STF aprova proposta de orçamento para 2020 sem reajuste salarial para ministros
Foto: STF

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), em uma votação que durou pouco mais de um minuto, aprovaram o orçamento da Corte para o ano de 2020 em R$ 686,7 milhões, com redução de R$ 92 milhões em relação à 2019. A redução foi imposta pela Emenda do Teto dos Gastos Públicos. O orçamento não contempla reajuste salarial para os ministros. A votação ocorreu na tarde desta quarta-feira (14).

 

O texto foi encaminhado com antecedência para os ministros analisarem a proposta e avaliar os termos antes da sessão administrativa. Depois da reunião, os ministros deram início a sessão plenária. “A sessão jurisdicional podia ser igual (à administrativa)”, comentou o ministro Alexandre de Moraes, ao final da sessão relâmpago, em referência aos longos debates nas sessões plenárias transmitidas pela TV Justiça.

 

O STF foi criticado nos últimos meses por firmar um contrato de R$ 481,7 mil para refeições que incluem lagostas e vinhos a serem servidas a autoridades. Toffoli ainda autorizou a abertura de licitação para trocar as cortinas da sede do STF, por R$ 1,8 milhões. Ele quer instalar cortinas motorizadas acionadas por controle remoto. Os ministros do STF, no final de 2018, tiveram um reajuste salarial de 16,38%, o que provocou o chamado efeito cascata. Com isso, os vencimentos foram elevados de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil, com a restrição do pagamento do auxílio-moradia.

Histórico de Conteúdo