Sábado, 16 de Novembro de 2019 - 09:40

Gerente de restaurante Barravento na Barra é acusado de homofobia: 'Dói e dói muito'

por João Brandão

Gerente de restaurante Barravento na Barra é acusado de homofobia: 'Dói e dói muito'
Foto: Reprodução / Instagram

Um suposto gerente do restaurante Barravento na Barra, em Salvador, foi acusado de homofobia por uma mulher que estava acompanhada por sua namorada, na noite desta sexta-feira (15).

O caso relatado por Gabriella Garrido no Instagram começa quando, segundo ela, “o Sr. Aurelio, que se auto intitulou como gerente do estabelecimento”, a abordou. 

"Solicitando que os contatos entre nós duas fossem contidos, essa é a melhor forma que eu consigo relatar o que foi dito pelo mesmo. Seguindo um pouco mais, o mesmo informou que o Barravento era um restaurante familiar e que os carinhos trocados por nós duas não eram condizentes ao local e que de alguma forma incomodavam e agrediam os outros clientes, e como exemplo dele mesmo, as duas crianças que estavam na mesa atrás da minha não precisavam presenciar tal cena", relatou em sua conta no Instagram.

Ainda de acordo com Gabriella, alguns clientes que se encontravam no local no momento se dirigiram até elas para afagá-las. “Com uma delicadeza tão simples e tão carinhosa apenas perguntaram 'Posso lhe dar um abraço?’. Parece pouco? Mas não foi, foi bem importante na verdade. Como uma deles mesmo alegou, 'Como pode, vocês duas não poderem se beijar enquanto eu e meu marido podemos?'", disse.

"Tudo isso foram palavras dele, mas tudo isso foi sentido por mim. Não tenho palavras para descrever o que senti e o que sinto ainda após tudo isso. Acreditamos que a homofobia, o preconceito e o racismo estão tão longe de nós, mas na verdade estão tão perto. E para quem nunca sofreu como eu até algumas horas atrás eu lhes digo, dói, e dói muito. Por isso eu agradeço as mensagens de apoio, agradeço ao carinho recebido pelos amigos e familiares, mas também pelos desconhecidos", completou.

O Bahia Notícias tentou contato com o restaurante através dos telefones disponíveis nas redes sociais, mas até o fechamento da matéria não conseguiu retorno.

 

Histórico de Conteúdo