Quinta, 13 de Fevereiro de 2020 - 21:40

Arany defende 'Ouro Negro' como forma de concessão de apoio para os blocos afro

por Ian Meneses / Bruno Leite

Arany defende 'Ouro Negro' como forma de concessão de apoio para os blocos afro
Foto: Ian Meneses / Bahia Notícias

A secretária de Cultura da Bahia, Arany Santana, defendeu a legitimidade do edital Carnaval Ouro Negro como forma de concessão de recursos para os blocos afro. A responsável pela pasta esteve na coletiva de imprensa de lançamento do Carnaval pelo governo do estado, realizada nesta quinta-feira (13), no Teatro Castro Alves.

 

Questionado por entidades carnavalescas por ser o principal modelo de destinação de verbas para as agremiações (relembre aqui, aqui e aqui), a secretária justificou que "o programa Ouro Negro é fruto de uma luta antiga dos antigos blocos". 

 

"Sou de uma geração que a gente fazia vaquinha para colocar o bloco na rua, os blocos de matriz africana não tinham patrocínio nem apoio. A partir de 2007, o governo começou a dar esse apoio, fruto de uma luta dos blocos", justificou Arany.

 

Segundo a gestora, o edital garante que todos os blocos tenham acesso e igualdade de condições. "Para acessar esse recurso precisa apenas ter a documentação e obedecer as regras", completou.

 

Perguntada sobre os ataques que estaria sofrendo, denunciados pelo Ilê Aiyê através de uma nota, ela disse que "não sabe dizer" sobre eles, mas apontou que cumpre seu papel enquanto gestora. "Tenho plena consciência de que nada fiz de ilegal", finalizou.

Histórico de Conteúdo