Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sábado, 16 de Janeiro de 2021 - 19:28

Repórter Jorge Araújo é demitido da Record TV Itapoan

Repórter Jorge Araújo é demitido da Record TV Itapoan
Foto: Divulgacy

Na onda de demissões na TVs baianas, o repórter Jorge Oliveira foi dispensado da TV Itapoan nesta sexta (15). Na semana passada, a apresentadora Laís Cavalcante, da mesma emissora, também foi demitida (relembre aqui).

 

Este mês, já perderam o emprego José Raimundo, dispensado da Rede Bahia (veja aqui), e Marcelo Timbó, que também deixou a afiliada baiana da Globo para fazer doutorado (entenda aqui). Outras funções ligadas ao jornalismo também foram afetadas, a exemplo de produtores. Jorge também saiu da Salvador FM, mas já assinou contrato com a Piatã FM.

 

Em seu perfil no Instagram, Jorge compartilhou como soube do seu desligamento. "É gente a ficha ainda não caiu. Hoje, ao retornar de mais um dia de trabalho, fui surpreendido com a minha demissão. Fui informado da minha importância para empresa e do bom funcionário que fui, mas que no momento está havendo cortes e eu estava neles", lamentou.

 

Ele agradeceu pelos seus quase 10 anos na emissora, assim como a colegas e amigos, e defendeu que sempre quis deixar "leveza e simplicidade". "[Quero] dizer que a caminhada continua, a vida é cheia de desafios, mas que Deus está à frente de tudo".

 

MC Fioti grava clipe da nova versão de 'Bum bum tam tam' na sede do Butantan
Foto: Divulgação / Instituto Butantan

O funkeiro MC Fioti gravou nesta sexta-feira (15) o clipe de uma nova versão de "Bum bum tan tan". Com versos que homenageiam a Coronavac, o vídeo foi rodado na sede do Instituto Butantan, em São Paulo.

 

A canção se tornou um "hino" ao imunizante. Nas redes sociais, internautas comemoraram o anúncio da eficácia da Coronavac com trechos da faixa. Até a Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) fez uma publicação em que toca o hit  durante um concerto (veja aqui).

 

"A vacina envolvente que mexe com a mente / de quem tá presente. A vacina saliente / vai curar muita vida e salvar muita gente. Vem cá vacina, tam / Vem cá vacina tam tam tam", dizem os novos versos da música.

 

"Hoje, o Instituto Butantan recebeu a visita do Mc Fioti, conhecido pelo hit “Bum bum tam tam”. Com certeza você ouviu esse sucesso lançado em 2017! O hit ganhou uma nova versão, e o cantor gravou um clipe aqui no instituto. O resultado será lançada em breve no Youtube", anunciou o instituto, que publicou fotos de Fioti em uma visita. Numa delas ele posa ao lado do diretor do instituto, Dimas Covas, e de uma caixa da vacina chinesa.

 

Ao G1, Fioti disse nesta sexta que a ideia de lançar a versão é séria: "Estou estudando com meus empresários como iremos fazer esse remix. Mas vai acontecer sim".

Sábado, 16 de Janeiro de 2021 - 11:00

Marina Ruy Barbosa anuncia meta pessoal após separação

Marina Ruy Barbosa anuncia meta pessoal após separação
Foto: Reprodução / Instagram

Após o término do matrimônio com o empresário Alexandre Negrão, Marina Ruy Barbosa anunciou que vai se dedicar a romances, desta vez literários. A atriz disse em suas redes sociais que irá se debruçar sobre livros e até pediu indicações de literatura.

 

"Comentem seus livros preferidos pra eu ler esse ano. Coloquei uma meta de ler 1 por mês. Será que vou dar conta?", questionou Marina em seu Instagram.

 

Ela e Negrão tiveram um casamento de três anos (relembre aqui). Segundo a nota oficial em que comunicou o término, o trabalho e a distância foram os fatores que levaram ao fim do relacionamento.

 

Segundo o Uol, o ex-casal teve quatro cerimônias para celebrar a união. Em uma das festas, Giovanna Ewbank, Luma Costa, Paula Fernandes, Gloria Maria e Paula Aziz foram madrinhas. Já entre os homens, marcaram presença Bruno Gagliasso, Murillo Lima, Daniel Nunes e outros.

 

Nego do Borel tem casa revistada pela polícia; Justiça o proíbe de citar Duda Reis
Foto: Reprodução / Instagram

Nego do Borel, 28, recebeu a visita da polícia em casa nesta sexta-feira (15). Isso ocorre após a ex-noiva dele, Duda Reis, 18, ter registrado um boletim de ocorrência na quinta-feira (14) em que o acusa de violência doméstica, estupro de vulnerável e ameaça de morte, entre outras coisas.

De acordo com o próprio cantor, os agentes levaram uma arma de ar comprimido, que ele diz que era usada em jogos de paintball. O cantor também negou ter qualquer envolvimento com atividades ilícitas em vídeo publicado em suas redes sociais.

"Hoje a polícia esteve aqui em casa e eu autorizei a entrada deles na minha casa porque sou um cara muito correto nessa base da lei", contou. "A gente está correndo atrás e, em breve, vou poder provar toda a verdade para a vocês. A gente está muito dentro da lei e muito correto."

"Conheço traficante, polícia, milícia, bandido e tudo quanto é tipo de gente, mas não quer dizer que faça as mesmas coisas que eles fazem", defendeu-se. "Fui acusado de ter uma arma dentro da minha casa, sendo que era de airsoft, e ela [Duda Reis] sabia disso. As verdades vão aparecer. As mentiras vão cair por terra. Está nas mãos do juiz, da Justiça e da polícia."

Ainda nesta sexta, as advogadas de Duda Reis divulgaram que a Justiça concedeu uma medida protetiva para que o cantor não se aproxime da ex ou da família dela. Antes, ela já havia dito que havia sido ameaçada por ele.

"Eu preciso, eu temo pela minha vida, eu temo pela minha segurança sim", afirmou. "Eu sei como a pessoa é. Eu não sou louca, eu não sou mentirosa. Eu sei o que eu vivi, eu sei o medo que dá. Eu não sei o que a pessoa é capaz de fazer."

Em nota, Izabella Borges e Gizelly Bicalho (que, além de advogada, foi participante do BBB 20) disseram que fizeram o pedido em caráter de urgência e que ele foi aceito na quinta. A medida visa "proibir a aproximação, o contato, a frequentação de locais nos quais Maria Eduarda e sua família estejam, bem como a suspensão de porte e/ou posse de arma de fogo".

Elas também comunicaram que a decisão judicial também trouxe "aspectos inovadores no tocante à proteção integral da mulher". Elas se referem à juíza ter proibido que Nego compartilhe fotos ou vídeos íntimos de Duda. Ele também não pode marcar a ex nem os familiares dela em mensagens nas redes sociais.

Para encerrar, a influenciadora Lisa Barcelos resolveu se pronunciar nas redes sociais, depois de alguns dias de silêncio, após ser apontada como amante do cantor. Apesar de já ter admitido ter feito sexo com Nego, ela disse que não era amiga de Duda, como chegou a ser noticiado.

Lisa explicou que conheceu Nego por meio das redes sociais, depois de enviar mensagem privada para ele pedindo que ele mandasse um vídeo para o namorado dela, que era fã do cantor. O relacionamento acabou pouco tempo depois.

Nego teria feito contato com ela tempos depois, perguntando se ela tinha empresário e a convidou para um jantar. Ela foi com a mãe e um amigo. Nesse dia, ficou combinado que ela teria um prato no cardápio do restaurante de um amigo do cantor.

Em outra ocasião, ela teria publicado nas redes sociais que estava com um amigo no centro do Rio. Quando Nego viu, os convidou para irem até lá comer pizza. "Esse dia que aconteceu tudo o que aconteceu", afirmou. "[Mas] passou isso, depois ficou meio esquisito entre a gente."

Por fim, só depois ele a chamou para uma festa na casa dele, desta vez com a presença de Duda. "Eu nunca tinha falado com ela antes na minha vida", garantiu. "Vi que ela era um amor de pessoa, muito gentil, quis muito falar com ela na época, mas falaram que eu ia perder tudo."

Ela diz que tinha uma música pronta e uma linha de maquiagem para serem lançadas. "Estava começando a conquistar minhas coisinhas", contou. "Imagina uma adolescente de 17 anos."

Depois desse dia, Lisa diz que preferiu não fechar contrato com Nego. "Acabou que a gente cortou os laços", disse.

No vídeo, ela pediu desculpas a Duda ("não tinha ideia do que ela passava"), aos familiares e amigos pela exposição ("se eu pudesse voltar e apagar tudo, não teria nada disso acontecido") e pediu que deixassem de xingá-la nas redes sociais. "Fico feliz que todas as atitudes contra a pessoa estão sendo tomadas."

Sábado, 16 de Janeiro de 2021 - 00:00

Descapitalizados, blocos afro se reinventam para superar pandemia sem shows e Carnaval

por Jamile Amine / Júnior Moreira Bordalo

Descapitalizados, blocos afro se reinventam para superar pandemia sem shows e Carnaval
Foto: Naiara Barros / Odú Comunicação

Cidade com vocação turística, cuja cultura é um dos seus maiores atrativos, Salvador já está há cerca de dez meses sob decretos oficiais que proíbem aglomerações e grandes eventos. O objetivo é cumprir protocolos sanitários necessários para conter o avanço do novo coronavírus (clique aqui e aqui). 

 

Enquanto espera a liberação da vacina e a consequente contenção da pandemia, o setor de eventos da capital baiana vive momentos dramáticos. Se em tempos pré-Covid a esta altura do ano a cidade já fervilhava de ensaios e estava preparada para receber os visitantes para o Carnaval no mês de fevereiro - só em 2020, de acordo com dados da prefeitura, 16,5 milhões de pessoas circularam pelas ruas de Salvador neste período -, em 2021, artistas, produtores, população, turistas e até governos trabalham com a incerteza e calculam o prejuízo causado pelo cancelamento da festa. Para se ter uma ideia, a última edição da folia momesca teve um retorno divulgado de cerca de R$ 1,8 bilhão. 

 

Diante do contexto, o secretário do Turismo da Bahia, Fausto Franco, estimou a perda de mais de R$ 1 bilhão em receitas pela não realização do Carnaval (saiba mais). O número é o mesmo calculado por Jairo da Mata, atual presidente do Conselho Municipal do Carnaval de Salvador (Comcar). “Não tenho como mensurar em números exatos globalmente, mas são milhões de reais perdidos nesse sentido. Na verdade, acredito que seja quase R$ 1 bilhão, até porque existe o pré e pós-Carnaval”, diz o dirigente.

 

Jairo da Mata - Foto: Divulgação/Comcar

 

Mata destacou ainda que o impacto negativo do cancelamento da festa se estende tanto do ponto de vista econômico, quanto cultural. “A perda econômica é muito grande, pois sabemos que a cadeia produtiva é forte, já que passa por camarotes, blocos até ambulantes e cordeiros. Tudo isso envolve a economia da cidade. Além disso, temos o impacto lúdico, pois, além de ser uma festa de atrativo cultural marcante, é também o momento - sobretudo das classes menos favorecidas - de desaguar as mágoas; é como se fosse uma terapia coletiva que nos traz um certo conforto espiritual. É sem dúvida a maior festa popular do Brasil e a Bahia tem o maior Carnaval do país”, avalia, lembrando que todo o Brasil sofre com a paralisação dos grandes eventos, especialmente Salvador, por ser uma cidade de serviço. “A não realização impacta na gastronomia, hotelaria, transporte, setor musical etc”, pontua.

 

À frente da Saltur, Empresa de Turismo vinculada à prefeitura de Salvador, Isaac Edington explica que a decisão de abortar o Carnaval se dá para “preservar a vida das pessoas”, sem desmerecer a importância do evento. “Infelizmente, a nossa maior festa, tão importante para nossa cultura, nossas tradições e, sobretudo, para nossa economia, não poderá ser realizada até que tenhamos a população vacinada. Dessa forma, por consequência, todas as ações previstas estão canceladas”, disse o presidente da Saltur, descartando a possibilidade de manter os editais e apoios do Executivo municipal específicos para a realização da festa este ano. 

 

Isaac Edington - Foto: Paulo Victor Nadal/Bahia Notícias

 

“Todo esforço da prefeitura está bastante voltado para assistência à saúde, assistência social, bem como iniciativas de combate à disseminação da pandemia e, também, do retorno responsável e gradual das atividades econômicas, sobretudo retomar o calendário de eventos, com toda segurança”, explica.

 

A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), por sua vez, informou por meio de nota que “diante da suspensão da realização do Carnaval em fevereiro 2021, os apoios destinados às programações artísticas/culturais ficam interrompidas até a nova definição” e estabeleceu que “as modalidades de apoio serão definidas depois que o novo modelo da festa for decidido”.


SITUAÇÃO DOS ARTISTAS

Para driblar as adversidades, o ambiente digital acabou sendo uma das alternativas paliativas de muitos artistas em 2020, mas nem todos conseguiram atrair uma audiência suficiente para monetizar o trabalho e tampouco apoios importantes da iniciativa privada. O mesmo se reflete agora no período do Carnaval. 

 

Se, por um lado, nomes como Ivete Sangalo e Claudia Leitte, dois dos maiores expoentes comerciais da música baiana, já se uniram para apresentar um show no dia 13 de fevereiro (veja aqui), assim como Léo Santana, Harmonia do Samba e Parangolé, que repetirão o projeto “O Encontro”, focados na festa do momo (veja aqui), e Bell Marques com o evento virtual no domingo de Carnaval (veja aqui), os Filhos de Gandhy, por exemplo, ainda não sabem sequer se colocarão o bloco na rua virtualmente por falta de patrocínio. 

 

“Pra Bell, pra Ivete, pra vários, eles já têm um nome, um marketing que banca. O que é o Filhos de Gandhy? É um afoxé. E o que é um afoxé? É um candomblé, é igual a casa religiosa pra se manter. Então, se a gente não tem apoio, não tem recurso próprio para fazer. A gente está conjecturando fazer uma live no domingo ou terça de Carnaval, mas pra isso a gente precisa de pelo menos um mínimo pra poder pensar em executar. Infelizmente, bloco de matriz africana sofre muito, existe uma grande discriminação”, lamenta o presidente do bloco, Gilsoney de Oliveira.

 

Gilsoney de Oliveira - Foto: André Frutuôso/Secult

 

Em 2020 o grupo tentou fazer um evento online, mas não conseguiu apoio para custear sequer os requisitos técnicos de som, iluminação e internet. E segundo o dirigente, sem a ajuda anual do governo do estado e da prefeitura, dificilmente os blocos afro e afoxés conseguiriam desfilar nos carnavais.

 

Gilsoney conta que os meses parados por conta da pandemia atingiram em cheio o bloco, que deixou de realizar mais de uma dezena de eventos de seu calendário religioso e atualmente aguarda as orientações do poder público para se preparar - ou não - para o Carnaval, seja no segundo semestre de 2021 ou apenas em 2022.

 

“Todo mês a gente tem uma responsabilidade religiosa em paralelo ao Carnaval. E quando chega no segundo semestre aí que começamos a contatar com relação às fantasias, porque o Gandhy não tem um abadá que você coloca camisa e pronto. Ele tem uma fantasia que vai do pé à cabeça, são muitos ítens. E começa no segundo semestre a construir essa questão do Carnaval. A gente tem aí evento de Santa Luzia, Santa Bárbara, Rio Vermelho, Festa de Oxossi, tem muito evento, mas parou tudo, e aí acumulou e nós não podemos fazer nada, temos que aguardar, de fato, se restabelecer essa questão do surto”, declarou Oliveira. 

 

Ele garantiu ainda que, caso até março haja alguma definição sobre a possibilidade da festa acontecer no segundo semestre, os Filhos de Gandhy estarão à postos para desfilar. Do contrário, não haveria tempo hábil para a organização.

 

O Ilê Aiyê, por sua vez, vive um momento ainda mais delicado, já que, além de lidar com os problemas da pandemia que acomete a todos, ainda precisa sanar uma dívida trabalhista de R$ 400 mil que pode fazê-lo perder a Senzala do Barro Preto, sede do bloco localizada no bairro do Curuzu, em Salvador (clique aqui e saiba mais). 

 

Com os decretos que proíbem as aglomerações, não só as atividades artísticas do Ilê foram impactadas, mas também todo o trabalho social promovido pela entidade. “A sede está parada, não tem como arcar com salários. É a maior dificuldade um espaço daqueles com conta de água, de luz... Foram suspensas as aulas da Escola Mãe Hilda, a gente tem até proposta de curso profissionalizante, mas não pode levar nada em frente, por causa da pandemia. Mas estou esperançoso, levando muita fé que isso vai passar”, declara Antônio Carlos dos Santos (Vovô), presidente do bloco. 

 

Vovô do Ilê - Foto: André Frutuôso/Secult

 

“É um impacto muito grande em tudo, nas fantasias, nos ensaios. Também para a comunidade que vem sofrendo, as pessoas que trabalham nessa época, o porteiro, seguranças, costureiras... E a gente deixa também de arrecadar com os eventos, a Noite da Beleza Negra, os shows que fazíamos durante o ano”, acrescenta, lembrando que em 2020 o Ilê teve duas apresentações nos Estados Unidos - em Washington e Chicago - canceladas, além da suspensão de uma turnê nacional que circularia por sete capitais com patrocínio da Petrobras.

 

Esperançoso, apesar de desacreditar na possibilidade de ainda este ano ocorrer a festa momesca, Vovô contou que atualmente o Ilê prepara um festival de música virtual, com apoio da Lei Aldir Blanc, e não descarta a realização de uma live no sábado de Carnaval. 

 

Com este propósito e para outros projetos, além de pagar a dívida trabalhista, ele diz que segue em constante atividade. “Está devagar, mas caminhando, não paramos de nos movimentar aqui no Brasil e fora, para que as pessoas que têm condição, para o próprio governo e a prefeitura, façam parcerias com a gente e nos ajudem”, conta Vovô, lembrando que a campanha virtual voltada para arrecadar fundos e evitar o despejo permanece aberta para colaboradores. “Efetivamente temos muito pouco, conseguimos arrecadar R$ 150 mil até agora, mas a campanha segue e nós vamos conseguir”, disse o dirigente. 

 

Enquanto o Ilê trabalha com foco na esperança, para o Cortejo Afro a palavra é planejamento. Ainda em março de 2020, o bloco percebeu os perigos da pandemia e se preparou, mantendo um lastro que lhe permite “respirar” até meados deste ano. 

 

“Antes do Carnaval [de 2020], todos sabiam que isso [a pandemia] ia chegar no Brasil. Se em outros países da Europa estava na situação que estava, quando chegasse aqui seria um estrago, como está sendo. Porque também sabíamos que não contaríamos com um governo que fosse aliado ao povo, com relação à luta contra o Covid”, lembra o presidente do bloco, Alberto Pitta. “Mensuramos [os prejuízos da pandemia e da ausência do Carnaval], o Cortejo se organizou nessa direção, fazendo frente aos seus compromissos com os credores, grupo artístico e fornecedores, e, por isso, não devemos absolutamente nada a ninguém”, frisa. Garantiu ainda que quitou por um ano as responsabilidades mensais com internet, água, luz e aluguel do espaço onde guarda o material do bloco.

 

Destacando o “impacto emocional” além do econômico gerados pelo cancelamento do Carnaval convencional, Pitta conta que o Cortejo está preparado para todos os cenários. “Os blocos afro, que sempre têm dificuldade de fazer o Carnaval, sabem como ninguém como ir para o Carnaval, mesmo com as dificuldades. Partindo dessa premissa, estou querendo dizer que é um impacto muito grande para além do financeiro. Ele se resume a um outro compromisso que nós temos com a nossa comunidade, do trabalho que é realizado junto a crianças e adolescentes nos bairros afastados dessa cidade, através dessas organizações, e que culminam no Carnaval. Ele na verdade é uma culminância de tudo isso, das ações cotidianas”, explica, classificando como “péssimo” não ter a festa, mas também admitindo que não há “a menor condição” dela ser realizada em meio à pandemia.  

 

Alberto Pitta - Foto: Betto Jr/Secom

 

Caso as autoridades venham a dar sinal verde para a folia de rua acontecer no segundo semestre, o dirigente reitera que o bloco prontamente irá trabalhar para captar recursos e desfilar. “Estamos de olho nisso, se acontecer, o Cortejo vai, mas vai bem menor. Vai como uma cerimônia de candomblé num deslocamento estético terreiro - rua, como os antigos afoxés, com o tema Asas da Liberdade”, conta, explicando que o mote se dá pela urgência por liberdade. “É o que precisamos. Estamos em tempos de cárcere, literalmente falando. Cárceres por conta da pandemia e cárceres por conta de um Brasil sombrio no dia D e na hora H”, disse ele, ironizando uma fala do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello (relembre). Por outro lado, se permanecerem os decretos que determinam a proibição das aglomerações, a alternativa será partir para o ambiente online. 

 

“O Cortejo está buscando organizar o que nós chamamos de Carnaval virtual, que é o Carnaval em tempos de ‘cárcere’. Estamos organizando, provavelmente no domingo de Carnaval, cada um em sua caverna. E as pessoas vão mandar vídeos com as fantasias do Cortejo Afro de anos anteriores. Mas também estamos trabalhando em cima de um projeto, e isso depende muito de apoio, de captação, onde cada convidado do Cortejo - e aí serão poucos - irá receber um corte do tecido e fazer em casa a sua fantasia e mandar pra nós. Vamos ver uma forma de publicizar isso”, detalha Alberto Pitta, sobre as iniciativas em audiovisual, que não serão ao vivo, mas devem sair no período que aconteceria o evento. 

 

Antes da festa momesca, o Cortejo Afro prepara uma live em homenagem à Revolta dos Malês, no dia 25 de janeiro. Paralelo a isso, o bloco executará um projeto contemplado pelo Prêmio das Artes Jorge Portugal, dentro do programa Aldir Blanc, e também foi selecionado em um edital da Sepromi, através do qual realizará a Feira da Economia do Sagrado. “São atividades online que dão essa capilaridade e garantem que as pessoas estejam atuando, trabalhando e sendo remuneradas por tal”, resume o dirigente.

 

Assim como o Cortejo, o Olodum também vem se reinventando para atravessar as turbulências. O grupo já anunciou a realização de uma live no Carnaval (clique aqui) e vem investindo no online e em parcerias para se manter em funcionamento. 

 

“As organizações [afro-brasileiras da cultura] não tinham estrutura financeira, um capital que permita investir em dois, três anos, sem voltar a ter atividades. Mesmo assim, nós fizemos alternativas de fazer várias lives durante esse período, investimos muito na música digital e estamos aguardando para ver se o Carnaval deste ano pode ser feito em julho, mas tudo indica que talvez não tenha. Então, vamos fazer uma live no Carnaval e vamos continuar brigando para existir com a música digital, com as apresentações para o mundo inteiro na forma de lives”, resume João Jorge Rodrigues, presidente da instituição.

 

João Jorge Rodrigues - Foto: Reprodução/Twitter @joaojorgeAkan

 

Para atrair o interesse do público e de investidores, o Olodum tem explorado seu acervo, oferecendo conteúdo especial sobre temas, como a história do bloco e do Carnaval, a vivência no Pelourinho, além de suas músicas. “Começamos a fazer disso um motivo de lives de debates e musicais. A do aniversário do Olodum foi um sucesso em vários lugares do mundo, depois a gente passou quase que mensalmente fazendo uma live pra contar a história da nossa música e da nossa cultura. E foi bom porque ela substituiu um pouco os shows presenciais. Assim a gente manteve o Olodum funcionando todos os dias, todos os meses, com coisas novas, com invenções de assuntos diferentes”, revela João Jorge, destacando que “vender música digital” foi essencial para o equilíbrio financeiro. 

 

“A gente tem muitos discos, músicas, muitas coisas, e também tem a questão da marca. Nós tivemos um apoio importante do TikTok para a Escola Olodum, que nos ajudou bastante. A gente foi buscando alternativas aqui e acolá, para que pudéssemos chegar agora em janeiro de 2021 com atualidade”, conta o presidente, segundo o qual, o segredo da organização é “um conjunto de coisas”, desde se adaptar ao meio digital, explorar o vasto acervo - como já citado -, até buscar apoio junto à iniciativa privada e governos, através de políticas públicas como a Lei Aldir Blanc. “Não dá pra ficar reclamando, dizendo ‘não tem apoio’, tem que ir à luta, então estamos indo à luta”, declara o gestor, que aguarda o sinal verde para que o som dos tambores e de seu samba-reggae possa voltar a soar livremente - e com segurança - nas ruas de Salvador e do mundo. 

Sábado, 16 de Janeiro de 2021 - 00:00

'Muito triste não gritar Música do Carnaval', diz Márcio Victor após suspensão da festa

por Júnior Moreira Bordalo

 'Muito triste não gritar Música do Carnaval', diz Márcio Victor após suspensão da festa
Foto: Mauro Zaniboni / Ag Haack / Bahia Notícias

Se não fosse a permanência da pandemia da Covid-19 aqui no Brasil, a essa altura do verão, o folião baiano já estaria debatendo - e defendo sua escolha - a respeito de qual seria a música do Carnaval 2021. Toda exaltação obviamente aconteceria aqui em Salvador com grandes aglomerações nas mesas dos bares; vendo o pôr do sol no Porto da Barra; bebendo cravinho no Pelourinho ou nos pontos de acarajé espalhados de Itapuã até Paripe. Contudo, com a vacinação ainda não iniciada por aqui, os artistas e o público terão que se contentar - pelo menos oficialmente - por hora com apresentações em formato de live. Artistas como Ivete Sangalo, Claudia Leitte, Bell Marques, Léo Santana, Hamornia do Samba, Parangolé e Olodum já anunciaram seus shows virtuais com o intuito de transportar a folia para a casa das pessoas. Porém, será que as “apostas musicais” para a festa do momo serão lançadas?

 

Em outubro do ano passado, quando ainda não se tinha certeza do cancelamento do evento, Ivete disse que iria lançar sua faixa. "Cantar a música do Carnaval sem Carnaval é uma forma de mostrar que estamos aqui. O Carnaval não pode sentir que houve um desgarre, então vamos fazer música no Carnaval. Acho que enlouqueço [se não tiver música para a data], nem que seja para dançar na sala de casa", confessou ao Uol. Na última semana, Léo lançou com Vitão a faixa “SAMU” e admitiu que seria e continuará sendo a sua canção para o Carnaval. “É uma música que tem muito a ver com o verão. Ela é para cima, é bem voltada para a ‘mulherada’. Letra bem bacana” (veja aqui).

 

Por essa questão, o Bahia Notícias conversou com um dos maiores expoente da expressão “Música do Carnaval”: Márcio Victor. O cantor do Psirico explicou que a fala surgiu como uma brincadeira “despretensiosa” e foi tomando forma com a força do público. “Era engraçado, eu sempre acreditei nas minhas músicas e eu percebi que o povo do meu bloco e meus fãs iam à loucura quando eu soltava esse bordão e aí foi rolando, e foi rolando, né?”, lembrou.

 

“A primeira premiada, segunda, terceira, quarta e foi indo e me tornei um dos artistas com mais músicas vitoriosas no Carnaval. Isso era uma coisa impossível em uma época que o pagodão não era tão valorizado, e conquistamos isso. Virou até abertura da música de Ivete no ano passado, que acabou levando a premiação”, celebrou.

 

Pensando na pandemia, em que o Brasil já ultrapassou a marca de 200 mil mortos pela Covid-19, o baiano mostrou compreensão com o cenário atual. “É muito triste não poder gritar em fevereiro, junto com o meu povo depois de tantos anos, mas também entendo que será necessária essa pausa para que as coisas não piorem. Eu tenho muita fé na ciência, acredito nas pessoas que estão dedicando suas vidas para resolver isso. E logo que as pessoas estejam imunizadas vamos gritar todos juntos: ‘MÚSICA DO CARNAVAAAAAAALLLLL’”, imitou.    

 

Apesar de ainda não ter entrado na onda das lives da folia, Márcio diz que a aposta do grupo seria “Barril Dobrado”, lançada em outubro de 2020. “É uma música que fala muito do que estamos vivendo, né? Aquele cara duro, devendo a meio mundo, o famoso ‘lisinho da silva’, mas que não desiste e corre atrás dos seus objetivos. Acho que tinha grande chance de vencer sim, a letra é realidade da situação que muita gente tá passando e a batida é uma delícia para dançar até umas horas”, gabou-se. Confira:

Sobre a possibilidade do Carnaval acontecer no meio do ano, conforme já expressou o prefeito Bruno Reis (DEM), o baiano filosofou. “É uma eterna magia, não tem como ser diferente. O mundo muda a todo instante e as mudanças são processos naturais para a evolução, isso é fato. Mudam-se as fase da vida, as pessoas e temos que nos adaptar, quem não entender isso e tiver resistência a essas mudanças vai ficar para trás”, afirmou. Em seguida, disse que prefere não apostar na realização do evento ainda este ano. “Se você me perguntar se esse é meu desejo, claro que sim. Esse é meu desejo e de todos os músicos que estão sem o seu ofício e sem exercer o que amamos. Mas é preciso ter responsabilidade, né? É uma festa muito grandiosa, vamos aguardar as orientações de quem entende e voltar de forma responsável sem manchar a imagem da festa mais bonita do planeta”, encerrou.

Suposta parceria de Anitta e Selena Gomez cai no Twitter e surpreende web; ouça
Foto: Reprodução/ Instagram

Ao que parece, a parceria entre Anitta e Selena Gomez não está só nos sonhos dos fãs. Ela aconteceu e foi registrada. Após o lançamento do último single da estadunidense, vazou no Twitter uma suposta música cantada pelas duas. 

 

A faixa que é chamada de ‘Expressing Myself’, seria uma demo de 2018 produzida por Pharrell Williams, porém descartada pela artista, ou seja, não aparecendo em nenhuma plataforma de streaming. 

 

Na música as cantoras misturam os idiomas inglês e espanhol, além de contar com a participação de um rapper não identificado na web. 
 

Escute: 

 

Mariana Goldfarb revela que ficaria com mulher e fala sobre adotar
Foto: Reprodução/ Instagram

A modelo Mariana Goldfarb participou de uma brincadeira que está bombando na web, o jogo de verdade x mentira. Nesta sexta-feira (15), ela revelou alguns detalhes da sua vida pessoal para seus seguidores. 

 

Ao ser questionada se ela beijaria uma mulher, ela respondeu:  "Se eu tivesse livre, desempedida e com vontade, sim. Por que não?", respondeu Mari. A mulher de Cauã Reymond também falou sobre adoção: "Sempre tive vontade, mas não".
 

Huck faz postagem sobre a falta de oxigênio em Manaus e culpa governo
Foto: Reprodução/ TV Globo

O Brasil tem vivido um momento dramático de sua história com a falta de equipamentos e cilindros de oxigênio para tratar pacientes de Covid-19 em Manaus. Em resposta a essa situação, o apresentador Luciano Huck, conhecido por ser de direita e ter apoiado o presidente Bolsonaro na campanha, fez uma postagem no Twitter. 

 

Na foto havia um protesto e convocação para um panelaço: "Sem oxigênio, sem vacina e sem governo", com a tag #Brasilsufocado. Além dessa postagem, o huck também postou um vídeo chamando atenção para a situação e algumas possibilidades de doação sobre como ajudar os pacientes e a causa. 

 

"Vou deixar claro mais uma vez: isso é consequência, sim, da irresponsabilidade, ingerência, descoordenação, falta de respeito, negação da ciência, todos os absurdos e maluquices que a gente viu, ouviu e leu. [Consequência] de como as autoridades brasileiras vêm tratando a crise da covid-19. Esse desrespeito com as pessoas. Essa é a consequência. Isso poderia ter sido evitado", falou o apresentador no vídeo.
 

 

 

Sergio Marone dá dicas de sexo baseado em suas vivências
Foto: Reprodução/ Instagram

O ator Sergio Marone viu uma oportunidade em seu canal do Youtube para dividir suas vivências. Desta vez, o ator deu algumas dicas sobre sexo e do que fazer na hora H. "Garimpei minhas experiências pessoais e consegui separar mais algumas coisinhas que podem melhorar, consideravelmente, sua performance na cama", disse.

 

Uma das dicas é não mudar de posição toda hora. "Sei que você deve estar superempolgado ou empolgada para, finalmente, colocar em prática todas aquelas novas posições que você aprendeu no kamasutra, mas não precisa ficar fazendo isso a cada trinta segundos. O negócio é qualidade, não quantidade. Um sexo que valoriza cada posição, que tenta entender o melhor jeito de dar prazer aos dois acaba sendo uma experiência muito mais gostosa do que aquela relação que você fica constantemente cortando o clima", ensinou.

 

Marone também aconselhou seus seguidores a darem feedback aos seus parceiros com sons. "Assim como você precisa de um feedback da pessoa para saber o que está funcionando ou não, ela também precisa disso de você. Pode ser através de um sussurro, ou um ‘continua’. Qualquer coisa está valendo. Não se limite com os sons, é fundamental mostrar com seu corpo. Guie a mão dela ou dele pelo seu corpo como se você estivesse mostrando os lugares que você gostaria de ser tocado ou tocada. Ou afaste, simplesmente, de uma região que não te agrada. Ninguém é capaz de adivinhar", disse.

 

As últimas dicas de Marone foram "não acelere demais para não durar de menos" e "não duvide de si mesmo". "Sexo precisa de variação no ritmo para funcionar", afirmou. "E levar inseguranças para cama pode não só estragar sua experiência individual, como da pessoa que está com você. Quando você tenta avaliar sua própria performance sexual, coloca muita pressão em si mesmo e impede de curtir o momento", completou.
 

Projeto apoiado por famosos doa cilindros de oxigênio para Manaus; saiba como ajudar
Foto: Reprodução / Twitter

Nesta quinta-feira (14), Whindersson Nunes se mostrou disposto a ajudar as unidades médicas mais urgentes de Manaus (AM) com doações de cilindros de oxigênio. A cidade enfrenta um colapso no atendimento de saúde devido à pandemia do novo coronavírus. Por isso, o humorista está pedindo a contribuição de todos, celebridades e anônimos, com o projeto SOS AM.

 

Conforme informações do portal R7, o SOS AM é uma campanha idealizada pelos grupos de solidariedade: Salaada Solidário, Bora Ajudar!, Amor sem Caô, Instituto Ágape, Mais amos Manaus e Somar. O objetivo é arrecadar doações que serão revertidas em compras de itens necessários para os atendimentos hospitalares em Manaus.

 

Além de divulgar o projeto, Whindersson também fez sua parte e doou alguns cilindros para a capital amazonense. "Providenciando 20 cilindros de 50L de oxigênio pra distribuir nas unidades mais urgentes em Manaus", disse ele em seu Twitter.

 

Em seguida, ele recrutou artistas e celebridade a fazerem o mesmo. "Alô meus amigos artistas! Na hora de fazer show é tão bom quando o público nós recebe com carinho né, vamos retribuir????".

 

Pouco depois, nomes como Tirullipa, Tata Werneck, Simone, Tierry, Marília Mendonça e Wesley Safadão se uniram em prol do projeto. De acordo com os últimos dados divulgados por Whindersson, foram arrecadados R$ 340.617,80.

 

Mas não são só os famosos que podem fazer parte dessa corrente de solidariedade para Manaus. As pessoas anônimas interessadas em fazer suas contribuições ao SOS AM podem realizar transferências bancárias via PIX para alguma das entidades envolvidas ou solicitar a conta do projeto. Confira na imagem abaixo.

Léo Santana ganha presente inusitado de Lore Improta; veja
Foto: Reprodução/ Instagram

Em celebração dos quatro anos de namoro, Léo Santana, de 32 anos, recebeu um presente inusitado de Lorena Improta. Os dois que tem idas e vindas ficaram noivos a pouco tempo. 

 

"A gente chegou hoje de viagem e eu tive que arranjar alguma coisa para ele nos 45 do segundo tempo. Foi bem difícil [escolher algo] porque ele tem tudo praticamente. Roupa, cueca, joias... então, eu pensei em fazer algo referente a nós dois, algo para dar uma apimentada na relação. Não vou mostrar o que tem na caixinha, mas vou mostrar a reação dele", disse.

 

A reação do cantor foi dizer que o presente era "íntimo e ousado". 

 

 

Duda Reis diz ter visto fuzil em casa de Nego do Borel e cantor nega
Foto: Reprodução/ Instagram

Na última quinta-feira, Duda Reis foi até Delegacia da Mulher, em São Paulo, e fez acusações contra seu ex-noivo, Nego do Borel. De acordo com informações do jornal Extra, a atriz já encontrou um fuzil na casa do funkeiro. 


Conforme a publicação, Duda acusa Nego por estupro de vulnerável, injúria, lesão corporal, ameaça, além de alegar que contraiu HPV (infecção transmitida através do ato sexual, em decorrência de relações extra-conjugais. Ainda segundo o 'EXTRA', a atriz entrou com um pedido de medidas protetivas contra o funkeiro. 

 

Após a denúncia, Policiais da 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes) apreenderam uma arma usada para jogar paintball na casa do cantor Leno Maycon Viana Gomes, o Nego do Borel, na Zona Oeste do Rio.  De acordo o delegado Alan Luxardo, titular da 42a DP, entretanto, trata-se de um simulacro, não tendo sido identificado nenhum crime por parte do artista.

 

Em vídeo no Instagram, o cantor comentou a abordagem policial e negou a existência de qualquer arma de fogo em sua residência. 

Sexta, 15 de Janeiro de 2021 - 15:00

Após sair do SBT, Maisa estreia na Netflix com filme sobre busca de filha por pai

por Karina Matias / FolhaPress

Após sair do SBT, Maisa estreia na Netflix com filme sobre busca de filha por pai
Foto: Divulgação

Ao terminar de ver "Pai em Dobro", primeira produção da escritora Thalita Rebouças, 46, e da atriz e apresentadora Maisa, 18, na Netflix, pode se abater sobre o espectador uma saudade de um tempo pré-pandemia, quando se podia aglomerar na rua e curtir os bloquinhos de Carnaval -festa que foi adiada nas principais capitais do Brasil neste ano.

Até mesmo Maisa Silva, que não se diz lá muito fã da folia, afirma ter virado o próprio meme "saudade do que a gente não viveu". "Em 2022, eu vou ser adicionada ao grupo de seguidores fiéis de Thalita Rebouças, que vão em todos os blocos e curtem o Carnaval", promete ela, em tom de brincadeira.

"Eu falei que vou pegá-la pelo braço e levá-la para os blocos, porque eu sou muito Carnaval. Foi muito bacana e importante para mim falar sobre isso, porque é uma coisa muito do meu coração", completa a escritora, que diz curtir a celebração desde criança levada pelas mãos de seu pai.

Ainda que o Carnaval seja apenas o pano de fundo da história, é neste clima de alegria e leveza típicos da folia que se passa "Pai em Dobro"-e a sede do fictício bloco Ameba Desnuda, no bairro de Santa Tereza, no Rio de Janeiro, é o ponto de união da trama. O longa, que estreia nesta sexta-feira (15) em 190 países na Netflix, gira em torno de Vicenza, a protagonista vivida por Maisa, que é criada em uma comunidade hippie matriarcal chamada Universo Cósmico (não há identificação da cidade em que essa comunidade está localizada).

Ao fazer 18 anos, a jovem decidir descobrir quem é o seu pai, informação que a mãe insiste em não lhe responder apesar de suas insistentes perguntas. Assim, ao encontrar uma foto da mãe do Carnaval de 2002, ano em que nasceu, Vicenza vende o seu único bem material (uma bicicleta) e parte para a cidade carioca em busca do seu progenitor.

Segundo Thalita Rebouças, a ideia da produção surgiu de uma conversa informal que ela teve com Eduardo Moscovis em uma festa -ele interpreta Paco, um dos candidatos a pai como indica o título do filme. O segundo é Giovanne, papel de Marcelo Médici.

Para Maisa, o filme apresenta a realidade de milhões de brasileiros que não conhecem ou sabem quem é o pai. "É uma história importante e que pode ser um exemplo. Mostra também que toda a configuração de família é válida, que o amor é incrível e não tem a ver com sangue, ele é muito mais que isso", diz Maisa. "Pai em Dobro" é o primeiro trabalho lançado por ela após sair do SBT, emissora que a alçou ao estrelato ainda na infância e que foi a sua casa por 13 anos.

A atriz e apresentadora destaca que, embora Vicenza seja muito diferente dela, há pontos em comum, como o forte senso de responsabilidade de ambas. "E ela segue o coração dela acima de tudo. O que eu acho muito bonitinho na Vicenza é que, apesar da maturidade e de ser muito inteligente e solícita, ela também tem uma ingenuidade que foi muito legal de trabalhar no filme. Eu tinha que mostrar essa sensação dela de ver muitas coisas pela primeira vez", completa.

DO CINEMA PARA OS LIVROS
Fenômeno como autora de livros para adolescentes -são 25 obras publicadas e mais de 2 milhões de exemplares vendidos-, Thalita Rebouças pela primeira vez inverte os papéis. "Pai em Dobro" nasceu primeiro como roteiro de filme, e depois virou livro, com o mesmo nome e lançado no fim de 2020 pela editora Rocco.

"Foi muito mais legal que fazer o contrário, porque eu não tive que cortar nada para caber em 1 hora e meia. Eu pude colocar no livro diálogos que foram cortados [na edição do longa], e pude contar a história pregressa dos personagens", diz.

Assim, na obra impressa, é possível saber mais sobre a família e a história de Paco. "Agora, eu só quero brincar disso, transformar filme em livro, que é muito mais leve", afirma Rebouças, aos risos.

Quatro livros de Thalita Rebouças já foram adaptados para o cinema, em dois deles Maisa atua: "Tudo por um Popstar" (2018) e "Ela Disse, Ele Disse" (2019) -o primeiro superou a marca de um milhão de espectadores, já o segundo teve público de cerca de 238 mil pessoas nas salas. A obra da escritora mais bem recebida na telona foi "Fala Sério, Mãe!" (2017), com mais de 3 milhões de espectadores. "É Fada" (2016) também foi bem, e levou 1,6 milhão de pessoas aos cinemas.

Thalita Rebouças costuma fazer uma ponta nas produções, e já atuou ao lado de Maisa. Em comum, em todas as suas participações, o seu papel é ajudar a mocinha. Não foi diferente em "Pai em Dobro", em que ela faz a recepcionista do prédio comercial onde trabalha Giovanne.

"Quando escrevi lábios tremelicantes no roteiro, eu falei: 'Eu tenho que fazer esses lábios tremelicantes'. Aí eu já pensei na unha gigante que eu quis botar, já comecei a me achar atriz de verdade", diz, aos risos. "A Thalita arrasou na atuação", completa Maisa. "Hashtag chupa Meryl Streep", brinca a escritora.

"É muito legal, porque na minha cabeça é tipo: 'Caraca, eu tenho que me controlar para não ficar babando como a autora que escreveu, que inventou aquela pessoa que está sendo tão perfeita na sua frente, sabe'?"

Quatro obras da escritora já foram adaptadas para o cinema: "É Fada", de 2016; "Fala Sério, Mãe!", de 2017; "Ela Disse, Ele Disse", de 2019, além do já citado "Tudo por um Popstar".

Thalita Rebouças, que vai ser repórter no reality musical The Voice+ (que estreia no próximo domingo (17), foi autora, ao lado de Fábio Góes, do samba do Ameba Desnuda. Aliás, a escritora afirma ter realizado o sonho de ter um bloco de Carnaval com o filme.

"Os amigos que têm bloco dizem que dá tanto trabalho que eu desisto. Mas eu adoraria [ter um bloco]. Já pensou, Maisa, você levando o estandarte?", convida. "Me chama que eu vou, hein Thalita", responde a atriz. "Já quero fazer", conclui Rebouças.

Sexta, 15 de Janeiro de 2021 - 13:05

Curtas e venenosas

por Natália Comte

Curtas e venenosas

*Ia sugerir a Aratu mudar de nome para PabloTV, já que ele está concentrando todos os programas em suas mãos, e ainda quer juntar todos em um só sob seu comando.

 

*Porém, antes disso, recomendo dar uma passadinha no Orixás Center e alugar - ou até quem sabe comprar - uma gravata mais ajustada ao seu tamanho;

*Ou então, se não estiver dentro do orçamento da empresa, pega uma tesoura e corta você mesmo. Imprime um aspecto mais jovial, sabe?;

 

*Falando em orçamento, Vanderson Silva segue bem alinhado no comando do Bahia Meio Dia. Nem parece a mesma equipe que providencia as roupas de Jel Senra;

 

*Pensando bem, talvez não seja mesmo;

 

*O novato Muller Nunes já viralizou mais uma vez. Desta vez foi cedendo uma cadeira para o idoso que caiu durante um alagamento causado por chuvas em Salvador. Só a explicação do fato já merecia uma menção por aqui;

 

*Timbózinho finalmente cansou de tirar uns trocados no Mosaico e vai só investir na carreira acadêmica;

 

*Também, com o currículo que ele tem, difícil entender a preferência de se manter semanalmente apenas no comando da atração;

 

*Melhor deixar a vaga para alguém que só pode se apegar àquela oportunidade;

 

*Agora me questiono com qual cabeça o homem faz Medicina, Direito, pós-graduação em Marketing, em Direito Médico, mestrado em Biotética e agora vai encarar o doutorado. Ou é muito dedicado ou muito perdido;

 

*É, a minha previsão vai ser acertando. Questionei se a alternativa para os artistas baianos era apenas fazer live e, pelo visto, será;

 

*Só por enquanto já temos Ivete, A Bagaceira, Tio Bell, o GG, Xanddynho, Parango e Olodum... até o final de semana será queda de Wi-Fi;

 

*Quero ver se vai ter público interessado em acompanhar tanto show com as mesmas músicas. Uma coisa é na avenida, na rua, outra coisa é em casa...;

 

*Pelo menos desta vez os jornalistas não ficarão desesperados atrás do trio. A questão agora é saber se vão ter pacote de dados para tanto;

 

*E só assim para não termos a invasão sertaneja na folia baiana;

 

*Já nos poupa das reclamações dos "artistas da terra" que todo ano lamentam que estão perdendo espaço para o povo de fora e blá blá blá;

 

*Por aqui, o único que vi dizendo que vai tirar dinheiro do bolso foi Tierry;

 

*A gente já sabe que 2020 foi o ano da virada na carreira e na conta bancária. Pode retribuir ajudando o povo, sim;

 

*Ahh, Simone, dupla de Simaria, também doou publicamente. Até a gente esquece, às vezes, que ela é baiana;

 

*Obviamente que, sensata como sou, sei que nenhum artista tem a obrigação de doar dinheiro, pois isso é obrigação do Estado. Porém, seria de bom tom dar um pouco dos milhões que recebem do público;

 

*Afinal, na hora de cantar em festa clandestina ou "seguindo todos os protocolos de saúde" eles vão;

 

*Vi que a fã idosa de MC Anira tá processando ela por uso indevido de imagem, além de ter se sentido uma "chacota" no vídeo. Se fosse comigo eu que a processaria por invasão de domicílio;

 

*Ainda bem que meus FãsNATYcs entendem o limite da nossa relação: eu mando, eles obedecem. Simples;

 

*Menina, no dicionário, a palavra intercâmbio quer dizer: "Passar um período fora do seu país de origem ou residência, conhecendo outro lugar com objetivos profissionais, acadêmicos ou pessoais". Engraçado que para a equipe de André e Mauro, ficar uns dias em Goiânia já significa um novo país;

 

*Bom, se formos olhar pelo lado que na pandemia qualquer viagem no meio do vírus é um lucro, eles estão com razão até por terem sobrevivido;

 

*Mas como sou uma boa professora, aconselho a usar da próxima vez o termo "mobilidade" ou então "passeio". Acho o último até mais apropriado;

 

Saiba quem são as personalidades citadas aqui:

 

Bagaceira                                   Claudia Leitte
Gigante                                      Léo Santana
Tio Bell                                      Bell Marques

 

 

* Mandem sugestões de curtas para o Sabe o que eu acho? Ou me procurem no Facebook: Natália Comte. Para os desesperados, tem a opção de falar comigo pelo e-mail nataliacomte@bahianoticias.com.br.

Tierry lança ‘Acertou na Mosca’ com Gusttavo Lima; assista
Foto: Divulgação

Após alcançar posições relevantes nas paradas musicais com o hit “Rita”, Tierry lançou nesta sexta-feira (15) a canção “Acertou na Mosca”, que conta com a participação de Gusttavo Lima.

 

A canção faz parte do DVD - que leva o nome da faixa - e foi gravado em Goiânia, em agosto de 2020. O projeto conta ainda com Marília Mendonça e Léo Chaves. O primeiro EP já está disponível nas plataformas de streaming.

 

“Não poderia estar mais feliz com esse projeto. Desde o lançamento, estamos colhendo frutos que não poderíamos imaginar. Não posso deixar de agradecer meu parceiro Gusttavo Lima, que topou na hora gravar ‘Acertou na Mosca’ comigo”, afirma Tierry.

 

Além disso, o baiano prepara lançar em fevereiro quatro 4 canções inéditas por semana, todas de seu novo álbum “O Pai das Crianças”.  Em tempo, o DVD “Acertou na Mosca” já soma mais de 200 milhões de visualizações nos vídeos oficiais no Youtube. No Spotify, o artista alcançou a marca de 5 milhões de ouvintes mensais, sendo “Rita” seu maior sucesso, com 46 milhões de execuções.

Ju Paes relata crise de ansiedade na pandemia: 'Senti meu coração bater de um jeito'
Foto: Reprodução / YouTube

A atriz Juliana Paes foi a convidada do canal Rap 77, no YouTube, divulgado nesta quinta-feira (14), e contou que desenvolveu crise de ansiedade na pandemia da Covid-19. "Nunca tinha vivido, nunca tinha experimentado, ironizava, às vezes, pessoas que passam por isso por pura ignorância. Esses meses de pandemia fizeram eu viver uma experiência de um quadro de ansiedade que eu nunca tinha imaginado viver", confessou.

 

"Primeiro, porque sempre fui uma pessoa zero ansiosa. O pessoal do meu escritório falava: 'Ai, Ju, está entrando um orçamento', 'Existe a possibilidade de um personagem', e eu esqueço. Não sou aquela pessoa que fica sem dormir. E sempre me dei muito bem com pressão. Trabalhar na Globo é pressão, protagonizar novela de horário nobre é pressão. E eu sempre fui uma pessoa de segurar muito o rojão", admitiu.

 

A global disse que 2020 seria seu ano de descanso da emissora, mas, assim como boa parte da população mundial, teve que ficar em casa. "No fim do ano, me tiraram a minha endorfina, que é o trabalho. Eu gosto daquela pressão, daquela loucura. Aí eu viajei com as crianças em janeiro e em março veio a pandemia. Aí chegou março e eu não saía de casa, não saía para trabalhar, não levava os filhos na escola, não tinha tempo para fazer as minhas coisas", relembrou.

 

"Eu tinha que dar conta do ensino à distância, cheguei a cogitar tirar meu filho por achar que não ia dar em nada. Eu estava errada porque deu. Meus filhos até conseguiam aprender o conteúdo, mas eu fiquei mal. Eu fiquei bem esquisita", assumiu. A atriz é mãe dos pequenos Antonio e Pedro, que são fruto do seu relacionamento com Carlos Eduardo Baptista.

 

No material, ela contou que procurou seu médico após achar estar tendo um problema cardíaco. "Lá para maio, junho, eu comecei a deitar na cama e sentir meu coração bater de um jeito... Liguei para o meu cardio: 'olha só: estou com problema de coração aqui'. E ele me disse: 'Você está, provavelmente, tendo uma crise de ansiedade'. Mas a antecipação (traz) um descompasso. Antes de passar pelo crivo analítico, nosso cérebro dispara descargas que você não sabe o que é (...) Eu tinha descompasso de batimentos", concluiu. Assista:

'Não respeito pessoa que não dê sua opinião', diz Xuxa sobre artistas 'em cima do muro'
Foto: Reprodução / Globo

A apresentadora Xuxa Meneghel, que acabou de anunciar a saída da Record após cinco anos, foi a convidada do podcast De Carona na Carreira, da administradora Thais Roque, e falou sobre sua carreira como artista, empresária e reforçou seu engajamento em temas sensíveis como a política. “Eu não respeito mais a pessoa que não dê sua opinião, que não dê sua cara a tapa”, revelou.

 

“Eu era uma pessoa que não tinha opinião. Eu usava a opinião dos outros porque eu achava que aquilo era o certo. Eu passei muito tempo da minha vida falando só o que queriam que eu falasse. Antes das entrevistas as pessoas que trabalhavam comigo diziam ‘se vier essa pergunta você responde isso, essa você responde isso’ e se tivesse uma pergunta fora elas mesmas respondiam por mim, ‘sobre isso ela não fala’”, relembrou e completou: “Hoje eu falo sobre política, eu falo sobre polêmicas, ninguém fala pra mim o que eu posso ou não posso falar”.

 

Xuxa explicou o porquê ela se mantém firme compartilhando seus posicionamentos na internet mesmo recebendo tantas críticas e ataques às suas postagens nas redes sociais. “A gente tem uma pessoa que pode acabar com nossas vidas, acabar com o nosso país, levando as pessoas às ruas se matando umas às outras. Não falando, a gente não está levando a sério tudo isso. Não se posicionando, a gente não está ajudando que as coisas fiquem melhores, pelo contrário, a gente está apoiando. Se calar é aceitar”, reforçou.

 

E ainda sobre as pessoas com poder de influência sobre fãs e seguidores, mas que não se manifestam, a apresentadora acrescentou seu ponto de vista discordando desse comportamento. “Existe uma falsidade muito grande hoje em dia na internet, a gente não sabe se a pessoa é um personagem, se ela é aquilo mesmo, se faz para ganhar curtidas. E eu também conheço muitos artistas que ficam em cima do muro, com medo de se mostrar e não agradar as pessoas. Eu estou bastante engasgada quando eu vejo várias pessoas aí, com vários seguidores, com uma influência danada e que não usa isso”, alfinetou. Ouça completo aqui.

Sexta, 15 de Janeiro de 2021 - 08:00

'Estamos esgrimando com loucos', desabafa William Bonner no JN sobre fake news

por Folhapress

'Estamos esgrimando com loucos',  desabafa William Bonner no JN sobre fake news
Foto: Reprodução / Globo

O jornalista e apresentador do Jornal Nacional (Globo) William Bonner, 57, fez um desabafo ao vivo no noticiário a respeito da disseminação de fake news por aplicativos como o WhatsApp.

Antes de passar a palavra para o repórter Alan Severiano, que daria as atualizações com relação aos casos de Covid-19 em todo o Brasil, Bonner comentou que toda a imprensa faz um trabalho minucioso para trazer as notícias para o público e é atrapalhada com as informações falsas que circulam na internet.

"Queria lembrar que se nós fazemos isso é por um dever profissional, nós e todos os jornalistas do planeta Terra. Nós estamos esgrimando com loucos, com irresponsáveis que entram no WhatsApp e espalham as mentiras mais absurdas, crendices. Tem gente que faz isso investido de cargo público e sistematicamente. Nós não vamos desistir, estamos aqui para defender a sociedade", disse ele em um dos trechos.
 

Rapidamente, o nome de Bonner foi alçado ao Twitter como um dos temas mais comentados da rede social. Foram muitos os comentários de apoio a ele e de identificação por parte do público.

"Discurso extremamente necessário para a situação atual que vivemos", publicou um seguidor. "Meus cumprimentos ao jornalista William Bonner que presta um serviço a todos os brasileiros com informações verídicas sobre a pandemia da Covid-19", disse um outro.

"O que eu tenho ouvido absurdos propagados tanto pelos brasileiros quanto pelas autoridades é de sangrar os ouvidos. Quando o Bonner fala 'esgrimando', chego a arrepiar", postou um terceiro.

 

Pai de Whindersson diverte web ao dizer que humorista não é seu filho preferido
Foto: Reprodução/ Instagram

O jogo da verdade x mentira virou febre entre os famosos do Instagram e na família de Whindersson Nunes. Dessa vez, Hidelbrando Batista, pai do humorista, resolveu participar da brincadeira e divertir seus seguidores. 

 

Em uma das perguntas, ao ser questionado se Whindersson era o seu filho preferido, o pai logo negou a informação, colocando uma foto de Hagda Kerolayne, irmã do humorista. 

 

Em outra publicação, o patriarca da família revelou que como verdade que ele e a esposa, Valdenice Nunes, só queriam uma filha.
 

Liderados por Whindersson, personalidades doam cilindros de oxigênio para o Amazonas
Foto: Divulgação

O comediante Whindersson Nunes deu início a uma campanha de doações de cilindros de oxigênio para o estado do Amazonas que vem sofrendo com a falta do material. Ao todo, de acordo com o artista, já foram arrecadados até esta quinta-feira (14), 40 cilindros de 50 litros cada.

 

De acordo com o humorista, o também comediante Tirulipa, a atriz Tatá Werneck e os cantores Tierry e Simone já confirmaram a doação. "Estou no whats com a galera. Vai dar certo pivete", disse Whind em postagem nas redes sociais. 

 

Além deles, outros artistas comentaram na postagem. O jogador do Everton (ING) e da seleção brasileira e a cantora Marília Mendonça já entraram em contato com o comediante, o que pode fazer a contagem de doações aumentar ainda mais.

 

O Amazonas vem passando por uma crise por conta da segunda onda do novo coronavírus e já acontece a falta de oxigênio nos hospitais. Na última terça (12), Manaus tinha taxa de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de 90% na rede pública e 93% da rede privada, mas 58 pacientes estavam na fila por um leito de UTI nos hospitais de referência, 36 na capital e outros 22 no interior do estado.

 

Também houve recorde de sepultamentos em Manaus nos primeiros dias do ano, com média diária de 111 enterros, bem acima das médias registradas nos meses de abril (93 por dia) e maio (76 por dia) do 2020. Nesta quarta-feira, foram 198 enterros.

Quinta, 14 de Janeiro de 2021 - 21:00

Paulo Vilhena posa nu com namorada; veja foto

Paulo Vilhena posa nu com namorada; veja foto
Foto: Reprodução/ Instagram

O ator Paulo Vilhena completou um ano e 4 meses de namoro com Maria Luiza Silveira, para comemorar, os dois publicaram uma foto juntos no Instagram. Em uma das fotos o ator está sem roupas, porém com o flash e o celular da modelo cobrindo as áreas intimas dele. 

 

"Que a tua calcinha me sirva,assim como minha camiseta te veste. Um brinde aos nossos momentos loucos", disse ele. "Nosso tipo de noite. Te amo, baby", escreveu ela que é 18 anos mais nova.

Rafa Vitti faz trollagem em Tatá Werneck enquanto ela dormia; veja vídeo
Foto: Reprodução/ Instagram

Que a família Werneck- Vitti é divertida, os seguidores já sabem, mas dessa vez quem fez a graça foi o ator Rafa Vitti. No Instagram, tata compartilhou um vídeo de uma trollagem feita por ele, na qual objetos eram empilhados na cabeça dela enquanto dormia. 


"Acima de tudo respeito. Acima do respeito um balde e uma boneca", escreveu Tatá na legenda da publicação, que arrancou gargalhadas dos internautas. "Vida de mãe não é fácil, qualquer barulhinho já bate o desespero", "KKKKK, morri" e "Melhor casal" foram alguns dos comentários.

veja vídeo:

 

Duda Reis acusa Nego do Borel de estupro de vulnerável em boletim de ocorrência
Foto: Reprodução/ Instagram

Em boletim de ocorrência divulgado na tarde desta quinta-feira (14), a atriz Duda Reis acusou o ex-noivo, Nego do Borel, de estupro de vulnerável. Além disso, outras quatro acusações como lesão corporal, violência doméstica, injúria e ameaça foram feitas. Todos aparecem como consumados na declaração à polícia.


"Comparece a esta Especializada, juntamente com sua advogada, Doutor Izabella, informando que manteve um relacionamento de união estável com o autor durante 9 meses e vivendo juntos há 3 anos, sem filhos. Que no mês de Fevereiro de 2018, durante o Carnaval, iniciaram as agressões. Que a vítima nesta ocasião teve seus braços apertados pelo autor, resultando em marcas de agressões. Que nesta mesma ocasião, o autor a ameaçou com uma faca, pois a vítima havia chegado mais tarde no dia anterior. Que nesta data, a vítima tinha comparecido ao sambódromo sem a aprovação do autor. Que a partir desta data, o autor a humilhava e a xingava e continuava agredindo-a fisicamente, tornando continua as rotinas de agressões, inclusive em frente as testemunhas. Que após esse episódio, o autor tentava se redimir das agressões causadas, dizendo que a vítima 'trazia o pior dele' (sic) e que a culpa era da vítima. Que após os episódios de agressões, a vítima passou a apresentar transtornos psíquicos e emocionais, desenvolvendo anorexia nervosa, bulimia, depressão, e síndrome do pânico, diagnosticado por psicólogo e psiquiatra da vítima", começou o boletim.

 

Em outro trecho do boletim, em agosto de 2018, em uma viagem a Portugal, Duda havia permanecido dopada com o incentivo de Nego, que mantinha relações sexuais com ela sem o consentimento.

 

"Em agosto de 2018, em uma viagem a Portugal com o autor, por 20 dias, a vítima permaneceu dopada de medicamentos com o incentivo de uso de medicamentos pelo autor (dose indicada pelo médico - 2 miligramas de Aprazolan, porém fez uso de 8 miligramas por dia) que retornava dos shows e saídas noturnas e que o autor mantinha relações sexuais não consentidas pela vítima, que estava dopada e a mesma dizia para que o autor não mantivesse relação sexual", diz o boletim, que ainda descreve uma das violências domésticas que Duda teria sofrido. 

 

Ainda segundo o depoimento de Duda, ela nunca fazia o uso de alcool e outras drogas. “A vítima informa que nunca fez uso de entorpecentes ou álcool. Que em 2020, se recorda que, durante o relacionamento, começou usar quantidades maiores de medicamentos e já mencionados e que durante uma discussão, o autor dizia que era para a vítima sair da visão do autor para não 'a comer na porrada'", continua o boletim.

Mãe de Mayra Cardi reprova reconciliação com Arthur Aguiar
Foto: Reprodução/ Instagram

A mãe de Mayra Cardi já afirmou que não concorda com a reconciliação entre a filha e Arthur Aguiar. Os dois tiveram uma separação polêmica no ano de 2020. Nos stories do Instagram, Vandha Ramos afirmou:  "Vamos amar o próximo, porque o anterior a gente sabe que não deu certo".

 

"Nós, mães, queremos sempre o melhor para os nossos filhos, mas depois que eles crescem fazem o que dá vontade. Olha, só Jesus na causa", terminou a mãe da coach. 

 

Sobre sua separação com o pai - já falecido - de Mayra, Vandha pontuou: "Não aceito traição de jeito nenhum. Um relacionamento tem que ser com respeito sempre".

Quinta, 14 de Janeiro de 2021 - 17:00

Esposa de Leonardo revela ter perdoado traições do cantor

Esposa de Leonardo revela ter perdoado traições do cantor
Foto: Reprodução/ Instagram

A esposa do cantor Leonardo, Poliana Rocha fez algumas revelações em suas redes sociais. A jornalista participou da trend de "verdade x mentira" que está acontecendo no Instagram e contou que já perdoou uma traição por parte do marido.  Os dois são casados desde 1995 e são pais do cantor Zé Felipe. 

 

Ainda no jogo , Poliana foi questionada se tinha um bom relacionamento com a nora, Vírginia Fonseca. Em resposta ao seguidor, a própria influencer apareceu pra dar a resposta: "Aí não pô", escreveu ela

 

Os seguidores da jornalista também perguntaram como é a sua relação com os outros cinco filhos de Leonardo: Pedro Leonardo, Isabella Costa, Jéssica Beatriz, Matheus Vargas e o caçula João Guilherme.

Advogado dos empresários diz que Henri Castelli iniciou briga: 'Estava alterado'
Foto: Reprodução / Instagram

O advogado Lucas Doria, que representa os dois homens (Aciolly e Bernardo Malta) que se envolveram na confusão com o ator Henri Castelli em Alagoas, no fim do ano passado (veja aqui), informou que o global iniciou a briga ao dar um soco no no empresário Guilherme Aciolly.

 

De acordo com informações do Extra, o artista estava alterado e foi quem começou a confusão ao provocar Malta por não ter gostado de uma festa. No dia anterior, Malta, que é dono da casa de festas Café de la Musique, teria cedido uma lancha para Castelli e os amigos irem a uma festa em troca do ator ir no dia seguinte ao Café fazer uma divulgação do local.

 

“Ele adorou essa festa que aconteceu no dia 29 de dezembro. No dia 30, foram cedidos para ele 15 ingressos para uma outra festa no Café de la Musique. Ele foi, e a festa não estava tão badalada. Ele saiu e foi para Barra de São Miguel, na Marina, onde estava acontecendo uma outra festa”, disse.

 

Nesse momento, de acordo ainda com o defensor, o ator teria se dirigido a Bernardo para reclamar, exaltado, que a festa que ele cedeu os convites não estava legal. “Bernardo conversou com ele, mas Henri estava alterado e os dois discutiram”, reforçou.

 

A discussão teria ficado acalorada, até que Aciolly, que estava ao lado de Malta, interviu tentando encerrá-la. “Foi aí que Henri Castelli deu um soco que atingiu Guilherme [Aciolly], que só revidou. Henri tentou agredir o Bernardo [Malta], o soco pegou no amigo Guilherme, que estava com ele no local. Esse amigo reagiu de forma instintiva, recebeu um soco e deu outro em sequência”, explicou.

 

“Não posso afirmar que ele estava embriagado sem que um laudo venha atestar isso. Apesar de todo mundo dizer que ele estava totalmente alterado. Acredito que ele não estava no seu estado normal”, completou Doria. A defesa de Aciolly argumentou ainda que o empresário também teve problemas. “Ele foi ao médico no dia seguinte e recebeu o laudo de um derrame no olho”, finalizou. Apesar disso, os empresários foram indiciados por lesão corporal (veja aqui). 

Ônibus da banda Os Clones são destruídos em incêndio em Feira de Santana
Foto: Ed Santos/ Acorda Cidade

Dois ônibus foram incendiados na madrugada desta quinta-feira (14), em Feira de Santana. Os veículos, de propriedade da banda Os Clones e do cantor Paulo Roberto Romão de Macedo, estavam no Conjunto ACM por volta das 3h da madrugada, quando o incidente ocorreu.

 

De acordo com o portal Acorda Cidade, que conversou com Macedo, ele soube do incêndio através de seu pai, que o acordou às 5h da manhã com a notícia. “Quando meu pai chegou batendo a campainha, achei até que pudesse ser morte de algum parente. Ele falou: ‘Corre lá, que os ônibus estão pegando fogo’. Quando eu cheguei aqui só estavam os ferros. Estamos muito abalados, decepcionados, tristes com o ser humano. Como uma pessoa consegue fazer isso, destruir um sonho, um patrimônio? A gente levou tantos anos para conseguir e a gente que vem sofrendo na pandemia, quase um ano, sem fazer show, sem fazer nada e por isso que os ônibus estavam parados. Deixamos perto da nossa casa para que pudéssemos ficar de olho, colocando para funcionar, até porque a gente não tinha outro espaço e nem como pagar aluguel”, desabafou, acrescentando que o incêndio foi criminoso e que câmeras de segurança teriam captado as imagens de um homem ateando fogo nos veículos.

 

Zezé Júnior, como é mais conhecido, explicou que um dos ônibus era usado pela banda e outro para um projeto solo dele que não pôde avançar nos últimos meses por causa da pandemia. O músico disse que tinha ainda alguns instrumentos e outros materiais guardados nos veículos. Ele não soube estimar o prejuízo total, mas só os ônibus estão avaliados em cerca de R$ 300 mil.

Quinta, 14 de Janeiro de 2021 - 14:00

Comentaristas da GloboNews brigam ao vivo a respeito de restrições em NY

por Folhapress

Comentaristas da GloboNews brigam ao vivo a respeito de restrições em NY
Foto: Reprodução / GloboNews

O GloboNews em Pauta continua rendendo assunto. Assim como no primeiro programa do ano, dois comentaristas voltaram a se desentender ao vivo durante o programa. Desta vez, o embate foi entre Demétrio Magnoli, sociólogo e colunista da Folha de São Paulo, e o jornalista Guga Chacra.

Tudo começou quando Magnoli resolveu comentar que o lockdown não estava surtindo efeito para conter as mortes por Covid-19 em alguns estados americanos. Para isso, ele resolveu comparar a situação de Nova York e da Flórida, usando um gráfico que mostrava a média de mortes por mil habitantes nos dois estados (205,7 e 108,2, respectivamente).

"A Flórida nunca fez lockdown, fez medidas de quarentena", defendeu. "Nova York fez um lockdown violento no primeiro semestre do ano passado e agora tem um 'semilockdown' em Nova York."

Chacra, que estava em Nova York, rebateu a informação. "Não tem lockdown em Nova York, nem parcial", afirmou. "Não sei de onde surgiu essa informação."

Ele chegou a mostrar na tela do próprio computador os gráficos de mortes e casos de Covid-19 no estado americano, que mostravam que as mortes haviam diminuído drasticamente após as medidas de isolamento, no ano passado. "Bateu 800 mortos por dia e despencou", disse. "O número de casos cresceu, na época testava menos, mas aqui mostra como o lockdown funcionou em Nova York."

Magnoli não se deu por vencido. "Nova York está com medidas de 'semilockdown'", repetiu, dizendo que os restaurantes estavam fechados e havia limites para o número de pessoas que podem se encontrar. "O desastre em Nova York continua agora", afirmou. "Eu não sei porque você elogia tanto o governador Andrew Cuomo."

"Isso não é verdade, eu não elogiei o governador Andrew Cuomo", irritou-se Chacra. "Eu só disse que Nova York não está em lockdown parcial porque eu estou aqui." "Não sei há quanto tempo que você não vem a Nova York, eu moro aqui há 16 anos, Demétrio, e posso te assegurar que não há lockdown parcial", continuou. "Eu circulei por Nova York, os restaurantes estão abertos, as lojas estão abertas, não há essa informação."

Pouco depois, o apresentador Marcelo Cosme encerrou a disputa. Ele disse que o programa já estava perto de terminar e mudou de assunto.

Globo é condenada a indenizar manicure após 'prêmios incompletos' no Caldeirão do Huck
Foto: Reprodução / Globo

A manicure Vânia Ibraim de Oliveira irá receber R$ 30 mil de indenização por danos morais e um salário de R$ 1,9 mil da Rede Globo após ter recebido prêmios incompletos do programa Caldeirão do Huck. Ela participou do quadro Mandando Bem, no dia 1º de dezembro de 2012.

 

Os prêmios prometidos a Vânia eram entrega de uma moto reformada e outras duas motos novas; pagamento salário enquanto Vânia estivesse realizando o treinamento de empreendedorismo; R$ 30 mil de capital de giro; um veículo da marca Saveiro; dois laptops; trailer itinerante para o atendimento de clientes; abertura da empresa e obtenção das licenças necessárias; e elaboração do site da marca e de toda a identidade visual da empresa.

 

Contudo, de acordo com informações do Notícias da TV, recorreu à Justiça com a justificativa que estava enfrentando problemas para regularizar a situação da empresa e dos veículos. O trailer, por exemplo, não tinha os alvarás nem as autorizações necessárias para circulação.

 

Na atração, o marido de Angélica prometeu que "se ela se transformasse numa empreendora estudando e entendendo o mercado, eu iria transformar a moto dela nos prêmios que ela receberá hoje".

 

A Globo perdeu o processo em primeira instância e entrou com um recurso sob a alegação de que "todas as obrigações firmadas teriam sido cumpridas". Segundo a empresa, "o trailer já estava à disposição, mas Vânia não o retirou; que a constituição e a regularização da empresa seriam de responsabilidade da participante; que teria ocorrido erro da manicure quanto à declaração do Imposto de Renda; e que não haveria danos materiais ou morais".

 

O desembargador Nagib Slaibi entendeu que a participante “ganhou, mas não levou”. Entendeu ainda que as promessas de deixar a empresa funcionando partiram do próprio Luciano Huck durante o quadro no Caldeirão, apesar de os termos não aparecerem no contrato de participação.

 

"Forçoso concluir que os termos do contrato devem levar em conta, também, o que foi prometido em cadeia nacional de televisão, tanto pela credibilidade que ostenta o veículo de comunicação envolvido, como pelo fato de que a participante é uma pessoa humilde, com clara hipossuficiência econômica e de conhecimentos sobre o que iria ser alterado em sua vida", escreveu.

 

Em relação ao trailer, o desembargador concordou com as alegações de Vânia de que a promessa era a de que o veículo estaria "pronto para rodar", o que inclui a concessão dos documentos, licenças e autorizações necessárias. A emissora terá que regularizar a situação.

 

Questionada pelo Notícias da TV sobre a sentença e o cumprimento das determinações judiciais, a Globo informou que “não comenta casos sub judice”. A decisão foi de 16 de setembro de 2020, e o processo transitou em julgado em 8 de janeiro. Não cabe mais recurso.

Histórico de Conteúdo