Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Brasil alcança 50% da população com esquema vacinal contra a Covid-19 completo
Foto: Tony Winston/MS

O Brasil alcançou a marca de 50% da população com esquema vacinal completo contra Covid-19 nesta quarta-feira (21). Passa de 106,7 milhões o número de pessoas que receberam as duas doses ou a vacina de dose única e estão protegidas contra a doença.

 

Na população acima de 18 anos, público inicial da campanha de vacinação, os completamente vacinados representam 65,93%, aponta o consórcio de veículos de imprensa.

 

As pessoas vacinadas com uma dose representam 71,41% da população. São 152.325.559.

 

Nesta terça, a média móvel de óbitos foi de 351, completando uma semana abaixo de 400. No pico da pandemia, em abril, o Brasil chegou a ter média de mais de 3 mil mortes diárias.

 

O número de casos da doença também segue em queda. Nesta terça, a média foi de 10.900. Em abril, eram cerca de 75 mil notificações diárias, em média.

Sesab e CIB desmobilizam 159 UTIs no Hospital Metropolitano, Espanhol e mais 3
Foto: Manu Dias/GOVBA

Mais 159 leitos de UTI foram desmobilizados pelo governo da Bahia no Hospital Metropolitano, o Espanhol e mais três unidades Covid-19. A medida foi publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (21).

 

A publicação indica a desmobilização também de leitos clínicos. São 20 sendo 14 no Espanhol, em Salvador, e seis no Hospital de Campanha Covid-19 de Ilhéus.

 

Em relação aos leitos de Tratamento Intensivo, a publicação indica que são 40 no Hospital Metropolitano, em Lauro de Freitas; 79 no Espanhol, em Salvador; 10 no Hospital do oeste, em Barreiras; 10 no Hospital da Costa do Cacau, em Ilhéus; e 20 no Hospital de Campanha Covid-19 de Ilhéus.

Israel detecta caso de mutação da variante Delta do coronavírus em menino de 11 anos
Foto: Divulgação / Sesab

Um caso de mutação da variante Delta do coronavírus foi identificada pelo Ministério da Saúde de Israel. Países europeus, como o Reino Unido, também já detectaram a cepa. A informação foi divulgada pelo ministério em um comunicado. A cepa está sendo chamada de “AY4.2.

 

De acordo com o G1, a mutação foi detectada em um paciente de 11 anos que viajou à Europa, e o caso foi identificado no aeroporto Ben Gurion, na capital Tel Aviv. A criança foi colocada em quarentena e, até o momento, não foi detectado nenhum caso de contato.

 

François Balloux, professor de Biologia Computacional no

 

Especialistas da University College de Londres, em entrevista à France Presse, sinalizam que mutação é rara e não parece representar o mesmo risco que outras cepas, que se revelaram muito contagiosas.

 

Até o momento, a AY4.2 não é considerada uma variante de preocupação global nem uma variante de atenção pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

Anvisa realiza reunião sobre proposta de vacina brasileira em spray da USP
Foto: Agência Brasil

Entrou em pauta na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o desenvolvimento de uma vacina contra Covid-19 na forma de spray. A agência se reuniu com o Laboratório de Imunologia do Instituto do Coração (Incor) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), nesta terça-feira (19).

 

Durante a reunião, a agência conheceu o projeto e encaminhou orientações aos desenvolvedores da vacina em relação aos parâmetros técnicos e formatos de estudos esperados pela Anvisa para este tipo de produto.

 

O projeto ainda está em fase pré-clínica de desenvolvimento, ou seja, nas etapas de laboratório e de testes com animais.

 

Ainda não há previsão de solicitação de autorização para os estudos clínicos com pessoas.

 

PESQUISAS NO BRASIL

Em agosto deste ano, a Anvisa publicou a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 534/2021, que permite às universidades públicas a submissão contínua de desenvolvimento clínico de vacinas para possibilitar a análise preliminar das informações referentes ao projeto de desenvolvimento dos imunizantes. Com esses dados, é possível agilizar um posterior pedido de autorização de ensaio clínico da vacina.

 

A norma permite uma via flexível e dinâmica de inter-relação entre a Anvisa e as universidades com projetos de vacinas em desenvolvimento.

Salvador participa de discussão de regras e protocolos sanitários para cruzeiros
Foto: Divulgação

Salvador apresentou sugestões para os planos de operacionalização dos serviços para retomada das atividades de cruzeiros marítimos em todo litoral brasileiro, durante uma reunião nesta terça-feira (19). A pauta do encontro incluiu a discussão de regras e protocolos sanitários para retomada dos serviços de cruzeiros marítimos em todo país.

 

Participaram da reunião o secretário municipal da Saúde de Salvador, Leo Prates, o diretor da Anvisa, Alex Machado Campos, o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, e o assessor técnico do CONASEMS, Alessandro Chagas.

 

Na reunião, os representantes dos órgãos federais enalteceram a iniciativa de Salvador para o debate do tema e elogiaram as ações deflagradas pela administração municipal na gestão do controle da pandemia.

 

Entre as diretrizes propostas que estão sendo discutidas estão a obrigatoriedade de vacinação completa para pessoas embarcadas, bem como a solicitação de testes antes de embarcar. Também está sendo proposto que a fase de teste para a retomada do setor aconteça com cruzeiros nacionais.

 

“Demos passos importantes para retomada desse importante serviço do setor de turismo, sobretudo para as cidades litorâneas do país. Iremos seguir com a retomada econômica com toda a segurança, salvando os empregos de quem atua no setor, mas com todos os protocolos necessários para salvar a vida das pessoas. Essa é uma grande notícia para o país e para Salvador, já que isso significa mais força no turismo, afinal de contas, o verão está chegando”, explicou Prates.

BP Investimentos alerta sobre prevenção e reserva de emergência no Outubro Rosa
Foto: Divulgação

A pandemia reduziu pela metade a realização de mamografias, exame radiológico de alta resolução que fornece imagens detalhadas capazes de identificar precocemente o câncer de mama, antes mesmo que a mulher tenha sintomas. O dado é da Inteligência em Pesquisa e Consultoria (Ipec), que também aponta que além da redução de cerca de 50% nas mamografias, houve queda de 39% das biópsias e 16% nas cirurgias eletivas no Brasil. De olho nos dados alarmantes, a BP Investimentos intensificou as atividades de conscientização com seu público, e além da prevenção, o escritório alerta para a importância da reserva de emergência em casos de diagnóstico do câncer de mama. 

 

Diana Gomes, sócia da BP Investimentos, destaca que além da prevenção, é preciso pensar nas mulheres que tiveram diagnóstico do câncer de mama que necessitam de um aparato emocional e financeiro para custear o tratamento, no caso daquelas que podem optar por não fazer tratamento pelo SUS. “Antes de tudo precisamos investir em prevenção, a mamografia anual deve ser feita a partir dos 40 anos de idade. Se olharmos do âmbito financeiro, chegamos à conclusão que precisamos estar preparadas para adversidades como essa e ter uma reserva de emergência. Para aquelas que podem optar pelo tratamento particular, sabemos que todo o processo do tratamento do câncer de mama é extremamente caro, e nessas horas, não só um bom plano de saúde faz toda a diferença, mas também uma reserva de emergência ajuda muito, trazendo mais conforto e força para que a mulher que precisa de segurança em todos os sentidos nesse momento possa iniciar a luta e vencer a batalha pela vida”, afirma.   

 

A médica oncologista Dra. Rita de Cassia Oliveira, cliente BP Investimentos, traz outros alertas importantes. Ela sinaliza que a prevenção do câncer de mama não é totalmente possível, existem os fatores genéticos, mas acrescenta que mais de 30 % dos casos de câncer de mama podem ser evitados a partir de hábitos saudáveis, como realizar pelo menos de 150 a 300 minutos por semana de atividades físicas de intensidade moderada, evitar exposição a raio x, ter alimentação saudável, manter o peso corporal adequado, evitar obesidade, evitar consumo de bebidas alcoólicas, amamentar, evitar tabagismo, fazer exames de rotina.

 

A oncologista também afirma que as mulheres precisam ficar atentas aos sinais. “A presença de um nódulo na mama, alteração da pele e retração de mamilo, devem sempre ser investigadas. A medicina está bem avançada para o tratamento do câncer de mama, e o resultado do tratamento vai depender basicamente da fase em que o câncer foi diagnosticado”, finaliza.

McDia Feliz acontece neste sábado e ajudará Martagão a manter programa de transplantes
Foto: Paula Fróes/GOVBA

Comprar um sanduíche Bic Mac em uma unidade do Mc Donald’s neste sábado (23) vai ajudar ajudará o Hospital Martagão Gesteira a manter seu programa de Transplante de Medula Óssea (TMO). Neste dia, toda a renda obtida com a venda desse sanduíche será revertida, na Bahia, para a instituição filantrópica que, por ano, atende a mais de 80 crianças de todo o estado.

 

O transplante de medula óssea do hospital, inaugurado em outubro de 2020, custa cerca de R$ 80 mil, sendo R$ 30 mil repassados pelo SUS e os R$ 50 mil restantes oriundos de doações via McDia Feliz, explica o superintendente da Liga Álvaro Bahia (mantenedora do Martagão).

 

“Esta campanha é fundamental. Foi o McDia que viabilizou a realização desse sonho. É um serviço caro, complexo. Foram necessários muitos investimentos em estrutura física, equipamentos, treinamento da equipe. Precisamos do apoio para manter esse programa funcionando”, destaca.

 

Antes da implantação do programa de transplante de medula óssea do Martagão, pacientes que necessitavam desse tipo de tratamento precisavam se deslocar para outros estados. O Hospital passou a ser o único da Bahia que realiza TMO em pacientes de 0 a 18 anos. Outras unidades de saúde também fazem esse transplante, mas somente acima de 14 anos.

 

Essa é a 33ª edição do McDia Feliz. Neste ano, a ação vai beneficiar 67 projetos de 56 instituições que atuam na oncologia pediátrica no Brasil.

SMS esperar zerar 'fila da 2ª dose' com cadastro automatizado de pessoas do interior
Foto: Tony Winston/MS

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Salvador deu o primeiro passo nesta semana para tentar resolver o problema alvo das maiores reclamações em relação à vacina da Covid-19: a aplicação de segundas doses nos cidadãos que não iniciaram o esquema vacinal na cidade.

 

A pasta abriu na última segunda-feira (18), vagas para agendamento da 2ª dose através do serviço Hora Marcada para as pessoas que precisam completar o esquema de imunização, independentemente do local onde tomaram a 1ª dose ou residem. Ou seja, não é necessário ter residência fixa em Salvador ou ter iniciado o esquema vacinal na capital baiana.

 

O secretário da pasta, Leo Prates, admite que essa era a “grande dificuldade e a grande queixa” enfrentada pela SMS. Ele sinalizou ainda que na próxima segunda-feira deve ser lançada uma outra estratégia para aumentar a cobertura vacinal, com foco nas pessoas que vem reclamando do acesso aos pontos de imunização.

 

HORA MARCADA

A SMS orienta que as pessoas que iniciaram o esquema vacinal em outra cidade devem acessar o site vacinahoramarcada.saude.salvador.ba.gov.br, clicar em “agendar”, em seguida preencher o CPF e as demais informações solicitadas. Após o agendamento, o usuário deverá levar no dia e horário marcados, obrigatoriamente, original e cópia dos seguintes documentos: Cartão SUS; comprovante de residência (local onde reside); cartão de vacina e documento de identificação com foto.

 

Até a semana passada, o procedimento estava sendo realizado através do canal da Ouvidoria da Saúde. A redação foi procurada por cidadãos que abriram o processo e relataram dificuldade e demora para conclusão ou para receber uma resposta. A reportagem acionou a SMS em 6 de outubro solicitando dados sobre a aplicação de segundas doses em Salvador em pessoas que iniciaram o esquema vacinal em outro município e referente ao número de processos abertos junto a ouvidoria, mas até a publicação desta matéria não obteve resposta.

Salvador inicia Operação Minha Vacina Perto de Casa; veja detalhes
Foto: Divulgação/Prefeitura de Salvador

A prefeitura de Salvador inicia, nesta quarta-feira (20), a Operação Minha Vacina Perto de Casa. Nessa primeira etapa, todos os pontos fixos e drive-thrus realizarão o mutirão da 1ª dose para as pessoas com 18 anos ou mais que estão com o nome na lista do site da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), mas que ainda não deram início ao esquema vacinal.  

 

Também haverá mutirão para os indivíduos que estão habilitados para receber a 2ª dose da CoronaVac com a data de reforço da vacina contra a Covid-19 programada para até o dia 23 de outubro de 2021. 

 

Para as pessoas que tomaram a 1ª em outros municípios, a SMS ofertará o acesso à 2ª dose por meio de agendamento prévio no site vacinahoramarcada.saude.salvador.ba.gov.br. Após o agendamento, o usuário deverá levar no dia e horário marcados, obrigatoriamente, original e cópia dos seguintes documentos: Cartão SUS; comprovante de residência (local onde reside); cartão de vacina e documento de identificação com foto.

 

Nesta quarta-feira (19) só serão contemplados os públicos citados acima. Os demais públicos habilitados para vacinação contra Covid-19 serão contemplados no decorrer da semana na Operação Minha Vacina Perto de Casa.

 

Confira a programação desta quarta (20):

Drive-thrus: Uninassau (Avenida ACM), Atakadão Atakarejo, FBDC Cabula, 5º Centro de Saúde (Barris), Arena Fonte Nova (Nazaré), Faculdade Universo (Avenida ACM), Parque de Exposições (Paralela), Vila Militar (Dendezeiros), Unijorge Paralela, Shopping Bela Vista e FBDC Brotas.

 

Pontos fixos: UBS Pelourinho, USF Alto de Coutos II, USF Itacaranha, USF Cajazeiras XI, USF Fazenda Grande III, USF Itapuã, UBS Ministro Alckmin (Massaranduba), USF Joanes Leste, USF Úrsula Catharino (Garcia), USF Estrada das Barreiras, USF Professor Guilherme Rodrigues da Silva (Arenoso), UBS Castelo Branco, USF San Martim I, UBS Marechal Rondon, UBS Frei Benjamin (Valéria), UBS Mario Andrea (Sete Portas), UBS Cesar de Araújo (Boca do Rio), USF Teotônio Vilela II, USF Fernando Filgueiras (Cabula VI), UBS Eduardo Mamede (Mussurunga), USF São Cristóvão, USF Yolanda Pires (Fazenda Grande I), USF Cajazeiras V, 5º Centro de Saúde (Barris), Clube dos Oficiais (Dendezeiros), USF Sérgio Arouca (Paripe), USF Tubarão, USF Vista Alegre, USF Cajazeiras X, USF Santa Luzia (Engenho Velho de Brotas), USF Vale do Matatu, USF Imbuí, USF Federação, CSU Pernambués, USF Cambonas, UBS Virgílio de Carvalho (Bonfim), USF Colinas de Periperi, USF Plataforma, USF Beira Mangue, UBS Ramiro de Azevedo (Campo da Pólvora), USF Pirajá, USF San Martim III, USF Curralinho, UBS Nelson Piauhy Dourado (Águas Claras) e FBDC Brotas.

Instituto Butantan inicia ensaios clínicos para testar soro contra a Covid-19
Foto: Marcos Santos/USP Imagens

O Instituto Butantan recebeu a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para dar início aos testes em humanos de um soro anti-Covid que, diferentemente da vacina, é uma forma de tratamento, não de prevenção.

 

A Anvisa já havia autorizado protocolo clínico em maio deste ano, porém testes adicionais foram incluídos para avaliação do produto e, com isso, o Butantan já conta com as permissões necessárias para a realização de todas as etapas dos testes clínicos do soro. O Hospital do Rim, localizado na cidade de São Paulo, será o primeiro a tratar pacientes com o produto e, em seguida, o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo receberá o soro. A autorização da Anvisa para o ensaio clínico foi dada na última sexta-feira (15).

 

 

De acordo com o Butantan, as fases 1 e 2 dos testes clínicos serão divididas em três etapas (A, B e C). O objetivo é avaliar a segurança farmacocinética e a eficácia do soro anti-Covid, além de escalonar a dose. Os voluntários participantes são adultos com mais de 30 anos e diagnóstico de infecção por Covid-19 confirmado por PCR há, no máximo, cinco dias.

 

Na fase 1, que foca na segurança do produto e definição de dose, o estudo vai envolver 30 pessoas transplantadas, pacientes do Hospital do Rim (etapa A); e 30 pacientes do Hospital das Clínicas, com câncer em órgãos como pulmão, intestino, pâncreas, entre outros (etapa B). Na fase 2, participarão 558 pessoas, entre transplantados e oncológicos, todos fazendo terapia imunossupressora (etapa C).

 

O soro é intravenoso, ou seja, é inserido na veia em uma única aplicação. O paciente fica no hospital por um dia e recebe o medicamento. O foco do medicamento nos imunossuprimidos é uma contribuição do Butantan para fornecer tratamento a um público numeroso que tem dificuldades na sua imunização e, em muitos casos, não pode tomar vacina.

 

“O soro já demonstrou em testes pré-clínicos que é seguro e efetivo em dois tipos de estudos animais. Agora, esperamos que o soro bloqueie as ações do vírus em humanos. diz a pesquisadora e diretora do Centro de Desenvolvimento e Inovação do Butantan, Ana Marisa Chudzinski.

 

Para obter o soro, o novo coronavírus foi isolado de um paciente brasileiro e, na sequência, cultivado, inativado, submetido a vários testes em camundongos e, por último, aplicado em cavalos. Os animais, após receberem o vírus inativado, produziram anticorpos. O plasma resultante foi coletado e processado nas instalações do Butantan, dando origem ao produto.

 

Este estudo é um projeto multidisciplinar do Butantan, envolvendo pesquisadores de diversas áreas com um objetivo comum, e que parte da experiência de 120 anos do instituto na elaboração de soros. Além disso, é uma iniciativa pioneira, já que o Brasil não tem histórico de realização de ensaios clínicos desde a etapa de pesquisa do produto.

Histórico de Conteúdo