Quinta, 07 de Novembro de 2019 - 11:10

Recursos insuficientes tornam secretários municipais de saúde 'gestores do desafio'

por Bruno Leite / Jade Coelho

Recursos insuficientes tornam secretários municipais de saúde 'gestores do desafio'
Foto: Priscila Melo / Bahia Notícias

O papel dos secretários municipais de saúde como gestores do SUS foi apelidado de “gestão do desafio” por Stela Souza, Presidente do Conselho Estadual dos Secretários Municipais da Bahia (Cosems). Para ela, que é responsável pela pasta no município de Itaparica, a lista de dificuldades enfrentadas pelos gestores se perde de vista, mas o problema começa pelos recursos. “O desafio é que o recurso nunca é suficiente”, disse categoricamente Stela.

 

Também diretora do Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), ela destaca que os gestores são obrigados a lidar com o “subfinanciamento da saúde”, e que à frente do Consems luta para ouvir as demandas do municípios e buscar respostas junto à Secretaria Estadual de Saúde da Bahia (Sesab) e ao Ministério da Saúde (MS).  

 

O combate ao mosquito Aedes aegypti, o crescimento de 685% nos casos prováveis de dengue em comparação com 2018 na Bahia e as medidas e estratégias para lidar com esses problemas também foram citados por Stela Souza. O alto índice de casos foi considerado por ela como perigoso. “Esse aumento mostra que nós estamos em uma curva muito perigosa”, avaliou a titular do Cosems.

 

A presidente do Cosems também lamentou os baixos estoques de larvicida e inseticida com que os municípios tem tido que lidar. Os produtos auxiliam no combate ao Aedes aegypti, que transmite a dengue, zika e chikungunya. “A gente está tendo alguns problemas com falta e redução de larvicida, o Ministério [da Saúde] está com dificuldade de passar”, atribuiu. 

 

Durante a entrevista Stela Souza ainda comentou sobre a dificuldade de atingir metas de vacinação, o desabastecimento da vacina pentavalente, a autonomia dos municípios, o programa Mais Médicos e o Médicos pelo Brasil e o óleo que atinge a costa do Nordeste. Clique aqui e confira a entrevista completa na coluna Saúde.

Histórico de Conteúdo