Gastos do governo com pessoal se aproxima do teto da Receita
Foto: Beto Barata/PR

Os gastos do governo com pessoal estão quase alcançando 50% da Receita Corrente Líquida (RCL), limite imposto pela Lei da Responsabilidade Fiscal. No ano de 2017, a União gastou 41,8% da RCL, que é a soma das receitas tributárias de um governo, descontados os valores das transferências constitucionais. De acordo com informações do G1, o valor alcançado no ano passado com pagamento de salários e benefícios previdenciarios é o maior desde a criação da LRF em 2000 e, se considerada a série histórica do Planejamento, é a maior desde 1998 (42,7%). No total, foram R$ 288,773 bilhões gastos. Para este ano, a previsão é de que fique em R$ 302,55 bilhões. Caso o limite seja atingido, a lei prevê uma série de restrições e medidas, como proibição de reajuste de salários e até a demissão de servidores. Para não encostar no limite, o governo anunciou o início de um Plano de Demissão Voluntária (PDV) para servidores públicos, a opção de jornada reduzida de trabalho, com corte proporcional do salário. O governo federal também passou a restringir novas contrações.

Histórico de Conteúdo