Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Documento indica que equipe atestou segurança de arma antes de Alec Baldwin atirar
Fotos: Reprodução | Instagram

De acordo com o descrito em um pedido de busca e apreensão autorizado pela Justiça de Santa Fé, nos Estados Unidos, na sexta-feira (22), um encarregado da equipe atestou a segurança da arma antes do ator Alec Baldwin disparar no set de filmagem causando a morte da cineasta Halyna Hutchins (saiba mais).

 

Segundo informações do G1, o diretor assistente Dave Halls entregou a pistola cinematográfica ao ator, afirmando que ela era segura. No documento judicial consta que ele não sabia que a arma tinha munição de verdade e disse que ela estava descarregada gritando “arma fria”.

 

Ainda de acordo com a publicação, o figurino usado por Baldwin, que ficou manchado de sangue, e a arma foram levados como prova, assim como as munições e outras armas cenográficas usadas na produção.

 

O ator já foi interrogado pela polícia, mas até então ninguém foi formalmente acusado de qualquer crime relacionado à tragédia. Em suas redes sociais, Baldwin lamentou o ocorrido e disse estar à disposição das autoridades para esclarecer os fatos (clique aqui). 

 

 

PROBLEMAS NO AMBIENTE DE TRABALHO
De acordo com o jornal Los Angeles Times, alguns membros da equipe de câmeras envolvida nas gravações de “Rust” pediram demissão poucas horas antes da tragédia. Segundo o jornal, eles alegaram más condições de trabalho em uma praia perto da cidade de Santa Fé.

 

Os profissionais disseram que o combinado era ficar em um hotel na própria cidade, mas tiveram que ficar em Albuquerque, sendo obrigados a dirigir 80 km todos os dias para trabalhar. 

 

Além disso, um documento obtido pela BBB com a equipe na escala de trabalho no set no dia do incidente aponta que havia uma pessoa responsável por conferir a segurança das armas. A encarregada seria Hannah Gutierrez Reed, que, segundo o Los Angeles Times, tinha pouca experiência na função.

Prestes a lançar 'Marighella', Wagner Moura diz que Bolsonaro é ligado ao 'esgoto da história'
Foto: Divulgação

O baiano Wagner Moura, que pela primeira vez assumiu a função de diretor de cinema com o longa-metragem “Marighella”, se prepara para finalmente lançar o filme no Brasil. A estreia no país foi marcada por adiamentos e enroscos com o governo federal, mas chega ao circuito nacional no dia 4 de novembro (saiba mais). 

 

Em entrevista à Folha de S. Paulo, Wagner comentou o imbróglio que atrasou o lançamento. “Não tenho a menor dúvida de que o filme foi censurado. As negativas da Ancine para o lançamento e, depois, o arquivamento dos nossos pedidos não têm explicação. E isso veio numa época em que o Bolsonaro falava publicamente sobre filtragem na agência”, disse o baiano. “Foi bem nessa época que os nossos pedidos de lançamento foram negados e, logo na sequência, os próprios filhos do Bolsonaro foram às redes sociais comemorar a negativa da Ancine”, lembrou, avaliando como triste o fato do filme ter sido feito em 2017, mas não ter estreado ainda no país.

 

“É triste. Porém, hoje em dia, já está muito mais claro para os brasileiros a tragédia que é o governo Bolsonaro do que talvez em 2019, quando tentamos lançar ‘Marighella’ pela primeira vez. Talvez, hoje, haja uma maior compreensão de que isso é um produto cultural brasileiro, que o fato de ser proibido, censurado, atacado pelo governo é um absurdo”, pontuou o artista, segundo o qual a vitória de Bolsonaro às eleições à presidência foi “trágica, mas pedagógica”.

 

“Esse cortejo de mediocridade que vem atrás dele mostra que o Bolsonaro não é um alien, não veio de Marte. Ele é um personagem profundamente conectado ao esgoto da história brasileira, que nos mostra que o Brasil não é só um país de originalidade, de beleza, de potência, de diversidade, de biodiversidade”, avaliou o ator e diretor baiano. “O favor que o Bolsonaro nos fez foi revelar esse outro Brasil, que estava camuflado; foi nos mostrar que nós também somos um país autoritário, violento, racista, de uma elite escrota. O Brasil é um país que nem é mais uma piada internacional. Quando os estrangeiros vêm falar com a gente, eles falam com pena. Agora nós temos que enfrentar isso”, declarou.

 

Wagner fez ainda sua avaliação sobre a atuação de Mario Frias à frente da Secretaria Especial da Cultura. Segundo o ator, “qualquer pessoa que aceite fazer parte desse governo já é, por excelência, anticultura, anti-direitos humanos, anti-meio ambiente, antiprogressismo”.  “Você olha para qualquer um deles e vê que são pessoas medíocres, recalcadas”, conclui.

Sábado, 23 de Outubro de 2021 - 09:30

Coluna Literatura: Leia 'A beleza da poesia aleatória de Carol'

por Carlos Navarro Filho

Coluna Literatura: Leia 'A beleza da poesia aleatória de Carol'
Foto: Acervo pessoal

Carolina Freitas, poetisa sensível e de muitos recursos manda-me um bilhete reclamando da solidão da pandemia ,“até as agruras da covid se tornaram mais do mesmo” , e falando que como sempre encontrou guarida no ato de escrever. “Falta uma paixãozinha, então escrevo a isto e a tudo o mais que me sufoca”. É isso Carol a coisa ficou tão feia que só a beleza da poesia é capaz abrandar enquanto não chegamos todos a um porto seguro, que é a população vacinada, renovada e pronta para a festa. Gente nasceu para brilhar e ser feliz, lembra de quem disse isso? Ele mesmo. Leia os poemas de Carol, você vai gostar. Clique aqui e leia o texto completo!

Sábado, 23 de Outubro de 2021 - 08:50

Legião Urbana tem série engavetada após imbroglio com filho de Renato Russo

por Lucas Brêda | Folhapress

Legião Urbana tem série engavetada após imbroglio com filho de Renato Russo
Foto: Divulgação

Uma série documental de cinco episódios produzida pela Globoplay sobre a Legião Urbana deveria ter entrado no serviço de streaming no último dia 11, quando a morte de Renato Russo completou 25 anos. Mas a produção, mesmo já pronta, acabou engavetada por causa da falta de um acordo com Giuliano Manfredini, filho do vocalista da banda, cuja empresa Legião Urbana Produções não autorizou a veiculação das imagens e das músicas do grupo.
 

Chamada de "As Cinco Estações", a série teria quatro episódios documentais e mais um com outros artistas fazendo versões das músicas da Legião Urbana. A Globoplay não chegou a anunciar o produto oficialmente, mas vários músicos que participaram das gravações foram às redes sociais comentar o engavetamento da série.
 

"Tudo indica que o documentário da Globoplay sobre Renato Russo em que participei cantando minha versão para 'Perfeição' será engavetada pelo filho do próprio. Lamentável", tuitou Thiago Pethit, cantor que gravou um dos covers para o documentário.
 

Além dele, Diego Xavier, vocalista da banda Bike --que fez a versão de "Índios"--, e João Gordo também comentaram o engavetamento. "Caralho, eu e os Inocentes fizemos uma versão matadora de 'Química' pra esse doc, com clipe e tudo. Porra, porque esse filho do Renato Russo faz isso? Espera o bagulho ficar pronto pra proibir. Maior trampo pra ficar na gaveta? Obrigado aos envolvidos", escreveu o vocalista do Ratos de Porão.
 

Além deles, também participaram das gravações nomes como Elza Soares, MC Rebecca, Céu, Inocentes, Francisco el Hombre e Lagum. Paulo Ricardo, também escalado para a homenagem, postou recentemente no Facebook que participou de "um especial na Globoplay, 'As Cinco Estações', que deve estrear em breve".
 

Em contato com a reportagem, Clemente Nascimento, vocalista do Inocentes, diz que a série teve direção dos jornalistas André Barcinski e Arthur Dapieve --este, biógrafo de Renato Russo--, e as performances foram produzidas por Dudu Marote. Ele também gravou um depoimento para a série documental.
 

"É deprimente. Ele tem os direitos, mas não tem o menor respeito pela história da banda ou da pessoa de quem ele herdou essa obra. Gravei um depoimento e depois a banda [Inocentes], junto ao João Gordo, fez uma versão de 'Química'. Ficou uma coisa muito legal, vários depoimentos legais sobre a história do Renato e da Legião. O cara vai e cancela. Deprimente."
 

Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá, ex-integrantes da Legião Urbana, não estão entre as dezenas de entrevistados pela produção --o cantor Ricky Martin é um deles--, mas a dupla liberou o uso das imagens e das músicas da banda. Villa-Lobos, Bonfá e Manfrendini estão no meio de uma disputa judicial pelo direito de usar o nome Legião Urbana.
 

A Legião Urbana Produções, comandada por Manfredini, foi procurada pelo Globoplay no ano passado, mas só este ano confirmou que não autorizaria o uso das imagens e das músicas.
 

"Em respeito aos admiradores e aos profissionais envolvidos, a Legião Urbana Produções informa que quando soube da existência da série documental feita pela Globoplay, já havia acordado licenciamento com outra produtora, em regime de exclusividade para a realização de um documentário sobre a vida de Renato Russo", diz a produtora de Manfredini em comunicado.
 

"O não cumprimento dos termos do acordo prevê a aplicação de penalidades. A Legião Urbana Produções reforça que respeita e cumpre com as obrigações assumidas, de modo que manterá seu posicionamento em observação ao acordo firmado. Tão logo o termo em vigência se encerre, a Legião Urbana Produções poderá iniciar diálogo com a Globoplay, como sempre fez, inclusive com vários dos artistas que estão envolvidos neste projeto."
 

Este outro documentário, feito por Manfredini, foi revelado na imprensa em março deste ano, após a divulgação de um acordo com a Gávea Filmes, da produtora Bianca de Felippes. O filme deve ser feito a partir dos milhares de itens de Renato Russo que foram expostos em 2017 no Museu da Imagem e do Som de São Paulo.

Comunidade do entorno reclama degradação e construção irregular na área do Passeio Público

Formando por um conjunto de monumentos e patrimônios materiais e culturais, como o Palácio da Aclamação e o Teatro Vila Velha, as condições de manutenção do Passeio Público de Salvador vem sendo questionada pela comunidade do entorno. Um documento atribuído ao líder comunitário do bairro Campo Grande, Zanoni Sampaio, que também atua como guardião do monumento ao Caboclo, lista uma série de situações.  

 

Deficiência de iluminação e de preservação do espaço, ausência de porteiro na guarita, construção irregular na vizinhança e falta de fiscalização dos veículos que estacionam no local são algumas das queixas relacionadas. Estas, segundo o documento, se somam à interdição do portal da entrada principal e a negligência com a retomada das atividades culturais, de lazer, turismo e visitação pública ao local.  

 

Inaugurado em 1810, o Passeio Público é gerido pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC). Em resposta, o órgão estadual alega ter feito intervenções recentes no equipamento, no entanto, aponta a prefeitura de Salvador e a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) como responsáveis por ordenar o uso do solo, que culminaria no embargo da obra irregular no terreno, e executar a política de preservação da ordem pública e segurança, respectivamente. A direção atual do IPAC é do arquiteto João Carlos de Oliveira.

 

“O IPAC efetuou a contratação de empresa especializa na prestação de serviço para fornecimento de material e instalação de concertina de segurança, em aço, para proteção e impedimento de acesso aos fundos do Passeio Público, tendo sido o serviço realizado no mês de maio de 2021; O IPAC também realizou reparos nas luminárias do espaço, no mês de julho de 2021”, declara o órgão por meio da assessoria. O IPAC ressalta ainda que o passeio Público não é tombado pelo instituto, “estando apenas no entorno do Palácio da Aclamação, bem tombado individualmente pelo Estado, conforme Decreto nº 12.493/10”. 

 

“O Passeio Público de Salvador aos poucos foi entregue a falta de cuidados, falta de manutenção... Abandonado pelos Poderes Públicos, favorecendo a degradação, atos de vandalismo e total descaso. Com a calamidade pública da Pandemia de Covid-19 - este local que já teve sua época de ouro - foi entregue ao seu total abandono. Urge a necessidade de que o local venha a ser olhado pelo estado e pelo município, no sentido de revitalizá-lo, para resgatar a sua finalidade primordial de patrimônio público oficial de Salvador e da Bahia”, denuncia Zanoni. 

Sexta, 22 de Outubro de 2021 - 19:50

Aos 74 anos, morre Mãe Obá Inã

Aos 74 anos, morre Mãe Obá Inã
Foto: Divulgação

Morreu nesta quinta-feira (21), em decorrência de problemas renais, Terezinha Souza Barbosa, mais conhecida como Mãe Obá Inã. Ialorixá do terreiro Ilê Axé Obá Inã, a religiosa teve grande importância para a cultura e para a religião de matriz africana na Bahia.

 

Segundo informações a ialorixá estava internada por 22 dias em decorrência de problemas renais e outras complicações médicas.

 

Em outubro de 2013, Mãe Obá foi homenageada na Câmara Municipal de Salvador com a medalha Zumbi de Palmares pela atuação no bairro de São Caetano, onde fica o seu terreiro, e pela ajuda na criação do Balé Folclórico da Bahia.

Sexta, 22 de Outubro de 2021 - 19:00

Giro: Casa Pia sediará aulas de Yoga da Track & Field

por Adriana Barreto e Cris Montenegro

Giro: Casa Pia sediará aulas de Yoga da Track & Field
Thais Koury | Foto: Divulgação

Um dos belos salões de eventos da Casa Pia de São Joaquim se transformará em Studio de Yoga no dia 6 de novembro ao receber, pela primeira vez, uma T&F Experience, programação de experiências esportivas de bem-estar promovida pela Track & Field.

 

As professoras Thaís Khoury, Bruna Rabelo e Victoria Goulart, referências na prática de Yoga, ministrarão as aulas (7h30, 8h30 e 9h30), voltadas para praticantes dos mais diferentes níveis de contato com a atividade. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas pelo app TFSports.

 

Com mais essa ação, a Casa Pia se firma como espaço dos mais diferentes formatos de eventos, retomando a tradição das décadas de 80 e 90, quando tinha uma agenda disputada para a realização de eventos sociais, como casamentos e formaturas.

 

Com mais de 200 anos de história, a instituição vê na retomada da agenda de eventos sociais, culturais, acadêmicos e corporativos mais uma fonte de arrecadação para a manutenção de suas atividades filantrópicas. Contatos: casapiaeventos@gmail.com e 71 99924 1594.

Fabrício Boliveira, Paulo Lins e Daiane Rosário abrem programação da Mimb
Foto: Divulgação

A Mostra Itinerante de Cinemas Negros Mahomed Bamba (Mimb) realiza na segunda-feira (25), às 19h, a abertura da edição especial “Olhares Periféricos”. O público pode assistir todos os painéis pelo canal da Mimb no YouTube. O evento acontece até do dia 30 de novembro.

 

A abertura conta com um bate-papo entre o roteirista e romancista Paulo Lins, o ator Fabrício Boliveira, a cineasta e diretora executiva da Mimb Daiane Rosário e mediação da produtora audiovisual e coordenadora de produção artística da MIMB, Loiá Fernandes.

 

No dia 30 de novembro, às 18h, o painel “Mulheres na Técnica” traz o debate sobre o protagonismo feminino por trás das câmeras. As convidadas são a jornalista e cineasta Olinda Yawar, a jornalista e produtora audiovisual Lindiwe Aguiar e a montadora Cristina Amaral, com mediação da diretora de fotografia Fabiola Silva.

 

O painel “Distribuição e Captação de Recursos”, que acontece no dia 4 de novembro, às 18h, discute a viabilidade financeira para projetos audiovisuais. Participam do encontro o co-fundador da Wolo TV, Licínio Januário, a produtora audiovisual Naymare Azevedo e Kátia Brasileiro, consultora de projetos e fundadora da rede Educare. A mediação é de Taís Amordivino, diretora  cinematográfica e coordenadora de curadoria nacional da Mimb.

 

E no dia 6 de novembro, às 18h,  o painel “O Cinema e suas Sonoridades” destaca o papel do som no audiovisual. Integram o debate Herison Pedro, Cristina Lima, Moisés Neuma e Marise Urbano, com mediação de Loiá Fernandes.

 

A edição "MIMB - Olhares Periféricos" tem patrocínio da Lei de Incentivo à Cultura, do Fundo Nacional da Cultura por meio do Ministério do Turismo com apoio financeiro da Novelis, tendo como parceiros e apoiadores a Wolo TV, Globo, VideoCamp, TVE Bahia, Hub Cultural, Olivieri Consultoria Jurídica, Rede Educare e Janela do Mundo.

 

 

 

SERVIÇO
O QUÊ: Painéis da Mostra Itinerante de Cinemas Negros Mahomed Bamba
QUANDO: 25 de outubro a 30 de novembro
ONDE: Canal do YouTube do Mimb
VALOR:Gratuito

Caetano critica Ciro Gomes por atacar Lula e diz que eleger PT é volta ao passado
Foto: Reprodução

Em entrevista a Claudio Leal, da Folha de S.Paulo, o músico Caetano Veloso, que nesta quinta (21) lançou "Meu Coco", seu primeiro álbum de inéditas em quase uma década, comentou o atual cenário político do país, declarações recentes de políticos como Ciro Gomes (PDT) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a ascensão extrema direita no mundo e suas perspectivas para o futuro brasileiro.
 

CIRO VS. LULA
 

Apoiador da candidatura presidencial de Ciro Gomes, em 2018, o músico afirma que não se sente bem com os atuais ataques do pedetista ao ex-presidente Lula.
 

"Não me sinto à vontade, não me sinto muito bem. Não me parece que venha a ser tão eficaz como ele e talvez João Santana pensem. E depois não me agrada a agressividade contra Lula, porque Lula é uma figura na história do Brasil que eu não consigo não admirar e não sentir afeto. Acho que tem uma beleza nessa manifestação da maioria do povo brasileiro de querer elegê-lo", diz Caetano.
 

"Agora, isso não quer dizer que a melhor coisa que poderá acontecer com o Brasil será Lula voltar à presidência. Não sei. Há um pouco de volta ao passado, gostaria que o Brasil desse passos pra frente. O próprio Lula, o próprio PT podia ter outra atitude. Mas o tom do Ciro nesse último período a mim não me agradou", continua o músico.
 

"Eu tinha divergências estratégicas com Lula, às vezes sutilmente políticas, mas não tão nitidamente porque Lula era politicamente estratégico, mas estrategicamente ele não era tão bom político."
 

Com cara de hit, a canção "Não Vou Deixar", de "Meu Coco", tem um fraseado de briga amorosa e um sentido político explícito ao alvejar os retrocessos do governo Jair Bolsonaro.
 

"O disco é todo de afirmação, mas é, na verdade, dentro de um momento de negação do que pode haver de bonito no Brasil", diz Caetano. "A gente está passando por um período difícil, que nega muito tudo o que pode ser bonito numa canção ou na vida. E, quando a pergunta vem, é feita por um eu lírico que ainda está ligado à ideia de missão salvacionista do Brasil."
 

A EXTREMA DIREITA
 

"Está havendo no mundo inteiro o fenômeno da extrema direita chegar ao poder em vários países. O que eu vejo nisso, também, é uma demonstração de uma certa fragilidade do conservadorismo. Porque eles eram a maioria silenciosa. Não podem mais ser silenciosos, não querem mais e não podem mais", diz o músico.
 

"É perigoso, muita turbulência tem acontecido e acontecerá, mas uma vitória de uma atitude conservadora no mundo que seja estável não é possível. Isso é o momento em que a maioria silenciosa deixou de ser silenciosa, precisa gritar e é um tanto histérica demais. Pode causar muitos horrores."
 

O cantor ainda diz que no momento de deixar sua "cabeça solta para as canções [de 'Meu Coco'] saírem não poderia deixar de aparecer esse tema do Brasil como que liderando uma mudança".

Coletivos Marsha e AfroBapho lançam programa de formação para pessoas negras e LGBTQIA+
Foto: Divulgação

Os coletivos Marsha e o AfroBapho lançam o Circuito Arti, um programa de formação e qualificação profissional nas áreas de Gestão e Empreendedorismo Cultural, Produção Musical e Direção Artística. De 8 a 25 de novembro, o programa terá podcasts, festival híbrido e demais atividades. As inscrições estão abertas até o dia 28 de outubro através do formulário online.

 

Com 11 aulas online e gratuitas para todo o país, ministradas por personalidades da música e cultura brasileira como Jup do Bairro, Badsista, Ciça Pereira, Dandara Pagu, Gabriela Chaves da NoFront, Felipa Damasco, entre outras. Os alunos ainda poderão concorrer a vagas de estágio no Festival ARTI, que acontecerá em Dezembro.

 

O projeto foi pensado para viabilizar políticas de acesso e inclusão de populações vulnerabilizadas na sociedade, sendo estes os fios condutores das articulações de ambos coletivos realizadores. O projeto tem o objetivo de formar pontes para o futuro, alcançando de forma interseccional o público alvo das comunidades negra e LGBTQIA+, sendo 40% das vagas destinadas a transexuais e travestis.

 

O Circuito Arti é um dos projetos contemplados pelo Edital Natura Musical 2020, ao lado de nomes como Linn da Quebrada, Bia Ferreira, Juçara Marçal, Kunumi MC, Rico Dalasam.

 

 

 

SERVIÇO
O QUÊ: Série de formação Circuito Arti
QUANDO: 8 a 25 de novembro
ONDE: Plataforma Zoom
VALOR: Gratuito

Área desapropriada no Centro Histórico fica ao lado do Palácio Rio Branco
Foto: Divulgação / Prefeitura de Salvador

A área desapropriada pelo governo da Bahia conforme publicação no Diário Oficial da última terça-feira (19) corresponde a um trecho contíguo ao Palácio Rio Branco. Apesar da indicação inicial do governador em exercício, Adolfo Menezes (lembre aqui), o trecho alvo da desapropriação é um terreno privado, localizado entre a Rua Pau da Bandeira e a Ladeira da Montanha.

 

O ruído de comunicação foi resultado de um projeto antigo, apresentado pela gestão do governador Rui Costa, de conceder o equipamento histórico para a gestão privada, com a possibilidade de transformação da antiga sede do governo em um hotel (lembre aqui). A área desapropriada, todavia, é voltada a “um projeto de urbanização voltado à reabilitação do Centro Antigo do Município de Salvador”, de acordo com a Secretaria de Comunicação.

 

Conforme nota, a Secretaria de Turismo foi responsável pelo estudo e pelo projeto que resultou na desapropriação da área apontada no decreto. “A Secom esclarece, portanto, que o decreto não contém qualquer decisão relacionada a imóvel pertencente ao estado da Bahia”, completa a pasta.

Filme 'Marighella' terá pré-estreia no Teatro Castro Alves
Foto: Divulgação

A pré-estreia do filme “Marighella” acontece nesta segunda-feira (25), no Teatro Castro Alves. Estarão presentes, Wagner Moura, diretor do filme, Bruno Gagliasso, Bella Camero, além dos baianos que fazem parte do elenco, Maria Marighella e Ana Paula Bouzas.

 

Com estreia oficial no dia 4 de novembro, o longa conta a história dos últimos anos de Carlos Marighella, guerrilheiro que liderou um dos maiores movimentos de resistência contra a ditadura militar no Brasil, na década de 1960.

 

A produção tem com elenco os atores Seu Jorge, Bella Camero, Bruno Gagliasso, Humberto Carrão, Adriana Esteves e outros.

 

 

Sexta, 22 de Outubro de 2021 - 15:00

GastrôBahia: Tempero no Forte confirma chefs convidados da Bahia e do Brasil

por Cris Montenegro

GastrôBahia: Tempero no Forte confirma chefs convidados da Bahia e do Brasil
Chef Renato Valadares | Foto: Divulgação

Celebrando a cultura e a gastronomia, a décima quinta edição do Festival Tempero no Forte terá a presença de renomados chefs de cozinha convidados, da Bahia e do Brasil, para deixar o evento com mais glamour e sabores especiais. No time dos veteranos com cadeira cativa no festival, os chefs Isaías Neries (Parador Lumiar/RJ), que criou o Prato do restaurante do Porto da Lua Boutique Hotel e Morena Leite (Capim Santo/SP), comandando uma das aulas da Cozinha Show do festival. Um dos chefs aguardados é o consultor e pesquisador da gastronomia, Renato Valadares, titular do restaurante do Cais Rooftop Lounge, no Recife, com passagens em diversas casas em Fernando de Noronha, como o Hotel Teju-Açu e Hotel Dolphin. Caberá ao chef, criar um prato para o Restaurante Tabaréu, do resort oficial do evento, o Tivoli Ecoresort Praia do Forte. Outra presença importante também é o mixologista Lucas Santos (PE), finalista do Campari Competition 2021, que é chef de bar do Cais Rooftop Lounge.

 

Para completar os nomes, a nova safra de chefs da capital baiana, formado pelo trio Cadu Moura, um dos finalistas do reality Mestre do Sabor, que assinará um prato para a Risoteria, Yuri Alvares, do Pedra Puan, estará no Terra Brasil e Danilo Alves, do Restaurante Amado, apresentará suas técnicas e dicas durante a programação da Cozinha Show. A partir do tema ‘Pimenta’, uma homenagem à marca do festival que completa quinze edições neste ano de 2021, o evento acontece de 25 de novembro a 5 de dezembro, com Música Instrumental de qualidade e a participação de mais de 25 restaurantes de Praia do Forte e entorno. O Tempero no Forte é uma realização do Governo Federal, através do Ministério do Turismo e da Secretaria Especial da Cultura, com patrocínio do Banco do Nordeste, Ticket, Coca Cola, e apoio do Governo do Estado da Bahia, Prefeitura de Mata de São João, Turisforte, Sebrae e Senac. 

 

FPC divulga textos para marcar Semana Nacional do Livro e da Biblioteca na Bahia
Foto: Nerivaldo Goes / Divulgação

Para marcar a Semana Nacional do Livro e da Biblioteca, celebrado de 23 de 29 de outubro, a  Fundação Pedro Calmon (FPC), vinculada à Secretaria de Cultura da Bahia, compartilhará textos com dados, depoimentos e ações promovidas ao longo da última década no estado.

 

A divulgação das iniciativas e investimentos, segundo a FPC, tem o objetivo de destacar a importância da leitura, promover a participação em eventos literários e o acesso a diversas formas de manifestações artísticas e culturais.

 

Todos os textos estarão disponibilizados no site www.fpc.ba.gov.br e nas redes da instituição @fpedrocalmon. A proposta é integrar ao conjunto de ações nacionais que pautam o livro como importante instrumento de compartilhamento de conhecimento, assim como, as bibliotecas.

'Meu coração está partido', diz Alec Baldwin após morte de diretora em set de filmagem
Foto: Divulgação

O ator Alec Baldwin deu a primeira declaração pública após o incidente fatal ocorrido nesta quinta-feira (21), no set de filmagem do filme “Rust”, no Novo México, Estados Unidos. 

 

“Não tenho palavras para expressar meu choque e tristeza em relação ao trágico acidente que tirou a vida de Halyna Hutchins, esposa, mãe e colega nossa muito admirada”, disse o artista, que foi autor dos tiros da arma cinematográfica que mataram a diretora de fotografia e feriram o diretor do longa-metragem (saiba mais).

 

Na nota publicada em suas redes, Baldwin informou que está “cooperando totalmente” com a polícia para elucidar as circunstâncias da tragédia e disse que está em contato e ofereceu apoio ao marido e à família de Hutchins. “Meu coração está partido por seu marido, seu filho e por todos que conheciam e amavam Halyna”, concluiu o ator.

 


Abalado com a tragédia, ator se manifestou após incidente no set de filmagem do filme "Rust"

Sexta, 22 de Outubro de 2021 - 14:00

Giro: Live sobre educação financeira com a Turma da Mônica

por Adriana Barreto e Cris Montenegro

Giro: Live sobre educação financeira com a Turma da Mônica
O apresentador Fernando Peron irá apresentar a live

A Sicredi Expansão compreende que as crianças são o futuro do mundo e que adquirir conhecimentos, enquanto pequenos, é determinante para formar bons cidadãos. Por isso, em alusão ao mês das Crianças, será realizada, no domingo (24), das 16h às 17h, uma live especial com os clássicos personagens da Turma da Mônica, tratando de educação financeira de forma lúdica e divertida.

 

A live integra as iniciativas do projeto Imediare, que visa a promoção da educação financeira de associados e da comunidade. ”É um evento que foi pensado e criado para nossos associados, filhos e familiares, mas que está aberto à sociedade, pois o propósito é levar educação financeira para todos, como parte dos princípios cooperativistas da Educação, Formação e Informação e do Interesse pela Comunidade”, reforça a gerente de Comunicação e Marketing da Sicredi Expansão, Alexandra Alves.

 

Além de fazerem parte da infância de várias gerações, os personagens da Turma da Mônica protagonizam uma série de gibis sobre educação financeira, criados numa parceria entre o sistema Sicredi e a Maurício de Sousa Produções.

 

A live será conduzida pelo apresentador alagoano Fernando Peron, juntamente com o personagem Cebolinha. A programação também vai contar com show musical de toda a Turma da Mônica. Para participar, no dia 24, às 16 horas, basta acessar o canal da Sicredi Expansão pelo YouTube: www.youtube.com/sicrediexpansao.

Sexta, 22 de Outubro de 2021 - 13:00

Como caso Alec Baldwin, relembre outras mortes acidentais em sets de filmagem

por Folhapress

Como caso Alec Baldwin, relembre outras mortes acidentais em sets de filmagem
Brandon Lee no filme 'O Corvo' | Foto: Divulgação

A morte da diretora de fotografia Halyna Hutchins, 42, após um tiro com uma arma cenográfica durante as gravações do filme "Rust" ganhou as manchetes e fez Hollywood amanhecer em luto nesta sexta-feira (22). Apesar de trágico, no entanto, esse tipo de acidente já aconteceu antes.
 

Um dos casos mais famosos talvez seja o do ator Brandon Lee (1965-1993), filho do mestre das artes marciais Bruce Lee (1940-1973), que morreu após um tiro no estômago disparado acidentalmente por Michael Massee (1952-2016), com uma pistola que deveria estar carregada com balas de festim.
 

No filme, Lee fazia o papel do roqueiro Eric Draven, que volta à vida para vingar seu assassinato e o de sua namorada, na véspera de seu casamento, e é guiado por um corvo. As cenas finais do filme foram concluídas por dublês e amigos do ator, que tinha só mais três dias de gravações quando morreu.
 

Mais recentemente, foi o cantor de country Justin Carter que morreu após disparar acidentalmente contra si mesmo durante a gravação de um clipe. O acidente aconteceu em março de 2019, em Houston, no Texas, quando ele tirou uma arma de seu bolso e "atirou em seu olho", disse sua mãe na ocasião.
 

Outro ator morto em acidente trágico no set de filmagens foi Vic Morrow (1929-1982), que foi atingido não foi um tiro, mas por um helicóptero na gravação de "No Limite da Realidade" (1983). Ele gravava uma cena de guerra quando a aeronave perdeu o controle e a hélice atingiu ele e uma criança que estava na cena e também morreu.
 

Outros casos também já foram documentados com dublês mortos durante cenas de ação. O mais recente é o de Joi Harris, 40, morto em 2017, nas gravações do filme "Deadpool 2", em Vancouver, no Canadá. Ele era dublê da personagem Domino, interpretada por Zazie Beetz.
 

De acordo com pessoas que estavam no local, a dublê perdeu o controle da moto, que atravessou o set de filmagem e entrou pela janela de um edifício na rua. O acidente ocorreu após quatro tentativas bem-sucedidas da manobra e Harris não usava capacete. Esse era seu primeiro trabalho como dublê.
 

No mesmo ano, morreu o dublê John Bernecker, 33, após sofrer um ferimento na cabeça durante uma cena da série "The Walking Dead". Não foram informados detalhes na época, mas Bernecker era experiente, tendo atuado em "As Tartarugas Ninja: Fora das Sombras" (2016) e "Jogos Vorazes: A Esperança - O Final" (2015).
 

O caso de Alec Baldwin está sendo investigado pela polícia, mas é apontado como acidental, e também deixou o diretor do filme "Rust", Joel Souza, 48, ferido. Souza já recebeu alta do hospital e Baldwin chegou a ser visto aos prantos, bastante abalado após o acidente.
 

"Estamos tentando determinar agora como e que tipo de projétil foi usado na arma de fogo", disse Juan Rios, porta-voz do Gabinete do Xerife do Condado de Santa Fé. Ainda não está claro se a pessoa que carregou a arma por engano colocou balas dentro ou se algo se alojou no cano.

Itacaré: Targino Gondim comanda Esquenta Festival de Forró em novembro
Foto: Juliana Cardoso / Usina de Fotos

A bordo da Rural Elétrica, o cantor, compositor e sanfoneiro Targino Gondim comanda o Esquenta Festival de Forró em Itacaré, no Litoral Sul baiano, nos dias 13 e 14 de novembro, a partir das 20h. 

 

O evento, que é uma prévia do festival realizado no local em abril, com direito a comidas e bebidas típicas de São João, contará com apresentações de nomes como Flor Serena, Rafael Zalela, Trio Baianado, Marcos Abaaga, Aran, Trio Marines e os Bahiunos.

 

Toda programação do festival é gratuita e aberta ao público.

 


SERVIÇO
O QUÊ
: Esquenta Festival de Forró de Itacaré
QUANDO: Sábado e domingo, 13 e 14 de novembro, às 20h
ONDE: Rua da Pituba - Itacaré - BA
VALOR: Grátis

Cinemateca: Governo não quer responsabilidade por atestado dos bombeiros 
Foto: Divulgação

O governo Bolsonaro e o Ministério Público Federal (MPF) não ainda não chegaram a um consenso sobre a situação da Cinemateca Brasileira. 

 

De acordo com informações da coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo, durante audiência de conciliação com representantes da Secretaria Especial da Cultura (Secult) e o MPF, nesta quarta-feira (20), o governo federal se negou a assumir diretamente a responsabilidade pela obtenção do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) do equipamento cultural. O documento em questão é obrigatório e atesta que os edifícios são seguros contra incêndio.

 

Ainda segundo a publicação, a União alega que a tarefa exigirá esforço técnico e burocrático e diz que a incumbência deve ser da organização que assumir a gestão do espaço. A assunto voltará a ser discutido em um próximo encontro entre governo federal, Secult e MPF.

 

Representantes da sociedade civil que estiveram presentes na audiência de quarta, relataram à coluna que alertaram sobre o risco de incêndios e lembraram do incidente que ocorreu em um depósito da Cinemateca em julho deste ano.

Botequim se manifesta sobre ‘preços exorbitantes’ cobrados por bebidas em evento
Foto: Reprodução / Facebook

O Grupo Botequim divulgou um comunicado oficial, nesta quinta-feira (21), para rechaçar os preços cobrados pelas bebidas na última edição de sua tradicional roda de samba, realizada no último fim de semana, no pátio da Igreja do Santo Antônio Além do Carmo, no Centro Histórico de Salvador. 

 

Destacando que a proposta do grupo sempre foi “levar o samba tradicional a todos os locais e a todos os públicos, de forma honesta, simples e sobretudo popular”, o grupo disse ter sido surpreendido com “os preços exorbitantes” das bebidas cobrados pela empresa que arrendou o bar da paróquia, além da venda de apenas uma marca de cerveja. 

 

“Queremos vir a público comunicar que não concordamos com essa prática de preços abusivos e que isso não tem a ver com a filosofia do grupo. Em razão disso, iremos dialogar com os representantes da Paróquia a fim de  encontrar uma outra solução para o bar, para que no próximo samba, em novembro, tenhamos preços justos e diversidade de bebidas, e assim o nosso público possa sambar e se divertir à vontade, sem reclamações, como sempre foi em nossas rodas”, informou o Botequim.

Sexta, 22 de Outubro de 2021 - 09:50

Caetano Veloso ataca Bolsonaro e celebra amores carnais em seu novo álbum

por Claudio Leal | Folhapress

Caetano Veloso ataca Bolsonaro e celebra amores carnais em seu novo álbum
Foto: Fernando Young / Divulgação

João Gilberto surge no centro do enigma de "Meu Coco", o novo álbum do compositor Caetano Veloso, disponível nas plataformas digitais. Em 1971, então exilado em Londres, Caetano regressou ao Brasil a convite do gênio da bossa nova para gravar um programa na TV Tupi junto com Gal Costa. No hotel, João falou do Brasil em tom poético. "Nós somos diferentes, Caîtas. Nós somos chineses."
 

Assumida pelo músico como "nave-mãe" do disco, o ponto de partida das demais canções, "Meu Coco" absorveu a frase enigmática de seu mestre. "Joao Gilberto falou/ E no meu coco ficou/ Quem e, quem es e quem sou?:/ 'Somos chineses'."
 

O álbum dobra a aposta do tropicalista no país e encontra nos mitos nacionais e na formação negro-luso-indígena as razões de seu otimismo com essa espécie de China tropical. "O disco é todo de afirmação, mas está, na verdade, dentro de um momento de negação do que pode haver de bonito no Brasil", diz o músico, em entrevista pelo Zoom. "Embora não haja um tom irônico explícito no disco, a situação em si contém uma ironia."
 

Os quase dois anos de tristeza política e pandêmica não alteraram essa crença. "Você sabe que eu acho que o Brasil é uma oportunidade. É um país um tanto peculiar. E é muito grande. É peculiar e muito grande", ele se empolga, relembrando os momentos decisivos da mensagem brasileira ao mundo.
 

"Seja Pelé no futebol, no futebol que se desenvolveu naquele período em que Nelson Rodrigues viu como superação do vira-latismo. Ou a bossa nova, quando João Gilberto impressiona as pessoas nos Estados Unidos, quando Tom Jobim se torna um dos músicos mais importantes do mundo. Quando você vê Glauber chegar aos festivais da Europa e causar daquela maneira. Parecem esboços de uma coisa que o Brasil contém e que poderá, deverá fazer. Quase que uma aceitação de um dever que a oportunidade apresenta à gente."
 

As 12 faixas de "Meu Coco" articulam profecia, nomes --muitos nomes--, amores carnais e leituras do mundo e da cultura brasileira. Sua linha profética surge em "Meu Coco" e "Enzo Gabriel", enquanto a canção-ensaio "Anjos Tronchos" reflete sobre a ascensão macabra de "palhaços líderes" e ilumina as utopias dentro da distopia digital. Com cara de hit, "Não Vou Deixar" enfrenta o desmonte de seu projeto Brasil nos anos Bolsonaro.
 

As três canções românticas não se distanciam do eixo organizador do álbum. Em "Ciclâmen do Líbano", suaviza o canto árabe. A beleza negra é soberana em "Pardo" --antes gravada por Céu--, de sugestão homoerótica, e "Cobre", de "tua pele e o cobreado/ da Bahia de nos dois/ grei de escravizados e opressores/ reis do estado que vira depois".
 

O afeto de avô colore "Autoacalanto", dedicada a seu neto Benjamin, um alento nos meses de isolamento social. A revisão crítica de nossa cultura, uma marca de sua obra, comparece em "Gilgal" e "Sem Samba Não Dá". No meio de amores e presságios, há o fado "Você-Você", dividido com a cantora portuguesa Carminho.
 

A pedido de Maria Bethânia, sua irmã, "Noite de Cristal" foi cantada pelo músico numa live e agora fecha o disco. "Mas eu miro teu cristal/ e vejo e peco dias/ de outras cores,/ alegrias/ para mim/ pra o meu amor/ e meus amores".
 

Em Salvador, no verão anterior à pandemia da Covid-19, Caetano Veloso já entoava os versos de "Meu Coco" e se preparava para incorporar os dançarinos do Balé Folclórico da Bahia à definição de seu timbre. No Rio de Janeiro, trancado em casa por mais tempo do que o previsto, recalculou a rota inicial e entrou em estúdio acompanhado pelo músico e técnico de som Lucas Nunes, da banda Dônica. Com a guitarra de Pedro Sá e o sintetizador de Nunes, "Anjos Tronchos" é a única faixa que remete à sonoridade dos três álbuns do ciclo de "Cê".
 

"Anjos Tronchos" autoriza um paralelo entre seu olhar recente sobre os fenômenos tecnológicos e a velha preocupação de Gilberto Gil, seu irmão tropicalista.
 

"Gil tinha mais interesse por esse tema do que eu. Ele escreveu muitas coisas sobre esses negócios desde aquele período [do tropicalismo] e ao longo dos anos. E eu, não. Fiquei mais interessado agora. Foi meio surpreendente pra mim o negócio dos 'anjos tronchos no Vale do Silício'. Não uso muito internet, não tenho smartphone, não vejo rede social, não estudo o assunto." Apesar disso, as ideias brotaram e originaram uma canção densa.
 

No álbum, Caetano reafirma sua visão integradora do mito negro Zumbi dos Palmares à princesa Isabel, que promoveu a abolição da escravidão, em 1888. É como se ressoasse um refrão de seu disco com Jorge Mautner, em 2002 -"Zabé come Zumbi/ Zumbi come Zabé". "Não é conciliação", ressalva o tropicalista. "É uma dialética necessária, que o Brasil tem que assumir. Zabé come Zumbi, Zumbi como Zabé. Então, o final de 'Meu Coco' é Zumbi com Zabé."
 

A colaboração de Márcio Victor, da banda de pagode Psirico, contribuiu para a força percussiva do álbum. "Eu, primeiro, não pensei necessariamente em percussão. Podia ser até eletrônico, tanto que a levada da canção 'Meu Coco' é dura, propositadamente dura, com um corte do riff rítmico. Eu tinha vontade de fazer um negócio que soasse estranho", diz Caetano, outra vez próximo da sonoridade de "Livro", de 1997, e "Noites do Norte", de 2000.
 

"Terminou a percussão tendo uma presença maior. Ficou mais parente do 'Noites do Norte' do que do disco mais artificioso que eu pensava em fazer antes da pandemia começar."
 

Caetano elogia o arranjo orquestral de "Meu Coco", assinado por Thiago Amud, compositor além de tudo afinado com o batimento sebastianista da canção. Para o disco, ele também convocou antigos colaboradores, como Vinícius Cantuária --ex-integrante de A Outra Banda da Terra, grupo que o acompanhou entre 1978 e 1983--, o maestro Jaques Morelenbaum e o baterista Marcelo Costa. Pretinho da Serrinha, presente em três faixas, então o provocou. "Mas não tem um samba em seu disco pra eu tocar?", perguntou. Da pergunta nasceu "Sem Samba Não Dá".
 

O fraseado de briga amorosa de "Não Vou Deixar" tem um sentido político explícito ao alvejar os retrocessos do governo Jair Bolsonaro. "Nao vou deixar, nao vou, nao vou deixar voce esculachar/ com a nossa historia/ é muito amor, e muita luta, e muito gozo, e muita dor/ e muita gloria."
 

Ao comentar a canção, Caetano expõe uma leitura diferente da ascensão da extrema direita em vários países. "O que eu vejo nisso, também, é uma demonstração de uma certa fragilidade do conservadorismo. Porque eles eram a maioria silenciosa. Não podem mais ser silenciosos, não querem mais e não podem mais. É perigoso, muita turbulência tem acontecido e acontecerá, mas uma vitória de uma atitude conservadora no mundo que seja estável não é possível".
 

Apoiador da candidatura presidencial de Ciro Gomes, em 2018, o músico afirma que não se sente bem com os atuais ataques do pedetista ao ex-presidente Lula. "Não me parece que venha a ser tão eficaz como ele e talvez João Santana pensem. E, depois, não me agrada a agressividade contra Lula, porque Lula é uma figura na história do Brasil que eu não consigo não admirar e não sentir afeto. Tem uma beleza nessa manifestação da maioria do povo brasileiro de querer elegê-lo."
 

Caetano faz, entretanto, uma ponderação. "Isso não quer dizer que a melhor coisa que poderá acontecer com o Brasil será Lula voltar à presidência. Não sei. Há um pouco de volta ao passado, gostaria que o Brasil desse passos pra frente. Mas o tom do Ciro nesse último período a mim não me agradou."
 

"Enzo Gabriel", o nome e a canção, enfeixa seu fascínio duradouro pelo futuro do país. "Foram batizados muitos milhares de brasileiros com esse nome 'Enzo Gabriel'. Então eu pergunto qual será o seu papel na salvação do mundo?", ele conta. "A gente está passando por um período difícil, que nega muito tudo o que pode ser bonito numa canção ou na vida. E, quando a pergunta vem, é feita por um eu lírico que ainda está ligado à ideia de missão salvacionista do Brasil."

 

Ouça o disco:

Festival reúne blues, jazz, rock, gastronomia e cervejas artesanais em Salvador
Foto: Divulgação

Salvador recebe, no dia 11 de dezembro, o Pilser Fest, evento que reúne gastronomia, cervejas artesanais, blues, jazz e rock. O festival será realizado na área verde da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB), em Piatã, das 17h à meia noite.

 

A programação musical ficará por conta das bandas Apettitte for Illusion, cover do Guns N’ Roses; Funk the Bump, cover do Red Hot Chili Peppers; e Crooners, comandada por Rodolfo Pamplona.

 

Para os cervejeiros, o evento contará com a participação de marcas conhecidas pelos baianos como a Feyh Bier, Cervejaria Híbrida e a Adorada Bier. A gastronomia, por sua vez, será variada, com food trucks de comida de rua como hambúrgueres e pizzas, mas também pratos regionais, a exemplo de acarajé, sarapatel e frutos do mar. 

 

A decoração da festa terá tema retrô, com elementos garden, luzes amarelas, tambores e tonéis, mesas de pallet, couro e instrumentos musicais. A proposta do evento é proporcionar um clima despojado e radical, que evoca a alma rebelde do rock’n’roll. O local terá ainda um “espaço instagramável” para aqueles que gostam de registrar suas experiências nas redes sociais.

 


“WORKCHOOP”

Antes do evento principal, das 13h30 às 17h, a área verde da AABB sediará um workshop organizado pela Bahia Malte para um público menor interessado em conhecer o universo da cerveja artesanal. Durante a atividade, os participantes poderão aprender como fazer cerveja em casa, e aqueles que optarem poderão ficar para o Pilsen Fest.

 

 

SERVIÇO
O QUÊ:
Pilser Fest Salvador
QUANDO: Sábado, 11 de dezembro, às 17h
ONDE: AABB - Rua Dep. Paulo Jackson, 869 - Piatã - Salvador (BA)
VALOR: R$ 50 a R$ 150, mais taxas (clique aqui)

Alec Baldwin atira com arma cenográfica e mata diretora nas gravações do filme 'Rust'
Foto: Reprodução / Instagram

Com uma arma cenográfica no set de gravações do filme “Rust”, o ator Alec Baldwin desferiu tiros que mataram uma pessoa e deixaram outra ferida, nesta quinta-feira (21), nos Estados Unidos.

 

"O gabinete confirma que os dois indivíduos baleados no set de 'Rust' foram a diretora de fotografia Halyna Hutchins, 42, e o diretor do filme, Joel Souza, 48, atingidos quando uma arma cenográfica foi disparada pelo ator e produtor Alec Baldwin", diz comunicado divulgado pelo gabinete do xerife do condado de Santa Fé, no Novo México.

 

De acordo com informações do G1, a diretora chegou a ser socorrida e levada de helicóptero ao hospital da Universidade do Novo México, mas não resistiu aos ferimentos. Joel Souza, por sua vez, foi levado de ambulância ao centro médico Regional Christus St, e, segundo a atriz Frances Fischer ele já recebeu alta. Apuração do site Deadline aponta que o diretor foi atingido no ombro.

 

Apesar das informações preliminares, o porta-voz do centro médico, Arturo Delgado, alegou que não estava autorizado a divulgar informações sobre os pacientes.

 

A polícia informou que o disparo ocorreu durante uma cena, mas ainda não foi confirmado se em um ensaio ou nas gravações, de fato. "Detetives estão investigando como e que tipo de munição foi disparado", afirmaram as autoridades policiais, que paralisaram a produção do filme para interrogar testemunhas do incidente.

 

Segundo o Deadline, Alec Baldwin já foi interrogado e liberado, mas ele e a produção ainda não se pronunciaram sobre o ocorrido. O jornal local "Santa Fe New Mexican" publicou que o artista foi visto "perturbado e em lágrimas", durante chamada ao telefone, depois de depor na delegacia.

Sexta, 22 de Outubro de 2021 - 00:00

Com 'obras avançadas', Memorial das Baianas deve reabrir em dezembro após reforma

por Jamile Amine

Com 'obras avançadas', Memorial das Baianas deve reabrir em dezembro após reforma
Foto: Abam

A prefeitura de Salvador prevê entregar o Memorial das Baianas reformado ainda neste ano. Nesta quarta-feira (20) completaram dois meses da assinatura da ordem de serviço para a recuperação do equipamento cultural, localizado na Praça da Sé, no Centro Histórico de Salvador. O documento assinado pelo prefeito Bruno Reis finalmente marcou o fim do imbróglio burocrático envolvendo a liberação da verba federal que atrasou o início da reforma (relembre) e agora os trabalhos estão em andamento.

 

“A obra de recuperação do Memorial das Baianas, executada pela Superintendência de Obras Públicas – Sucop –, está prevista para ser concluída no mês de dezembro”, informou a autarquia, segundo a qual “a obra está avançada, faltando ser realizado apenas as instalações de revestimento, como pintura”. Segundo a Sucop, até o momento o memorial já passou por “alteração de layout e paisagismo”, além de “serviços estruturais como impermeabilização, revestimento e instalações elétricas, hidráulicas e hidrossanitárias”.

 

Com o orçamento de R$ 384 mil da União, via emenda parlamentar do deputado Márcio Marinho, o projeto de recuperação desenvolvido pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF) prevê intervenções da cobertura, complementação em laje pré-moldada, melhorias no revestimento das paredes, no piso e nos forros, além de pintura, instalação de esquadrias de madeira, metálica e vidro.  

 

EXPECTATIVA PARA RETOMADA


Imagem do memorial em 2019 | Foto: Jamile Amine / Bahia Notícias

 

O Memorial das Baianas foi inaugurado em 2009, com o objetivo de preservar a tradição e a história das baianas do acarajé, ofício registrado como patrimônio cultural brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). 

 

Fechado desde 2020, em virtude da pandemia da Covid-19, o museu viu acelerar o processo de degradação que já vinha ocorrendo ao longo dos anos, após uma série de arrombamentos e roubos, além de danos causados por agentes naturais (saiba mais).

 

Com o início da revitalização, a esperança para voltar a abrir as portas e receber os visitantes se renovou, apesar de ainda não ser possível visualizar em primeira pessoa o avanço da reforma. “A obra está lá, como eles botaram tapumes e fecharam tudo, a gente não sabe como está acontecendo”, comentou Rita Santos, coordenadora da Associação das Baianas de Acarajé e de Mingau (Abam). 

 

“Verão chegando, a praça fica lotada o dia inteiro, mas com os tapumes fica bem apertadinho. E outra, a gente está no aguardo desde março de 2020 sem trabalhar. Está difícil, então a gente está na expectativa”, pontuou a líder da categoria, revelando que após o início das obras precisou mudar de endereço, mas segue de perto, observando tudo. “Saímos de lá no finalzinho de agosto, estou funcionando inclusive em uma sala alugada no Edifício Themis, em frente ao memorial, para estar atendendo às baianas”, explicou.

 

O fato é que Rita, as demais baianas de acarajé e os turistas vão precisar conter a ansiedade e esperar até dezembro. Isto porque, segundo a Sucop, “apesar da proximidade da entrega, a abertura antes da finalização da intervenção não será possível”.

MAM anuncia 'Oficinas de Arte da Pinacoteca do Beiru para Crianças' até dezembro
Foto: Isabel Gouvêa

O Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA) anunciou nesta quinta-feira (21),  a realização das ‘Oficinas de Arte da Pinacoteca do Beiru para Crianças’. Com início neste domingo (24), as oficinas acontecerão de 15 em 15 dias até o mês de dezembro de 2021.

 

As oficinas serão ministradas pela a ‘Pinacoteca do Beiru’ através da atuação do artista visual Anderson AC e da produtora cultural e gestora do espaço Juliana Freire. A atividade acontece na Galeria 3 do museu, respeitando todos os protocolos de segurança.

 

Qualquer criança pode participar das oficinas, o acesso é gratuito e é obrigatório o uso de máscara para adultos e crianças. A entrada e o estacionamento no MAM-Bahia são gratuitos.

 

 

Quinta, 21 de Outubro de 2021 - 19:00

Giro: 13 anos do Shopping Paseo

por Adriana Barreto e Cris Montenegro

Giro: 13 anos do Shopping Paseo
Joaquim Correia de Melo Neto, gerente geral do Paseo

O clima de festa vai tomar conta do Shopping Paseo, nesta quinta-feira, dia 21 de outubro, a partir das 18h. Em comemoração aos 13 anos do empreendimento, os clientes terão um final de tarde especial, com muita música a céu aberto. O som vai ficar por conta do músico Alexandre Leão, cantor e compositor baiano que já teve suas canções gravadas por diversos artistas renomados como Maria Bethânia, Ivete Sangalo, Rosa Passos e Margareth Menezes. O evento será aberto ao público.

Inscrições para eleição do Conselho de Política Cultural segue até próxima quarta-feira (27)
Foto: Ascom FGM / Marta Galdino

As inscrições para o processo eleitoral do Conselho Municipal de Política Cultural do Salvador (CPMC), biênio 2022-2024, seguem até o dia 27 de outubro. Os interessados em participar do pleito podem se inscrever através do site www.eleicoescmpc.salvador.ba.gov.br.


Para se inscrever no processo, o candidato precisa ser residente de Salvador, ter idade mínima de 18 anos e ter atuado há pelo menos três anos na área cultural. Já para participar da votação, o eleitorado também precisa ser residente da cidade de Salvador e ter idade mínima de 16 anos.


Os eleitores podem realizar as inscrições até o dia 11 de novembro. As eleições são voltadas para a escolha de conselheiros titulares e suplentes no Conselho Municipal de Política Cultural do Salvador (CPMC) para os dez segmentos e dez territórios culturais.


O mandato terá a duração de dois anos, iniciando em janeiro de 2022 e sendo concluído em janeiro de 2024. Serão eleitos representantes e suplentes de linguagens artísticas e dos segmentos culturais: artes visuais, audiovisual, circo, culturas identitárias e inclusivas, cultura popular; dança, literatura, música, patrimônio material e imaterial ou teatro, bem como representantes dos territórios formados pelas Prefeituras-Bairro de Salvador.


O CPMC visa à discussão sobre os rumos das políticas culturais do Município de interesse coletivo, bem como propor essas políticas para o desenvolvimento cultural e fiscalizar a aplicação dos recursos de orçamento da cidade para a área da cultura.

Sequência do filme 'Abracadabra', de 1993, começa a ser filmada
Foto: Reprodução

A Disney+ anunciou nesta quinta-feira (21), que a sequência do filme “Abracadabra”, teve início nesta semana em Providence, Estados Unidos. Com o retorno das atrizes  Bette Midler, Sarah Jessica Parker e Kathy Najimy, o longa está previsto para estreia na plataforma entre setembro e dezembro de 2022.

 

Segundo o Papel Pop, na sequência três jovens acidentalmente trazem as irmãs Sanderson para a Salem dos dias modernos e devem descobrir como impedir que as bruxas famintas por crianças causem estragos na cidade.

 

O clássico lançado em 1993 foi sucesso nos anos 90, e reprisado inúmeras vezes em canais abertos brasileiros.

 

“Agora, mais do que nunca, as pessoas precisam rir. Devíamos rir todos os dias, e é muito divertido ter essas três mulheres incríveis interpretando personagens deliciosos de um filme tão amado”, disse a diretora Anne Fletcher em um comunicado.

Dan Valente e Filhos de Jorge estarão nas comemorações dos 190 anos de Itaparica
Foto: Janesson Gonçalves

De 23 a 25 de outubro, acontece a festa de comemoração aos 190 anos de emancipação de Itaparica, promovida pela prefeitura do município. Inaugurações estão programadas e a feira Arte e Sabor estão entre as atividades, que incluem também shows de Afrodisíaco, Dan Valente e Filhos de Jorge.

 

Atividades artísticas e culturais poderão ser vistas no Largo da Kitanda seguindo os protocolos sanitários. Este é um evento teste com entrada controlada com a comprovação das duas doses da vacinação, respeitando os decretos sanitários.

 

O primeiro dia começa com uma feira de agricultura familiar. Na sequência, a programação conta com apresentação de capoeira e samba de roda, Feira de artesanato e um Festival de Hip Hop que contará com DJ, poesia, grupo de dança, batalha de Mc 's, apresentações musicais e festival de grafite. O dia termina com pocket show da artista drag Petra Peron e apresentação do Afrodisíaco com a voz de Pierre Onassis.

 

A Feira de artesanato e o Festival de Hip Hop seguem no domingo com a realização do show do cantor Dan Valente e o Kamps DJ. A data da emancipação da cidade, a segunda-feira (25), conta com um ato cívico, a apresentação da artista de Itaparica que participou do The Voice, Clara Cintra e o show de Filhos de Jorge. As comemorações serão organizadas pela Prefeitura de Itaparica com o apoio do Governo do estado da Bahia, por meio da Bahiatursa e a CAR.

 


 
SERVIÇO
O QUÊ: Comemoração aos 190 de emancipação de Itaparica
QUANDO: 23 a 25 de outubro
ONDE: Largo da Kitanda
VALOR: Gratuito, mediante comprovação das duas doses da vacinação

Últimos dias: Exposição '17 ODS Para um Mundo Melhor' segue até sábado em Salvador
Foto por Ulisses Dumas

A exposição “17 ODS para um Mundo Melhor“ segue aberta ao público até este sábado (23), em sua última semana, na Praça Cairu, em Salvador. A mostra gratuita conta com 18 esculturas de globos terrestres ilustradas por artistas convidados, inspirados nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), criados pela Organização das Nações Unidas (ONU).

 

A exposição apresenta 18 globos terrestres, com 1,8m de altura cada, utilizados como suporte tridimensional para a criação artística. Tendo como disparador o plano global da ONU, um seleto grupo de artistas se apropriou da superfície dos globos para suscitar questões sociais, ambientais e econômicas, pautadas pelos 17 ODS. Entre as temáticas abordadas, estão Educação de Qualidade, Redução das Desigualdades, Igualdade de Gênero, Fome Zero, Agricultura Sustentável, Água Potável e Saneamento.

 

Artistas renomados, das mais variadas vertentes, foram convidados a utilizar os globos como suporte. Além de Menelaw Sete, Alexandre Truff, Mundano, Beatriz de Carvalho, Fabiano Al Makul, Priscila Barbosa, Maramgoní, Fernanda Eva, Pomb, os arquitetos Marcelo Stefanovicz e Consuelo Cornelsen, Giovanna Nucci, Binho Ribeiro e o coletivo SHN assinam as criações.

 

17 ODS para um Mundo Melhor conta com o apoio do Ministério do Turismo, através da Secretaria Especial de Cultura, e apoio local da Saltur, Fundação Gregório de Mattos (FGM) e Secretaria Municipal de Cultura e Turismo. O patrocínio é do grupo Colgate-Palmolive e iniciativa da Toptrends, empresa especializada em unir marcas e causas através do marketing cultural, entre seus cases, a exposição CowParade Salvador.

Histórico de Conteúdo