahia e pro Brasil. Nós também acreditamos demais nesse polo Polo Agroindustrial e Bioenergético do Médio São Francisco. Quando ele estiver totalmente implantado vão ser gerados de 50 a 60 mil empregos e vai ampliar em 11% a arrecadação do estado da Bahia. Então esse é o nosso eixo principal e nós vamos continuar no foco e como ele disse, geração de emprego, geração de renda e melhoria da vida do baiano.

 

Falando um pouco de política, o senhor foi presidente da AL-BA e hoje como é que o senhor avalia o trabalho do presidente atual Adolfo Menezes?

O deputado Adolfo está fazendo um grande trabalho, tem procurado fazer com que todas as forças que compõem aquela casa tenha vez e voz, tem procurado aglutinar todo mundo, tem sido democrático, e eu tenho visto com muito bons olhos a administração de Adolfo e não era pra ser diferente, sempre foi uma característica da vida dele, grande amigo, grande parceiro e tenho certeza absoluta que está sendo um orgulho - não apenas para nós parlamentares -, mas para todos os baianos.

 

Ano passado pela primeira vez a AL-BA não pediu dinheiro extra para o pagamento das dívidas, mas esse ano Adolfo já informou que vai pedir uma suplementação. Na sua avaliação, o que mudou de um ano para outro?

A  Assembleia ela tem um déficit histórico, sempre a gente faz orçamentos aquém da sua realidade. No ano passado em função da pandemia e de nós termos lacrado a Assembleia, nós conseguimos economizar de algumas fontes, mas eu já tinha avisado para ele que nós não iríamos ter condição, mesmo se com todos os cortes, que esse ano a gente não iria conseguir fechar sem pedir suplementação. Desde quando ele entrou eu já o tinha comunicado. É realmente porque agora essa retomada que aconteceu esse ano gera despesa, gera custo. Mas o o deputado Adolfo tem sido muito criterioso com essa questão de gasto, tem procurado economizar de todas as áreas. É uma questão mais desse déficit histórico do que ter crescido valores na arrecadação.

 

Quais são os planos de Nelson Leal para 2022?

Tentar voltar para a Assembleia. Ver se os baianos mais uma vez nos dê a oportunidade de continuar representando eles com muita dignidade na Assembleia Legislativa da Bahia.


Você também foi cotado como vice Wagner...

Eu sou pré-candidato a deputado estadual, é o nosso foco, é o nosso trabalho, espero poder contribuir com todas as cidades que a gente representa e agora como secretário a gente está podendo ampliar isso, procurar contribuir com o desenvolvimento e o crescimento do estado da Bahia.

Histórico de Conteúdo