Terça, 20 de Outubro de 2020 - 07:20

Denice dobra de tamanho, mas não parece atrapalhar tendência de vitória de Bruno Reis

por Fernando Duarte

Denice dobra de tamanho, mas não parece atrapalhar tendência de vitória de Bruno Reis
Foto: Rebeca Menezes/ Bahia Notícias

O início da propaganda eleitoral foi um marco para o crescimento do nome do vice-prefeito Bruno Reis (DEM) em Salvador. O levantamento realizado pelo Instituto Paraná Pesquisas em parceria com o Bahia Notícias aponta que a superexposição dele no rádio e na televisão surtiu efeito, mostrando o nome do candidato do prefeito ACM Neto pela primeira vez com mais de 52% das intenções de voto. É um feito e tanto para quem é tratado pelos adversários como “pesado”.

 

O tempo de propaganda eleitoral e a associação dele a Neto funcionaram bem até aqui. Tanto que Bruno Reis cresceu não apenas na pesquisa estimulada, mas também na espontânea, quando não são apresentados nomes de candidato. Ao tempo em que o atual gestor diminuiu consideravelmente neste último cenário, confirmando a possibilidade de transferência de votos. Os adversários podem reclamar, mas a estratégia política-eleitoral de Bruno Reis foi a mais exitosa na percepção dos eleitores.

 

O levantamento também indica uma tendência esperada. A desidratação do Pastor Sargento Isidório está dentro dos prognósticos anteriores, apesar de ter acontecido de maneira mais rápida. O apoio do PSD deveria desacelerar isso com tempo de rádio e televisão, porém esse “novo Isidório” parece não ter agradado ao eleitorado dele. O resultado: o pastor sargento com rédeas deixou a segunda colocação para a estreante Major Denice.

 

Além de Bruno Reis, apenas a petista tem razões para enxergar a pesquisa como um copo meio cheio. Ela praticamente dobrou as intenções de voto observadas no levantamento anterior, de setembro. Denice tende a crescer mais, principalmente com a queda dos números de aliados do governador Rui Costa no plano estadual, como o próprio Isidório e a comunista Olívia Santana. Como a chance de “sugar” sufrágios de Bruno Reis é pequena, mantém-se a perspectiva de encerramento do pleito ainda no primeiro turno.

 

Avaliando as rejeições, Bruno Reis e Major Denice têm índices similares. Ou seja, o potencial de crescimento de um é similar ao do outro, o que sugere que esse item não seria decisivo para a campanha dos dois polos. Só Cezar Leite possui rejeição menor, o que não quer dizer muito, dado aos números registrados por ele.

 

Como apenas a abertura das urnas pode cravar o resultado de uma eleição, não dá para ser vidente ao ponto de garantir a vitória de Bruno Reis no primeiro turno. No entanto, com os dados e as perspectivas disponíveis, esse é o caminho mais provável. Mesmo que Major Denice consiga crescer e simule uma polarização entre DEM e PT em Salvador.

 

A pesquisa ouviu 820 eleitores entre os dias 16 e 19 de outubro e tem intervalo de confiança de 95%, com margem de erro de 3,5% para mais ou para menos. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral sob nº BA-00401/2020.

 

Este texto integra o comentário desta segunda-feira (19) para a RBN Digital, veiculado às 7h e às 12h30, e para a rádio A Tarde FM. O comentário pode ser acompanhado também nas principais plataformas de streaming: Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts e TuneIn.

Histórico de Conteúdo