Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sexta, 26 de Fevereiro de 2021 - 11:00

Convivência intensa durante a pandemia ocasiona aumento dos casos de disfunção sexual

por Marcelo Cerqueira

Convivência intensa durante a pandemia ocasiona aumento dos casos de disfunção sexual
Foto: Divulgação

A pandemia do coronavírus impactou diretamente a vida da população, trazendo desafios de toda natureza para quem precisou se isolar socialmente e permanecer dentro de casa. Neste sentido, muitos casais sentiram os efeitos da convivência constante e um deles é o aumento da disfunção sexual. 


Com tantas e profundas mudanças, é natural que as relações humanas também tenham sido afetadas. O sentimento de ansiedade tomou conta das pessoas e os motivos são muitos: a possibilidade ou a própria perda do emprego por conta da recessão econômica, a preocupação com a saúde de entes queridos e a sua própria e o isolamento social são algumas das razões. Esse cenário, por sua vez, pode provocar insônia, cansaço e stress. O somatório desses fatores pode resultar na queda da libido e a consequente diminuição das atividades sexuais.


A disfunção sexual, muito conhecida por afetar os homens, também atinge muitas mulheres. Esse distúrbio está presente em qualquer fase da vida sexual e inclui perturbações do desejo, excitação, orgasmo e ereção. As disfunções prejudicam, em diferentes graus, a vida sexual dos indivíduos e casais, afetando a qualidade de vida das pessoas e podendo ser causa de inúmeros problemas de relacionamento e de saúde emocional.


Essas situações são consideradas indicadores de gravidade por afetar a qualidade de vida, bem como por estarem frequentemente relacionadas às doenças crônico-degenerativas como o Diabetes e Hipertensão Arterial, além de representar marcadores de risco cardiovascular e metabólico importantes na prevenção de doenças potencialmente fatais. 


Apesar do apoio do parceiro também ser indispensável nesse momento, afinal a saúde sexual é essencial para viver bem a dois, é fundamental que a Disfunção Sexual seja tratada de forma multidisciplinar junto a profissionais especializados, que abordem o problema de forma humanizada, identificando todos os fatores orgânicos e psicológicos relacionados. 


E para tanto, o Itaigara Memorial Urologia dispõe de uma equipe de experientes urologistas para soluções inovadoras, desde as consultas e encaminhamentos de exames até os mais diversos procedimentos cirúrgicos minimamente invasivos realizados no Itaigara Memorial Hospital Dia. 

 

*Marcelo Cerqueira é médico urologista do Itaigara Memorial Urologia
 

*Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias

Histórico de Conteúdo