Baseado nos diários de Kurt Cobain, projeto busca sintomas de depressão nas redes sociais
Foto: Kevin Estrada

A Rolling Stone Brasil lançou nesta segunda-feira (18) um projeto de prevenção ao suicídio. O Algoritmo da Vida é baseado na chamada "gramática da depressão".

 

Estudos dos departamentos de psicologia da University of Reading, na Inglaterra, e da Florida State University, indicam que pessoas em depressão recorrem a um determinado grupo de palavras nas redes sociais. É o que foi chamado de gramática da depressão e indica a ocorrência da doença, mesmo em estágios iniciais.

 

O projeto utiliza um algoritmo que identifica, nas postagens públicas do Twitter, essa variedade de palavras, expressões e frases que podem indicar sintomas de depressão.

 

Alguns exemplos dos termos listados na gramática da depressão foram retirados dos diários de Kurt Cobain, ex-vocalista do Nirvana que cometeu suicídio aos 27 anos, em 1994. O estudo ainda tentou entender como identificar pedidos de ajuda, voluntários ou involuntários.

 

Segundo a Rolling Stone, o algoritmo encontra a recorrência desses termos e indica o perfil para uma checagem de uma equipe treinada para considerar, inclusive, contexto, ironias e recorrência de termos e periodicidade. Posteriormente, um perfil secreto criado para a ação entra em contato com o indivíduo a partir da mensagem privada, com auxílio de psiquiatras.

 

"Muitos músicos pediram ajuda nas suas músicas. Veja o caso de Kurt Cobain ou de Chester Bennington, do Linkin Park, por exemplo. Vidas chegaram ao fim de forma precoce por conta da depressão, basta lembrar de Chris Cornell. Tudo o que pudermos fazer para diminuir esse número precisa ser nossa prioridade. É uma responsabilidade social que devemos ter. Cada vida salva é uma vitória", afirmou Pedro Antunes, editor-chefe da revista.

 

A ferramenta está em operação desde fevereiro e já detectou quase 300 mil menções que potencialmente utilizam a gramática da depressão.

Incêndio atinge posto de saúde em Pernambués; fogo foi debelado
Foto: Reprodução / Google Street View

Um incêndio atingiu um posto de saúde no bairro de Pernambués na manhã desta segunda-feira (18).

De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar da Bahia (CBM-BA) o fogo já foi debelado. Não houve feridos e as causas do incêndio ainda são desconhecidas.

Segunda, 18 de Março de 2019 - 11:10

Norte-americana dá à luz seis bebês em nove minutos

Norte-americana dá à luz seis bebês em nove minutos
Foto: Reprodução / Facebook

Uma norte-americana deu à luz seis bebês em apenas nove minutos, na última sexta-feira (15), no The Woman's Hospital of Texas. Thelma Chiaka teve quatro meninos e duas meninas, com pesos de 800 gramas a 1,3 kg.

 

"A probabilidade de dar à luz seis filhos gêmeos é de um em 4,7 bilhões", ressaltou o hospital em publicação nas redes sociais. Outra curiosidade foi o tempo do parto: entre as 4h50 e as 4h59.

 

Todos os bebês estão saudáveis e recebendo cuidados no centro de tratamento intensivo neonatal. A mãe também está bem e nomeou as duas meninas de Zina e Zuriel.

ANS abre consulta pública para definição de agenda regulatória 2019-2021
Foto: Agência Brasil

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) abriu uma consulta pública para discutir a agenda regulatória para o período 2019-2021. A agenda regulatória é um instrumento de planejamento que reúne temas considerados estratégicos e prioritários, necessários para o equilíbrio do setor. As contribuições podem ser enviadas até 5 de abril.

 

Em entrevista à Agência Brasil, o diretor-presidente substituto da ANS, Leandro Fonseca, explicou que a proposta é estabelecer um cronograma das principais atividades da agência durante o período, de forma a garantir maior transparência e previsibilidade na atuação regulatória, possibilitando acompanhamento pela sociedade.

 

“A agenda regulatória é um dos nossos instrumentos de planejamento. São temas estratégicos que pretendemos trabalhar ao longo do triênio. Abrimos essa consulta para que a sociedade possa enviar suas contribuições. Qualquer pessoa pode entrar no site da agência, na sessão participação da sociedade e, ali, colocar sua contribuição sobre os temas que foram elencados.”

 

O processo de elaboração da agenda regulatória começou em setembro do ano passado. A proposta final contempla 14 temas, incluindo o aperfeiçoamento das políticas de preço/reajuste e operação de planos privados de assistência à saúde; o aperfeiçoamento do monitoramento assistencial e garantias de acesso; e a avaliação da qualidade dos serviços de assistência à saúde.

Busca por práticas integrativas no SUS cresce 126% em um ano
Foto: Fernanda Cruz / Agência Brasil

A busca por práticas integrativas no Sistema Único de Saúde (SUS) cresceu 126% no último ano. De acordo com o Ministério da Saúde, o número de atendimentos passou de 157 mil, em 2017, para 355 mil, em 2018.

 

O reflexo desse aumento também pode ser visto na quantidade de participantes nessas atividades, que cresceu 36%. Em 2018, foram 6,67 milhões de usuários, contra 4,9 milhões do ano anterior.

 

No caso das atividades coletivas, como yoga e tai chi chuan, houve aumento de 46% no último ano, passando de 216 mil atendimentos em 2017 para 315 mil em 2018.

 

O SUS oferece atualmente 29 práticas integrativas. A indicação desse tratamento complementar ocorre no âmbito da Atenção Básica, nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e também no atendimento especializado, nas unidades hospitalares e centros especializados.

 

Em nota, o Ministério da Saúde informou que, além de ampliar a diversidade da oferta, o número de estabelecimentos que atuam nessa linha também deu um salto de 13%. Passou de 22.164 em 2017 para 25.197 estabelecimentos em 2018.

Drogas para modificar doenças reumáticas podem ajudar mais de 12 milhões de brasileiros
Foto: Reprodução / R7

Atigindo mais de 12 milhões de brasileiros, a batalha para lidar com as doenças reumáticas pode estar perto de ter uma nova ajuda. De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Reumatologia, José Roberto Provenza. O foco das pesquisas são as drogas modificadoras do curso da doença.

 

Esse foi um dos temas abordados durante a Jornada Rio-São Paulo de Reumatologia, realizada de 14 a 16 de março em São Paulo. “Existem as drogas que combatem os sintomas das doenças, que são os analgésicos, os anti-inflamatórios e os corticoides, e as drogas que mudam o curso da doença, capazes de interferir antes que ocorra o processo inflamatório”, explica.

 

Para o reumatologista, esta é principal inovação na área. Além da importância do tratamento multidisciplinar, que envolve fisioterapeutas, nutricionistas e psiquiatras, uma vez que, gerando dor crônica, as doenças reumáticas acabando levando à depressão, segundo Provenza. Ainda de acordo com informações do R7, as drogas modificadoras do curso da doença (DMCD) inibem a atuação das citocinas, envolvidas no processo inflamatório, impedindo a progressão da doença. Entre as enfermidades mais comuns está a artrose.

 

Além dela, tem-se a artrite idiopática juvenil e febre reumática na infância e adolescência, a artrite reumatoide entre mulheres de 35 a 45 anos, a artrose a partir dos 60 anos, tanto em homens quanto em mulheres, e a gota, em homens, segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia. Nos Estados Unidos, a gota afeta 4% dos homens, ainda de acordo com o órgão.

Nova Soure: Falso médico é preso por usar nome de profissional verdadeiro
Foto: Divulgação / SSP-BA

Um falso médico foi preso em Nova Soure, no nordeste baiano, após uma denúncia anônima. Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA), o homem se passava por um médico que tinha o mesmo primeiro nome dele: Aislan. O impostor, identificado como Aislan Deivid Pimentel, usava o nome do médico Aislan Pires Fernandes. O falso profissional foi descoberto quando policiais militares pediram os documentos dele. A ação foi feita por uma guarnição da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Nordeste.

 

Ainda segundo a SSP-BA, no livro de registros do hospital, os militares constataram vários atendimentos feitos pelo falso médico em anos diferentes. Aislan foi preso em flagrante e apresentado na Delegacia Territorial de Ribeira do Pombal, na mesma região. "Ele aproveitou o homônimo do primeiro nome para aplicar o golpe. Importante a população sempre denunciar", declarou o comandante da Cipe Nordeste, major Wellington Morais dos Santos.

 

O oficial contou ainda que o médico verdadeiro mandou uma mensagem para um militar da unidade e agradeceu pelo flagrante. O caso ocorreu na sexta-feira (15).

Sábado, 16 de Março de 2019 - 11:20

Anestesistas retomam atendimento pelo Planserv na Bahia

Anestesistas retomam atendimento pelo Planserv na Bahia
Foto: Sindimed-BA

Os serviços de anestesistas voltaram a funcionar na Bahia, através do Planserv, plano de saúde dos servidores estaduais. O serviço foi retomado após dois meses de impasse entre os médicos e a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab). As negociações foram finalizadas na sexta-feira (15). A assessoria dos anestesistas não informou quais foram as reivindicações aceitas.

 

Os médicos pediam reajustes nos valores de pagamento do plano, o que, segundo a categoria, não acontecia desde 2015. Os profissionais também pediam pagamento dos honorários feitos diretamente aos médicos, sem intermediação dos hospitais. Neste período, os anestesistas só atenderam com pagamento particular. A paralisação com o Planserv começou em janeiro deste ano.

Modelo de gestão da Central de Regulação na Bahia se torna referência para outros estados
Foto: Divulgação

O modelo de gestão da Central Estadual de Regulação, da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) tem se tornado referência para outros estados. O secretário de Saúde, Fábio Vilas-Boas, apresentou o modelo de gestão e o software utilizado na Bahia para uma comitiva da Secretaria de Saúde de Goiás. A apresentação ocorreu nesta sexta-feira (15). A comitiva viu de perto a construção do Centro de Comando e Controle da Saúde que será entregue no segundo semestre deste ano e abrigará a nova sede da central. A visita ocorre duas semanas após o próprio Ministro da Saúde Henrique Mandetta também visitar a unidade.

 

Fábio Vilas-Boas afirma que o aumento de eficiência no processo de regulação é resultado de uma combinação de fatores, cujo ponto principal foi o olhar diferenciado do governador Rui Costa para a área da Saúde. “Assim foi possível investir na construção e ampliação de mais de 1.000 leitos, implantar novos parques de imagem com ressonâncias e tomografias nos quatro cantos do estado, além de aplicar aproximadamente R$ 52 milhões em infraestrutura de rede, aquisição de computadores, servidores, impressoras e conectividade entre as unidades estaduais. Mais recentemente, autorizou um arrojado projeto de desospitalização, com a possibilidade de assistência domiciliar 24 horas, que já avaliou mais de 4.100 pacientes internados de longa permanência”, afirma Vilas-Boas.

 

A comitiva de Goiás também conheceu detalhes da nova edificação que conta com investimentos de R$ 7,7 milhões e terá três pavimentos distribuídos em mais de 2,3 mil metros quadrados. Será estabelecido um acordo de cooperação técnica entre as duas secretarias, que incluirá a cessão do software de regulação desenvolvido por técnicos da Sesab. Desde o  início do ano, a Central Estadual de Regulação atendeu mais de 40 mil solicitações e conseguiu reduzir para abaixo de mil o número de pacientes internados que aguardavam por um procedimento, sejam avaliações com especialistas, cirurgias ou exames. Na prática, isso significa que a meta de atender todas as solicitações em até 24 horas está cada vez mais próxima, visto que a capacidade diária é de, pelo menos, 500 pacientes.

Itabuna: Sobe para 10 número de mulheres que acusam clínica após queimaduras
Foto: Reprodução / TV Santa Cruz

Subiu para 10 o número de denúncias contra a clínica de estética Divas Bronze, no município de Itabuna, devido a queimaduras após um procedimento de bronzeamento com fitas (veja aqui).

 

Segundo a delegada Ivete Albano, responsável pelo caso, as vítimas registraram boletim de ocorrência na Delegacia da Mulher (Deam) e fizeram exame de corpo de delito. Apesar de intimada, a dona da empresa ainda não compareceu à unidade.

 

Por meio de nota, a empresa Divas Bronze afirmou que tem alvará de licenciamento e que utiliza produtos autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No entanto, em entrevista ao G1, o diretor de Vigilância Sanitária da cidade, Manuel Mattos, informou que o alvará da empresa estava vencido desde o final de 2017.

Sábado, 16 de Março de 2019 - 00:00

Cliente recebe indenização por queimaduras de 2º grau após depilação a laser em Juazeiro

por Cláudia Cardozo / Renata Farias

Cliente recebe indenização por queimaduras de 2º grau após depilação a laser em Juazeiro
Foto: Shutterstock

Uma clínica especializada em estética, em Juazeiro, foi condenada pela Justiça baiana a indenizar uma cliente em R$ 15 mil por queimaduras decorrentes de uma depilação a laser. Na ação, a cliente afirmou que se submeteu a sessões de depilação a laser e que, posteriormente, sentiu muita ardência e apareceram bolhas na região da depilação. Ela foi diagnosticada com queimaduras de segundo grau e ajuizou a ação para pedir reparação por danos morais, estéticos e materiais.

 

A empresa, em sua defesa, alegou que a cliente só avisou que a parte em que fora feita a depilação estava sensível após o procedimento. Disse ainda que possivelmente existiam fungos no local e, por isso, a empresa não deveria ser condenada, sendo culpa exclusiva do consumidor. Para o juiz Vanderley Andrade de Lacerda, da 3ª Vara das Relações Cível e Comerciais de Juazeiro, a autora comprovou os danos e houve falha na prestação de serviço pela clínica. A empresa não juntou nenhuma prova para sustentar a culpa exclusiva da cliente, que comprovou o feito através de fotografias. O magistrado ainda salientou que a consumidora sofreu com “fortes dores e ficou sem trabalhar por dias, além de ter que realizar tratamento para a recuperação das manchas e cicatrizes”.

 

A empresa recorreu da decisão. O recurso foi relatado pelo desembargador Roberto Maynard, da 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). Para o relator, é “incontroverso” que houve falha na prestação de serviços. Por isso, manteve o valor da indenização de R$ 15 mil, por considerar justo diante da situação experimentada pela consumidora.

 

Um outro caso de queimaduras em procedimentos estéticos veio à tona nesta semana, quando mulheres acusaram uma clínica de bronzeamento de Itabuna, no sul do estado, de provocar lesões graves na pele (leia mais aqui).

 

Segundo a dermatologista Moema Mignac, ao procurar uma clínica para procedimentos estéticos, o consumidor deve tomar alguns cuidados. "O cliente que procura uma clínica de estética deve estar atento em relação à presença de profissionais habilitados para os procedimentos específicos, às condições de higiene e estrutura locais, à presença dos registros  de vigilância sanitária e alvarás de funcionamento", enumerou. 

 

No caso específico de uma depilação a laser, a especialista alerta que a pele da região deve estar "íntegra, hidratada e sem lesões", além de não poder estar bronzeada. "Como  o laser de depilação apresenta afinidade pelo pigmento melânico , ao ser aplicado numa pele bronzeada pode aumentar as chances de queimaduras e hipercromias. A fluência / potência do laser deve ser determinada pelo profissional habilitado e a calibragem dos aparelhos devem estar em dia para evitar estragos na pele", explica.

 

Já em relação ao bronzeamento, Mignac alerta que bronzeamento natural com fita oferece os mesmos risco de exposição a qualquer radiação solar ultra violeta, como queimaduras solares de primeiro e segundo graus, câncer de pele, manchas solares como melasma e envelhecimento cutâneo. 

 

"A utilização de substâncias aceleradoras do bronzeado que são usados neste processo como parafina, sprays e óleos podem potencializar o quadro e causar dermatites irritativas. O adesivo contido na fita isolante também pode gerar dermatites alérgicas de contato", aponta. A dermatologista lembra ainda que o bronzeamento artificial em câmaras de emissão UV foi proibido no Brasil pela Anvisa desde 2009 e oferece riscos semelhantes ao bronzeamento com a luz solar.

ANS abre consulta pública para Agenda Regulatória do biênio 2019-2021
Foto: Reprodução / Agência Brasil

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) abriu uma consulta pública para discutir os temas da Agenda Regulatória que valerá para o biênio 2019-2021. A Agenda Regulatória é o planejamento feito pela ANS para determinar quais serão os objetos de atuação do órgão durante determinado período.

 

Segundo a Agência Brasil, o processo de elaboração da Agenda Regulatória teve início em setembro do ano passado. A proposta possui 14 temas, incluindo o aperfeiçoamento das políticas de preço ou reajuste e operação de planos privados de assistência à saúde. Além disso, o aperfeiçoamento do monitoramento assistencial e garantias de acesso, bem como a avaliação da qualidade dos serviços de assistência de saúde. 

Sexta, 15 de Março de 2019 - 19:20

Estado deve fazer investimento de R$12 bilhões na saúde

Estado deve fazer investimento de R$12 bilhões na saúde
Foto: Divulgação

A Bahia deve fazer um investimento de mais de R$12 bilhões na área da saúde. Foi o que deixou claro o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, durante apresentações para entidades médicas ao longo da semana.

 

Vilas-Boas afirmou que a verba será utilizada para construções ou ampliações de hospitais nos municípios de Lauro de Freitas, Feira de Santana, Irecê, Barreiras, Vitória da Conquista, Salvador, além de maternidades na capital, Ilhéus e Camaçari.

 

Segundo a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), a central de regulação já atendeu mais de 40 mil solicitações esse ano, e o número de pacientes internados que aguardavam por um procedimento diminuiu para mil. 

Martagão Gesteira abre inscrições para 4ª edição da Corrida Colorida
Foto: Divulgação

Estão abertas as inscrições para a 4ª Corrida Colorida do Hospital Martagão Gesteira. O evento acontece em 28 de abril, às 7h30, na orla do Jardim de Alah. Todo o valor arrecadado será revertido para manutenção do hospital filantrópico.

 

Com circuito de 4 km, a corrida deve reunir aproximadamente 3 mil pessoas. Cada participante receberá um kit composto por camisa e pó colorido (Zim Color). A programação terá ainda aula de dança.

 

As inscrições custam R$ 80 e devem ser feitas por meio do site Central da Corrida (clique aqui) ou presenciamente, na Loja do Martagão. Crianças com até 12 anos e idosos a partir de 60 anos pagam meia. Menores de idade precisam ter a autorização dos responsáveis legais para participar.

Com custo estimado de R$ 5,4 mi, Rui autoriza reforma do Hospital Geral de Camaçari
Foto: Divulgação

O governador Rui Costa assinou nesta sexta-feira (15) a ordem de serviço para a reforma do Hospital Geral de Camaçari (HGC). Na ocasião, foram entregues o novo Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), no bairro Comércio III, e a Academia da Saúde, em Arembepe.

 

“As obras começam imediatamente. Já superamos todas as burocracias do processo de licitação e agora as obras começam já em ritmo acelerado. Todas as áreas do hospital serão reformadas. Com a construção da maternidade, nós vamos separar esse ambiente das outras alas do hospital, que muitas vezes é de angústia e de dor”, afirmou o governador.

 

Com custo estimado de R$ 5,4 milhões, a reforma contemplará diversos setores da unidade, como enfermarias, UTI, centro cirúrgico, centro de recuperação pós-anestésica, emergência adulto e internação pediátrica, que com as melhorias ganhará oito novos leitos. O HGC atende uma média de 5 mil pacientes por mês, nos 135 leitos de internação, sendo oito da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), além de outros 39 na emergência.

 

Rui autorizou ainda a ampliação de dois sistemas simplificados de abastecimento de água: um para ligações domiciliares nos municípios de Camaçari, Mata de São João e Dias D’ Ávila, no valor de R$ 4,6 milhões; outro para as comunidades de Jauá, Pé de Areia, Catu de Abrantes, Busca Vida, Abrantes (vila e rural), no valor de R$ 30 milhões, em parceria com o Governo Federal.

Sexta, 15 de Março de 2019 - 13:10

ONU relaxa sanções, e Médicos sem Fronteiras voltam à Coreia do Norte

por Folhapress

ONU relaxa sanções, e Médicos sem Fronteiras voltam à Coreia do Norte
Foto: Divulgação

A ONU aprovou nesta semana cinco novas exceções para sanções sobre a Coreia do Norte, que vão permitir que a organização humanitária Médicos sem Fronteiras volte a atuar no país após quatro anos de ausência.

Impostas por vários países e blocos com mais intensidade a partir de 2017, durante a escalada nuclear promovida pelo ditador Kim Jong-un, as sanções não impedem diretamente ajuda humanitária, mas vinham dificultando sua atuação por proibir remessas de dinheiro e entrada de equipamentos, remédios e alimentos.

Após os primeiros movimentos de distensão entre a Coreia do Norte e rivais como a Coreia do Sul e os Estados Unidos, diplomatas e políticos sul-coreanos e europeus passaram a se declarar favoráveis a um relaxamento nos bloqueios que atingem os norte-coreanos.

As novas exceções, que têm duração de seis meses, liberam a passagem de medicamentos e insumos para tratar doenças crônicas e desnutrição grave.

Cinco entidades de ajuda humanitária foram beneficiadas, entre elas a Médico sem Fronteiras. Com elas, chegam a 20 as exceções decretadas pela ONU neste ano.

A medida é considerada importante para tentar conter um aumento no número de casos de tuberculose resistente a drogas, principalmente nas províncias do norte do país, mais pobres e com menor padrão de nutrição.

Entidades como a francesa PUI e a canadense FSHS relatam casos de desnutrição grave em berçários e jardins da infância em regiões mais pobres do país, segundo a agência de notícias especializada NK News.

Em fevereiro, o governo reduziu a distribuição de alimentos, atribuindo a escassez a problemas climáticos. Nos últimos anos, Kim Jong-un, que assumiu a ditadura do país após a morte de seu pai em 2011, vem tentando reformar o sistema de produção norte-coreano com medidas pró-mercado, para aumentar o incentivo e a produtividade tanto na área agrícola como na industrial.

As entidades conseguiram permissão da ONU para importar latas de leite de soja, que são distribuídas para as escolas.

Desde o final de 2017, entidades de ajuda humanitária afirmavam que os bloqueios comerciais estavam agravando a situação dos norte-coreanos mais pobres.

Segundo organismos internacionais, a situação de cerca de 70% da população norte-coreana pode ser classificada como de "insegurança alimentar" (o que indica ameaça constante de fome) e 25% das crianças apresentam problemas no crescimento.

Crianças que não se vacinaram serão proibidas de frequentar escolas na Itália
Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

O governo da Itália implementou uma lei que obriga os pais a vacinarem crianças para que elas tenham permissão de frequentar a escola. O país atualmente enfrenta um surto de sarampo: em 2018, foram registrados 3.697 casos.

 

Os responsáveis que não cumprirem a nova determinação podem receber multa de até 500 euros (cerca de R$ 2.155). De acordo com a lei, são obrigatórias 10 imunizações, a exemplo das vacinas contra varicela, poliomielite, sarampo, caxumba e rubéola.

 

Segundo o jornal Extra, o prazo para comprovação de que as crianças estavam imunizadas terminou na última segunda-feira (11). "Todo mundo teve tempo de recuperar o atraso", afirmou a ministra da Saúde, Giulia Grillo. "Nenhuma vacina, nenhuma escola".

 

As autoridades italianas têm o objetivo de elevar as taxas de vacinação para 95%, meta estipulada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Sexta, 15 de Março de 2019 - 06:40

Para psiquiatra, o temor é que o ataque de Suzano seja copiado

por Cláudia Colucci | Folhapress

Para psiquiatra, o temor é que o ataque de Suzano seja copiado
Foto: Reprodução

É muito difícil prevenir massacres como o ocorrido na escola de Suzano (SP) porque, em geral, os autores não dão sinais prévios e planejam o crime de forma muito organizada.

"Eles são mais quietos, introspectivos, mas não têm necessariamente um comportamento que os coloquem muito em evidência, não chama a atenção", diz o psiquiatra Antonio Serafim, coordenador do núcleo forense do IPq (Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo).

O temor agora, segundo ele, é que ação possa ser copiada por outros jovens. "É a nossa preocupação, que outras pessoas repitam isso com maior impacto ainda", afirma.

Os atiradores de Suzano seguiram uma série de rituais antes do ataque, como roupas alusivas à morte, máscara de caveira, uma besta entre outros. O que isso significa?
Só representa o perfil desse tipo de crime. Geralmente envolve pessoas com um modus operandi bem delineado, organizado. Começam com um processo de fantasia, depois saem do plano do pensamento para a execução. Aí vem todos os adornos possíveis, o tipo de arma, de vestimenta. Há outro padrão: eles atuam no ambiente que conhecem.

Envolve também pessoas que mantêm um certo isolamento?
Sim, mas gradativamente buscam meios de fundamentar e melhorar a possibilidade da ocorrência. Hoje, com a facilidade das redes sociais, isso facilita bastante porque eles encontram adeptos e, consequentemente, cúmplices.

É um crime planejado?
Sim, não acontece de forma de um rompante. Geralmente é um processo bem organizado, elaborado. Pode até ter um gatilho, aquilo que impulsiona a ação, mas é uma ação planejada e eles geralmente buscam subsídios para executar a ação.

Tem como prevenir um crime dessa natureza?
É uma questão delicada porque, em geral, eles não tem um padrão de previsibilidade de ação, é muito no anonimato. Se a gente for pensar em causas, há uma associação de variáveis que podem colaborar, como histórico de bullying e questões familiares. Em geral, eles têm uma característica de isolamento, são mais quietos, introspectivos, mas não têm necessariamente um comportamento que os coloquem muito em evidência, não chama a atenção. Quando você tem um jovem mais problemático do ponto de vista de comportamento, que se envolve com drogas, brigas, a família abre um sinalzinho vermelho de atenção. Esse padrão de comportamento de atiradores é muito sutil, não fica muito evidente. Eles se falam muito entre si, nos grupos em que compartilham as mesmas ideias.

O sr. chegou a ver os vídeos do ataque. O que eles nos revelam sobre a personalidade dos atiradores?
O primeiro que entra, o mais novo, é mais organizado, executa o plano de forma muito eficaz, com muito controle. Ele vai tira a arma, dispara. O outro entra em seguida num nível de desorganização muito grande, que mostra perfis bem diferente. Provavelmente, em uma análise à distância, o primeiro era o mais organizado e com um poder de influência maior sobre o outro. O segundo provavelmente tinha o desejo, porém, pouco potencializado em termos de execução. Ele desfere os golpes com uma certa agitação, de forma desordenada, até com uma baixa qualidade de entender o que estava fazendo. Isso, de certa forma, ajudou o massacre não ter uma extensão ainda maior.

Há algum risco de uma ação dessa natureza ter alguma espécie de eco, um efeito cópia?
É a nossa preocupação, que outras pessoas repitam isso com maior impacto ainda. A questão é que, em geral, elas não dão sinais prévios, como uma mudança brusca de comportamento, então fica difícil rastrear, prever. Todos os estímulos podem predispor pessoas predispostas. Para uma pessoa, um jogo violento pode ser apenas um momento de fantasia, para outros, isso vai vira uma verdade. A pessoa precisa ter uma condição psicológica, tomada por fantasias destrutivas e essas tomarem um sentido lógico. Dentro de um grupo que compactua com os mesmos pensamentos, isso passa a ser um potencial disparador para essas questões. Da mesma forma que se tem a vulnerabilidade para assistir um filme ou praticar um jogo e internalizar as questões, há também em relação às notícias. Ele pode pensar: 'pô, o cara fez isso, então eu posso fazer mais. Olha como ele está famoso!'. Não enxerga o impacto na vítima, ele tem uma empatia enviesada, no caso, com o agressor. É uma necessidade psicológica distorcida em relação ao contexto de coletividade.

Cerca de 10% das pessoas podem transmitir meningite sem apresentar sintomas
Foto: Getty Images

Cerca de 10% dos adultos e adolescentes são portadores assintomáticos da bactéria Neisseria meningitidis, causadora da meningite meningocócica. Apesar de não apresentar sintomas, esse grupo é capaz de transmitir o microrganismo por meio de gotículas e secreções do nariz e garganta. A informação é de uma pesquisa realizada pelo Centro de Informação em Saúde para Viajantes (Cives-UFRJ).

 

"Não sabemos o que faz uma pessoa carregar a bactéria e não desenvolver a doença. De modo geral, pessoas que tenham algum problema nas vias respiratórias ou baixa imunidade nesta área estão mais sujeitas", afirmou Luciana Silveira, gerente médica da Sanofi Pasteur, em entrevista ao jornal Extra.

 

A mortalidade da doença é alta: cerca de 20% dos pacientes não conseguem sucesso no tratamento. De acordo com o Ministério da Saúde, os tipos de meningite mais comuns são as virais e as bacterianas — esta última merece grande atenção por conta da gravidade. Apesar da possibilidade de contágio em qualquer idade, o maior risco está entre crianças menores de cinco anos.

 

"A meningite tem uma letalidade grande, além do risco de sequelas neurológicas graves, por isso a vacinação é tão importante", alertou a pediatra Priscila Mattos, gerente médica do CTI do Prontobaby.

Instituto oferece mamografias e atendimentos oftalmológicos gratuitos na San Martin
Foto: Divulgação

O Instituto Nacional de Amparo à Pesquisa, Tecnologia e Inovação na Gestão Pública (INTS) realiza, entre os dias 19 e 21 de março, duas ações de saúde para a população no supermercado GBarbosa, em San Martin.

 

As mulheres com idade acima de 35 anos poderão realizar mamografias gratuitas, em 19 e 20 de março, por meio do programa "Vida + Rosa". Serão oferecidas 80 senhas por dia.

 

Já no dia 21 de março, a partir das 7h, a população poderá participar do "De Olho na Saúde". O projeto oferece atendimento oftalmológico gratuito para a população com idade acima de 55 anos. Serão distribuídas 250 senhas.

 

Os atendimento acontecem sempre a partir das 7h. Para participar, é necessária apresentação de RG, CPF, cartão do SUS e comprovante de residência.

Cientistas criam técnica que elimina vírus e bactérias de órgãos para transplante
Foto: Cristina Kurachi

Uma parceria entre pesquisadores brasileiros e canadenses resultou em uma nova técnica que possibilita a eliminação de vírus e bactérias de órgãos para transplante. A terapia biofotônica utiliza radiação ultravioleta e luz vermelha para descontaminação.

 

“Esta técnica biofotônica é revolucionária, pois ajuda a evitar a transmissão de doenças durante transplantes de órgãos”, afirmou Vanderlei Bagnato, diretor do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) e coordenador do Centro de Pesquisas em Óptica e Fotônica (CEPOF), sediado na Universidade de São Paulo (USP).

 

O grupo de Bagnato trabalhou em parceria com pesquisadores da Universidade de Toronto, no Canadá, que abriga o maior programa de transplante de pulmão do mundo, com 197 cirurgias realizadas em 2018. Segundo o coordenador do serviço, Marcelo Cypel, um dos obstáculos para a realização dos procedimentos é a necessidade de descontaminar os órgãos a serem transplantados, principalmente quando o doador era portador do vírus da hepatite C.

 

“Já foram realizados 10 testes com pacientes [usando a terapia biofotônica]. Em oito casos, a nova técnica se mostrou capaz de reduzir significativamente a carga viral dos órgãos para transplante. Em outros dois, o procedimento praticamente eliminou a presença do vírus”, contou Cypel, em entrevista à Agência Fapesp.

 

Os cientistas fizeram uso de luz ultravioleta e de luz vermelha para reduzir a carga viral e bacteriana de órgãos para transplante, evitando que doenças como hepatite sejam transmitidas para os receptores. Segundo Bagnato, a técnica foi inicialmente desenvolvida para tratar pulmões, mas já está sendo adaptada para fígado e rins.

Dia Mundial do Rim: Ministério da Saúde alerta para diagnóstico precoce e prevenção
Foto: Agência Brasil

O Ministério da Saúde emitiu nesta quinta-feira (14), quando é lembrado o Dia Mundial do Rim, um alerta sobre a importância da prevenção e diagnóstico precoce da doença renal crônica. No Brasil, o envelhecimento populacional e as doenças crônicas não transmissíveis, como hipertensão e diabetes, são considerados pela pasta importantes fatores de risco.

 

Dados do estudo Saúde Brasil 2018 mostram que pessoas entre 65 e 74 anos apresentaram, em 2017, a maior taxa de realização de terapia renal substitutiva em relação às demais faixas etárias – 785 para cada grupo de 100 mil pessoas. A maior predominância foi entre homens, com taxa de crescimento anual de 2,2% contra 2% entre o sexo feminino. A raça, cor predominante, é a branca (39,6%), seguida pela parda (36,1%), preta (11,4%), amarela (1,2%) e indígena (0,1%).

 

A maior taxa de pessoas em alguma modalidade de terapia renal substitutiva foi registrada no Sudeste, com 236 pessoas para cada grupo de 100 mil. Em seguida, estão Centro-Oeste (229 para cada grupo de 100 mil) e Sul (208 para cada grupo de 100 mil). Os índices, segundo o levantamento, aumentaram em todas as regiões do país, sendo 3,9% no Norte, 3,3% no Nordeste, 3,2% no Centro-Oeste, 1,7% no Sudeste e 0,6% no Sul.

 

O estudo revela ainda que a hemodiálise foi a modalidade de terapia renal substitutiva mais frequente no país entre 2010 e 2017, com média de 93,2% contra 6,8% de diálise peritoneal, feita por meio de cateter, diariamente, na casa do paciente.

Bella Falconi revela que próteses de silicone causaram afundamento torácico
Foto: Reprodução / Instagram

A nutricionista Bella Falconi usou as redes sociais para fazer um alerta sobre o uso de próteses de silicone nos seios. Em postagem feita nesta quinta-feira (14), ela mostrou os implantes que retirou e revelou ter sofrido afundamento torácico.

 

"Mulheres, prestem atenção nisso que vou compartilhar. Prótese mamária é coisa séria e tem que ser MUITO bem pensada e bem discutida. Eu convivi 10 anos com uma prótese de 425 ml submuscular e não me dava conta do quão prejudicial ela estava sendo para minha respiração, pelo simples fato de que o tamanho não era correto pra mim", escreveu.

 

Bella Falconi retirou as próteses antigas e substituiu por menores. "Eu poderia ter ficado mais tempo com os implantes (mesmo já tendo passado o prazo de 10 anos), mas eu preferi resolver isso de uma vez e trocar por uma menor e de sexta geração (que não expira)", explicou.

 

O texto ainda conta que o médico informou que os implantes causaram afundamento torácico e estavam lateralizados. "Quando vi a foto do meus seios antes fiquei chocada, porque nunca tinha notado o quão maior um era em comparação ao outro e a diferença da altura dos sulcos mamários. Era quase 1 kg só de prótese. Louco, né? A base da minha ex-prótese era maior que a de um pires grande", acrescentou.

Roraima registra primeiro caso de H1N1 neste ano; Amazonas enfrenta surto da doença
Foto: Rovena Rosa / Agência Brasil

A Secretaria de Saúde de Roraima confirmou nesta quarta-feira (13) o primeiro caso de infecção por H1N1 do estado neste ano. Segundo a Agência Brasil, a paciente de 26 anos deu entrada no Hospital Geral de Roraima na semana passada com sintomas da chamada Síndrome Respiratória Aguda Grave. Ela foi tratada e já recebeu alta médica.

 

O Departamento de Vigilância Epidemiológica de Roraima emitiu, no início do mês, nota de alerta para que profissionais de saúde se mantenham sensíveis à identificação precoce de casos suspeitos. A medida está relacionada ao registro de 24 mortes causadas pelo H1N1 no Amazonas, de acordo com boletim epidemiológico divulgado na última segunda-feira (11). No total, o estado soma 91 casos confirmados.

 

A campanha de vacinação contra a influenza começa em 15 de abril, em Roraima, e segue até 31 de maio. O estado, juntamente com o Amazonas, será o primeiro a receber as doses.

Viver Bem: Cresce número de brasileiros que recorrem ao 'Dr. Google' e médico faz alerta
Foto: Pixabay

Ele não é clínico geral, sequer é formado em Medicina, mas vem ganhando a preferência da população brasileira quando o assunto é consulta sobre saúde. O “Dr. Google” é o primeiro a ser procurado por 26% dos brasileiros quando se deparam com algum problema na área. O levantamento foi realizado pelo próprio Google e aponta que o Brasil é o País em que as buscas referentes ao tema, mais cresceram no mundo no último ano. Porém, o médico do Sistema de Saúde Hapvida, João Rodolfo Cavalcanti Andrade de Araújo, faz um alerta sobre essa prática: com a mesma rapidez com que o “Doutor Google” responde às dúvidas, pode colocar a saúde das pessoas e de seus familiares em risco.

 

“É muito comum os médicos prescreverem medicamentos, por exemplo, para pacientes com diabetes. Prescrevem a medicação, discute a questão da alimentação, atividade física e faz todo o acompanhamento cuidadoso com base na vida daquele paciente. Aí vem uma vizinha e diz que tomou um determinado medicamento que viu na internet e ficou curada da diabetes, influenciando aquele que estava sendo acompanhado. Isso é grave, pois pode agilizar ainda mais o processo de avanço da doença, além de poder gerar um processo alérgico, por exemplo, levando-o à morte”, alerta o médico.

 

Para João Rodolfo, a internet é como uma ferramenta valiosa, desde que seja utilizada com critério. De acordo com ele, a falta de experiência das pessoas com temas relacionados à saúde pode levá-la a achar que tem uma doença grave, quando o problema não passa de uma virose. Ou também pode acontecer o contrário. “A pessoa pesquisa os sintomas e conclui que não é nada sério, que um chá resolve, ignorando algo que pode ser mais sério do que realmente parece”, completa.

 

AUTOMEDICAÇÃO

Ele lembra ainda que a automedicação é um dos maiores perigos para quem recorre ao “Dr. Google” quando está doente. “Muitas pessoas se deixam levar pelas soluções divulgadas na internet para economizar ou porque acham o procedimento fácil. Mas não sabem tratar as complicações. Por isso, mais uma vez eu alerto para que procurem um profissional médico e evite a automedicação que pode levar a morte”, destacou.

 

O médico ressalta ainda que muitas pessoas não têm capacidade para interpretar as informações que estão na internet, por isso, o especialista aconselha a procurar sempre ajuda profissional. “Percebemos muitos pacientes chegando com uma carga de informações que não tinham antes. O médico é o profissional habilitado que sabe filtrar, através do estudo, livros, artigos científicos e por isso detém o saber sobre os melhores caminhos a seguir no diagnóstico e tratamento das doenças para cada paciente. É muito arriscado fazer as interpretações e tomar conclusões leigas”, afirmou.

 

PESQUISA

O levantamento feito pelo Google foi realizado com o objetivo de saber como os brasileiros pesquisam e consomem conteúdo de saúde na plataforma de busca e no YouTube, site pertencente ao mesmo grupo. O estudo mostrou que o índice de brasileiros que buscam o Google como primeira fonte de informação em casos de problemas de saúde já chega a 26%, próximo aos que buscam imediatamente um médico, com 35%.

 

A pesquisa revelou ainda que o Brasil é o País em que as buscas referentes à saúde mais cresceram no mundo no último ano. A alta também foi maior do que a média de buscas em outras categorias dentro do Brasil. Enquanto as pesquisas de saúde cresceram 17,3%, às de cuidados com cabelos aumentaram apenas 3%. As de maquiagem caíram 4%.

Quinta, 14 de Março de 2019 - 09:30

Momento é de acolher crianças e jovens e se afastar de redes sociais, dizem especialistas

por Jairo Marques e Mariana Versolato | Folhapress

Momento é de acolher crianças e jovens e se afastar de redes sociais, dizem especialistas
Foto: Rovena Rosa / Agência Brasil

Tragédias como a ocorrida em Suzano podem ter implicações na vida de famílias, de crianças e de adolescentes que estão bem distantes do fato em si, mas que ficaram abalados com o cenário de violência. Para piorar, notícias falsas circulando em redes sociais só agravam o estado emocional dos jovens.

Para especialistas, abrir espaços de acolhimento, empatia e diálogo sem tabu, longe da histeria das redes sociais, é fundamental nesse momento que pode ser intenso e ter desdobramentos futuros.

"É momento de acolher, de deixar falar sobre o assunto, de chorar junto, de externar a tristeza. A criança precisa se sentir segura, e os pais podem dar essa sensação de volta a ela, usando o vocabulário e as informações propícias para cada idade", afirma Elaine Di Sarno, psicóloga e neuropsicóloga pela USP.

A psicóloga Beatriz Moura, especialista em saúde mental pela UFRJ, faz um alerta sobre o efeito das "fake news", que podem agravar um estado emocional frágil.

"Não se pode tapar o sol com a peneira fingindo que nada aconteceu, mas também não é possível ficar chutando as causas da tragédias se baseando em coisas da internet, falando do que não se sabe ao certo, de maneira distorcida."

Segundo o psiquiatra Ricardo Moreno, professor da Faculdade de Medicina da USP, a melhor forma de lidar com o assunto é falando sobre ele.

"Os pais não podem se omitir por receio de não saber o que falar. Ninguém precisa ter resposta para tudo, mas é importante garantir o acolhimento, o afeto, a proteção."

Para os especialistas, sinais de alerta na rotina dos jovens e adolescentes podem ajudar a identificar que algo não vai bem em suas vidas.

"As alterações de comportamento podem ser sutis. Os adolescentes podem ficar fechados no quarto, intolerantes, brigar mais. Também é preciso observar o uso de drogas", diz Di Sarno.

Falta de apetite, alteração no sono e agressividade também são fatores a serem observados. As psicólogas recomendam fortemente que os pais acompanhem a vida dos filhos nas redes sociais.

De acordo com Moura, os filhos não podem encontrar suporte emocional no anonimato das redes e depender de aconselhamentos de quem eles nunca viram. "São os pais quem devem dar o suporte emocional a seus filhos."

Para as vítimas mais próximas do massacre, como professores, alunos, familiares e vizinhos da Escola Estadual Raul Brasil, a recomendação é de intervenção profissional efetiva, já que estão expostos a complicações psicológicas mais complexas. Uma experiência tão brutal como assistir a um tiroteio pode ser um gatilho para a síndrome do estresse pós-traumático.

"Cada um responde de maneira diferente, mas os mais próximos precisam de uma rede de apoio para acompanhá-los em curto, médio e longo prazos. As turmas de alunos e profissionais vão precisar de apoio para retomarem suas vidas", declara Moura.

Segundo Di Sarno, é possível que pessoas da comunidade escolar tenham ansiedade, depressão e problemas de aprendizado, principalmente se não forem amparadas.

Itabuna: Mulheres denunciam clínica por queimaduras durante bronzeamento com fita
Foto: Reprodução / TV Santa Cruz

Quatro mulheres acusam uma clínica de Itabuna, no sul baiano, de provocar queimaduras graves após um procedimento de bronzeamento natural. A suspeita é que elas tiveram queimaduras de primeiro e segundo grau. Segundo a TV Santa Cruz, os casos foram registrados nesta quarta-feira (13) na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) da cidade.

 

As vítimas contaram que a dona do estabelecimento prometeu dar assistência médica a elas, mas desapareceu após elas relatarem o ocorrido. O bronzeamento foi feito à luz do sol na clínica Divas Bronze. As mulheres disseram ainda que usaram biquínis feitos com fita e que foi passado um produto no corpo delas. Segundo a Polícia Civil, as vítimas devem passar por exames de corpo de delito durante a investigação do caso.

Para Mandetta, sociedade deve usar mídias sociais para controle de orçamento
Foto: Wilson Dias / Agência Brasil

O ministro da Saúde, Henrique Mandetta, voltou a dizer nesta quarta-feira (12) que acabar com o percentual mínimo de gastos em saúde no Orçamento Geral da União não significa necessariamente redução do investimento no setor. Segundo ele, as mídias sociais podem ajudar no controle da sociedade em relação a esses recursos.

 

“Temos hoje grande ferramenta que são as mídias sociais e o monitoramento da sociedade em relação a todos os atos praticados pelo Parlamento [que é responsável pela aprovação do Orçamento]”.

 

Atualmente, na Saúde, a Constituição Federal estabelece que os estados devem investir no mínimo 12% do Orçamento na área da saúde. Os municípios devem investir 15%. Na educação também há vinculação de 25% no caso de estados e municípios. A União era obrigada a investir pelo menos 18% até 2017, quando a regra foi alterada pela Emenda Constitucional 95, conhecida como PEC do Teto de Gastos.

 

Segundo a Agência Brasil, Mandetta disse desconhecer o conteúdo do texto que poderá ser proposto pelo governo federal, mas diz confiar no parlamento. “Vejo uma maturidade muito grande na bancada da saúde no Congresso Nacional. O que em um primeiro momento pode parecer problema, pode vir a ser ganho para a saúde, desde que tenhamos no governo federal uma musculatura política da saúde condizente com os desafios do Sistema Único de Saúde (SUS)”.

 

Ele afirmou que a medida poderá contribuir para que os orçamentos elaborados deixem de ser “peça de ficção científica” e que acredita que os recursos para a saúde poderão ser ampliados.

Quarta, 13 de Março de 2019 - 15:10

Poluição causa mais mortes do que cigarro, aponta estudo

Poluição causa mais mortes do que cigarro, aponta estudo
Foto: Agência Ansa Brasil

A poluição provoca mais mortes do que o cigarro, de acordo com uma pesquisa realizada por pesquisadores da Alemanha e do Chipre. Apenas em 2015 (último ano com dados globais disponíveis), foram registradas 8,8 milhões de mortes relacionadas à poluição. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) estimam que o tabagismo mate cerca de 7 milhões de pessoas por ano.

 

Segundo o jornal O Globo, os cientistas utilizaram os dados para pedir urgência em ações globais para redução da queima de combustíveis fósseis. "Quando usamos energia limpa e renovável, não estamos apenas cumprindo o Acordo de Paris para mitigar os efeitos das mudanças climáticas. Também estamos reduzindo as taxas de mortalidade relacionadas à poluição do ar em até 55%", afirmou o coautor da pesquisa, Jos Lelieveld, do Instituto Max-Plank de Química em Mainz, na Alemanha.

 

Os cálculos da equipe apontam que, na Europa, a poluição do ar foi responsável por 790 mil mortes. Deste total, entre 40% e 80% foram por doenças cardiovasculares. "Como a maior parte do material particulado e outros poluentes atmosféricos na Europa vêm da queima de combustíveis fósseis, precisamos mudar para outras fontes de geração de energia com urgência", ressaltou Thomas Munzel, do Departamento de Cardiologia do Centro Médico Universitário de Mainz.

Programa Criança Feliz deve chegar a 1 milhão de crianças neste ano, diz ministro
Foto: Agência Brasil

Representantes de 24 estados e do Distrito Federal se comprometeram nesta terça-feira (12) a da continuidade ao programa Criança Feliz, voltado para crianças de até seis anos. O documento foi assinado durante o Seminário Internacional da Primeira Infância e não inclui apenas os estados de Minas Gerais e Santa Catarina, que estão em processo de adesão.

 

O programa Criança Feliz atende atualmente 519 mil crianças e gestantes do Bolsa Família e do Benefício de Prestação Continuada (BPC). Segundo a Agência Brasil, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, acredita que o número deve chegar a 1 milhão até o fim de 2019.

 

“O programa Criança Feliz vai na casa, orientar a família, dar suporte à família, a como estimular a criança de forma adequada. Vai ver a situação que a criança está vivendo, as dificuldades que têm e o que pode ser feito de política pública para a família”, afirmou. O objetivo, ao final dos quatro anos de governo, em 2022, é chegar a 3 milhões de crianças beneficiadas.

 

Lançado em 2016, o programa integra as áreas da saúde, assistência social, educação, justiça, cultura e direitos humanos. Nas visitas semanais, técnicos capacitados orientam sobre o desenvolvimento das crianças de até três anos beneficiárias do Bolsa Família e de até seis anos que recebem o BPC. As gestantes também recebem atendimento.

Histórico de Conteúdo