Sexta, 27 de Março de 2020 - 07:20

Rui busca minimizar colapso da economia como Bolsonaro quer, mas sabe reconhecer perigo

por Fernando Duarte

Rui busca minimizar colapso da economia como Bolsonaro quer, mas sabe reconhecer perigo
Muito criticado por propor o fim do “lockdown”, o nome gourmet do fechamento do comércio, o presidente Jair Bolsonaro não parece estar completamente equivocado. Tanto que o governador da Bahia, Rui Costa, adversário público do presidente, defendeu uma postura similar durante conversas com prefeitos baianos. A diferença é que Rui sugeriu a evolução gradual das medidas restritivas, enquanto Bolsonaro é contrário a toda e qualquer ação, para que a população viva em normalidade.

Leia mais

Adiar eleição pode não ser pauta primordial e viável, mas será um debate necessário
Mesmo que seja uma minoria, um grupo de políticos influentes começa a ventilar a hipótese de adiamento das eleições para prefeito e vereador em 2020. A tese é rechaçada por operadores do Direito, a exemplo do vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Luiz Viana, porém, caso mantidas as perspectivas atuais da crise do novo coronavírus, a hipótese de adiar o pleito vai ganhar força. A discussão perpassa, inclusive, pela campanha para que o Fundo Eleitoral seja utilizado para o combate à Covid-19.

Leia mais

Sacrifício em prol do combate ao coronavírus tem que atingir vespeiro do setor público
É tempo de sacrifício coletivo e não apenas das camadas menos abastadas da população, como alguns governantes ensaiaram provocar. Para além do uso de recursos do orçamento público para o combate ao novo coronavírus, é preciso também que todos os Poderes da República façam algum tipo de “doação”. O desafio é fazer com que membros dos Executivos, dos Legislativos e dos Judiciários “sofram” no bolso os impactos dessa crise com a Covid-19. Até aqui, na prática, o que se viu foi a alocação de dinheiro público para conter o contágio em massa.

Leia mais

Terça, 24 de Março de 2020 - 07:20

Fiquei em dúvida: é 'gripezinha' ou vai durar quatro meses?

por Fernando Duarte

Fiquei em dúvida: é 'gripezinha' ou vai durar quatro meses?
Idas e vindas no governo Jair Bolsonaro já são parte da rotina. Dessa vez, uma Medida Provisória (MP) não precisou nem de 12h para ser revogada. Após permitir a suspensão por quatro meses dos contratos de trabalho - sem o pagamento de salários -, o presidente da República recuou. Retirou da MP o artigo que tratava do tema, não sem antes tentar mantê-lo. Chegou a afirmar na tradicional coletiva do cercadinho à frente da Alvorada que a medida era uma defesa do direito dos trabalhadores. Nem o bolsonarismo acreditou.

Leia mais

Segunda, 23 de Março de 2020 - 07:20

Postergar o problema da economia pode trazer consequências para área de saúde

por Fernando Duarte

Postergar o problema da economia pode trazer consequências para área de saúde
Enquanto o Brasil prepara uma operação de guerra para lidar com a iminente crise de saúde pública com o novo coronavírus, a economia prestes a entrar em colapso encontra tímidas ações para não ser dizimada. É claro que, neste momento, a prioridade é salvar vidas. No entanto, a desestruturação total da cadeia produtiva pode ter impacto direto na saúde das pessoas. Ou seja, é preciso achar um meio termo para lidar com esse prelúdio de crise econômica, antes que esse problema traga consequências danosas também para o problema humanitário com a Covid-19.

Leia mais

Eduardo Bolsonaro brigar com a China é tudo o que o Brasil precisava na crise da Covid-19
Tudo o que o Brasil precisava no momento em que enfrenta uma pandemia com o novo coronavírus é uma crise diplomática com seu maior parceiro comercial, não é mesmo? Não falta mais. O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) fez o favor de iniciar uma briga extremamente desnecessária com a China por uma teoria de conspiração que nem as mais avançadas agências de inteligência do mundo conseguiram provar: a de que os chineses propositalmente criaram a Covid-19.

Leia mais

Quinta, 19 de Março de 2020 - 07:20

Bolsonaro brinca com crise na saúde e ainda pede elogio

por Fernando Duarte

Bolsonaro brinca com crise na saúde e ainda pede elogio
Eu gostaria de não falar sobre o presidente Jair Bolsonaro. Juro que queria ficar restrito às ações positivas dos governos federal, estadual e municipal para conter o avanço do coronavírus no Brasil – que, dentro deste caos, são muitas. Porém o presidente utilizou uma coletiva de imprensa com diversos ministros para um palanque político contra a imprensa e contra as críticas feitas às atitudes dele frente à crise da Covid-19.

Leia mais

Quarta, 18 de Março de 2020 - 07:20

É possível falar em boas notícias em meio à crise?

por Fernando Duarte

É possível falar em boas notícias em meio à crise?
Se falta bom senso em alguns núcleos estatais para o enfrentamento do novo coronavírus, o mesmo não se pode falar da articulação para que o Hospital Espanhol, em Salvador, voltasse a funcionar, ainda que temporariamente. Após o imbróglio judicial se arrastar há quase seis anos, houve uma concessão para que o governo da Bahia opere o equipamento para conter a crise da Covid-19. É uma vitória do governo, mas também da população, que pode ganhar, mesmo que temporariamente, um reforço no suporte à pandemia que assusta o mundo.

Leia mais

Terça, 17 de Março de 2020 - 07:20

Com o coronavírus, é melhor prevenir do que remediar (literalmente)

por Fernando Duarte

Com o coronavírus, é melhor prevenir do que remediar (literalmente)
Não há consenso sobre o momento ideal para adoção de medidas restritivas para tentar conter a expansão do novo coronavírus. Porém o prefeito de Salvador, ACM Neto, e o governador Rui Costa já anunciaram algumas medidas que devem ter impacto na disseminação da pandemia. O momento agora é de expectativa. Com uma menor circulação de pessoas nas ruas, é possível que o vírus não se alastre com a mesma velocidade. Mas haverá consequências políticas para as decisões?

Leia mais

Segunda, 16 de Março de 2020 - 07:20

Participação de Bolsonaro em ato pró-governo expõe irresponsabilidade presidencial

por Fernando Duarte

Participação de Bolsonaro em ato pró-governo expõe irresponsabilidade presidencial
"A palavra convence, mas o exemplo arrasta". A frase comumente atribuída a Confúcio é um mantra desses momentos de auto-ajuda e serve como motivacional para atitudes de um líder. É uma lição bem básica no processo de construção de uma liderança. E também uma aula em que o presidente Jair Bolsonaro parece ter se ausentado e sem qualquer constrangimento. Tanto que, durante as pseudo manifestações democráticas, ele foi extremamente irresponsável com recomendações médicas e sanitárias, para manter a narrativa que alimenta seus seguidores.

Leia mais

Histórico de Conteúdo