Quinta, 23 de Janeiro de 2020 - 00:00

Pelo menos 16 nomes já foram especulados para ser vice na chapa de Bruno Reis 

por Rodrigo Daniel Silva

Pelo menos 16 nomes já foram especulados para ser vice na chapa de Bruno Reis 
Foto: Reprodução / Facebook

A disputa pela vice na chapa de Bruno Reis (DEM) à prefeitura de Salvador promete acirrar nos próximos meses. Pelo menos 16 nomes já foram especulados para integrar a composição tanto da base de ACM Neto (DEM) quanto do grupo do governador Rui Costa (PT).

 

O Republicanos é o partido com mais nomes "indicados" para a vice de Bruno: os deputados federais João Roma e Marcio Marinho, os vereadores Luiz Carlos e Ireuda Silva e a ex-parlamentar Tia Eron. Além deles, a esposa de Roma, Roberta Roma. 

 

De partidos ligados ao governador Rui Costa, os nomes especulados são: Eleusa Coronel (esposa do senador Angelo Coronel), Vovô do Ilê (PDT) e Irmão Lázaro (PL). No ninho tucano, tem Marcell Moraes e Tiago Correia. No PSC, há a vereadora Lorena Brandão.

 

No Democratas, dois nomes já foram cotados: o deputado Alan Sanches e o vereador Alexandre Aleluia. O último pretendia se filiar ao PSL – ex-partido do presidente Jair Bolsonaro – para integrar a chapa. A possibilidade, porém, perdeu força depois que Aleluia rompeu com a família Pimentel, que controla o partido na Bahia. 

 

O secretário de Saúde de Salvador, Leo Prates, que pediu desfiliação do DEM a fim de migrar para o PDT, é considerado o favorito. Prates, Bruno Reis e ACM Neto iniciaram juntos na política. Segundo aliados, a "chapa do coração" de Neto é Bruno e Prates.

 

Outro nome apontado com força é o do presidente da Câmara de Vereadores, Geraldo Júnior (SD), que declarou recentemente que define até março se pretende compor a chapa. Nos bastidores, os correligionários acreditam que Geraldo será candidato a reeleição para tentar se manter na chefia do Legislativo. 

Histórico de Conteúdo