Cristiane Brasil destina cota parlamentar a locadora da tia de chefe de gabinete
Foto: Gilmar Félix / Câmara dos Deputados

A deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ), que foi nomeada para o cargo de ministra do Trabalho, tem destinado parte de sua cota parlamentar a uma locadora de veículos que pertence à tia de sua chefe de gabinete. Segundo informações do jornal Folha de S. Paulo, o endereço e telefone informado pela empresa é, na verdade, de um escritório de contabilidade em Brasília, a Lacerda Contabilidade. O pagamento de R$ 4 mil era feito mensalmente à Barros & Serra Serviços Executivos Rent a Car, que está em nome de Naida Maria Coelho Serra, irmã da mãe de Alessandra Serra Gama, principal assessora da parlamentar. Nos registros da Receita Federal, a empresa tem sede em Sobradinho, uma cidade-satélite de Brasília. No local atribuído, havia um prédio de três andares, entre uma borracharia e uma loja agropecuária – não há placa de identificação na fachada, carros, garagem ou balcão de atendimento da locadora Funciona, que na  prática é a Lacerda Contabilidade. A reportagem de Folha ligou para o número informado e esteve três vezes no local atribuído à empresa, entre uma quinta e uma sexta. Por telefone, uma das atendentes informou que não existe locadora ali e que a Barros & Serra é cliente do escritório. A funcionária firmou ainda que a empresa só declara endereço e telefone. A linha informada é do gabinete do deputado Luiz Carlos Ramos (Podemos-RJ), que até dezembro de 2016 empregava Parmênio Francisco Coelho Serra, outro tio da assessora de Cristiane. Parmênio já assessorou seis congressistas, ao mesmo tempo em que emitia notas fiscais de aluguel de veículos por outra locadora. Ele estava à frente da ARL Barros Serviços Executivos Rent a Car, empresa formalmente ativa, que chegou a ser a mais requisitada pelos parlamentares, apesar de, da mesma forma, sem ter sede comercial ou garagem. Essa empresa também declarava o telefone da Lacerda Contabilidade. O caso da ARL Barros veio à tona em 2013, sendo alvo de investigações no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Tribunal de Contas da União (TCU). Após isso, a ARL saiu de cena e a Barros & Serra foi aberta em nome de Naida, sob administração de Parmênio.  Entre os clientes que já usaram os serviços estão Paulo Maluf (PP-SP), que está preso, e o próprio Luiz Carlos Ramos. 

Histórico de Conteúdo