Quarta, 28 de Março de 2018 - 14:30

Luis Ganem: Histórias da Música Baiana – Dança da Manivela

por Luis Ganem

Luis Ganem: Histórias da Música Baiana – Dança da Manivela
Na música baiana, quase tudo já foi falado em verso e prosa. Desde livros comemorativos ou de memórias, como o do multiagitador cultural e produtor artístico Jonga Cunha, a filmes premiados, a exemplo de “Axé, canto de um povo de um lugar”, do diretor Chico Kertész. Aliás, como bem retratou o filme, quem não quer saber como músicas se tornaram sucessos ou artistas nasceram para a música, ou seja: como, quando, quem, onde e por quê? Pois bem, tudo isso e um pouco mais é o que eu vou tentar trazer para meus textos a partir de agora. Histórias e personagens que fizeram com que a música baiana se tornasse um produto musical reconhecido em todo o mundo. E a primeira história é sobre como a "Dança da Manivela" foi de "patinho feio" a sucesso nacional.

Leia mais

Quinta, 08 de Fevereiro de 2018 - 12:10

Logo Penso: fim de namoro pra cair na folia

Logo Penso: fim de namoro pra cair na folia

Carnaval está começando e já tem muito boy largando suas respectivas namoradas pra cair na folia. Fica esperta, minha amiga! Veja no vídeo do canal Logo Penso três formas típicas que eles arranjaram pra dar o perdido nessa época. Saiba mais! 
 

Leia mais

Segunda, 05 de Fevereiro de 2018 - 11:30

Luis Ganem: Os oráculos de nada com coisa alguma

por Luis Ganem

Luis Ganem: Os oráculos de nada com coisa alguma
Todo mundo do meio artístico que encontrei neste ultimo mês, de um jeito ou de outro, resolveu falar da morte do Carnaval. E olha que tentei de todas as maneiras falar somente das ações que o sujeito desenvolvia no meio, sem instigar qualquer expansão nos limites da conversa, mas, parecia gripe. Vacilava estava lá o "enigmático" com olhos esbugalhados e cara de assustado falando que o Carnaval tinha acabado. Sobressaltados e com ar de tristeza – todos eles – os já saudosistas enfatizavam com veemência que percebiam agora que o fim realmente está decretado. Lógico, tal qual videntes e anunciadores do caos, os entendedores (não confundir com entendidos) me diziam isso ao tempo em que lançavam descrédito em suas próprias falas, quando defendiam: “Só não iria acontecer o fim se algo fosse feito”. E aí está, minhas senhoras e meus senhores, a parte forte da profecia do sujeito conversador mais esperto do mundo, falando de algo que nem o mais renomado dos oráculos veria: SÓ NÃO IRIA ACONTECER, SE ALGO FOSSE FEITO.

Leia mais

Quinta, 18 de Janeiro de 2018 - 11:30

Logo Penso: Ziriguidum de verão no corpo

por Bárbara Gomes

Logo Penso: Ziriguidum de verão no corpo
Esse negócio de psiquiatra do bumbum de Léo Santana e Safadão pode até ser uma “boa” ideia para quem, como eu, nessa época do ano fica num ziriguidum que não se aguenta quieta em casa. É tanta festa que o corpo já vai sozinho e não se governa! Saiba mais no vídeo.

Leia mais

Terça, 24 de Outubro de 2017 - 11:30

Luis Ganem: Meu dia de jurado no AL-BA Voice

por Luis Ganem

Luis Ganem: Meu dia de jurado no AL-BA Voice
No seu novo texto, o crítico musical Luis Ganem traduz a experiência de participar como jurado de um festival de música: o AL-BA Voice. Entre as apresentações dos servidores da Assembleia Legislativa da Bahia, nosso colunista reviveu as lembranças dos grandes festivais e se impressionou com a qualidade e entusiasmo dos intérpretes. Afinal, como ele mesmo diz, "nada mais justo para um povo que não tem 'heróis', que fazer valer, vez ou outra, sua vontade de escolhê-los e não os ter impostos pela vontade da mídia ou de algum “midas” moderno, que se ache algo mais que apenas um ser humano". Quer ler as impressões do nosso colunista? Clique aqui e leia a coluna na íntegra!

Leia mais

Segunda, 11 de Setembro de 2017 - 09:30

Luis Ganem: O som dazamigas

por Luis Ganem

Luis Ganem: O som dazamigas
E comecei a ouvir o som "dazamigas". faz duas semanas que parei para ouvir o que estava sendo feito pelas duas artistas, nessa nova etapa da música baiana cheia de Reggaeton (estilo musical com raízes na música latina e caribenha) e efeitos de Sampler. Passei quase todo o tempo que tive livre, ouvindo-as quase à extrema exaustão dos meus tímpanos, a ponto de literalmente saber letra, arranjos e detalhes, tudo que envolva as duas músicas. E a partir de repetitivas audições, conseguir entender o direcionamento lógico das duas com suas novas músicas de trabalho. Lógico, isso tudo dentro da minha ótica, que é apenas mais uma em relação às muitas devem existir por aí.

Leia mais

Quinta, 27 de Julho de 2017 - 09:30

Sanfona, Despacito e muita firula

por Luis Ganem

Sanfona, Despacito e muita firula
E as festas juninas acabaram. Digo acabaram, pois, em acabando o São Pedro deu-se fim aos festejos Juninos e Julinos. Dentre muitos assuntos que serviram para povoar a falta de assunto que envolve o mundo musical - até porque em outras áreas ou outros “mundos” o que não está faltando é assunto para a prosa - dois foram sem sombra de dúvidas, os mais batidos nessas pairagens nesses junho e julho. A começar pela já cansada discussão do espaço do Forró/Sertanejo, na qual alguns personagens do mercado da “canjica e da sanfona” reclamaram da perda de espaço para os novos ritmos, principalmente o sertanejo, no que, diga-se de passagem, têm os reclamantes toda a razão.

Leia mais

Quinta, 25 de Maio de 2017 - 17:30

Quem é o dono do forró?

por Luis Ganem

Quem é o dono do forró?
O hiato no mercado da música tem feito com que passemos a discutir com muito mais ênfase o “sexo dos anjos” e se quem nasceu primeiro foi o ovo ou a galinha. Coisas que antes passavam desapercebidas, ou eram dadas como desinteressantes, tornaram-se um grande assunto justamente pela falta de assunto. Pode até parecer coisa de maluco – e é mesmo – mas discutir coisas amenas como se fosse o fato mais importante do mundo denota o mar sem vento em que navegamos. Mas nesse negócio chamado meio artístico, sempre algo surge para fazer com que não fiquemos com aquela sensação de que nada acontece. Vai daí que, ávidos por assuntos que possam nos entreter, passamos a comentar esse único tema, tirando dele o que pudermos. Seja da briga entre irmãos, com acusações e desmentidos, seja pela banda familiar que gosta de dar calote em seus parceiros, e que nada acontece com ela e com seus donos, que danam a dar satisfação para quem quiser ouvir – se é que existe quem queira; ao assunto mais comentado do momento – ou único que se tem nesse mês: quem pode e quem não pode tocar em grade de shows de festa de São João.

Leia mais

Segunda, 17 de Abril de 2017 - 10:30

Aplicando a engenharia reversa, algo a se pensar

por Luis Ganem

Aplicando a engenharia reversa, algo a se pensar
É extremamente chato esse ócio criativo que vive a música da Bahia depois do Carnaval. Ficamos ou entramos, sempre literalmente, em um período de calmaria. Engraçado é que mesmo com a efervescência que o carnaval provoca, o novo acaba não acontecendo e somente raras exceções viram expressão de algo que dá para ser aproveitado. Mas esse marasmo musical – no mercado comercial do axé, que fique claro –, essa falta da continuidade do novo, por que isso não muda? Por que existe essa falta de senso crítico ou de avaliação do nosso meio musical “corporativista” e como se faz para mudar isso? Pergunto eu, pela enésima vez.

Leia mais

Histórico de Conteúdo