Ramon fala sobre integrar o time principal e adaptação dos treinos em casa
Foto: Divulgação / Felipe Oliveira / EC Bahia

Recém incluído no time principal do Bahia, após a dissolução do sub-23 durante a pandemia, o meia Ramon contou como estão sendo as atividades em casa, as dificuldades dos treinos a distância e como está se sentindo agora que fará parte do elenco de Roger Machado.

“Os treinos estão sendo passados por um grupo de WhatsApp, onde os profissionais vem nos auxiliando e vem fazendo o planejamento semanal”, contou o jogador em entrevista. “É um pouco diferente do que estávamos acostumados, temos treinos individuais, às vezes temos algumas dificuldades para fazer alguns trabalhos, principalmente com bola ,só que é o que a gente tem no momento”, explicou o meia. 

 

Sobre a chegada ao Tricolor, o jogador falou que foi bem recebido e que gostaria de continuar integrando o clube. “Eu me senti muito bem no Bahia. Foi um clube que me recebeu muito bem. Tanto os jogadores, quanto todos os profissionais que trabalham no clube”, comentou Ramon. “Quero permanecer aqui até o fim do meu contrato e, chegando lá no fim, a gente vai sentar e ver o que pode fazer, sendo o melhor para o Ramon jogador e o melhor para o Bahia”, esclareceu. 

 

O atleta comentou ainda que a distância dos gramados gera apreensão. “A gente fica um pouco ansioso querendo jogar. Por muitas vezes a gente até sonha que tá jogando”, contou em tom de brincadeira. “Só que faz parte da dificuldade que a gente tá sofrendo. Temos que manter a calma e cautela”, admitiu. 

 

Ramon ainda comentou a importância do isolamento para “continuar preservando vidas para não saímos mais prejudicados do que já fomos”. Ele relatou que está usando parte do tempo da quarentena para estar com a família e que, no melhor momento, os órgãos de saúde e o Bahia irão decidir sobre o retorno dos treinos. 

 

Sobre a dissolução da equipe B do clube, o meia lamentou que a situação tenha se agravado a esse ponto. “É um sentimento triste porque tínhamos amigos ali, pessoas que a gente via dedicação no dia a dia. Infelizmente, com o processo natural do que vem acontecendo, o Bahia teve que tomar essas atitudes. Mas isso faz parte da vida e a gente torce para que todos os nossos companheiros que foram embora tenham todos sucesso do mundo daqui para frente”, desejou o atleta que fazia parte do time de transição e foi realocado para a equipe principal.

 

Questionado sobre a disputa na posição com Flávio, Gregory e Ronaldo, o jogador considerou que as opções para o técnico Roger enriquece a equipe. “A briga por posição no futebol é algo muito normal e (...) a gente entende isso e é uma briga sadia”, admitiu. “Nos treinamentos e nos jogos o professor vai tomar decisões, mas durante a temporada a gente vai precisar de todo mundo e todo mundo tem que estar no mais alto nível para poder ajudar o Bahia e fazer um grupo forte”, completou. 

 

Ramon ainda completou que já havia tido contato com Roger e sabia que poderia ficar tranquilo quando a sua participação na equipe, mesmo com a paralisação dos jogos. Ele conta que o treinador esteve atento aos jogos do Campeonato Baiano. “Aquilo me deu bastante tranquilidade para fazer o meu trabalho e ajudar o Bahia da melhor maneira possível”, finalizou.

 

O meia iniciou a carreira no Desportivo Brasil, foi emprestado as categorias de base do Palmeiras, seguiu para o Internacional e foi emprestado ao Vila Nova antes de vir para o Bahia no início desta temporada. 

Quinta, 28 de Maio de 2020 - 13:00

Sapatão tem 'discreta melhora', mas segue na UTI e em estado grave

por Glauber Guerra / Leandro Aragão

Sapatão tem 'discreta melhora', mas segue na UTI e em estado grave
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias

O ex-técnico e ex-jogador Élcio Nogueira, conhecido como Sapatão, segue internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em estado grave no Hospital da Bahia, em Salvador. De acordo com o boletim médico enviado pela casa de saúde ao Bahia Notícias nesta quinta-feira (28), ele apresentou uma discreta melhora nas últimas 24 horas.

 

"Paciente Élcio (Sapatão) está estável, sedado, entubado, em Suporte Ventilatório e Dialítico, apresentando nas últimas 24 horas discreta melhora nos padrões Hemodinâmicos", diz o comunicado da unidade hospitalar.

 

Sapatão está internado no hospital desde o dia 17 de maio. Porém, na última terça (26), ele sofreu uma parada cardíaca em decorrência de uma convulsão e precisou ser entubado.

 

Nos gramados, o zagueiro Sapatão se destacou com a camisa do Bahia ao fazer parte do elenco que conquistou sete títulos do Campeonato Baiano, entre 1973 e 1979. Depois, como treinador, foi campeão da Série B estadual dirigindo o Ypiranga em 1990, o São Francisco do Conde em 1996, o Camaçari em 1997 e o Camaçariense 2003. Além de ser vice-campeão do Baianão com o Juazeiro em 2001.

Quinta, 28 de Maio de 2020 - 10:20

Chapecoense confirma acerto com o Bahia para contratar Fernandinho por empréstimo

por Ulisses Gama / Leandro Aragão

Chapecoense confirma acerto com o Bahia para contratar Fernandinho por empréstimo
Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

O presidente da Chapecoense, Paulo Magro, confirmou a contratação do atacante Fernandinho. Ele chega emprestado pelo Bahia. O Bahia Notícias havia antecipado que o negócio estava próximo de ser fechado (veja aqui). O jogador, de 22 anos, estava cedido ao Joinville pelo qual disputava o Campeonato Catarinense.

 

"Ele já está em Chapecó. Quem tratou mais foi o departamento de futebol. Nesse processo o Régis voltou, porque o Bahia desmontou o time sub-23 e o Fernandinho estava desfazendo o contrato com o Joinville. Com isso, o Bahia nos emprestou e hoje ele deve começar os testes físicos", afirmou em entrevista ao Bahia Notícias.

 

A Chape retornou aos treinos presenciais no CT da Água Amarela nesta quarta-feira (27). A chegada de Fernandinho ao clube de Chapecó está ligada à devolução do atacante Régis Tosatti, após a extinção do time de transição do Tricolor com o cancelamento da edição 2020 do Campeonato Brasileiro de Aspirantes.

 

Na última sexta (22), o Joinville foi comunicado pelo Bahia que o atleta deixaria o clube, já que a negociação com a Chapecoense havia sido concretizada. O Tricolor catarinense vai receber uma taxa de vitrine. Fernandinho disputou nove jogos e marcou dois gols.

 

Fernandinho começou nas divisões de base do Sampaio Corrêa e acumula passagens pelo Noroeste, Ponte Preta e Internacional, antes de chegar ao Bahia em 2018.

Time feminino do Bahia faz treinos em casa e conversa com profissionais de saúde e esporte
Foto: Divulgação / EC Bahia

As atividades do time feminino do Bahia estão acontecendo de casa enquanto o futebol está paralisado. O treinador da equipe, Igor Morena, está acompanhando os trabalhos das meninas do Tricolor e contou em entrevista sobre os cuidados que estão sendo dados para as atletas e as expectativas criadas sobre a temporada de 2020 no Campeonato Brasileiro. 

 

“A gente vem realizando um trabalho sistemático”, contou o treinador. Ele explicou que junto com seu trabalho, o preparador físico também está atuando em conjunto com os treinos das jogadoras. “Nós da área técnica temos desenvolvido um trabalho com elas de trazendo alguns conteúdos inerentes ao futebol, ao nosso modelo de jogo e formato de jogo”, acrescentou Morena. 

 

O treinador contou ainda sobre bate-papos e outras atividades que estão sendo ofertadas para a equipe com outros profissionais, tanto da área do esporte, quando da saúde. “Além da nossa experiência, do que a gente vem vivenciando no dia a dia, a gente quis agregar no nosso trabalho novos conteúdos para elas”, comentou. “Entendemos que experiências de fora também poderiam contribuir para o nosso trabalho”, ressaltou o técnico. 

 

O time teve contato com psicóloga, fisiologista e a treinadora Emily Lima, que já comandou a seleção feminina brasileira e hoje está à frente da seleção feminina do Equador. As jogadoras do Bahia também conversaram com a ex-jogadora Márcia Tafarel e a meia Formiga. O técnico Igor Morena pontuou que essas experiências ajudam as meninas a saírem um pouco das restrições do isolamento. 

 

Sobre o início da temporada, o treinador contou que estava satisfeito com o desempenho da equipe. “A gente fez um excelente trabalho de pré-temporada pensando na competição do Campeonato Brasileiro e a expectativa para estreia era muito boa”, comentou. Relembrando a primeira e única partida que foi disputada contra o UDA-AL, quando o Bahia venceu por 8 a 0, Morena lamentou a necessidade de suspender os jogos. “Fez uma estreia boa e convincente com placar até elástico. Que pena que aconteceu esse processo de interrupção do campeonato devido a pandemia, porque a gente entendia que a gente estava num caminho muito bom para chegar nos nossos objetivos”, declarou o técnico. 

 

Morena ressalta que é fundamental pensar na saúde e cuidado de todos nesse momento e que, mesmo durante o isolamento, está conseguindo manter um envolvimento e um bom trabalho com as jogadoras. Ele fala que a situação acaba trazendo prejuízos, sem os treinos em campo, mas que as atividades que estão sendo desenvolvidas tentam minimizar essas consequências. 

 

Sobre a contribuição de Verena na equipe, contratada no início do ano, Morena declarou que a jogadora tem muito a acrescentar na equipe. “Ela é uma atleta que dispõe de uma qualidade física muito boa e de uma capacidade técnica muito grande de finalização, principalmente”, comentou o treinador. Questionado sobre a possibilidade dela integrar o time com Gadú ele disse que, por elas terem características diferentes, isso é possível. Mas, lembrou que “tem outras no grupo que também vão brigar pelo seu espaço” e que “quem ganha com isso é o Esporte Clube Bahia”. 

 

No Brasileirão A2, o Bahia integra o Grupo C e e líder da tabela pelo saldo de gols. Assim como na equipe masculina, as atividades do time estão suspensas em campo desde março. 

Quarta, 27 de Maio de 2020 - 11:00

Em estado grave na UTI, Sapatão respira por aparelhos, diz hospital

por Glauber Guerra / Leandro Aragão

Em estado grave na UTI, Sapatão respira por aparelhos, diz hospital
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias

Internado em estado grave da UTI do Hospital da Bahia (veja aqui), o ex-técnico e ex-jogador Sapatão respira com ajuda de aparelhos. De acordo com o boletim da unidade hospitalar divulgado nesta quarta-feira (27), ele encontra-se sedado e está sendo tratado pela equipe de cardiologia.

 

"Paciente em estado grave, com várias comorbidades prévias, destacando-se ser previamente renal crônico e cardiopata. Encontra-se grave, sedado, em uso de ventilação mecânica na Unidade de Terapia Intensiva. Está sendo tratado pelo pessoal da Cardiologia", diz o comunicado.

 

Nos gramados, o zagueiro Sapatão se destacou com a camisa do Bahia ao fazer parte do elenco que conquistou sete títulos do Campeonato Baiano, entre 1973 e 1979. Depois, como treinador, foi campeão da Série B estadual dirigindo o o Ypiranga em 1990, o São Francisco do Conde em 1996, o Camaçari em 1997 e o Camaçariense 2003. Além de ser vice-campeão do Baianão com o Juazeiro em 2001.

Quarta, 27 de Maio de 2020 - 09:57

Sapatão está internado no Hospital da Bahia, em Salvador; estado é grave

por Glauber Guerra / Leandro Aragão

Sapatão está internado no Hospital da Bahia, em Salvador; estado é grave
Foto: Glauber Guerra / Bahia Notícias

O ex-técnico e ex-jogador Élcio Nogueira, conhecido como Sapatão, de 72 anos, está internado no Hospital da Bahia, em Salvador. Ele deu entrada na unidade hospitalar no dia 17 de maio. Na última terça (26), o ex-defensor precisou ser entubado depois de sofrer uma parada em decorrência de uma convulsão. Ele está na UTI e o estado é grave. A informação foi confirmada por amigos e familiares de Sapatão e também pela assessoria de imprensa da casa de saúde. 

 

Na carreira de jogador, o zagueiro Sapatão ficou marcado por defender as cores do Bahia na década de 70. Ele fez parte dos times do Tricolor que conquistaram o heptacampeonato baiano entre 1973 e 1979. Além do Esquadrão de Aço, jogou também no Santa Cruz.

 

Após pendurar as chuteiras, ele se tornou técnico e também fez história na função ao dirigir equipes do interior. Ele foi campeão baiano da Série B comandando o Ypiranga em 1990, o São Francisco do Conde em 1996, o Camaçari em 1997 e o Camaçariense 2003. À frente do Juazeiro, foi vice-campeão estadual em 2001. Sapatão está aposentado como treinador desde 2012. Seu último clube foi o Camaçari.

Terça, 26 de Maio de 2020 - 12:40

Bahia registra novo contrato com Edson; vínculo vai até dezembro de 2021

por Glauber Guerra / Leandro Aragão

Bahia registra novo contrato com Edson; vínculo vai até dezembro de 2021
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias

O novo contrato do meio-campista Edson, de 22 anos, com o Bahia foi publicado no Boletim Informativo Diário (Bid) da CBF. Conforme antecipado pelo Bahia Notícias, clube e jogador já haviam concretizado o acerto (veja aqui). O vínculo vai até 31 de dezembro de 2021, segundo apuração do BN.

 

Edson chegou ao Tricolor em abril do ano passado vindo do Globo-RN para fazer parte do time de transição, dirigido pelo técnico Dado Cavalcanti, que foi desfeito após a suspensão do Campeonato Baiano no início da pandemia do coronavírus. O meia disputou sete partidas da competição estadual.

 

Além do Bahia e Globo, Edson acumula passagens pelo Alecrim-RN, Vitória e Votuporanguense-SP.

 

Edson passará a integrar o elenco principal do Bahia, comandado pelo técnico Roger Machado, quando os campeonatos no Brasil retornarem. O futebol do país está paralisado desde meados de março devido a pandemia do coronavírus. Ainda não uma data para o retorno das competições.

Terça, 26 de Maio de 2020 - 11:55

Bahia renova contrato em definitivo com o goleiro Mateus Claus

por Leandro Aragão

Bahia renova contrato em definitivo com o goleiro Mateus Claus
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias

O Bahia renovou contrato com o goleiro Mateus Claus. O Bahia Notícias antecipou que as duas partes estavam em negociação (lembre aqui). O jogador, de 25 anos, fazia parte do extinto time de transição e será integrado ao elenco principal, comandado pelo técnico Roger Machado, quando o futebol retornar para a sequência da temporada 2020. Antes emprestado pelo Pelotas, com o novo acordo, o arqueiro seguirá no Tricolor em definitivo. Segundo o presidente do clube gaúcho, Gilmar Schineider, uma cláusula no contrato de empréstimo foi acionada.

 

"Nós tínhamos uma cláusula de contrato que eles podiam renovar e a gente ficaria com um percentual se for negociado. Eles exerceram a cláusula e ficaram com ele", explicou em entrevista ao Bahia Notícias.

 

Mateus Claus foi contratado pelo Bahia no final do ano passado para a disputa do Campeonato Baiano. Em 2020, ele disputou três partidas pelo Tricolor, todas como titular.

Manutenção do emprego de funcionários preocupa o Bahia, diz Diego Cerri
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias

Com a paralisação futebol brasileiro devido a pandemia do coronavírus, os clubes perderam muitas fontes de receitas, como pagamentos da televisão pela transmissão dos jogos, bilheteria, planos de sócios, entre outras. Com este cenário, o Bahia realizou alguns cortes nas despesas, negociou dívidas com fornecedores e reduziu salários do departamento de futebol e do quadro de funcionários. No entanto, segundo o diretor Diego Cerri, o Tricolor anda preocupado em relação a manutenção dos empregos dos colaboradores diante do prolongamento do período de crise.

 

"Talvez o mais importante dentro da própria estrutura do clube tenha sido a postura de procurar, a todo custo, manter a grande maioria dos empregos dos nossos funcionários, atletas e todos os setores do clube. A gente sabe que nesse momento é muito difícil quando fica desempregado para conseguir se recolocar no mercado", comentou o dirigente durante participação no Projeto América, evento da Abex Futebol.

 

Na última quinta-feira (21), em entrevista ao Podcast 45 Minutos, o presidente do Tricolor, Guilherme Bellintani, falou da possibilidade de haver demissões de funcionários do clube.

 

"Eles estão avisados disso. Eles sabem que o acordo [redução de salários] vale até o final de maio. Vamos avaliar o prazo de retorno do futebol, a situação da janela de transferências de jogadores, como está a disputa de contrato de TV, como está aceitação das nossas repactuações de contratos com os fornecedores", afirmou. "O Bahia não tem gente sobrando, não temos indicados de conselheiros que não fazem nada. Quem chega lá tem muito o que trabalhar. Se eu demitir 20% agora vou passar seis meses pagando a rescisão e daqui a seis meses vou precisar dessas pessoas de novo. Quando o clube tem gordura, demitir e não precisa dessas pessoas, ok. O Bahia conquistou um espaço de respeitabilidade que eu não posso demitir pessoas e não pagar nada", completou.

 

As competições de futebol no Brasil foram suspensas em meados do mês de março e até o momento, o retorno dos jogos ainda segue indefinido.

Durante quarentena, goleiro Anderson, do Bahia, encontra novo hobby: 'Virei ciclista'
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias

Durante o período de quarentena, algumas pessoas procuram usar o longo tempo sobrando para colocar em prática algo que não conseguia antes da correria dos dias normais. Esse também é o caso goleiro do Bahia Anderson. Após cumprir suas obrigações diárias com os treinos monitorados virtualmente pelos preparadores físicos do clube, ele encontrou um novo hobby.

 

"Fora da rotina, virei ciclista. Tenho uma bike aqui e ando segunda, quarta e sexta", revelou.

 

Desde meados do mês de março as competições de futebol do Brasil estão paralisadas, assim como os treinos nos centros de treinamento para evitar a quebra o isolamento. Para Anderson, esse tempo de inatividade prejudica o ritmo de atividades que antes eram intensas, além do contato com bola.

 

"O que prejudica é o ritmo de treino. A gente não está treinando igual. Eles passam trabalho de força, de potência, mas o negócio é a bola. Não estou tendo contato com a bola", disse.

 

Outro ponto negativo da paralisação apontado por Anderson é a necessidade de recuperar o tempo perdido em termos de calendário a temporada 2020.

 

"Imagino que a volta do futebol vai ser muito trabalho, muito jogo. Vai ser com cautela, não vai ter torcida por algum tempo, mas vai ser importantíssimo para o pessoal que está em casa para ter o que ver e o que assistir. A gente está passando por essa pandemia, mas vai passar com cautela, cuidado, respeito ao próximo e se cuidando. O que vamos sentir também é o entrosamento, são 76 dias que não treinamos juntos e isso é complicado", finalizou.

Histórico de Conteúdo