Domingo, 12 de Agosto de 2018 - 10:05

Há 30 anos, Andrea Velame empreende sonhos de decoração

por Iga Bastianelli

Há 30 anos, Andrea Velame empreende sonhos de decoração

Cheia de garra, empreendedora sempre disposta a superar desafios, para Andrea Velame o maior deles foi criar a própria marca. “Quando as pessoas me perguntam de onde vem o nome Andrea Velame, eu dou muita risada ... porque sou filha de caminhoneiro, não vim de nenhuma família tradicional e esse nome foi construído com muito trabalho e dedicação”.

Formada em administração de empresas, com especialização em marketing, há 28 anos resolveu comprar uma loja de decoração, na sequência se tornou decoradora. “Como Daniela Mercury era minha amiga de infância e me convidou para fazer o projeto de duas casas dela, uma no Encontro das Águas e outro no Caminho das Árvores, ambos projetos tiveram grande repercussão, foram capas de revistas e daí acabei trilhando uma carreira muito especializada em fazer casas de artistas”. Atuei como decoradora e empresária por 20 anos, até que fechei a loja em 2000. Deixei de projetar quando Nathália (Velame), minha filha, se formou em decoração, e eu passei o bastão para ela e comecei a me dedicar como comunicadora nos segmentos de decoração, design, moda e gastronomia. Além do Evento Casas Conceito que foi aberto esta semana e acontece até 16 de setembro, Andrea dirige também o Grupo AV, que tem no seu mix de produtos e serviços, uma editora focada em livros e revistas segmentadas, consultoria, promoção e produção de eventos. 

A empresária baiana atua no segmento de arquitetura e decoração há quase 30 anos. Totalmente envolvida com a família, este é o maior orgulho dela! Conheça e se inspire!

 

O que a incentivou se tornar uma empreendedora?

Foi o conjunto de tudo isso que me levou a ser empreendedora, a fazer coisas assertivas, trabalhar e me dedicar muito, ser muito perfeccionista e muito séria. Apostei muito nos meus sonhos. Acho que as pessoas que apostam nos sonhos têm mais possibilidade de alcançar o sucesso.

 

Do que você realizou até aqui, o que mais te orgulha?

Da minha famíla, do meu marido, que sempre foi meu grande incentivador e parceiro em tudo! Eu vou fazer 53 anos este ano e estamos juntos há 40 anos. Meu grande projeto e orgulho é ter construído uma família unida. Eu brinco dizendo que o mais importante é construir um símbolo do infinito, e eu, Ignácio (meu marido) e meus filhos Nathália e Bruno são meu símbolo do infinito.

 

Nesta caminhada tiveram erros e acertos, dos erros qual foi o melhor aprendizado?

Toda caminhada tem sempre erros e acertos e a gente aprende com eles sim! Mas acho que o maior erro que cometi foi há 20 anos quando passei a ter projeção nacional em revistas que me apontavam como grande realizadora, sobretudo como empreendedora e decoradora, aí eu comecei a me considerar uma pessoa mais importante do que era de fato. A vida me deu uma rasteira e caí, mas levantei e me reergui aprendendo que ninguém é melhor do que ninguém e que a gente precisa matar um leão por dia para se manter no topo da onda. Aprendi que além de talento, é preciso ter simplicidade.

 

Que dicas pode dar as mulheres que estão iniciando agora o empreendedorismo?

Foco, determinação, buscar seu caminho, seu olhar, saber o que quer. Acho que a gente aprende que tudo na vida tem um ciclo, tem princípio, meio e fim, as pessoas acabam se perdendo no meio do caminho e não conseguem ter seus objetivos alcançados, é nisso que me empenho nesses 30 anos de carreira.

 

Com 30 anos de experiência em decoração, qual a avaliação que faz do setor na Bahia?

O mercado de arquitetura e decoração na Bahia é um dos mais interessantes do Brasil, com DNA próprio, com projetos autorais, com profissionais sérios, nós não devemos a ninguém, nem no Sul nem no Sudeste do país. O trabalho que fizemos na Casas Conceito foi exatamente parar um pouco esse movimento de se falar tanto em crise, corrupção, chega de falar disso, as pessoas precisam se dedicar a construir novas histórias e dar o seu melhor na construção de um novo momento do país. O mercado de arquitetura e decoração da cidade é maravilhoso, a gente tem um mercado de construção civil que precisa ser reativado, junto com isso reaquecer o mercado. Eu estou fazendo a minha parte e espero que todos façam.

 

Como especialista nesta área o que na sua opinião poderia contribuir para tornar o setor mais fortalecido?

Muito empenho, seriedade e muita dedicação. Estou sendo redundante porque acho que esse é o foco do sucesso. Sucesso pra mim não tem nada a ver com ganhar dinheiro. Eu, ao longo desse tempo consegui me tornar uma formadora de opinião do mercado, uma pessoa de credibilidade e, devo admitir que isso não é compatível com meu sucesso e meu retorno financeiro, mas acho que quando você quer fazer alguma coisa, tem que fazer da melhor maneira possível. E um setor pra ser fortalecido, precisa unir pessoas que sejam sérias, competentes e com foco.

 

Como surgiu a ideia de realizar esta Mostra?

A ideia era na verdade um sonho antigo. Eu fui decoradora participante de mostras, fornecedora de mostras, fui comunicadora de mostras e, ao longo desses anos, sentando nas diversas cadeiras do setor, tinha diversas coisas que me incomodavam, seja na relação com os profissionais, com os fornecedores, atores principais para que um evento desta dimensão fosse realizado. É preciso unir as pessoas e dar as mãos para que um evento desse porte seja realizado. Tem que ser exigente, porque você precisa preparar tudo para que o público comprador enxergue que você tem o profissional especializado e, como fiz administração e me especializei em marketing, eu acredito que nada acontece sem que você saiba comunicar o seu trabalho.

 

Quais foram os principais desafios?

Se envolver com 35 escritórios, 100 fornecedores, 600 prestadores de serviço e não se incompatibilizar com as pessoas. Você tem que ter o posicionamento firme, o pulso forte, muita postura, mas não perder sua essência, sem se perder de você mesmo. Mas consegui nesses 90 dias de obra manter um equilíbrio emocional, e acho que, Graças a Deus, eu consegui.

 

O que este evento traz de diferencial?

Brasilidade, ouvi de uns jornalistas de São Paulo que vieram visitar a mostra uma coisa que me deixou muito feliz. Que esta é uma mostra autoral, onde as pessoas trouxeram suas raízes, suas almas e as colocaram nos seus projetos. Quando a gente circula pela mostra a gente percebe isso. E, sem falsa modéstia, nesses 30 anos de mercado, nunca vi uma mostra tão equilibrada, e com projetos tão diferenciados.

 

Qual é a expectativa e planos futuros?

Não tenho. Agora é viver esses 42 dias de Casas Conceito e aproveitar ao máximo isso que foi feito com muito carinho para todos vocês. O futuro, eu não sei. Quero agora viver meu sonho e atrair as pessoas para a Casas Conceito para que elas possam sonhar também!

Leia mais

Domingo, 20 de Maio de 2018 - 08:05

Miss Bahia concorre com outras 26 candidatas ao título de Miss Brasil

por Iga Bastianelli

Miss Bahia concorre com outras 26 candidatas ao título de Miss Brasil

A Miss Bahia 2018 já foi consultora de vendas e é moradora do bairro Santa Cruz, em Salvador. Maria Isabel de Jesus Santos, tem19 anos, começou seu trabalho como modelo em 2014 e participou do Afro Fashion Day por dois anos consecutivos. Em 2018 se tornou Miss Salvador e a última conquista foi, em abril, quando recebeu a coroa de Miss Bahia.

Enquanto começava a sua vida de modelo, Maria Isabel trabalhava como consultora de vendas o que permitia bastante flexibilidade para seguir a carreira de modelo. Mora com a mãe e irmã, e disse no concurso que seu maior desejo é influenciar outras mulheres a conquistarem seus sonhos. Maria Isabel já viajou para representar a Bahia e concorrer com outras 27 candidatas ao título de Miss Brasil que acontece esta semana (26) no Rio de Janeiro.

 

Como é se tornar Miss Bahia e concorrer ao Miss Brasil?

Me tornar Miss Bahia foi uma experiência incrível. Foi uma das maiores realizações que já aconteceu na minha vida. Representar as mulheres baianas no Miss Brasil Beemotion 2018 é uma responsabilidade muito grande e eu vou mostrar todo o meu potencial.

 

Ser modelo sempre foi um sonho de criança... daqueles de se arrumar, fazer poses dentro de casa ... como tudo aconteceu?

Desde criança sonho em ser modelo. Eu ficava tirando fotos em casa e brincado com os saltos de minha mãe, imaginando que estava em um estúdio fotográfico. Sempre admirei as TOP Model’s nas capas de revistas. Aos 15 anos uma amiga me disse que eu tinha jeito para ser modelo e que ela conhecia uma pessoa que trabalhava numa agencia. Essa foi minha primeira experiência e logo em seguida começaram a surgir trabalhos como modelo.

 

O que acha que muda em sua vida agora?

Agora tenho uma responsabilidade bem maior. Tenho muitos compromissos como Miss Bahia, estou me preparando muito para o Miss Brasil e dedicando todo meu tempo ao meu desenvolvimento pessoal. Ganhei mais visibilidade, as pessoas passaram a me reconhecer nas ruas.

 

No concurso para Miss Bahia você disse que seu desejo é influenciar outras mulheres, de que maneira você acha que pode fazer isso?

Eu pretendo mostrar as mulheres que cada uma deve se aceitar do jeito que é. Cada mulher tem características diferentes, o que nos torna especiais. Nós temos que batalhar e correr atrás dos nossos sonhos, independente das barreiras e obstáculos que estejam em nosso caminho.

 

O que foi mais difícil para você no processo de se tornar modelo e ser uma miss?

O mundo Miss é diferente da experiência como Modelo. Eu estava acostumada a trabalhar como modelo, onde não podia sorrir muito, a roupa tinha que se destacar mais do que eu, a passarela é mais rápida. Tive que desconstruir tudo que eu já sabia fazer para aprender a ser uma Miss. Hoje, quem aparece sou eu, Maria Isabel, com a minha personalidade, carisma, simpatia e beleza. Posso expressar tudo o que sinto e penso, afinal meu objetivo como Miss é influenciar as pessoas a se aceitarem como são.

 

O que você destaca em você de mais precioso? O que fez a diferença para ser escolhida?

Eu respeito muito ao próximo. Somos todos diferentes e temos que aceitar isso. No concurso, estávamos entre 20 mulheres, cada uma com sua beleza, sua personalidade. No dia da final, eu vivi realmente aquilo. Me entreguei, dei o meu melhor e acho que as pessoas que estavam lá perceberam isso, por isso fui eleita a representante do nosso Estado.

 

E o corpo ... como se cuida?  Existe um rigor para se manter magra? Ou segue tranquila, mas sem exageros?

Eu sigo uma alimentação balanceada, mas não me privo de muitas coisas. Penso que tudo em equilíbrio dá certo. Atualmente faço Crossfit 3 vezes na semana, às vezes ainda consigo ir na academia, porque a agenda é bastante puxada, rsrs e também faço tratamentos estéticos. Gosto do meu corpo como ele é. Sempre fui focada e tento manter a boa forma.

 

Como você pensa seu futuro daqui para frente?

Para meu futuro, me vejo como Miss Brasil Beemotion 2018. Quero conquistar esse título, e trazer a coroa para a Bahia. Esse é o meu principal objetivo no momento. Pós concurso penso em fazer faculdade de Engenharia Civil e ser uma profissional reconhecida.

Leia mais

Domingo, 11 de Março de 2018 - 08:05

"De Olho na Band", olho no olho com Zuleica Andrade

por Iga Bastianelli

Zuleica Andrade, diretora de Jornalismo da TV BandBahia e da Rádio Bandnews FM, é jornalista formada pela Universidade Federal da Bahia e museóloga também pela UFBA. Começou na função de produtora, foi redatora, editora de texto local, editora nacional, editora chefe e chefe de redação. Trabalhou na equipe do Jornal da Band com Paulo Henrique Amorim, Carlos Nascimento e Ricardo Boechat. Ganhou prêmios de jornalismo, junto com a equipe, editando séries como Infância Ferida, 450 anos de Salvador, reportagens especiais sobre a seca e a invasão da UFBA pela Polícia Militar. Zuca, como é chamada pelos mais próximos, é reconhecida no jornalismo de TV por revelar talentos da Bahia para a rede nacional, como Rosana Jatobá, Mariana Monteiro, Jéssica Senra, Ticiana Villas Boas, Natália Boere e outros. Com o apoio de Zuca conseguimos falar com algumas destas jornalistas.

Leia mais

Sábado, 28 de Outubro de 2017 - 08:05

Elíbia Portela representa a gastronomia baiana e há 35 anos à frente de um programa de Tv

por Iga Bastianelli e Ana Oliveira

Elíbia Portela representa a gastronomia baiana e há 35 anos à frente de um programa de Tv
Quando o assunto é gastronomia Elíbia Portela é uma das grandes representantes da Bahia. Há mais de 30 anos à frente do programa Prato da Casa veiculado na Tv Bandeirantes, muito mais que uma chef de cozinha e apresentadora, Elíbia também é professora e já escreveu dezoito livros. Entre as diversas receitas que inventou destaque para o salgadinho Boliviano que marca presença em quase todas as festas e o Pãozinho Delícia da Bahia receita que se popularizou e foi criada como uma solução para o antigo pãozinho de aniversário que apenas poucas pessoas conseguiam fazer.

Leia mais

Sábado, 30 de Setembro de 2017 - 08:05

Goya Lopes referência criativa da moda afro-brasileira

por Iga Bastianelli

Goya Lopes referência criativa da moda afro-brasileira
Goya Lopes é uma das pioneiras a trabalhar de maneira criativa com a moda afro-brasileira e com isso se tornou uma referência. Formada em artes plásticas pela UFBA, com especialização em design pela Universitá Internazionale Dell Arte di Firenze, formada em Design de Moda pelo Instituto Brasileiro de Moda, o IBMODA de São Paulo, e com especialização em gestão, mais do que designer de moda ela diz ser uma contadora de história por meio da estamparia.

Leia mais

Sábado, 16 de Setembro de 2017 - 08:05

Vai começar a Casacor Bahia! Confira aqui no BN Mulher a entrevista com Luizinha Brandão

por Iga Bastianelli

Vai começar a Casacor Bahia! Confira aqui no BN Mulher a entrevista com Luizinha Brandão
A partir de quarta feira (20) até o dia 29 de outubro a Bahia irá respirar decoração, design e arquitetura! Vai começar a 22a Edição da Casacor Bahia seguindo a tendência nacional da Casacor São Paulo cujo tema foi “Foco no Essencial”. O BN Mulher entrevistou a franqueada Luizinha Brandão que contou detalhes da Casacor e relembrou o início deste evento que tanto contribuiu para a profissionalização do setor. Há 23 anos Luizinha Brandão está à frente da Casacor e relembra que naquela época as pessoas compravam os móveis em São Paulo. A história do evento na Bahia começou quando a empresária resolveu se realizar profissionalmente na área em que se formou, daí foi até São Paulo participar de uma feira de franquias, na verdade não gostou das opções apresentadas pela feira, mas ficou sabendo que a Casacor, que ela tanto admirava e costumava visitar, disponibilizava franquias.

Leia mais

 Dra Annete Oliveira, a anfitriã do Congresso da Sociedade Brasileira de Dermatologia
Presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia-Regional Bahia, Dra Annete tem uma história de superação e recomeço. Em 1978 ela se formou em pediatria , mas 21 anos depois, quando já estava estabelecida na profissão, resolveu recomeçar, voltou a estudar e aplicou para outra residência médica, a dermatologia, que era seu grande sonho. Prova de persistência e força de vontade. Dra Annete será a anfitriã na próxima semana do Congresso da Sociedade Brasileira de Dermatologia que será sediado aqui na Bahia, em Sauípe.

Leia mais

Ângela Fraga, diretora da Fundação Casa de Jorge Amado, fala da 1ª Edição da Flipelô
Mas antes de falar da Flipelô, Ângela revelou um segredo que era guardado a sete chaves pela mãe dela e por Paloma Amado. Se trata do acervo de correspondências de Jorge Amado que antes de morrer pediu a Myriam Fraga que zelasse por este acervo e que só abrisse depois de 50 anos. “Logicamente minha mãe falou: mas daqui há 50 anos nem eu estarei viva ... e ele disse use o bom senso", contou Ângela. O primeiro fruto deste acervo já virou livro, é o recém lançado Com o Mar Por Meio, que tem as correspondências trocadas por Jorge Amado e Saramago, um trabalho de pesquisa de Paloma Amado e Bete Capinan coordenadora editorial da Fundação Casa de Jorge Amado e que foi editado pela Cia das Letras.

Leia mais

Elegância e estilo marcam a trajetória da design de interiores e empresária Nágila Andrade
Natural de Vitória da Conquista no Sudoeste baiano, Nágila Andrade ocupa há mais de duas décadas o posto de sócia diretora da Escola Bahiana de Arte e Decoração (Ebade). Tudo começou há 32 anos quando foi fazer um curso livre na própria Ebade. Nesta época estava saindo de um casamento com as 4 filhas pequenas e precisava trabalhar. Logo em seguida, surgiu a oportunidade dela se tornar sócia da escola e tempos depois com o resultado do trabalho que desenvolvia comprou a parte do sócio, que decidiu se engajar em outro projeto. Com vasta experiência, participação em diversas mostras de decoração, Nágila assinou também projetos em diversos eventos nacionais e em quase todas as edições da Casacor Bahia. Não é por menos que acumula prêmios e é a única profissional que conseguiu manter-se por 12 anos entre os 10 melhores na premiação do Núcleo de Decoração da Bahia.

Leia mais

Sexta, 21 de Julho de 2017 - 08:05

Rosemma Maluf: mulher de negócios, mãe e 'feminista contemporânea de carteirinha'

por Iga Bastianelli

Rosemma Maluf: mulher de negócios, mãe e 'feminista contemporânea de carteirinha'
Com empreendedorismo correndo nas veias, Rosemma Maluf possui uma trajetória profissional conciliada à vida familiar que serve de inspiração para as mulheres que não abrem mão dos diferentes papéis que estejam dispostas a desempenhar. Sua visão para os negócios a levou a investir nas próprias ideias e colecionar sucessos. Não à toa, portanto, é a atual presidente do Conselho da Mulher Empresária da Bahia e vice-presidente do Conselho Nacional da Mulher Empresária da Confederação das Associações Comerciais do Brasil – (representando o Nordeste) e, com orgulho, denomina-se “feminista contemporânea de carteirinha”.

Leia mais

Histórico de Conteúdo