Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sobre aborto, OMS diz que 'todas as mulheres devem ter direito de escolher'
Foto: José Cruz / Agência Brasil

A Organização Mundial da Saúde reafirmou seu posicionamento sobre o aborto seguro durante entrevista coletiva nesta quarta-feira (29). O tema voltou à tona após os Estados Unidos derrubarem o direito federal ao procedimento. As informações são do Portal Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias. 

 

“Todas as mulheres devem ter o direito de decidir quando se fala do seu corpo e da sua saúde. Ponto final. Aborto seguro é cuidado de saúde. Ele salva vidas. Restringi-lo só leva mulheres e meninas a procedimentos inseguros, que resultam em complicações a até a morte. A evidência é irrefutável”, afirma o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

 

Tedros afirmou ainda que as populações com maior impacto com a limitação do acesso ao aborto seguro são as mulheres pobres de comunidades marginalizadas. Segundo a cientista-chefe da entidade, Soumya Swaminathan, negar o acesso à interrupção da gravidez em serviços de saúde é como dificultar que uma pessoa receba um remédio que pode salvar sua vida. 

 

O diretor-geral da OMS afirma que essa é uma decisão sobre a vida e o futuro da mulher, e que não é uma opinião, mas sim um fato comprovado por pesquisa. Ghebreyesus declarou ainda estar preocupado com o impacto global da decisão dos EUA, e a considera um retrocesso.

Policlínica Regional de Saúde em Valença registra mais de 210 mil atendimentos realizados
Foto: Divulgação

No seu aniversário de quatro anos, celebrado nesta quarta-feira (29), a Policlínica Regional de Saúde em Valença registra mais de 210 mil atendimentos realizados. A unidade de saúde é referência para 13 municípios da região. 

 

Segundo a secretária de Saúde do Estado (Sesab), Adélia Pinheiro, “esse é um projeto vitorioso que simultaneamente amplia e descentraliza consultas com especialistas e exames de média e alta complexidade, possibilitando que a Atenção Básica seja mais resolutiva. Além disso, os pacientes não precisam deslocar grandes distâncias para realizar o diagnóstico e iniciar, caso necessário, um tratamento”.

 

A Sesab, até o momento, foi entregue pelo Governo do Estado 24 policlínicas em toda a Bahia, com investimento superior a R$ 860 milhões entre obras, equipamentos, mobiliário, veículos e manutenção.

 

No caso da Policlínica Regional em Valença, ela é referência para a população de Cairú, Camamu, Gandu, Igrapiúna, Itaparica, Ituberá, Nilo Peçanha, Nova Ibiá, Piraí do Norte, Taperoá, Teolândia, Wenceslau Guimarães, além da própria Valença.

 

A unidade oferta consultas com médicos nas especialidades: anestesiologia, cardiologia, endocrinologia, ortopedia e traumatologia, cirurgia geral, dermatologia, ginecologia e obstetrícia, pneumologia, coloproctologia, neurologia, oftalmologia, otorrinolaringologia, radiologia e reumatologia. Além disso, a Policlínica Regional de Saúde de Valença disponibiliza diversos exames, como ressonância magnética, tomografia, ecocardiograma, ergometria, mapa, dentre outros.

Quinta, 30 de Junho de 2022 - 18:42

Após São João, casos ativos de Covid-19 disparam mais de 2.800% em um mês

por Leonardo Almeida

Após São João, casos ativos de Covid-19 disparam mais de 2.800% em um mês
Foto: Reprodução/Sesab

A Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) reportou 9.740 casos ativos de Covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico emitido nesta quinta-feira (30). O número representa um crescimento de 2.839% em relação ao registrado há um mês atrás, no dia 30 de Maio, quando havia 343 casos ativos.


Já em comparação com duas semanas atrás, antes do início das festividades de São João, a alta é de 285% sendo que haviam 3.416 casos ativos (veja aqui). 


Apenas nas últimas 24h, foram registrados 3.720 novas infecções por Covid-19, o valor é 1.084% maior do que a quantidade total de casos ativos reportados no dia 30 de Maio.


O crescimento vem após as festividades de São João no estado, nas quais movimentaram cerca de 1,5 milhão de pessoas, de acordo com estimativa da Secretaria de Turismo (Setur). 


Apesar do crescimento de 2.839% nos casos ativos, a alta dos encaminhamentos para a UTI não acompanhou o mesmo ritmo, tendo um crescimento de 60% sobre o reportado há um mês atrás.

 

Dentre o intervalo de 30 dias , foram registradas um total de 95 mortes.

 

OCUPAÇÃO DOS LEITOS

A secretária de Saúde, Adélia Pinheiro, admitiu que houve um aumento na ocupação dos leitos após as festas de São João. Segundo ela, a região Oeste do estado é umas das áreas que mais necessitam de assistência (veja aqui).


"O número de casos ativos é crescente. Há um pequeno aumento da demanda por leitos hospitalares em UTI e leitos clínicos, entretanto, a taxa de ocupação é muito baixa, não nos traz preocupação quanto a capacidade de assistência à baianas e baianos que precisam", afirmou.

Alunos de enfermagem da UNIRB realizam aula prática sobre técnicas da saúde
Foto: Reprodução

Os alunos do curso de enfermagem do Centro Universitário UNIRB participaram de uma aula prática sobre sondagem vesical de demanda e punção venosa. No laboratório da instituição, os discentes aprenderam sob supervisão dos professores na disciplina Semiologia e Semiotécnica, o passo a passo dos procedimentos de administração de medicamentos injetáveis por via endovenosa, uma das condutas operacionais rotineiras do técnico de enfermagem. 

 

De acordo com a coordenadora dos cursos práticas da UNIRB, Regiane da Costa, o cateterismo vesical ou cateterismo de vias urinárias é um procedimento invasivo que tem por finalidade alcançar a luz da bexiga com o objetivo de esvaziá-la, determinar urina residual em casos de bexiga neurogênica, monitorar débito urinário e ainda de colher urina em técnica asséptica para exames.

 

Rejane explica que, durante a aula prática, os alunos aprendem sobre uma série de técnicas para administração de medicamentos, desde o manuseio de seringas e agulhas até os procedimentos realizados pela profissão. 


“No campo prático os futuros enfermeiros participaram das atividades relacionados aos procedimentos de punção venosa e sondagem vesical de demanda, que trata pacientes com patologias ou infecções do trato urinário, a trauma uretral ou vesical em que consiste na inserção de um cateter na uretra até a bexiga visando seu esvaziamento. Os futuros enfermeiros também aprenderam os cuidados que devem ser tomados para a prestação de um atendimento de qualidade e de segurança”.


O Conselho Federal de Enfermagem aprovou a Resolução 680/2021, que atualiza e acrescenta novas regras à Resolução 450/2013, sobre sondagem vesical. O procedimento deverá ser feito pelo enfermeiro com a presença obrigatória do técnico de Enfermagem, trazendo mais segurança ao paciente.

Médicos baianos recebem capacitação para diagnosticar morte encefálica
Foto: Divulgação

Um curso para capacitar médicos intensivistas baianos para o diagnóstico de morte encefálica e manutenção dos potenciais doadores de órgãos e tecidos para transplantes foi realizado na noite da última terça-feira (28), de forma online. Chamado de  Curso de Capacitação para Determinação de Morte Encefálica, a ação é uma iniciativa da Central Estadual de Transplantes da Bahia, em parceria com a Sociedade de Terapia Intensiva da Bahia (SOTIBA).

 

A capacitação reuniu aproximadamente 200 participantes, entre profissionais médicos e membros de Comissões Intra-hospitalares de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) e de Organizações de Procura de Órgãos (OPOs). No curso, foram abordadas questões como a manutenção hemodinâmica do potencial doador de órgãos e comunicação com a família durante e após o diagnóstico de morte encefálica.

 

De acordo com a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), de janeiro até o último dia 20, foram registradas na Bahia 59 doações de múltiplos órgãos e 188 doações de córneas, possibilitando a realização de 257 transplantes de córnea, 16 de fígado, 105 de rim\cadáver e mais 11 de rim intervivos. No momento, a lista de espera para transplante contabiliza 1.641 para rim, 86 para fígado e 1.084 para córnea.

Saiba quais foram os lotes da Losartana recolhidos pela Anvisa
Foto: Divulgação

Por determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), na última quinta-feira (23), as empresas farmacêuticas responsáveis pela fabricação do losartana devem recolher os lotes do medicamento (saiba mais aqui e aqui).

 

Conforme divulgou a agência, foram verificados níveis elevados de "azido", considerada cancerígena, o que ultrapassaria o "limite de segurança aceitável".

 

O princípio ativo é um dos mais usados para o tratamento de casos de hipertensão e insuficiência cardíaca no Brasil. O processo de recolhimento deve ser concluído em até 120 dias, contados a partir da data de publicação, segundo o Diário do Nordeste.

 

O uso não deverá ser suspenso pelos pacientes. De acordo com o órgão federal, pessoas que estejam utilizando lotes interditados ou recolhidos deverão entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) do laboratório do medicamento e, em caso de dúvida, procurar orientação médica.

 

"Continue tomando o seu medicamento de acordo com as orientações do seu médico. Qualquer alteração de tratamento e medicamento só deve ser feita com orientação médica", recomendou. "Somente troque de medicamento quando já tiver o novo lote em mãos, pois a interrupção do tratamento da hipertensão arterial e da insuficiência cardíaca pode produzir maiores malefícios, inclusive risco de morte por derrame, ataques cardíacos e piora da insuficiência cardíaca", diz a Anvisa.

 

Após a determinação, a a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) também se pronunciou, nesta segunda-feira (27), para orientar os pacientes hipertensos e com cardiopatia.

 

Por nota, a SBC afirma ter participado de reuniões com o Ministério da Saúde e com a Anvisa, e concorda com a decisão da agência regulatória.

 

“A SBC apoia as seguintes recomendações: 1 – Os pacientes que fazem uso da losartana devem continuar utilizando o seu medicamento; 2 – os pacientes que estão fazendo uso de um dos lotes interditados devem seguir as recomendações da Anvisa para a troca; 3 – Em caso de dúvida ou necessidade de orientação, os pacientes devem procurar atendimento médico”, diz o documento, reproduzido pelo Metrópoles.

 

A SBC afirma, ainda, que a decisão da agência não tem a ver com a falta de eficácia do medicamento, ou qualquer perigo no uso da losartana, apenas os lotes contaminados é que precisam ser substituídos. Qualquer alteração no tratamento do paciente deve ser feito pelo médico que acompanha o caso.

 

Os lotes que a Anvisa determinou recolhimento não são, conforme o jornal O Globo, das marcas a seguir. Confira:

  • EMS;
  • Germed;
  • Torrent;
  • Organon;
  • Pharlab;
  • Multilab;
  • Nova Química;
  • Sandoz;
  • Vitamedic;
  • Sanofi Medley
  • Legrand;
  • Ranbaxy;
  • Unichem;
  • 1FARMA;
  • Aurobindo Pharma;
  • Laboratório Globo;
  • Zydus Nikkho.
Dados apontam que 6 em cada 10 mortos por Covid não tomaram 3 dose da vacina
Foto: Rovena Rosa / Agência Brasil

Seis em cada dez mortos no Brasil, entre março e junho deste ano, não tomaram a terceira dose da vacina. Os dados são do Info Tracker, plataforma de monitoramento da pandemia ligada às universidades estaduais paulistas USP (Universidade de São Paulo) e Unesp (Universidade Estadual Paulista), que apontou ainda que entre números contam também mais da metade dos internados em decorrência do coronavírus. 

 

De acordo com o Uol, a maior parcela das vítimas tem comorbidades e é idosa. Apesar da vacinação contra a doença ter evitado óbitos desde o último ano, muitas pessoas precisaram procurar um hospital após o aumento do número de casos nos últimos meses.

Entre março e 20 de junho, segundo último registro atualizado pelo governo federal, 30 mil pessoas precisaram ser internadas por causa da infecção or Covid-19. Do total, 17 mil pessoas, o que corresponde a 56% dos casos, não haviam tomado a terceira dose da vacina contra a doença. 

 

Do somatório, 34,7% foram internados mesmo após a terceira dose, sendo que a vacina de reforço havia sido aplicada ainda em 2021, o que significa que a proteção contra o coronavírus já era menor, já que após dois meses o nível de proteção do imunizante cai. Diante disso, o estudo indica que 90,7% dos internados não tiveram a dose de reforço ou a tomaram no ano passado.  

 

Entre os internados, 2.278 pessoas (9,3%) tomaram a terceira dose do imunizante contra a Covid-19 em 2022. 

Quinta, 30 de Junho de 2022 - 14:20

Sesab constata aumento da demanda por leitos Covid após São João

por Anderson Ramos / Bruno Leite

Sesab constata aumento da demanda por leitos Covid após São João
Foto: Anderson Ramos / Bahia Notícias

A secretária Adélia Pinheiro admitiu que há um aumento do número de casos ativos e da demanda por leitos para pacientes com Covid-19 no estado da Bahia, após os festejos de São João.

 

Cinco dias após a festa, a titular da Saúde comentou, nesta quinta-feira (30), acerca das ações que estão sendo tomadas pela pasta para continuar evitando o contágio pela doença.

 

"O número de casos ativos é crescente. Há um pequeno aumento da demanda por leitos hospitalares em UTI e leitos clínicos, entretanto, a taxa de ocupação é muito baixa, não nos traz preocupação quanto a capacidade de assistência a baianas e baianos que precisam", afirmou. 

 

Atualmente, avaliou Pinheiro, 190 leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) exclusivas para tratar pacientes com o vírus estão sendo disponibilizados na rede pública. 

 

A região Oeste do estado foi uma das áreas em que a necessidade por um acréscimo no número de estruturas foi identificada. Segundo a responsável pela Sesab, as equipes estão monitorando a situação, e "nenhum paciente ficará sem assitência". 

 

Ela reforçou a necessidade pela ampliação do número de imunizantes aplicados entre os baianos. Atualmente, disse Adélia, mais de 1 milhão de pessoas com idade acima de 12 anos estão sem nenhuma das doses de vacinas contra a doença.

 

O retorno do uso obrigatório das máscaras, no entanto, foi descartado. A utilização do equipamento permanece restrita às unidades de saúde e farmácias.

Casos de varíola dos macacos em crianças e adolescentes são confirmados pela OMS
Foto: Journal of Veterinary Sciences

Casos de varíola dos macacos em crianças e adolescentes foram confirmados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) durante entrevista coletiva nesta quarta-feira (29). De acordo com a OMS, existem dois diagnósticos confirmados no Reino Unido e um sendo investigado na França, sendo que todos os pacientes estão com sintomas leves. 

 

“Não temos casos severos, mas é um grupo que nos preocupa. Precisamos fazer o possível para controlar o surto”, explicou o gerente de incidentes da OMS, Abdi Mahamud, de acordo com o portal Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias. 

 

Conforme o diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus, apesar de a varíola dos macacos ainda não ser considerada uma emergência de saúde pública de importância global, existe uma urgência em organizar uma resposta coordenada internacional. 

 

A entidade informou também que o comitê de especialistas deve se reunir novamente para reavaliar a situação quando forem recolhidos novos dados.

 

Segundo Tedros, a doença já foi identificada em mais de 50 países. No Brasil, o Ministério da Saúde atualizou nesta quarta-feira (29) o número de casos confirmados da doença para 21. A pasta apontou que 14 pacientes estão no estado de São Paulo, cinco no Rio de Janeiro, e dois no Rio Grande do Sul (saiba mais aqui).

'Sonhos são o espaço de invenção do novo', conta o neurocientista Sidarta Ribeiro
Foto: Bahia Notícias

Aos 51 anos, Sidarta Ribeiro não deixa de lado a lógica dos sonhos como um espaço de fruição do real. Responsável pela fundação de uma das principais instituições que pesquisam neurociência no país, o Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (ICE/UFRN), ele diz que os sonhos são "o estado mental de construção do que não existe".

 

Dono de uma larga trajetória como professor, pesquisador e capoeirista, Sidarta defende a ideia de que a humanidade tem elaborado, há milênios, um repertóprio de conhecimentos e saberes através deste ambiente. 

 

Essa sapiência, o teste de hipóteses sobre o novo, desnivelado através dos sono, no entanto, não estaria acessível a todos, sobretudo aos que não têm a ancestralidade como fundamento. 

 

"Isso não é nada claro nessa civilização urbana de matriz européia, do racionalismo, do iluminismo, que jogou os sonhos na lata do lixo", argumenta o cientista, acrescentando que, no estado atual, a sociedade não consegue sonhar, seja no sentido prático ou metafórico da coisa.

 

Os reflexos são diversos, alerta o professor, pois, cada vez mais, o mundo do trabalho invade a noite, faz com que indivíduos durmam cada vez menos e passem a ter problemas cognitivos.

 

"A gente sabe que precisa dormir bem, comer bem, se exercitar, ter relações não tóxicas para poder ter saúde, mas a gente, como sociedade, está embarcando no projeto oposto", esclarece Sidarta, que atribui ao vício no dinheiro o status de contaminador das relações sociais.

 

A compreensão sobre drogas, aliás figura como um dos temas de atenção do brasiliense, que é autor de livros como "Entendendo as coisas" (1998) e "Maconha, cérebro e saúde" (2007). 

 

Para ele, a "mistificação" do Brasil acerca das drogas é um desafio para o avanço de uma política eficaz. "As pessoas acham que são contra drogas, mas vão à drogaria a todo momento comprar drogas, ou vão aos bares, ou vão aos supermercados", compara, afirmando ainda que substâncas como o açúcar têm efeito no corpo e na mente dos indivíduos.

 

"Sonho manifesto: Dez exercícios urgentes de otimismo apocalíptico" (2022) é o escrito mais recente de Sidarta, que disse, apesar do respeito que nutre pela instituição e das vagas ociosas, não ter interesse em se candidatar à uma cadeira da Academia Brasileira de Letras (ABL).

 

"Enquanto a Conceição Evaristo não for admitida, todo mundo que é branco ou quase branco deveria ficar do lado de fora", avalia, acrescentando que acredita na emergência de outras questões mais importantes como a renconstrução da ciência do país. Confira a entrevista completa.

Histórico de Conteúdo