Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Terça, 04 de Maio de 2021 - 09:00

Carreiras UniFTC: O Futuro do Trabalho - você está acompanhando as tendências?

por Dayara Rodrigues

Carreiras UniFTC: O Futuro do Trabalho - você está acompanhando as tendências?
Foto: Divulgação

O trabalho passa por alterações profundas em três esferas: o trabalho em si, quem o faz e como são realizadas essas atividades. Atrelar essas três visões é falar do “futuro do trabalho”, e se essa leitura já te chamou atenção, parabéns! Você está acompanhando as novidades que estão chegando para a sua carreira.


Eu sei o quanto você deve estar refletindo sobre como o tempo passou acelerado. A pausa que duraria apenas algumas semanas já completou mais de 12 meses. Com ela, interações virtuais, reinvenções de locais de trabalho e várias outras inovações que chegaram com força total sem pedir licença. E as mudanças não param por aí: mal conseguimos nos instalar no home office, as tendências já pedem espaço em nossa atuação. E assim, nós profissionais, percebemos que a pandemia sim, reestruturou muitas coisas, mas tirou uma turma do comodismo e do achar que tudo seria “eterno” na carreira.


A nova realidade em que estamos inseridos se concentra, sobretudo, em torno da tecnologia envolvendo a inteligência artificial. O estudo Work 2035, realizado pela Citrix com 500 líderes C-suite e 1.000 funcionários da companhia, cita que o uso de ferramentas de Inteligência Artificial será forte interligador no processo de transformação do trabalho, no qual 82% dos líderes de negócios apontam que todas as organizações terão um Chefe de Inteligência Artificial (CAI) até 2035, trabalhando em uma equipe “homem-máquina” para otimizar as rotinas diárias e orientar as decisões de negócios. É fundamental entender que o papel da tecnologia é prover todas as ferramentas necessárias para otimizarmos o trabalho. Porém, apenas a tecnologia, sem profissionais capacitados e uma cultura organizacional que vá muito além das ferramentas, com lideranças humanizadas, colaborativas e capazes de tomar decisões equilibradas, não será capaz de desenvolver as organizações, reter talentos e atingir metas.


Nesse cenário, um personagem ganhou destaque: o profissional do futuro. Muito se discute sobre o que se espera dele diante dessa nova realidade e enquanto especialista em competência e coach de carreira posso te afirmar e tranquilizar: o futuro do trabalho precisa do profissional do futuro e ele é aquele que, além da formação acadêmica, possui comportamento, habilidades, capacidades e valores alinhados à empresa. 


O autoconhecimento profissional será algo que levará você muito longe, por isso te convido a, diariamente, em meio a situações ou no final do dia, se proporcionar o auto feedback. Em primeiro lugar, é preciso ter total clareza que o objetivo desse auto feedback é se observar. A ideia é identificar pontos em que pode melhorar e outros em que está indo bem, de modo a usá-los de maneira positiva. Portanto, jamais aplique essa técnica se julgando e utilizando uma linguagem negativa. Para facilitar, faça um exercício de perspectiva, se imagine como sendo outra pessoa que vai te dar um feedback. Afinal, quando vamos falar com os outros temos a tendência de buscar as melhores palavras para evitar magoar alguém. Contudo, esquecemos de ter esse mesmo cuidado quando se trata de lidar conosco. Então, lembre-se de ser gentil consigo mesmo ao longo de todo o processo.


 O mercado precisará daqueles que não deixam de lado a sua autorreflexão diária e suas leituras; que acompanham as mudanças da sua área, mesmo ainda em período acadêmico; que buscam realizar um networking de alto nível para aprender e modelar com quem já possui o resultado que desejam; daqueles que visam as soluções de forma positiva policiando o que pode ser tóxico para o outro; que, quando em meio ao planejamento do dia, conseguem mudar o trajeto porque sabem que a própria atividade influenciará a do colega; e acima de tudo, daqueles que possuem coragem, segurança e acreditam que se reinventar, quando for preciso, será uma das alternativas para se manter atraente e marcante profissionalmente!

 

Sim, o futuro é amplo e necessita de toda a sua capacidade para ser o mais surpreendente possível.

 
*Dayara Rodrigues é especialista em Gestão por Competência pela UFBA/BA e Coach de Carreira pelo IBC/SP. Atua como Analista de Carreiras da UniFTC Petrolina/PE e Juazeiro/BA

 

*Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias

Histórico de Conteúdo