Cobrança em universidades federais não traz resultados práticos, diz Weintraub
Foto: Reprodução / G1

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou nesta terça-feira(30), que é contra a cobrança de mensalidade para alunos de alta renda em universidades federais porque "essa é uma medida que não trará resultados práticos". "Apenas 10% dos alunos das federais teriam condições de arcar com essa mensalidade", afirmou o ministro.

 

Weintraub avalia que é preferível dar autonomia às universidades porque isso traria benefícios concretos "muito maiores" do que a cobrança de quem tem recursos.

 

"O debate que eu gostaria de fazer é os seguinte: se a graduação de um aluno de uma (universidade) federal é de, em média, R$ 450 mil para o pagador de imposto, por que não chegamos para esse aluno e dizemos que daremos a ele R$ 300 mil para se formar onde ele quiser?", sugeriu o ministro durante entrevista à Rádio Gaúcha.

 

Weintraub foi questionado na entrevista sobre a meta de colocar 1,7 milhão de crianças nas creches. Segundo ele, para que a meta seja batida, são necessários R$ 3,5 bilhões anuais, segundo o Estadão.

 

Na avaliação de Weintraub, também é chocante que o custo de um diploma em universidade pública "seja de R$ 450 mil", enquanto nas melhores universidades privadas do País, segundo ele, o gasto "não chegue à metade disso".

Histórico de Conteúdo