Mais de mil municípios brasileiros recebem profissionais do Mais Médicos
Foto: Sesab

Mais de mil municípios recebem a partir desta segunda (24) mais de 1,9 mil profissionais selecionados para o Mais Médico. Segundo o Ministério da Saúde, o reforço beneficiará mais de 6 milhões de pessoas que vivem nas áreas mais vulneráveis do Brasil.

 

Algumas delas com histórica dificuldade de acesso, caso de localidades ribeirinhas, fluviais, quilombolas e indígenas. Os profissionais selecionados terão até o dia 28 de junho para comparecer aos municípios e iniciar as atividades nas unidades de saúde.

 

A seleção priorizou a participação de profissionais “formados e habilitados com registro do Conselho Regional de Medicina (CRM)”, preferencialmente “com perfil de atendimento para a Atenção Primária”. Para tanto, o Ministério da Saúde estabeleceu “critérios de classificação, como títulos de Especialista e/ou Residência Médica em Medicina da Família e Comunidade”. Para acessar a lista dos municípios contemplados pelo programa Mais Médicos, clique aqui.

 

Número de mortes por dengue no país em 2019 já é o dobro do registrado em 2018
Foto: Divulgação

O Ministério da Saúde confirmou 596,38 mil casos de dengue neste ano, até o dia 10 de junho. O número de casos prováveis da doença, ou seja, ainda não confirmados, é ainda maior: 1,127 milhão. Em relação a 2018, houve um salto nos casos de dengue no país. No mesmo período do ano passado, eram 173,63 mil casos prováveis.

 

O número de mortes por dengue em 2019 é mais do que o dobro de 2018, com registro de 366 mortes. Em 2018, foram registradas 139 mortes. "Observa-se aumento da taxa de letalidade no grupo de faixa etária acima de 60 anos, o que corresponde a 51,3 % (188) do total de óbitos do país", diz o ministério, no boletim epidemiológico da Semana 23.

 

O maior número de casos de dengue tem sido registrado em Minas Gerais e São Paulo nas últimas semanas, com 96,5% do total de casos observados no Brasil (774,28 mil) dentro do período. Em 2019, até 10 de junho foram registrados 65,83 mil casos prováveis de chikungunya no país. Além disso, houve 15 mortes (1 na Bahia, 13 no Rio de Janeiro e 1 no Distrito Federal).

 

No mesmo período, foram 6,53 mil casos prováveis de zika registrados pelo ministério, ante 5,09 mil casos no mesmo intervalo de 2018. Não há mortes confirmadas por zika. Entre as gestantes, houve 1,68 mil casos prováveis, dos quais 299 foram confirmados: 39,4 % (118) dos casos confirmados foram registrados no Rio de Janeiro, seguido do Espírito Santo com 16,7 % (50), Minas Gerais com 8,3 % (25), Alagoas com 6,3% (19), Mato Grosso do Sul com 4,0% (12), Paraíba com 3,6% (11) e Mato Grosso com 3,3% (10).

Pesquisa do Ministério da Saúde revela que um a cada cinco motoristas usam celular ao dirigir
Foto: EBC

Uma pesquisa do Ministério da Saúde indica que um em cada cinco motoristas admite o uso do celular ao dirigir. A pesquisa ouviu mais de 52 mil pessoas. O total de multas entre janeiro e março aumentou 24% na comparação de 2019, com o mesmo período do ano passado.

 

A infração, atualmente, é considerada gravíssima. O descumprimento da norma representa perda de sete pontos na carteira e multa de R$ 293,47. Até 2016, dirigir usando o celular era uma infração média. De acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), usar celular enquanto dirige aumenta em 400% o risco de acidentes. Digitar mensagem reduz muito o tempo de reação. As multas por usar celular ao volante, no entanto, seguem aumentando.

 

De janeiro a março deste ano, foram 372,3 mil multas em todo o Brasil. O crescimento foi de 24% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registradas 300.087 multas. Os dados são do Denatran.

Médico faz alerta sobre soluções caseiras que podem agravar ferimentos por queimaduras
Foto: Divulgação

No período das festas juninas aumentam os casos de acidentes com fogo, que podem provocar queimaduras leves, medianas e graves. Diante disto, o médico Guilherme Lazzari fez um alerta sobre as soluções caseiras, além de destacar a importância dos primeiros socorros e da rapidez do atendimento à vítima.


“A primeira atitude a ser tomada é levar a vítima para a unidade de saúde mais próxima. Caso não seja possível deslocá-la de imediato, é preciso ter muito cuidado com as soluções caseiras, que podem dificultar a avaliação médica ou, até mesmo, agravar a lesão. Passar manteiga, creme dental, café, sal, colocar gelo ou outro produto caseiro pode provocar sensação de alívio, mas são métodos contraindicados. É importante reforçar também que nunca se deve tentar retirar objetos ou roupas grudadas na queimadura e muito menos estourar as bolhas que possam surgir”, explica Lazzari.


Segundo o médico, o atendimento médico é fundamental, mas existem métodos paliativose eficazes, que devem ser adotados. “É importante afastar a vítima da fonte de calor, lavar a área afetada em água corrente e, se possível, envolver o local com panos limpos. Em todos os casos, independentemente do grau da queimadura e do local atingido, é aconselhável ainda que os pacientes bebam muito líquido e mantenham os membros afetados elevados, para alívio da dor”, orienta

Mãe faz alerta sobre doença que se parece com catapora, mas é bem mais grave
Foto: Arquivo Pessoal

Uma mãe fez um alerta na internet sobre cuidados com os filhos. Ela publicou fotos da filha de dois anos com algo que parecia uma catapora muito forte, mas era algo muito pior. A mãe, Emma Reavley, observou pontos vermelhos no pescoço da filha, Emily, em abril deste ano. As manchas se espalharam rapidamente pelo corpo. A menina sentia dificuldades para comer, pois a garganta estava dolorida e apresentava bolhas.

 

Na primeira consulta médica, em um hospital do Reino Unido, ela foi informada que se tratava de catapora. Horas depois, a filha teve uma febre alta. Diante disso, ela levou a criança para outro hospital. Os médicos imediatamente diagnosticaram a garota com a doença mão-pé-boca (HFMD), uma enfermidade contagiosa que tem como sintomas febre alta, aparecimento de manchas vermelhas na boca, amígdalas e faringe e erupção de pequenas bolhas nas palmas das mãos e nas plantas dos pés.

 

Segundo o hospital, Emily era a terceira paciente que apresentava os sintomas naquele dia. A menina ficou duas semanas internada para prevenir a disseminação do vírus. Apesar de já ter se recuperado, o corpo de Emily ainda está repleto de cicatrizes. A outra filha de Emma, Evie, havia contraído a doença semanas antes. “Eram apenas algumas manchas no começo, mas elas literalmente começaram a se espalhar na frente dos meus olhos. E conforme o dia foi passando, foi piorando”, relata a mãe. “Seu corpo estava coberto e ela tinha bolhas também na boca e na garganta”, contou ao Daily Mail.

 

Depois de ter sido diagnosticada com catapora, Emma percebeu que algo estava errado. “[As bolhas] não pareciam ser de catapora. Tenho tantos filhos, eu sabia como elas eram”, conta. Emma é mãe de mais 7 crianças, além de Emily. “Eu decidi ficar de olho nelas, mas na manhã seguinte ela estava tão ruim que eu sabia que algo não estava certo”.

 

De acordo com o site do médico Drauzio Varella, a doença mão-pé-boca é uma enfermidade contagiosa que tem como sintomas febre alta, aparecimento de manchas vermelhas na boca, amídalas e faringe e erupção de pequenas bolhas nas palmas das mãos e nas plantas dos pés. Ela é causada pelo vírus Coxsackie da família dos enterovírus. Eles habitam normalmente o sistema digestivo e também podem provocar estomatites (espécie de afta que afeta a mucosa da boca). Embora possa acometer também os adultos, ela é mais comum na infância, antes dos cinco anos de idade.

Estados Unidos denunciam Cuba por tráfico de pessoas por programa Mais Médicos
Foto: Sesab

Os Estados Unidos incluíram Cuba na “lista negra” de tráfico de pessoas e dizem que os participantes do programa Mais Médicos são explorados. O relatório afirma que Cuba não tomou medidas contras denúncias de exploração no programa internacional. O relatório foi apresentado na quinta-feira (20) pelo governo norte-americano. O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, diz que o governo cubano "não criminalizou todas as formas de trabalho forçado ou tráfico sexual de jovens de 16 e 17 anos".

 

O documento diz que Cuba se retirou do programa no Brasil após um pedido do presidente Jair Bolsonaro para "melhorar o tratamento e as condições de emprego dos profissionais de saúde cubanos depois de denúncias de coerção, não pagamento de salários, retenção de passaportes e restrições no movimento". O relatório afirma que o trabalho desenvolvido pelos médicos era forçado e que o governo cubano ameaçava e coagia alguns dos participantes a permanecerem no programa.

 

Bolsonaro disse que "Cuba fica com a maior parte do salário dos médicos cubanos e restringe a liberdade desses profissionais e de seus familiares". "Eles estão se retirando do Mais Médicos por não aceitarem rever esta situação absurda que viola direitos humanos. Lamentável!", escreveu no Twitter, na ocasião. O presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, respondeu pelo Twitter: "Isto é o que as ideias conservadoras que imperam nos EUA confundem com tráfico de pessoas. Denunciamos esta acusação imoral, mentirosa e perversa".

Corpo de Bombeiros atende 24 pessoas durante São João em Salvador
Foto: CBMBA

O Corpo de Bombeiros da Bahia atendeu a 23 ocorrências na festa junina de Periperi, em Salvador. A tropa está distribuída em todos os ambientes da festa. No Pelourinho, o órgão atendeu uma pessoa com problemas cardíacos. "Nossos militares estão dispostos em todo o percurso da festa e as bases, assim com as viaturas, permanecem presentes em locais estratégicos. O objetivo é atender todas as ocorrências de forma mais segura, célere e precisa", explicou o capitão BM Leandro Vialto.

 

Segundo ele, a disposição das viaturas e das bases é o diferencial, para o sucesso no atendimento. "São locais para um deslocamento rápido, caso seja necessário um socorro e até combate a incêndio", pontuou. A atuação do Corpo de Bombeiros no São João acontece sem prejuízo do serviço ordinário nas unidades operacionais que também estão de prontidão para atenderem as ocorrências que possam acontecer fora dos circuitos. 

Prefeitura de Salvador contrata 80 médicos para suprir déficit em postos de saúde
Foto: Secom/ PMS

Para suprir um déficit do quadro de servidores dos postos de saúde, contratará 80 médicos para rede de Atenção Básica de Saúde de Salvador. O contrato com os novos profissionais foi assinado nesta quarta-feira (19), pelo prefeito ACM Neto, acompanhado do secretário municipal da Saúde (SMS), Luiz Galvão. A cerimônia foi realizada no auditório do Hotel Portobello, em Ondina e, na ocasião, também foi assinado um contrato com a empresa Sanar para capacitação dos trabalhadores durante seis meses, através da disponibilização de todo o conteúdo médico da plataforma Sanarflix.

 

O prefeito destacou aos novatos o cenário complicado da Atenção Básica no município. “As pessoas pensam que só faltam médicos no interior do Brasil, mas, em Salvador, temos que conviver com a realidade hoje de não ter médicos suficientes para consistir as unidades. Chegamos à conclusão de que a rotatividade é muito grande e, para tentar resolver o déficit de 137 profissionais nos postos de saúde já instalados, tivemos que ir pessoalmente ao Ministério Público do Trabalho para tentar resolver a questão”, salientou.

 

Ele completou que o passo dado, com a contratação dos médicos, é fundamental para a saúde da população. “Talvez não tenham noção da importância da contratação que estamos fazendo. Com esses 80 profissionais, a Prefeitura vai permitir oferecer uma condição boa às unidades que estão instaladas. Acredito que, até o começo de setembro, teremos todos os 137 profissionais para não deixar uma unidade sem médico. Hoje vocês têm um papel fundamental na cidade”, disse ACM Neto aos contratados.

 

O secretário Luiz Galvão explicou a situação de carência de profissionais médicos na rede municipal de saúde. Um dos fatores é um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado entre o Município, o MPT e o Ministério Público Federal (MPF) em 2008, que determina que Salvador só pode contratar médicos através de concurso público. A prefeitura diz que a rotatividade é grande, e que, mesmo com a realização de concurso e seleção por Reda, não consegue preencher o quadro. Com a mudança no Mais Médicos, Salvador passou a ter 140 vagas ociosas. A prefeitura recorreu ao MPT para viabilizar uma solução para o problema.

Sesab realiza mutirão de mamografia em Muritiba para mulheres entre 50 e 69 anos
Foto: EBC

A cidade de Muritiba, na região de Cruz das Almas, recebe na próxima terça-feira (25), a Estratégia Saúde sem Fronteiras Rastreamento do Câncer de Mama. O mutirão será realizado até o dia 10 de julho para atender mulheres entre 50 a 69 anos, para a realização de exames de mamografia. O atendimento acontece na Praça São José do Itaporã, centro da cidade, a partir de 7 horas.

 

As interessadas devem levar um documento de identidade, o Cartão SUS e um comprovante de endereço no município. De acordo com a Diretoria de Projetos Estratégicos (Dipro), da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), em Muritiba a meta é atender a 2 mil mulheres que estão na faixa etária preconizada pelo Ministério da Saúde como a mais vulnerável para o câncer de mama.

 

Em caso de diagnóstico positivo, o tratamento cirúrgico, quimioterápico ou radioterápico será realizado em unidades de alta complexidade em oncologia. Este programa é uma ferramenta de acesso da mulher às ações de atendimento, diagnóstico e tratamento do câncer de mama.

Palavras como 'Deus' e 'orar' no Facebook indicam que pessoa pode ter diabetes
Foto: Divulgação

Um estudo publicado pela revista Plos One sugere que postagens realizadas por usuários do Facebook podem ajudar a prever algumas condições de saúde. Para os pesquisadores, as publicações fornecem informações que permitem a identificação de 21 doenças, incluindo psicose, ansiedade e alcoolismo.

 

“A personalidade, o estado mental e os comportamentos de saúde das pessoas estão refletidos em suas mídias sociais e essas informações podem fornecer dados adicionais sobre o gerenciamento de doenças”, explicaram os cientistas da Universidade da Pensilvânia. O estudo indicou que os indivíduos que usam muita linguagem religiosa, como “Deus” e “orar”, estão 15 vezes mais propensos a ter diabetes. Já aqueles que frequentemente utilizam termos como “beber” e “bebida” (ou “cachaça”, no Brasil) revelam maior inclinação para o abuso de bebidas alcoólicas e, portanto, são alcoólatras ou caminham nesta direção. 

 

“Muitos estudos mostraram uma ligação entre os padrões de linguagem e doenças específicas, como linguagem preditiva de depressão ou linguagem que aponta se alguém está vivendo com câncer. Olhando através dos muitos problemas de saúde, temos uma visão de como eles se relacionam entre si, o que pode permitir novas aplicações da inteligência artificial na medicina”, explicou Andrew Schwartz, co-autor do estudo, ao The Independent.

 

Os pesquisadores reuniram dados como idade, sexo, registros médicos e informações de mídias sociais de 999 pessoas. Eles também analisaram 949.530 postagens dessas pessoas, totalizando 20.248.122 palavras. A partir desses dados, foi possível identificar 21 condições diferentes: problemas digestivos ou abdominais, distúrbios urinários e genitais, lesões e envenenamento, sintomas respiratórios, gravidez, doenças de pele, doença crônica pulmonar (DPOC), anemia ferropiva, depressão, distúrbios de fluidos e eletrólitos, hipertensão, obesidade, ansiedade, psicose, abuso de drogas, doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), diabetes, anemia por perda de sangue, distúrbios da coagulação sanguínea, abuso de álcool e doenças vasculares. 

 

As postagens no Facebook foram mais eficientes do que as informações demográficas no diagnóstico de dez dessas condições. Com os resultados, os pesquisadores sugerem o desenvolvimento de sistemas que permitam aos pacientes disponibilizarem suas informações de mídia social aos médicos como forma de fornecer dados adicionais para garantir melhores diagnósticos e tratamentos. Entretanto, os pesquisadores salientaram que o compartilhamento de informações pode aumentar riscos relacionados às redes. O próprio Facebook está envolvido em escândalos de violação de segurança e privacidade.

Histórico de Conteúdo