Terça, 13 de Novembro de 2018 - 08:05

Vantagens e desvantagens de empresas familiares

Vantagens e desvantagens de empresas familiares

Empresa familiar é muito mais do que gerar um negócio com alguns parentes, é algo tão sério que existe um conceito próprio para esse tipo de empresa. Segundo o site Novo Negócio, uma empresa familiar é aquela que surgiu como um ideal dos membros da família no qual existe um vínculo emocional forte por pertencer a um projeto de nosso pai, mãe, avô ou outro membro da família.

 

Assim como qualquer modelo de negócio, do mais simples ao mais complexo, existem os prós e os contras de estabelecer um negócio familiar e/ou decidir fazer parte.

 

O Sebrae diz que esse tipo de empresa tem uma estrutura enxuta, disponibilidade de recursos financeiros e administrativos para autofinanciamento obtido de poupança compulsória feita pela família, organização interna leal e dedicada e forte valorização da confiança mútua, independentemente de vínculo familiares. A formação de laços entre empregados antigos e os proprietários exerce papel importante no desempenho da empresa como alguns dos pontos fortes

 

Já como pontos fracos são apontados: dificuldade de separar as emoções, relações e decisões, valorização das tradições para resolver tudo dentro do negócio, conflito de interesses da família com os interesses da empresa e até mesmo falta da participação de outros sócios. O site Novo Negócio coloca a constante capacitação profissional e um planejamento de negócio como formas de driblar crises e alguns problemas.

Quarta, 07 de Novembro de 2018 - 08:05

Conheça sobre o LEGO® SERIOUS PLAY® nesta entrevista com a Coach Marta Castro

por Iga Bastianelli

Conheça sobre o LEGO® SERIOUS PLAY® nesta entrevista com a Coach Marta Castro

Em entrevista ao Bahia Notícias Mulher a Consultora e Coach Marta Castro, sócia diretora do Instituto Planos, fala sobre uma metodologia interessante de facilitação de grupos usando o Lego, aquele brinquedo de montar! É que nesta semana de 08 a 11 de novembro, Praia do Forte recebe um encontro de facilitadores em LEGO® SERIOUS PLAY®. Não sabe o que é isso? Então acompanhe o Ping Pong abaixo e conheça um pouco sobre esta metodologia.

 

O que é o LEGO® SERIOUS PLAY®?

 

MC - O LEGO® SERIOUS PLAY® ou Lego Brincadeira Séria, é uma metodologia que usa kits específicos de Lego para tratar de questões do universo corporativo, possibilitando descobertas incríveis em relação a pessoas, trabalho, dificuldades, soluções, etc. As peças modeladas funcionam como metáforas que as equipes falem, por meio de contação de histórias (history telling), da identidade dos colaboradores e da empresa de uma forma lúdica, mas profunda. Os resultados são tão incríveis que vem sendo utilizada por órgãos públicos, empresas de diversos portes, ONGs e até a ONU já aplicou o LEGO® SERIOUS PLAY®.

 

Como surgiu esta ideia?

 

MC - No final dos anos 80, a Lego passava por uma crise, perdendo mercado para os vídeos games e outros brinquedos mais tecnológicos. Na época, o presidente da LEGO Company, Kjeld Kirk Kristiansen, contratou dois consultores, Johan Roos e Bart Victor, para ajudá-lo no planejamento estratégico da empresa. Como o LEGO é uma peça genérica, que possibilita construções que estão limitadas apenas à imaginação de quem a usa, os consultores usaram o próprio Lego para modelar novas possibilidades. O resultado foi tão bom que eles partiram para tentar entender o que havia acontecido, montaram uma equipe multidisciplinar e, em 1996, lançaram o LEGO® SERIOUS PLAY® METHOD (LSP) como uma ferramenta para abordar os problemas organizacionais.

 

A partir daí surgiram três escolas no mundo autorizadas a aplicar e formar facilitadores. Eu, por exemplo, sou formada pela Strategic Play que é canadense e tem um braço no Brasil.

 

E como o LEGO® SERIOUS PLAY® funciona na prática?

 

MC - Em reuniões ou workshops conduzidos por um facilitador certificado. Praticamente todas as questões podem ser trabalhadas com o apoio da metodologia. Eu, particularmente gosto de usar para tratar de relacionamento interpessoal (na empresa e com clientes), cultura organizacional, competências e planejamento estratégico. Eu que atuo há cerca de dez anos com consultoria em planejamento posso afirmar que o LSP deu mais riqueza e agilidade às oficinas de planejamento. Eu uso também nas sessões de coaching, como uma ferramenta intermediária de expressão e construção de possibilidades.

 

O que torna a metodologia tão eficaz?

 

MC - Primeiro, ela é interessante para estimular a participação de todos. Sabemos que em reuniões geralmente são poucas e sempre as mesmas pessoas que falam. Com a metodologia o facilitador conduz de tal forma que todos contam suas histórias e interagem com os demais participantes, contribuindo para a discussão, decisões e resultados. Isso transforma o conhecimento individual em conhecimento coletivo.

 

Depois, a metodologia estimula o surgimento de insights. Isso porque o uso das duas mãos geram conexões neurais que estimulam os dois lados dos nosso cérebro: o direito, criativo, e o esquerdo analítico. Além disso, por se tratar de uma comunicação por meio de metáforas, as pessoas acabam se expressando mais e melhor. E finalmente, porque é muito leve, gostoso de trabalhar. Quando as pessoas quebram a desconfiança inicial, ficam encantadas e surpreendidas.

 

Existe alguma teoria por trás desse trabalho?

 

MC – Sim, as três principais bases são o construtivismo de Piaget, o Construcionismo de Papert e a teoria de Flow de Mihaly. De maneira breve: o Construtivismo defende que as estruturas cognitivas do sujeito não nascem prontas e por isso sua construção parte da interação desse sujeito com o meio. Ou seja, quando compartilhamos o que modelamos individualmente ou fazemos modelos compartilhados, estamos estimulando a aprendizagem das pessoas e das empresa da qual fazem parte. Já o Construcionismo prega que a construção do conhecimento baseada na realização de uma ação concreta que resulta em um produto palpável, que seja de interesse de quem o produz, logo, ao modelar no Lego estamos modelando e avançando nas nossas ideias. E o Flow é o equilíbrio dinâmico entre o uso de nossas competências e os desafios que assumimos que nos permite entrar num fluxo (daí o nome) de trabalho onde estamos tão confortáveis e motivados que não sentimos o tempo passar.

 

E como será o encontro de facilitadores?

 

MC – O encontro vai reunir pessoas certificadas pela Strategic Play em todo o Brasil e contará com a presença da Jacqueline Lloyd Smith e Stephen Walling, fundadores da Strategic Play, e Anibal Viegas, Presidente da Stregic Play Brasil. Serão dois dias de Certificação Avançada em Gestão de Conflitos utilizando Lego e dois dias de UnConference, espaço de troca de experiências entre os facilitadores certificados sobre a aplicação do LSP em diversas situações. Eu terei a oportunidade de apresentar o meu know how de utilização do Lego no Planejamento Estratégico.

 

O bom disso tudo é que as empresas brasileiras (e baianas) poderão contar com mais alternativas de uso do Lego com profissionais cada vez mais preparados. Porque o profissional sério investe em sua capacitação para melhor servir a seus clientes. E essa é a beleza do processo. Chegar a resultados excelentes brincando seriamente.

 

Marta Castro é Sócia-Diretora do Instituto Planos, consultoria em Planejamento e Desenvolvimento Humano e Organizacional, com 13 anos de atuação, tendo realizado trabalhos em vários estados do Brasil e no exterior. Administradora de Empresas com especializações em Marketing, Administração e Recursos Humanos. Membro e atual diretora de Planejamento do Capítulo Regional Bahia da ICF – Confederação Internacional de Coaches, é Coach Executiva e de Carreira, tendo em seu currículo mais de 200 horas de formação (Coaching Sistêmico, Life and Executive Coaching, Máster Coaching Sistêmico e Inner Game) e mais de 250 horas de atendimento. É também facilitadora de grupos pelas metodologias de Grupo Multirreferencial e Lego Serious Play e analista comportamental na ferramenta PDA.

Advogada brasileira ganha prêmio da ONU e se torna uma das pessoas negras mais influentes
Foto: Divulgação

A especialista de soluções na Microsoft Lisiane Lemos, 29 anos, foi reconhecida como um dos jovens negros mais influentes do mundo, após ganhar um prêmio na categoria empreendedorismo do Most Influential People of Africa Descent (MIPAD), da Organização das Nações Unidas (ONU). De acordo com o site Universa, o prêmio é uma iniciativa da ONG Rede de Profissionais Negros, que busca aumentar a inserção de pessoas negras no mercado corporativo. Atualmente, apenas 4% dos cargos de liderança são ocupados por negros, segundo o levantamento do Instituto Ethos.

 

Em entrevista à Universa, a advogada contou que a desigualdade racial no mercado de trabalho vista quando foi entrevistada na Microsoft a motivou para mudar essa realidade. "Eu quero ter uma carreira de sucesso para motivar outras pessoas, mulheres, como fui motivada ao ver aquele executivo. Foi naquele momento que comecei a pensar sobre essa questão da igualdade no mercado corporativo", afirmou.

 

No entanto, a jovem lembrou que é preciso vencer o racismo estrutural para reduzir a desigualdade. Para ela, medidas como programas de mentoria e ensino aos próprios funcionários antigos para que saibam como acolher os outros são medidas que podem ser adotadas pelas empresas para que a inclusão de pessoas negras seja cada vez maior. “Precisamos vencer, primeiro, esse mito de que vivemos em uma democracia racial, de que racismo não existe no Brasil”, pontuou. “Nosso país é desigual e precisamos mudar isso dentro das empresas”.

Empresária compartilha paixão por café com clientes e amigos

Algumas motivações entre elas a paixão pelo café fizeram com que a empresária Selma de Souza Lemos, de 46 anos, se dedicasse a abertura do Ravel Café, inaugurado há quatro meses em Salvador. Formada em administração, Selma se mostra experiente quando o assunto é gestão de empresas. Isso porque a administradora sempre trabalhou nos negócios da família. No entanto, a partir de 2017, Selma sentiu a necessidade de alçar um vôo solo com a idealização da sua cafeteria.

 

"Queria empreender em algo que me proporcionasse realização e prosperidade financeira. Então, passei a pesquisar e fazer cursos. Foi aí que descobri a minha paixão por saborear café e percebi que poderia se tornar um negócio", revela.

 

Localizado na Pituba, o Ravel Café tem como principal objetivo trazer a “terceira onda” do café para a capital baiana, segundo a proprietária. Para os amantes desta bebida, a terceira onda se tornou febre no mundo nas últimas décadas. Selma explica que o movimento se refere a forma de apreciação e degustação do café. "Nosso compromisso se inicia com a rastreabilidade dos grãos garantindo qualidade e excelência com cafés especiais, parcerias sustentáveis, um ambiente saudável para os colaboradores", conta.

 

"CAFÉ COM EMPATIA"

Apesar do pouco tempo de funcionamento, o empreendimento já tem rendido bons frutos. Um deles é a realização do evento “Café com Empatia” em parceria com Marta Castro, sócia-diretora do Instituto Planos que atua com consultoria em Planejamento e Desenvolvimento Humano e Organizacional. “Os resultados estão perfeitamente orquestrados com nossos sentimentos de promover encontros, que geram discussões relevantes a nossa sociedade. Além de idealizarmos um espaço aprazível com um cardápio singular”, reforçou a empresária.

 

O evento teve a sua primeira edição no dia 9 de outubro e já tem outras duas datas previstas para acontecer ainda neste ano, nos dias 6 de novembro e 4 de dezembro. “As pessoas não querem apenas comprar produtos,  querem ter experiências, isso envolve, ambiente, atendimento, qualidade, inovação e informação. Quando promovo o ‘Café com Empatia’, oferto aos clientes o que eles estão desejando. O cliente fica satisfeito, consome, retorna e gera receita recorrente, isso foi exatamente  o que ocorreu”, relata. Além dos elogios, Selma destaca que, graças ao evento, aumentaram as chances de fidelizar os clientes.

 

Sabendo das dificuldades do mundo dos negócios, a administradora acredita que o segredo é investir em algo que tenha afinidade. “Empreenda em algo que esteja alinhado com seu propósito de vida, estude bastante, planeje e  tenha prazer em realizá-lo”, completa.

 

Terça, 23 de Outubro de 2018 - 08:05

Para driblar a crise, mulheres empreendem em alimentação!

por Rafaela Souza

Para driblar a crise, mulheres empreendem em alimentação!

Como uma alternativa de driblar o desemprego e alcançar a autonomia financeira, muitas mulheres têm empreendido no segmento gastronômico. De acordo com a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor, as mulheres são as mais interessadas em começar um novo negócio. A GEM também revelou que entre as atividades principais, quase metade das empreendedoras investem em gastronomia.

 

Produzir marmitas foi o que Amada Rendall, de 37 anos, escolheu fazer após trancar a faculdade de enfermagem, em abril deste ano. A técnica de enfermagem conta que o contato com a área alimentícia veio antes da produção de marmitas, que são vendidas no Campus de Ondina, na Universidade Federal da Bahia. "No início fazia coxinhas e vendia na sala de aula à noite. Deu certo então resolvi investir mais tempo e me dedicar, cheguei a trancar o curso", relata.

 

A frente da Almoço Sensação, Amada revela que, além de gostar de cozinhar, atuar no setor alimentício tem sido um grande desafio. Isso porque ela faz sozinha todo o trabalho.  "Todos os dias eu mesma que faço as refeições, preparo as marmitas, e saio até o destino que no momento é a UFBA", explica. O cardápio oferecido por ela inclui strogonoff de frango, pirão de aipim e dois tipos de lasanha.

 

Quanto a relação com a enfermagem, a empreendedora admite que pretende continuar no mercado de alimentação. "Infelizmente, o tempo é um fator que conta muito na área de saúde. Estou pensando em seguir no ramo da gastronomia", afirma.

 

Apesar da vontade em continuar na área, a empreendedora é realista e destaca que os valores dos produtos podem dificultar o sucesso do negócio. Para ela, o lucro ainda é baixo, mas ela está decidida em persitir. “Para quem não tem o capital para investir, como está sendo no meu caso, é ainda mais difícil”, completa.

 

 

DICAS PARA EMPREENDER EM GASTRONOMIA

Se você pretende empreender no ramo de gastronomia, confira as dicas do site da revista Ludovica!

 

PLANEJAMENTO

Além de ser uma decisão séria, empreender na gastronomia requer muitos cuidados com o produto que é servido. É importante estar atento a imagem, qualidade e todos os detalhes que envolvem o preparo e venda de alimentos.

 

VÁRIAS POSSIBILIDADES

O mercado gastronômico é muito amplo e oferece muitas possibilidades. Por isso, é essencial estudar e se manter informado sobre todas as novidades.

 

REDES SOCIAIS

As redes sociais são grandes aliadas na hora de divulgar a marca ou produto e se aproximar do público.

 

CLIENTES

A qualidade do prato, o ambiente em que é servido, o cuidado com a preparação dos alimentos é o que fideliza o cliente.

Terça, 16 de Outubro de 2018 - 08:05

Invista tempo em capacitação online!

Invista tempo em capacitação online!

 

Há momentos da carreira que é preciso investir em capacitação. Mas como fazer cursos sem gastar muito dinheiro? É hora de pensar em cursos online e ampliar o conhecimento usando a modernidade ao seu favor.

 

O site Educa Sempre, destaca as grandes vantagens dos cursos online: economia, flexibilidade e variedade. A depender da área de interesse há cursos até gratuitos. Para quem está em formação superior, é uma possibilidade para obter certificados e horas complementares.

 

A economia é ainda maior quando você analisa que não há gastos com transportes nem materiais. A economia de tempo também é real, você pode fazer em algumas horas de folga. Apenas precisa estar em frente a um computador! A plataforma online permite que você acesse o material em horários que você mesmo vai estabelecer. A internet está recheada de cursos e estilos de cursos sobre um mesmo tema. Noções de comunicação, administração, contábeis e outros, sem contar nos próprios cursos superior em EAD – Educação à Distância.

 

Mas todo esse lado bom se perde se o aluno  não demonstrar compromisso e organização. Por isso se organize, tenha disciplina e comece um curso online hoje!

 

Terça, 09 de Outubro de 2018 - 08:05

Comprar e revender empresas, um bom negócio?

Comprar e revender empresas, um bom negócio?

Quem assistiu o filme "Uma Linda Mulher", com Julia Roberts e Richard Gere, sucesso nos anos 90, deve lembrar que o personagem dele trabalhava comprando empresas falidas e lucrava com as vendas. Tanto que uma das vezes em que a personagem de Julia Roberts o ajudou foi em um jantar de negócios. Mas este tipo de negócio é vantajoso?

 

De acordo com site SB Sistemas, é necessário avaliar mais que as vantagens ou desvantagens antes de comprar uma empresa. O site resume como necessários alguns passos antes de fechar uma compra deste tipo: tente assegurar que quem está vendendo não vai passar informações sigilosas a mais ninguém, veja quais contratos a empresa tem em aberto, analise as declarações de impostos e os documentos importantes e tenha um advogado experiente na área para te instruir.

 

Segundo matéria do G1, o bom de comprar uma empresa pronta é que os funcionários já estão treinados, o capital de giro será menor, é como pegar um projeto encaminhado e que precisa de continuidade. Por outro lado, existem os pontso negativos: a gestão anterior pode ter sido mal feita, os funcionários podem estar insatisfeitos, a marca pode estar desgastada entre outros fatores.

Terça, 02 de Outubro de 2018 - 08:05

O passo a passo para ser franqueada de uma marca

O passo a passo para ser franqueada de uma marca

Começar o próprio negócio nem sempre significa abrir uma empresa nova. Uma modalidade bastante procurada é a franquia: quem cede os direitos é o franqueador e quem recebe é a franqueada. Para franquear o primeiro passo é escolher o nicho de mercado, ou seja, com o que você quer trabalhar, o que você quer vender: calçados, roupas, doces, fastfood e por aí vai... Após essa escolha é bom ter em mente o espaço físico, procurar saber os gastos de investimento com pessoal e seguir as orientações do franqueador.

 

Depois que for escolhida a empresa que deseja franquear, segundo o site da Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios, você deve fazer um pedido no site dessa empresa onde será especificado o seu perfil para que eles avaliem se você teria o perfil.

 

Aprovado o perfil é marcada uma reunião e entregue a COF, Circular de Oferta de Franquia. Este documento fornece informações sobre as últimas franquias abertas, valores de taxas, qual suporte é oferecido, se há fornecedores fixos ou não e diversas outras informações.

 

A pessoa interessada em abrir a franquia deve perguntar ao franqueador qual a estrutura deve ter (para esclarecer sobre os investimentos), se existe um manual de operação da empresa e quantas franquias a empresa pretende abrir no ano.

 

Os especialistas recomendam que o interessado em franquear devem pesquisar muito sobre a marca, visitar uma franquia como cliente para ver como as coisas funcionam e tentar descobrir se os problemas ou qualidade são uma questão da marca ou da franquia. 

 

Faça uma rede de contatos com outros franqueados também, conheça outras pessoas da empresa e tente perceber como tem sido a experiência deles. No final, avalie bem o contrato, caso decida fechar negócio e lembre-se que franquear é replicar uma fórmula pronta, não se pode mudar o produto nem como ele é vendido.

Quarta, 26 de Setembro de 2018 - 08:05

Educação financeira: aprenda a organizar e gerenciar seu dinheiro

por Rafaela Souza

Educação financeira: aprenda a organizar e gerenciar seu dinheiro

Com a ascensão no mercado de trabalho e o crescimento de famílias chefiadas por mulheres, cuidar das finanças se tornou uma necessidade essencial no universo feminino, tarefa que por muito tempo foi de responsabilidade do homem. Para a economista e consultora em planejamentos e finanças do Sebrae de Salvador, Adriana Pereira, apesar da educação financeira não ser algo tão discutido entre as mulheres na infância, a mulher busca aproveitar os recursos da melhor maneira possível.

 

Não é à toa que elas apresentam uma renda significativa dentro da economia atual e, além disso, têm comandado as finanças em cerca de 28,9 milhões dos lares brasileiros, segundo dados do IBGE de 2015. “A mulher sempre pensa na melhor forma de atender as necessidades da família.  Ela sempre praticou a educação financeira, embora não tivesse consciência disso”, afirma.

 

No entanto, a especialista adverte que este planejamento deve ser uma tarefa compartilhada em família. “A mulher tem que saber gerenciar o dinheiro, mas se o restante da família não tiver controle, ela vai acabar sobrecarregada”, alerta. Para evitar possíveis dores de cabeça quando o assunto é finanças, confira as dicas dadas pela consultora ao BN Mulher!

 

SE ORGANIZE

A consultora de finanças do Sebrae Adriana sugere que é essencial estabelecer um controle dos gastos e manter a organização é a chave para o sucesso. Para ela, é necessário contabilizar os gastos através de ferramentas como planilhas, anotações e até aplicativos. "É importante ter um orçamento pessoal baseado na renda, saber o que se pode investir e poupar e eleger as prioridades”, reitera.

 

TENHA DISCIPLINA

Segundo a consultora, o mais difícil é manter o comprometimento. Por isso, não deixe de registrar tudo que for importante, desde os pequenos gastos até os desejos futuros.

 

INCLUA A FAMÍLIA

Além da disciplina, um dos maiores desafios é incluir toda a família no orçamento e transmitir os fundamentos da educação financeira. “É importante trabalhar a educação financeira com toda a família, principalmente com as crianças para que elas saibam o valor do dinheiro. Assim eles já vão entendendo que esse ponto deve ser abordado dentro de casa”, explica.

 

ORÇAMENTO COMPARTILHADO

Para Adriana, é indispensável criar um orçamento familiar compartilhado entre todos que tenham alguma renda.

 

DE OLHO NO CONSUMO

As mulheres são as que mais sofrem com o apelo publicitário, além de fazer parte da taxa de maior público consumidor. Por isso, a consultora aconselha que as mulheres precisam reavaliar sempre o nível de consumo. Ou seja, é importante perceber se aquilo que você está prestes a comprar é algo de extrema necessidade ou um consumo supérfluo. De acordo com ela, o consumo imediato pode estar comprometendo a realização de um sonho futuro como uma viagem em família, por exemplo.

 

SAIA SEM O CARTÃO DE CRÉDITO

O cartão de crédito quando extrapola pode acabar comprometendo e prejudicando as finanças. Diante disso, Adriana recomenda deixar o cartão em casa em determinados momentos do mês para evitar atitudes impulsivas. “É importante sempre quando for fazer alguma compra se perguntar se aquilo não poderia ser poupado”, questiona.

 

ESTABELEÇA METAS

Por fim, faz parte da educação financeira estabelecer metas. Portanto, observe e faça escolhas: estabeleça o que é desejo, sonho, prioridade e faça uma conciliação familiar. A especialista sugere que a discussão ocorra de forma que todos os interessados possam opinar.

Terça, 18 de Setembro de 2018 - 08:05

Café com elas promove trocas sobre empreendedorismo

por Rafaela Souza

Café com elas promove trocas sobre empreendedorismo
Foto: Reprodução

Mais que falar sobre  empreendedorismo, o “Café com Elas”  promove a troca de experiência e aprendizado entre as mulheres que escolhem ser empreendedoras. O evento que acontecerá no próximo 22 de setembro foi idealizado pela professora Luana Farias. Segundo ela, a criação do Café se deu com a própria transformação que ela vem vivendo na sua carreira profissional e a sua busca por estudos sobre a temática empreendedora. "A ideia surgiu da minha inquietação propositiva de enfrentar as dificuldades, desafios e oportunidades do empreendedorismo feminino", afirma.

 

Além disso, Luana ainda conta que a insuficiência de outros eventos também foi uma motivação. “Eu percebia que a maioria trazia o tema de uma forma muito sutil e imprecisa, a minha proposta é abordar de uma forma mais leve, lúdica e agradável e, ao mesmo tempo, uma plataforma de conhecimento cognitivo que pudesse estimular outras mulheres não só racionalmente, mas emocionalmente”, explica.

 

Com o intuito de fortalecer as competências do público feminino, o evento conta com a participação de especialistas que discutem abordagens que vão de finanças até psicologia. Entre os temas abordados nas duas edições destacaram-se: networking pessoal, finanças, poder de ação, alimentação saudável, produtividade e gestão das emoções. “Sabemos que para a mulher avançar nesta área principalmente a que tem uma jornada tripla, ela tem que estar alinhada com um propósito, desenvolver uma rede de ligações, saber como combater o medo, como fortalecer a mentalidade empreendedora e a psicologia construtiva”, esclarece.

 

 

emocional

A administradora, coach e especialista em gestão, Laura Lavigne, é uma das convidadas que palestram. Laura conta que o foco da sua participação é voltada para a questão emocional. “Como você se relaciona melhor usando a linguagem, voz e postura. Não basta focarmos apenas na área cognitiva/racional, o emocional também é muito importante”, reitera.

 

A especialista abordou os aspectos de uma nova comunicação relacionando as cinco linguagens do amor. É um tema que proporciona uma melhoraria no relacionamento com as pessoas, tanto profissionalmente quanto afetivamente. “O nosso objetivo é que as mulheres saiam de lá empoderadas”, completa.

 

Histórico de Conteúdo