Quarta, 17 de Outubro de 2018 - 21:10

Mulher fica paraplégica após cair da cama durante sexo

Mulher fica paraplégica após cair da cama durante sexo

Uma mulher ficou paraplégica após cair da cama enquanto fazia sexo. Claire Busby, de Maidenhead, na Inglaterra, conta que, ao tentar variar uma posição sexual, sua cama, do tipo baú, abriu-se, fazendo com que ela fosse "catapultada" ao chão, batendo a cabeça.


Segundo o Extra, a empresária explicou que estava fazendo sexo ajoelhada na parte inferior da cama quando, ao girar o corpo para mudar de posição, ocorreu o acidente.


Claire processou a fabricante da cama e pediu uma indenização no valor de R$ 5 milhões. De acordo com o processo, as duas partes da base que apoiavam o colchão não estavam corretamente fixadas e dois pés apresentavam defeito.


O fabricante do móvel se defendeu dizendo que a cama foi montada da forma correta, sem nenhum sinal de defeito. Para a empresa, não há qualquer possibilidade física de o incidente ter ocorrido como Claire relata.

Leia mais

Homens com pênis pequeno estão mais propensos a infertilidade, diz estudo

Uma pesquisa realizada por um médico da Universidade de Utah, em Salt Lake City, nos Estados Unidos apontou que homens com pênis pequeno tendem a ter problemas relacionados a fertilidade. Foram analisados 815 homens, no período de três anos, que mostraram diferenças nos resultados dos exames de fertilidade dos participantes com pênis pequeno.


De acordo com o estudo, a maioria dos homens que eram inférteis possuíam um pênis com comprimento médio de 12,4 cm, já os homens férteis tinham um membro de cerca de 13,3 cm.


Segundo o IG, o médico Austen Slade, autor da pesquisa, revela que os resultados sugerem que os homens com pênis menores que a média podem sofrer com casos mais graves de infertilidade, mas acrescenta que esse dado ainda precisa ser analisado com mais calma.

Leia mais

Justiça manda aplicativo indenizar homem 'mal avaliado' no sexo

Os desembargadores da 9ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul condenaram, por unanimidade, os aplicativos Facebook e Lulu por danos morais a um homem 'mal avaliado' por seus relacionamentos. A condenação foi de R$ 10 mil.


O relator do caso, desembargador Carlos Eduardo Richinitti, esclareceu que o aplicativo Lulu abrangia a avaliação de quesitos como aparência, humor, educação, ambição, sexo e compromisso, a partir de um questionário pré-definido. A usuária poderia escolher hashtags sugeridas pelo próprio Lulu.


De acordo com o Estadão, o autor da ação relatou que "nunca concedeu autorização para ser incluído no aplicativo" e que tentou exigir a exclusão de seu nome do cadastro, mas sem sucesso, e "foi vítima de chacotas entre amigos em razão das hashtags atribuídas a ele". Além disso, o homem alegou ser "indevida a atitude da empresa em permitir a disponibilização dos seus dados sem autorização" e que, como o aplicativo só podia ser acessado por mulheres, "ficou sabendo da notícia por meio de uma colega de trabalho, aumentando sua vergonha".

 

O magistrado destacou que, apesar do Facebook argumentar que seus termos e condições estabeleçam que alguns dados consistem em informações públicas, se aplica o Código de Defesa do Consumidor.

Leia mais

Homem com pênis biônico passa 5 dias em coma após perder a virgindade

Um homem de 45 anos passou 5 dias em coma após perder a virgindade em Manchester, no Reino Unido. 


Andrew Wardle sofre de uma anomalia congênita conhecida como extrofia da bexiga, condição que não permite que o pênis se desenvolva, apenas os testículos. Após anos convivendo com a anomalia, o britânico realizou uma operação para receber um pênis biônico. 


Depois de finalmente perder a virgindade, Wardle descobriu um problema na vesícula biliar que o fez passar cinco dias em coma.


De acordo com o IG, para ter o novo membro, o britânico precisou passar por uma cirurgia de 10 horas e ficar com o pênis transplantado ereto por 10 dias seguidos.

Leia mais

Italiano que afirma ter levado 6 mil mulheres para cama morre fazendo sexo

Um homem, conhecido como o maior playboy italiano por já ter levado mais de 6 mil mulheres para a cama, morreu fazendo sexo. Maurizio Zanfanti, 63 anos, teve um ataque cardíaco fulminante enquanto tinha relações com uma turista de 23. 


Em pânico, a mulher ligou para uma amiga, que chamou uma ambulância. Porém, quando os paramédicos chegaram, o homem já estava morto. 


De acordo com o site Meio Norte, Zanfanti dizia à imprensa que, em apenas um verão, teve relação sexual com 207 mulheres. O italiano chegou a ser reverenciado como um "mito" e um "símbolo da Riviera".

Leia mais

Sexo no casamento traz mais felicidade do que para os solteiros, revela pesquisa

A rede social adulta Sexlog realizou uma pesquisa com seus usuários e revelou que as pessoas comprometidas estão mais felizes do que aquelas que estão sozinhas. De acordo com os dados, 22% dos casais deram nota dez para a vida sexual.


De acordo com o IG, a pesquisa indicou ainda que 75% dos parceiros garantem que têm melhorado a perfomance na cama após o casamento. As regiões com maior índice de aprovação da vida sexual conjugal é no Rio Grande do Sul (83%), seguido do Amazonas (81%).


Os casais demonstraram estar bastante otimistas e dedicados em não deixar as relações sexuais caírem na rotina. Dos entrevistados, 97% acreditam que é possível apimentar a relação mesmo depois de anos de casados.

Leia mais

Disfunção erétil: Estudo indica que azeite é mais eficaz que viagra

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Atenas, na Grécia, sugeriu que os homens que consomem mais azeite tem um desempenho sexual melhor que os demais. Segundo o estudo, já foi comprovado que o azeite melhora a condição dos vasos sanguíneos e, consequentemente, a potência do homem. "O azeite e dieta mediterrânea já vêm sendo estudados há algum tempo, e o que se sabe é que o conjunto exercícios mais esta dieta melhora a saúde masculina e a disfunção erétil", diz o urologista da UNIFESP, Alex Meller.


No entanto, Meller afirma que não é possível comparar o azeite com o viagra, pois o medicamento é um tratamento pontual, já a dieta é algo que tem um efeito em longo prazo. De acordo com o IG, para o estudo fazer sentido, o especialista fala que é preciso apostar em uma mudança na alimentação e no estilo de vida, e o azeite está entre os alimentos que ajuda nesse processo.

Leia mais

Quinta, 20 de Setembro de 2018 - 21:10

Estudo revela nova forma de estimular orgasmo feminino

Estudo revela nova forma de estimular orgasmo feminino

Pesquisadores da Universidade de Michigan nos Estados Unidos revelaram que tratamentos de neuromodulação para disfunção da bexiga também influenciam positivamente as funções sexuais das mulheres.

 

De acordo com o site Womens Health Brasil, a estimulação acontece em um ponto próximo ao nervo tibial, encontrado no tornozelo. Apesar de os pesquiadores ainda não saberem ao certo como e porque isso acontece, eles acreditam que exista uma interação entre os nervos de ambas as áreas.


O estudo foi realizado inicialmente em ratos, com estímulos nos nervos do tornozelo e das regiões genitais. Após 15 a 30 minutos, houve um aumento significativo no fluxo sanguíneo vaginal, aumentando a sensibilidade da região.


Com isso, os pesquisadores também realizaram a terapia com nove mulheres que se submeteram a 12 sessões de meia hora de estímulo. O resultado foi que oito delas relataram uma excitação mais intensa, melhora na lubrificação vaginal ou capacidade de atingir novamente o orgasmo.

Leia mais

Orgasmômetro: Pesquisadores criam escala para medir orgasmo feminino

Um estudo publicado na revista Plos One mostra uma pesquisa sobre a intensidade do orgasmo para entender os fatores que os influenciam. Com isso, pesquisadores italianos criaram uma escala que pudesse medir se o orgasmo foi suave ou intenso.


O orgasmômetro tem o objetivo de mostrar se a disfunção sexual feminina era acompanhada de um orgasmo menos intenso. A pesquisa foi realizada com 526 mulheres, de 19 a 35 anos, que responderam uma série de perguntas voltadas ao sexo, como por exemplo, se sofriam algum tipo de disfunção.


As mulheres responderam sobre a intensidade do orgasmo que estavam acostumadas a experimentar, com base no orgasmômetro. A intensidade poderia variar de zero (para as que tem um orgasmo parado), até dez (para as que tem orgasmo intenso).


De acordo com o IG, o resultado da pesquisa mostrou que mulheres com disfunção tem orgasmos menos intensos. Outro dado encontrado foi que a frequência de masturbação está relacionada a intensidade do orgasmo, assim como a lubrificação e a satisfação com a atividade sexual.

Leia mais

Mulher morre de overdose após fazer sexo oral em médico que a tratava

Uma mulher, de 38 anos, morreu de overdose ao fazer sexo oral no médico Andreas David Niederbichler, de 42. De acordo com o site “Bild”, a denúncia foi feita pelo pai da vítima. O pai afirma que a filha, a cabeleireira Yvonne M, não sabia que o médico colocou cocaína no pênis. O médico tratava a cabelereira de tendinite e acabaram tendo um caso.

 

O médico a operou por duas vezes e prometeu para a família que iria curá-la da doença. O pai ainda disse que se ela tivesse morrido em um acidente, poderia lidar com a situação, mas não consegue por conta das circunstâncias da morte. Andreas trabalhava como cirurgião de mãos em uma clínica de Halberstadt, na Alemanha. Ele foi preso. De acordo com investigação, o médico já tinha posto cocaína no pênis durante sexo com outras duas mulheres. Nenhuma delas morreu.

Leia mais

Histórico de Conteúdo