Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Após acusação de racismo, diretores do MAM e Ipac se reúnem com comunidade local
Foto: Divulgação

Após os moradores do entorno do Solar do Unhão, onde está situado o Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA), anunciarem um manifesto no qual criticam a falta de diálogo e acusam a administração do equipamento cultural como “racista” (saiba mais), a diretoria informou que irá se reunir com a comunidade local.

 

Os diretores do MAM, Pola Ribeiro, e do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), João Carlos Oliveira, marcaram o encontro para as 12h desta terça-feira (17), um dia após a Associação de Moradores do bairro, o Museu Street Art Salvador (MUSAS) e o Coletivo de Entidades Negras (CEN) divulgarem publicamente manifesto crítico à atual gestão por desrespeitos à comunidade.

 

A reunião, realizada a pedido dos diretores, por intermediação do Ipac, acontecerá na pista de acesso ao Solar do Unhão, entre o MAM e a comunidade, e tratará das reivindicações dos moradores. Entre elas, está a reforma de escada de acesso à praia das pedras; a liberação do acesso de ambulantes e moradores à Prainha (faixa de areia dentro do museu) por meio do Parque das Esculturas; a construção de uma quadra esportiva em área não tombada entre o museu e a comunidade; a pintura do muro de acesso ao bairro; entre outras questões do dia a dia do território, relacionadas, por exemplo, a capacitação e empregabilidade local.

Histórico de Conteúdo