Tesouro terá que 'alocar recursos' para compensar fim do DPVAT no SUS, diz Mandetta
Foto: Erasmo Salomão/MS

Na avaliação do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o orçamento do Sistema Único de Saúde (SUS) não sofrerá impactos com a extinção do Seguro DPVAT (Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre). O gestor destacou que o valor mínimo constitucional garantido para a pasta vai impedir que haja redução no atendimento.

 

“A saúde é financiada pelo que chamamos de mínimo constitucional. Por isso, se perdemos uma fonte como o DPVAT, o próprio Tesouro vai alocar recursos de outras fontes para garantir que esse mínimo seja mantido”, explicou o ministro da Saúde nesta quarta-feira (13), durante participação no 15º Encontro Nacional de Aleitamento Materno e 5º Encontro Nacional de Alimentação Suplementar Saudável, no Rio de Janeiro.

 

O presidente Jair Bolsonaro anunciou a extinção do DPVAT nesta segunda-feira (11) por meio da Medida Provisória 904. A extinção vale a partir de 2020 (leia mais aqui).

Histórico de Conteúdo