Segunda, 01 de Junho de 2020 - 14:15

Marcelo Britto fala do adiamento do Salvador Fest e pede calma sobre Carnaval

por Júnior Moreira Bordalo

Marcelo Britto fala do adiamento do Salvador Fest e pede calma sobre Carnaval
Ilustração: Bahia Notícias

O empresário Marcelo Britto, da Salvador Produções, produtora musical que também cuida de artistas como Léo Santana, Lore Improta e Parangolé, foi o convidado da live do Bahia Notícias desta segunda-feira (1º). No papo contou os bastidores da empresa após o anuncio da suspensão das atividades como forma de evitar aglomeração e conter o avanço do novo coronavírus. 

  

"A gente estava com a perspectiva de um ano maravilhoso, sabíamos que estava bem aquecido, pois nosso negócio é ligado a economia. Era o planejamento de um ano com grandes eventos, maior do que vínhamos fazendo até então. Em março recebemos essa bomba e tivemos que mudar. Festas foram canceladas, como Forró das Antigas; Só Modão; Baile da Santinha pelo país; Encontro, que é o show com Léo Santana, Parangolé e Harmonia do Samba. 

  

Para lidar com esse cenário, revela que precisou enxugar seu quadro com mais de 30 demissões. "Fizemos suspensão de contratos, redução de carga com 50% do salário. Chamei de reforma administrativa, pois nosso negócio está parado. Precisei mudar para deixar a empresa sólida. Foi preciso enxergar a médio e longo prazo. Me senti mal, fiquei sem dormir, a gente chora, sabe? Mas tive que fazer", admitiu.  

  

Em relação aos prejuízos financeiros para o setor, ele disse estar acompanhando de perto os dados da Associação Brasileira de Promotores de Eventos (ABRAPE), mas que ainda não tem esses números na Bahia. "Temos 25 milhões de empregos diretos e indiretamente com o ramo do entretenimento no País, quase 13% do PIB. É um mercado com extremo potencial. Precisa de atenção por parte do governo, pois empregos muito, geramos muita receita", frisou.  

  

Para o segundo semestre a empresa já vinha se preparando para os 15 anos do Salvador Fest, um dos eventos mais populares da cidade, que inicialmente estava marcado para 20 de setembro, mas sofrerá alterações. "A cada semana a gente tem tomando uma decisão de planejamento. Seremos os últimos a voltar por conta da aglomeração de pessoas. Estamos no plano C, D e E. Dificilmente ocorrerá em setembro, pois é muito próximo para fomentar o desejo nas pessoas, com mídia muito forme. É melhor jogar um pouco mais para frente para criar aquele desejo. Tem que ter uma segurança para realizar. Devemos anunciar ali entre os dias 10 e 15 de junho o adiamento do Salvador Fest", admitiu. 

  

Já em relação ao Carnaval de 2021 foi prático: "A única coisa que a gente não concorda é com a informação muito prematura de que 'não vai ter Carnaval' ou só 'vai ter se tiver vacina'. O mercado de entretenimento não enxerga dessa forma. Óbvio que não vamos forçar a ter até porque quem define não somos nós. Falar de Carnaval agora cria expectativa negativa. O mercado de entretenimento precisa muito do Carnaval, mas óbvio que tudo que acontecer será com segurança. Julho e agosto serão meses que teremos uma avaliação melhor. Podemos ter alternativas", opinou. Confira a live:   

Histórico de Conteúdo