Para evitar exploração de 'calo', Bruno Reis passa a ter mulheres como opção para vice
A menos que apareça uma nova surpresa, a lista de potenciais vices de Bruno Reis (DEM) na candidatura dele a prefeito de Salvador parece estar fechada. O grupo liderado por ACM Neto definiu publicamente ontem que duas mulheres entraram oficialmente nessa corrida: Ana Paula Matos (PDT) e Ivete Sacramento (Republicanos). A primeira já tinha o nome ventilado desde que a filiação ao PDT veio a público. Já a segunda foi uma novidade de última hora, pois, até então, o nome da ex-reitora da Uneb não tinha sido citado como opção séria.

Leia mais

Da esquerda à direita: Diálogo pela democracia deveria ser amplo, pena que falte disposição
Quando a dita direita do país se der conta da escalada autoritária que vivemos, vai ser tarde demais. Porque, para que ela exista, é necessário que haja democracia. É assim que se constrói um Estado, dentro da ótica aristotélica com certos graus de atualizações. No entanto, boa parte dessa direita segue apoiando o tom ditatorial de ameaça à República adotado por figuras do entorno do Palácio do Planalto. Enquanto isso, a esquerda segue se digladiando em busca de protagonismo e a tal “frente ampla em defesa da democracia” caminha para desaparecer sem nunca ter efetivamente existido.

Leia mais

'Winter is coming': Sara Geromini, o exército de zumbis e o erro de amplificar certas vozes
Durante quase 10 anos, a série Game of Thrones levou milhões de pessoas para as frentes da televisão para acompanhar a saga criada por George R. R. Martin, em que uma máxima rapidamente aprendida era: “não se apegue aos personagens”. Durante quase todas as temporadas, a expressão “Winter is coming” era repetida por John Snow e companhia e também pelos fãs da série televisiva. Em tradução livre, queria dizer “o inverno está vindo”. Parece que o inverno proposto por Martin chegou no Brasil...

Leia mais

Da Placebo à Ragnarok: Fiscalizar a execução de recursos públicos é essencial na pandemia
Em meio à pandemia do novo coronavírus, a aquisição de insumos e equipamentos médicos é algo imprescindível para lidar com a crise já vigente. No entanto, é possível identificar espertalhões que aproveitam a flexibilidade de termos da legislação para tentar levar vantagem. Daí a importância de operações como a deflagrada pela Polícia Federal, no Rio de Janeiro, ou a desta segunda-feira (1º), em território baiano. É preciso impedir que aproveitadores utilizem o caos social para lucrar com o drama do Estado.

Leia mais

Segunda, 01 de Junho de 2020 - 07:20

Como o complexo de vira-latas faz o Brasil importar a loucura de supremacia branca

por Fernando Duarte

Como o complexo de vira-latas faz o Brasil importar a loucura de supremacia branca
O eterno negacionismo do racismo estrutural parece funcionar como uma venda para impedir enxergar os símbolos dessa "nova direita", que chegou ao poder junto com Jair Bolsonaro. Basta ver as recentes apropriações da cultura de supremacistas brancos norte-americanos, que provocam ojeriza em quem entende as mensagens implícitas, ao tempo em que reforçam o comportamento neo facista desses grupos, aprovados por monstros até então escondidos no armário. Isso em um contexto de tensão racial nos EUA, berço desses símbolos agora adotados e relativizados no Brasil.

Leia mais

Parafraseando o Zero Três, juntar cacos da República não é questão de se, mas de quando
Em mais um pronunciamento, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), falou em “juntar os cacos da convergência” para tentar manter o respeito entre os Poderes da República. A fala de Maia aconteceu após outro arroubo do presidente Jair Bolsonaro, que atacou a operação da Polícia Federal que teve como alvo apoiadores dele, ao mesmo tempo em que usava vias legais para recorrer de decisões do Supremo Tribunal Federal (STF). É, amigos, chegamos a uma fase da vida em que cabe ao Congresso buscar a sensatez de um presidente.

Leia mais

Secretários que pretendem ser candidatos fazem figa para que eleições sejam adiadas
O possível adiamento das eleições será uma aposta para adiar também a saída de figuras-chaves na administração soteropolitana e que pleiteiam disputar o pleito de 2020. Leia-se os secretários de Infraestrutura, Bruno Reis, e de Saúde, Léo Prates. Ambos são apresentados como pré-candidatos por DEM e PDT e teriam que deixar os cargos do primeiro escalão no dia 4 de junho, quatro meses antes da data originalmente prevista para a eleição.

Leia mais

Quarta, 27 de Maio de 2020 - 07:20

Entre mocinhos e bandidos: Witzel, o espelho fluminense de Bolsonaro

por Fernando Duarte

Entre mocinhos e bandidos: Witzel, o espelho fluminense de Bolsonaro
Não existem mocinhos na política. O que não quer dizer que todos os políticos sejam bandidos. A Operação Placebo, contra supostos desvios de recursos públicos dos hospitais de campanha para combate ao novo coronavírus no Rio de Janeiro, evidencia que discursos de salvadores da pátria são facilmente descontruídos, independente do governador Wilson Witzel ser inocente ou culpado. A lógica, inclusive, é válida também para os adversários que ora comemoram o alvo da Polícia Federal.

Leia mais

Terça, 26 de Maio de 2020 - 07:20

Adiar pico do coronavírus é melhor que antecipá-lo, falta compreendermos isso

por Fernando Duarte

Adiar pico do coronavírus é melhor que antecipá-lo, falta compreendermos isso
“Cada hora o governo diz que o pico do coronavírus é na próxima semana. Quero ver quando vai chegar”. Já perdi as contas de quantas vezes ouvi esse tipo de reclamação. Ela não vem da imprensa, frequentemente acusada de “torcer pelo vírus”. Vem da população que, na Bahia, segue em isolamento social desde a metade de março e sem uma perspectiva clara de um protocolo de reabertura das atividades. E, por mais absurdo que possa parecer, há muito que se comemorar a cada novo adiamento desse pico de contaminação.

Leia mais

Segunda, 25 de Maio de 2020 - 07:20

O capitão, o general e o jipe desgovernado da República

por Fernando Duarte

O capitão, o general e o jipe desgovernado da República
A repercussão do vídeo da reunião de ministros do dia 22 de abril acabou dividindo os holofotes com um ataque à democracia travestido de interesse da pátria divulgado pela âncora de Jair Bolsonaro no militarismo, o general Augusto Heleno. A carta em que frontalmente ameaça os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) por Celso de Mello encaminhar uma notícia-crime para a Procuradoria-Geral da República, uma praxe em processos assim, é absurda e deveria ser alvo de críticas severas da sociedade. Não aconteceu. 

Leia mais

Histórico de Conteúdo