Viver Bem: Como os pais e a escola devem se preparar para a volta às aulas?
Foto: Pixabay

Início de ano é hora de retomar às atividades, mesmo que em Salvador o começo de tudo só seja validado após o carnaval. No caso das crianças, as aulas acabam mexendo com a rotina de toda a família e, nem sempre, esse processo de adaptação é fácil.

 

A faixa entre 2 e 3 anos marca a vida infantil com o começo de uma das principais obrigações dos pequenos enquanto seres independentes. O ingresso à vida escolar é um processo de adaptação marcado pelo medo dos pais e pela descoberta de uma nova realidade para as crianças. De acordo com a psicóloga do Hapvida Saúde, Marília Rios, um dos principais pontos a ser observado neste cenário é a escolha da escola. “Este é um momento de experiência riquíssima para a criança que, se os familiares encararem como algo positivo, tenderá ser mais natural para os pequenos”, destaca a especialista.

 

Marília aponta que lidar com as próprias emoções é o ponto de partida para que os mirins tirem de letra esse novo momento. Entre as habilidades socioemocionais que devem ser trabalhadas para estimular o cuidado com a afetividade da criança nessa fase estão a abertura ao novo, o respeito, confiança, empatia e tolerância à frustração. Entretanto, a relação entre escola e família também deve ser bem estruturada. “Os pais devem fornecer à escola o máximo de informações acerca da criança e a instituição de ensino é protagonista no planejamento e na execução do processo de adaptação do estudante. As duas partes – pais e docentes - devem compreender que cada criança passa por um processo individual de adaptação no ambiente escolar”, detalha.

 

Distância de casa

A vida corrida que, por muitas vezes, obriga os pais a terem jornada tripla, faz com que muitos optem por escolas de turno integral. Essa nova forma de organização da sociedade deve trazer uma maior reflexão quanto à forma de organização do dia a dia das crianças. Segundo a avaliação da psicóloga, muitos educadores vêem na escola de meio período um ambiente com menos estresse para a criança se comparado ao período integral, mas o lado negativo disso é que esse modelo não permite o envolvimento do alunado em outros programas escolares. Já o período integral proporciona um dia escolar com maior descontração, o que possibilita, a longo prazo, ter melhores resultados desse aluno que vivencia diferentes experiências.

Histórico de Conteúdo