Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sexta, 14 de Maio de 2021 - 19:00

Giro: Como funciona a fertilização para casais homoafetivos?

por Adriana Barreto e Cris Montenegro

Giro: Como funciona a fertilização para casais homoafetivos?
Dra. Sofia Andrade, médica especializada em reprodução humana

Com o recente falecimento de Paulo Gustavo por conta da Covid-19, as pessoas conheceram um pouco mais da vida familiar do ator, que era casado com o médico Thales Bretas e tinha dois filhos, Romeu e Gael (ambos com 1 ano e meio). O que muitos ainda não sabem é como funciona a fertilização para casais homoafetivos, método utilizado por Paulo e Bretas.

 

“Existem duas formas para realizar a Fertilização in vitro em casais gays: o casal escolhe de quem será o sêmen utilizado na fertilização ou o casal utiliza o sêmen de ambos para o processo de FIV”, explana Dra. Sofia Andrade (@drasofiaandrade), médica especializada em reprodução humana. “O sêmen com material genético de um ou dos dois pais é usado para fertilizar óvulos doados e gerar embriões a serem implantados em um útero de substituição. São selecionados óvulos de uma doadora compatível com as características físicas do casal. Esse óvulo será fertilizado, gerando embriões”, acrescenta. No caso deles, geneticamente, Romeu é filho de Thales e Gael de Paulo. Foram duas barrigas de aluguel, eles “fizeram alguns embriões” e foi inseminado um de cada.

 

Uma dúvida recorrente é quem pode abrigar o embrião. Dra. Sofia esclarece: “Pode ser uma integrante da família de algum dos parceiros, alguém que tenha parentesco consanguíneo de até quarto grau ou uma amiga”. Por lei, não pode ter envolvimento de fins lucrativos ou emocionais.

Histórico de Conteúdo