Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quarta, 01 de Dezembro de 2021 - 09:35

Moro enganador: cuspiu na lei e ninguém faz nada

por Alex da Piatã

Moro enganador: cuspiu na lei e ninguém faz nada
Foto: Divulgação

"Eu tinha um plano quando estava no ministério, saí faz um mês. Nunca tive essas ambições pessoais nesse nível, sou uma pessoa muito mais simples." 

 

 "Não, jamais. Jamais. Sou um homem de Justiça e, sem qualquer demérito, não sou um homem da política." 

 

 "Já falei mais de uma vez: a profissão política é uma das mais belas. Nós eventualmente temos uma imagem pejorativa dela por conta de eventuais escândalos criminais, mas existem muitos bons políticos. Mas penso que precisa ter um certo perfil e, sinceramente, não me vejo com esse perfil." 

 

Todas essas frases são de uma só pessoa. Pessoa esta que desestabilizou o Brasil com suas decisões políticas. A falta de estabilidade avançou no processo eleitoral, no Estado Democrático de Direito e na economia, com a dilaceração de empresas sólidas e amplamente empregadoras.  

 

As frases são do ex-juiz Sérgio Moro. Filiado ao Podemos. Candidatíssimo à presidência da República do Brasil, baseado em um discurso fajuto e que busca ludibriar a população brasileira.  

 

Resolveu de uma hora para outra pra fazer justiça punindo a corrupção na classe política e fez na Lava Jato um grande palco onde ele era o grande protagonista. Ficou comprovado, com suas recentes posições, que todas as decisões tomadas no âmbito da incompetência jurídica que o envolvia que mirou, em primeiro, uma cadeira no Supremo, fato refutado por Bolsonaro, e agora busca o Planalto.  

 

Depois de anos, através de todo o teatro feito com apoio de parcela da mídia, ao tirar do jogo de 2018 o ex-presidente Lula, todos os fatos agora comprovam concretamente que era uma trama. Uma foi ele deixar a magistratura, da qual ele prometia jamais sair e outra de que jamais entraria na política. 

 

Dizia que as decisões suas não tinha interesse político, mas ficou claro quando deixou a magistratura, para assumir um Ministério do Governo, o qual ajudou a consolidar, ao tirar o principal concorrente do atual presidente da disputa eleitoral. Então, ficou muito claro que ele tinha interesses políticos. E o segundo fato foi a ‘Vaza-Jato’, quando conversas dos procuradores foram vazadas. Eles tramaram para construir todas as decisões.  

 

 O STF classificou todos os processos que envolvia Lula e que estavam em Curitiba com o juízo incompetente. Todos foram zerados. Cada dia que passa essa trama fica mais clara e evidente de que a intenção era promover a eleição de Bolsonaro em 2018. Moro foi o principal cabo eleitoral. Moro é o bolsonarismo, sem Bolsonaro. 

 

Minha grande dúvida e interrogação: um cidadão usa da magistratura, faz tudo isso, depois fica comprovado que tinha interesses políticos, tanto que agora é pré-candidato a presidente e nada vai acontecer?  

 

É essa a Justiça realmente no Brasil, ou seja, está comprovado que no Brasil existem pessoas acima da lei? Não acontece nada contra o então juiz, declarado suspeito, e agora ele pode surgir candidato a Presidente da República?  

 

É esse o Brasil que nós temos realmente. Ou seja: existem pessoas e classes acima da lei. A lei não está acima de tudo e de todos. É de se envergonhar perante ao mundo. Moro é um enganador. Não se confia na sua palavra como juiz, como político e nem como homem.

 

*Alex da Piatã é deputado estadual pelo PSD

 

*Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias

Histórico de Conteúdo