Guajeru: Prefeito diz que bloqueio de bens ocorreu com base 'em denúncias vagas'
Foto: Lay Amorim / Achei Sudoeste

O prefeito de Guajeru, no sudoeste, Gilmar Rocha (PDT), disse que a decisão do bloqueio de bens tomada pela Justiça Federal ocorreu com base em “denúncias vagas e maledicentes da oposição política do município”. Na quarta-feira (8), o Bahia Notícias informou que o juiz Fábio Stief Marmund bloqueou a quantia de até R$ 85,8 mil de Gil Rocha, como o prefeito também é conhecido, do vice-prefeito de Malhada de Pedras, Adriano Reis Paca, e da Transportadora Paca, de propriedade de Adriano.

 

A sentença foi feita após ação do Ministério Público Federal (MPF-BA) que acusou reajuste ilegal [de 9%] na prorrogação do contrato com a Paca para operar o transporte escolar em Guajeru. Gilmar Rocha declarou em nota que o reajuste do contrato foi feita dentro da lei, “uma vez que foi aplicado o índice de 9%, quando, no mesmo período, o índice de preços ao consumidor amplo, IPCA [Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo], atingiu 10%”. O prefeito ainda disse que ainda não foi notificado sobre a decisão e quando ocorrer vai provar a “boa-fé e a lisura” dos atos.

Histórico de Conteúdo