Quinta, 23 de Janeiro de 2020 - 17:35

Bahia aprimora parte técnica e bola parada; confira provável escalação

por Ulisses Gama

Bahia aprimora parte técnica e bola parada; confira provável escalação
Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

O elenco do Bahia fez na tarde desta quinta-feira (23), no CT Evaristo de Macedo, o seu penúltimo treino antes de enfrentar o Santa Cruz no próximo sábado (25), pela rodada de abertura da Copa do Nordeste.

 

Em meio ao clima chuvoso, os atletas começaram a atividade com uma atividade técnica, focada na troca de passes e movimentação. Na sequência, o comandante orientou um intenso trabalho de bolas paradas, com jogadas ensaiadas. Durante a atividade, a provável escalação foi esboçada.

 

A formação tricolor deve ser a seguinte: Douglas; João Pedro, Lucas Fonseca, Juninho e Juninho Capixaba; Gregore, Flávio, Clayson, Rossi (Daniel) e Élber; Gilberto.

 

Os desfalques da atividade foram o volante Elton e Marco Antônio. Os dois resumiram o seu trabalho a uma atividade na academia.

 

A equipe tricolor finaliza o trabalho na manhã desta sexta-feira (24), a partir das 9h, novamente na Cidade Tricolor. Na sequência, pela tarde, a delegação viaja para Recife.

Quinta, 23 de Janeiro de 2020 - 16:15

Roger valoriza preparação e projeta mudanças na característica de jogo do Bahia

por Ulisses Gama

Roger valoriza preparação e projeta mudanças na característica de jogo do Bahia
Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

Pela primeira vez em 2020, o técnico Roger Machado, do Bahia, foi entrevistado no CT Evaristo de Macedo. As respostas para a imprensa antecedem a partida contra o Santa Cruz, neste sábado (25), no Arruda, pela primeira rodada da Copa do Nordeste.

 

Na opinião do treinador, o período para treinar o time foi satisfatório, contando com o fato de que boa parte da equipe é remanescente de 2019. A principal missão, que começou no último dia 6 de janeiro, foi ambientar os novos contratados.

 

"Para o futebol brasileiro, a gente sabe que esse é um período grande. Não é o suficiente para que consiga aplicar tudo, mas a continuidade do trabalho antecipa algumas etapas. Acredito que 19 dias foram importantes para que a gente ambientasse os jogadores que estão chegando, trabalhasse algumas coisas de forma diferente em função das características desses jogadores, reforçasse algumas questões importantes que fizemos na temporada passada. Não é o suficiente, mas é um período que é bem importante", destacou.

 

Outro ponto importante foi trabalhar alternativas no modelo de jogo do Esquadrão de Aço. Segundo ele, as características vão mudar por ter jogadores mais leves no setor ofensivo. O comandante, inclusive, previu que será possível ver coisas positivas na partida.

 

"A característica dos jogadores, por si só, já vai mudar um pouco a característica do modelo. Importante é, nesse começo de temporada, treinar plataformas diferentes para que em algum momento você use. Treinei muitas vezes quase que num 4-2-4, num 4-3-3 que a gente está habituado, mas com jogadores mais leves, com características diferentes, ora com pontas, ora com meia-pontas. Acho que vai dar para ver algumas mudanças sim, mas mais pela característica dos jogadores. Importante se pensar esse começo de temporada jogo a jogo. Saber que é o primeiro jogo, jogo fora, jogo de uma das competições que é classificatória. Tudo isso leva em conta o que vamos levar para dentro de campo. Acredito que vai dar para ver coisa boa, mas não o máximo que a gente pode render em função do tempo", declarou.

 

O elenco tricolor segue viagem para Recife na tarde desta sexta-feira (24).
 

Quinta, 23 de Janeiro de 2020 - 10:45

Dado se diz surpreso com expulsão de Anderson e avalia substitutos

por Ulisses Gama

Dado se diz surpreso com expulsão de Anderson e avalia substitutos
Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

Nos minutos finais da partida entre Juazeirense e Bahia, terminada em 1 a 1, o zagueiro Anderson, do Tricolor, acabou expulso por dois cartões amarelos pelo árbitro Bruno Pereira Vasconcelos. A saída do defensor acabou deixando muitos dos presentes no Adauto Moraes confusos. Um deles foi o técnico Dado Cavalcanti. Em entrevista após a partida da noite da última quarta (22), o comandante disse não ter visto o primeiro cartão aplicado.

 

"Confesso que não lembro nem do primeiro cartão que ele tomou. Não vi. Não entendi ainda. Me surpreendeu a expulsão. A falta estava longe. Fico do outro lado. Não deu para visualizar muito. Não vou entrar no julgamento. Acho que o árbitro fez uma boa arbitragem. Mas confesso que não visualizei o primeiro cartão que ele tomou. Não dá para julgar tanto. Vou rever o jogo, conversar com o próprio Anderson para entender o primeiro cartão que ele tomou", disse.

 

Sem Anderson para a próxima rodada, Dado diz que vai avaliar os possíveis substitutos. Jaques e Fábio Alemão são concorrentes pela vaga.

 

"Vou avaliar em Salvador. Nas minhas escolhas durante o trabalho, vinha trabalhando com o Jaques pelo lado esquerdo e o Alemão pelo direito. Preciso fazer uma avaliação desses dois atletas. São dois atletas que estão bem. Qualquer um não tenho dúvida que vai fazer uma boa partida. Mas não vou confirmar ainda pela avaliação que a comissão técnica vai fazer na volta", indicou.

 

O Bahia volta a jogar pelo Campeonato Baiano no próximo domingo (26), às 16h, contra o Vitória da Conquista no estádio de Pituaçu.

Quinta, 23 de Janeiro de 2020 - 09:25

Henriques fala sobre operação para segurar Gilberto no Bahia: 'Esforço grande'

por Ulisses Gama

Henriques fala sobre operação para segurar Gilberto no Bahia: 'Esforço grande'
Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

Gilberto fica no Bahia ou vai embora? Essa é uma dúvida que ainda não está respondida pelo clube. Após a proposta de um clube japonês, o Esquadrão de Aço se desdobra em esforços para manter o camisa 9 no CT Evaristo de Macedo. 

 

Em entrevista ao Bahia Notícias na última quarta-feira (22), o diretor executivo Pedro Henriques falou sobre a operação para segurar o jogador e indicou que a movimentação financeira será similar a da compra de um jogador. Ainda segundo o gestor, a cúpula está otimista em um final positivo.

 

"Sobre Gilberto... Gilberto, Gregore e Douglas são jogadores que a torcida tem identidade. Ainda mais Gilberto, que foi artilheiro no ano passado. É difícil. Ele veio em uma situação de oportunidade, pegamos ele livre. Quem não é do futebol entende que quando o jogador está livre, é de graça. Não é assim. Os empresários substituem os clubes. Se eu pagaria X para um clube, os empresários dizem 'eu quero esse X para mim'. Estamos tentando uma operação para manter o jogador. Se Gilberto ficar, não é uma manutenção de contrato. É uma aquisição importante. O pessoal está otimista, mas não é simples. Se acontecer, será um esforço muito grande. Guilherme, Diego e Vitor estão mais a par e estão empenhados para fazer acontecer. Quando Guilherme está empenhado, o pessoal fica otimista", declarou.

 

O Shimizu S-Pulse, do Japão, cobriu a multa do jogador, que gira em torno de R$ 2,5 milhões, além de oferecer boas condições ao atacante. Desde 2018 no Tricolor, Gilberto soma 83 partidas e 38 gols marcados. No Brasileirão do ano passado, com 14 gols, Gilberto foi o terceiro colocado na artilharia.

Quinta, 23 de Janeiro de 2020 - 08:45

Caio Mello valoriza oportunidade no Bahia e avalia empate: 'Justo'

por Ulisses Gama

Caio Mello valoriza oportunidade no Bahia e avalia empate: 'Justo'
Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

Revelado na base do Bahia, o volante Caio Mello teve na última quarta-feira (22) a oportunidade de ser titular na estreia do Campeonato Baiano 2020. Após o empate em 1 a 1 com a Juazeirense no estádio Adauto Moraes, o atleta comemorou a sua participação e avaliou positivamente a atuação do Esquadrão, que volta a jogar pelo estadual no domingo (26), contra o Vitória da Conquista.

 

"Venho da base e acho que é uma bela oportunidade. Espero que a gente volte a fazer um bom jogo no domingo", disse.

 

Na opinião de Mello, a igualdade no placar foi justa.

 

"Fizemos um bom trabalho e um bom jogo, fazendo o que a gente faz nos treinamentos. Acho que o empate foi justo", completou.

 

A próxima partida do Tricolor no calendário será com o time principal. O rival da vez é o Santa Cruz, no Arruda, pela Copa do Nordeste.
 

Executivo do Bahia relembra processo para viabilizar CT e avisa: 'Obras não vão parar'
Foto: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias

Hoje diretor executivo do Bahia, Pedro Henriques viveu intensamente o processo que levou o Bahia a enfim inaugurar o CT Evaristo de Macedo no último dia 11 de janeiro. Entre 2015 e 2017, como vice-presidente, o gestor participou de todo o imbróglio jurídico para recuperar o Fazendão e as chaves da Cidade Tricolor. Na sequência, Henriques voltou ao clube na gestão de Guilherme Bellintani para assumir o atual cargo e cuidar de toda a requalificação do espaço, que estava deteriorado em virtude da sua não utilização.

 

Em entrevista exclusiva ao Bahia Notícias, o dirigente relembrou todo o processo com a Construtora OAS, que usou os dois centros de treinamento como garantia de uma dívida com uma financeira, e a decisão de usar a área de Dias D'Ávila como o novo espaço dos atletas do clube.

 

"Tem todo o imbróglio da Cidade Tricolor que é anterior à gestão passada. Ainda na época de [Fernando] Schimidt foi feito um acordo com a OAS para que o clube voltasse a ter os dois patrimônios, só que nesse período estourou a Operação Lava Jato. Um dos primeiros contratos do clube em que me debrucei foi desse acordo e Vitor Ferraz, na época diretor jurídico, também esteve muito ativo. A minha preocupação era a capacidade da OAS cumprir o contrato diante do escândalo. Ouvimos sobre a possibilidade de recuperação judicial e na época conversamos com advogados, conselheiros e fizemos uma comissão para tratar do tema, e resolvemos que era importante fazer uma ação para preservar a Cidade Tricolor, o Fazendão e o terreno do Jardim das Margaridas. A gente entrou com uma ação cautelar, pedindo uma série de medidas, inclusive bloquear as matrículas dos imóveis. No decorrer da gestão, tentamos uma aproximação tanto com a OAS como com a Planner, que era a financeira que tinha a alienação fiduciária. O acordo foi viabilizado quando sentamos com os outros bancos que tinham o nosso patrimônio como garantia para chegar em um termo. Isso aconteceu lá em 2017, o Bahia efetuou o pagamento em cerca de R$ 6,5 milhões e uma quantidade considerável de Transcons. Acabou a gestão em 2017, começou a gestão de Guilherme e Vitor, e era preciso fazer uma escolha de como lidar com os patrimônios. Diante da grandeza e do potencial da Cidade Tricolor, entendemos que era importante fazer a migração", disse.


"Foi um dos pontos que Guilherme me abordou quando me convidou para voltar. O pessoal acha que no Bahia tem pouco trabalho, mas acho que tem pouco dirigente para muito trabalho. Há uma série de obrigações estratégicas e institucionais. Dentro desse contexto, ele me passou e começamos a trabalhar nisso. As primeiras demandas foram os campos e os prédios. Precisava fazer uma reforma muito grande e os orçamentos estavam variáveis. O que a gente fez? Contratou uma empresa para definir o escopo da obra. Foi feita uma planilha global para que as empresas fizessem propostas específicas de acordo com a definição", explicou.

 

 

Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

 

Com o desafio do investimento, feito com recursos próprios, Henriques admitiu que o clube teve dificuldades para encaminhar toda a reconstrução do CT. Hoje, com a Cidade Tricolor em funcionamento, o dirigente garante que as obras vão continuar para melhorar ainda mais a estrutura. Mais alojamentos, campos e um sistema de energia solar estão entre os planos da diretoria.

 

"Iniciamos em 2019, mas numa velocidade mais lenta do que a gente gostaria. Começamos a tocar a obra e o desafio passou a ser mobiliar e equipar. Conversamos com as melhores fornecedoras de aparelhos de academia, com a ajuda dos nossos preparadores físicos. Construímos uma academia que não estava no projeto para a base. Tinham dois auditórios no prédio e fizemos uma sala de fisioterapia, departamento médico e academia. Entendemos que isso foi importante para a base. Esse foi o grosso em termo estrutural. Houveram outros detalhes de paisagismo, obras de arte, que dão um visual diferente, além da comunicação visual. É muita coisa! Originalmente pensávamos em junho, mas entendemos que mudar no meio da temporada seria ruim. O CT não vai ficar 100% pronto porque as obras não vão parar. Estamos na segunda fase. Agora mesmo estava em uma reunião para instalação da energia solar. É um investimento grande, mas que se paga", relatou o gestor.

 

Sem se aprofundar, Henriques rebateu o ex-presidente Marcelo Guimarães Filho, que comemorou a inauguração do CT nas redes sociais (relembre aqui).Ele lembrou que o mandatário destituído em 2013 deixou o clube sem os centros de treinamento e com uma grande dívida.

 

"Tenho me envolvido cada vez menos na política do clube. Mas como uma pessoa que torce e acompanha o Bahia, acho engraçado. Na gestão dele, o Bahia não tinha Cidade Tricolor, Fazendão... Tinha sim um endividamento de quase R$ 200 milhões. Quem tem boca fala o que quer, né?", indicou.

 

Com a Cidade Tricolor pronta, o clube se prepara para vender o Fazendão. Um edital já foi publicado e o clube já recebeu propostas, de acordo com Henriques. Vale lembrar que o processo também passará pelo Conselho Deliberativo e pela Assembleia Geral de Sócios. 

 

"A gente fez uma avaliação com um profissional e é um valor dentro da realidade do mercado. Recebemos algumas propostas, mas não acredito que seja uma proposta que vá entrar muito dinheiro à vista no Bahia. Essas operações não são assim. Digamos que seja de R$ 15 milhões a R$ 25 milhões. Querendo ou não, pode vir um aporte mensal que nos ajude nessas execuções de projeto e nas demais atribuições".

 


Confira outros pontos da entrevista: 

PERMANÊNCIA DE BELLINTANI

"Guilherme é um grande gestor e a sociedade baiana tem ele como uma referência de empreendedor de sucesso. É natural que seja cotado. Felizmente ele desejou permanecer. Dá uma estabilidade importante para a democracia e tenho certeza que ele levou isso em consideração. O Bahia vem em uma crescente. Houveram mudanças estruturais para essa política do Bahia, com estatuto reformado e modernizado, credibilidade saneada e o caminho pavimentado para que ele pudesse fazer investimentos mais ousados, essa agressividade no marketing. Acho que ele deve focar na gestão que ele tem, assim como qualquer um que venha a dirigir o clube".

 

PILARES PARA SALTO NO ORÇAMENTO

"A estruturação e a credibilidade. Sem isso, seria uma bola de neve em endividamento. O fundamental também foi a receita com torcedores. Sócios, ingressos, loja, Arena Fonte Nova... Se somar tudo, chega perto da TV. Estamos trazendo o torcedor para perto do clube e isso é mérito da democracia. É uma base de saída muito importante. Na venda de atletas, o clube tem conseguido fazer bons negócios. Para mim, o próximo grande desafio, além de melhores performances, é dar um salto de qualidade na base. Vendemos Jean, Juninho Capixaba, Becão, Brumado... Essas vendas fazem a máquina girar. A gente queria que os jogadores da base jogassem sempre no profissional, mas podem ser que tenhamos jogadores que sirvam para vender para outros centros. Isso faz a máquina girar, ainda mais com a valorização de outras moedas".

 

EXPECTATIVA PARA 2020

"Tem que ser melhor que o ano passado. Gostaria de ver o clube levantar um título além do Baiano e o mais factível é a Copa do Nordeste. É uma competição que a torcida gosta, que tem apelo e que tem um retorno financeiro melhor que o estadual e nos coloca nas oitavas da Copa do Brasil. Queremos uma campanha boa na Sul-Americana e na Copa do Brasil. Claro que todo mundo quer ser campeão, mas sabemos da dificuldade. O mínimo é ser melhor que no ano passado. E no Brasileiro não acho que seja razoável não terminar na primeira página. Estando na primeira página, olhando uma vaga na Libertadores ou na pré. Demos uma vacilada no ano passado. Essa é uma das coisas que a democracia também proporcionou: a frustração era quando era rebaixado, perdia Ba-Vi, que tem tempo que não perdemos... Hoje nossa frustração é não ir para a Libertadores, perder de virada para o Flamengo...".

Quinta, 23 de Janeiro de 2020 - 00:40

Dado aponta jogadores ansiosos e espera melhorias na sequência do Baianão

por Ulisses Gama

Dado aponta jogadores ansiosos e espera melhorias na sequência do Baianão
Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

O Bahia começou a temporada de 2020 com um empate em 1 a 1 contra a Juazeirense na noite de quarta-feira (22), pela rodada de abertura do Campeonato Baiano. Em sua análise sobre o time de transição, o técnico Dado Cavalcanti destacou a ansiedade por causa da estreia e as condições desfavoráveis promovidas pelo adversário. Visando a sequência da competição, o comandante disse esperar por evolução do grupo.

 

"A estreia é sempre um pouco mais ansiosa, um pouco mais nervosa. Um grupo mais jovem acaba sentindo um pouco mais. Nossa equipe estava bem ansiosa em campo. Erramos bolas fáceis que em condições normais nossa equipe não erra. Faz parte do processo. Primeiro jogo aconteceu. Nossa equipe colocou a bola no chão, tentou jogar. Adversário também jogou. A partida foi animadora. As duas equipes tiveram chances. Primeiro tempo muito mais no nosso domínio, segundo tempo correu um pouco de nossas mãos. Sofremos mais no segundo. Não dá para lamentar tanto o resultado em si. A condição de jogo acaba sendo um pouco mais difícil, jogar fora, adversário imprimindo ritmo forte, campo irregular, nossa equipe tem tudo para amadurecer, para crescer mais no campeonato. Espero fazer um jogo melhor em casa", indicou.

 

Durante a partida, Dado optou por Cristiano, Luciano Buiu e Caíque e acabou não escolhendo reforços como o meia Fessin, vindo do Corinthians, e o atacante Régis, emprestado pela Chapecoense. O comandante explicou suas decisões.

 

"Alguns atletas já estão prontos para jogar, porém hoje guardei as três trocas por questões físicas. Duas muito mais por cansaço, por desgaste. A última, do Caíque pelo Saldanha foi uma opção mais minha. O campeonato vai andar. Terei outras oportunidades, com todos jogadores mais bem preparados", explicou.

 

A equipe volta a jogar pelo estadual no próximo domingo (26), às 16h, contra o Vitória da Conquista, em Pituaçu.

Quarta, 22 de Janeiro de 2020 - 23:45

Autor de gol do Bahia, Ramon comemora e mira o Vitória da Conquista

por Ulisses Gama

Autor de gol do Bahia, Ramon comemora e mira o Vitória da Conquista
Foto: Felipe Santana / EC Bahia

O meio-campista Ramon, do Bahia, foi o responsável pelo primeiro gol da equipe na temporada 2020. Com o tento, o Tricolor chegou ao placar final de 1 a 1 com a Juazeirense na noite desta quarta-feira (22), no Adauto Moraes, pela primeira rodada do Baianão. Após a partida, o jogador comemorou e apontou a missão de vencer a próxima partida.

 

"Feliz pelo gol. Como eu disse anteriormente, poderíamos ter saído com a vitória. Não foi um resultado ruim pelas
circunstâncias. Agora, dentro de casa, temos que buscar o triunfo", disse.

 

Ramon comentou o estilo da cobrança e celebrou o sucesso de balançar as redes.

 

"Venho treinando no dia a dia e tenho minha forma de bater. Fui feliz na escolha do canto", completou.

 

O Bahia volta a jogar pelo Baianão no próximo domingo (26), contra o Vitória da Conquista, em Pituaçu. Antes, o time principal encara o Santa Cruz, no Arruda, pela Copa do Nordeste.
 

Quarta, 22 de Janeiro de 2020 - 23:41

Após empate, Gustavo destaca 'jogo truncado' contra a Juazeirense

por Ulisses Gama

Após empate, Gustavo destaca 'jogo truncado' contra a Juazeirense
Foto: Ulisses Gama / Bahia Notícias

O atacante Gustavo, do Bahia, lamentou o empate em 1 a 1 com a Juazeirense na noite desta quarta-feira (22), no Adauto Moraes, pela primeira rodada do Campeonato Baiano. Segundo ele, o jogo foi truncado e o Tricolor poderia ter saído vencedor do duelo.

 

"Um jogo truncado. Poderíamos ter saído com o triunfo, os dois tiveram chances... Vamos embora comum ponto. Não está bom, mas também não está tão ruim", disse, em entrevista à Rádio Metrópole.

 

Com o resultado, a equipe comandada por Dado Cavalcanti soma um ponto e volta a jogar pelo estadual no próximo domingo (26), contra o Vitória da Conquista, no estádio de Pituaçu.
 

Quarta, 22 de Janeiro de 2020 - 23:27

Bahia empata com a Juazeirense na estreia do Campeonato Baiano

por Ulisses Gama

Bahia empata com a Juazeirense na estreia do Campeonato Baiano
Foto: Felipe Santana / EC Bahia

O Bahia empatou em 1 a 1 com a Juazeirense na noite desta quarta-feira (22), no estádio Adauto Moraes, pela rodada de abertura do Campeonato Baiano. O Cancão saiu na frente com gol marcado por Jhonata. De pênalti, Ramon empatou a partida a favor do Tricolor.

 

Com um ponto, o Tricolor volta a jogar pelo estadual no próximo domingo (26), contra o Vitória da Conquista, em Pituaçu. Antes, o time principal enfrenta o Santa Cruz no próximo sábado (25), no Arruda, pela Copa do Nordeste.

 

O JOGO

 

Logo nos primeiros segundos de jogo, o Cancão de Fogo assustou. Em jogada rápida pela direita, Alex Travassos chutou cruzado e a bola passou muito perto. Na sequência, o Esquadrão de Aço botou a bola no chão e respondeu com Gabriel Esteves, que recebeu cruzamento de Mayk e mandou por cima aos seis minutos.

 

Com 17 minutos, Saldanha ficou com a sobra da cobrança do lateral, girou e bateu com a perna esquerda para defesa do goleiro Roger Kath. Aos 27, foi a vez de Gustavo tentar de fora da área, mas a bola passou ao lado da meta. 

 

Roger Kath evita gol do Bahia

 

Aos 31 minutos, surgiu a primeira boa chance da partida. Livre na esquerda, Mayk cruzou na medida para uma grande defesa do goleiro Roger Kath.

 

Antes do fim da primeira etapa, o Tricolor perdeu uma grande chance. Em jogada de contra-ataque rápido, Lepo recebeu a bola de frente para o gol, mas na hora de driblar o goleiro, Roger Kath levou a melhor.

 

Segundo tempo

Após falha do Bahia, Jhonata coloca o Cancão na frente

 

Logo no início do segundo tempo, após cobrança de falta na grande área, Fernando socou a bola nas costas do zagueiro Anderson e a bola foi em direção ao gol, limpa para Jhonata abrir o placar e fazer a festa da torcida do Cancão de Fogo.

 

De pênalti, Ramon empata

 

Aos dez minutos, Gustavo tentou o cruzamento e a bola ficou com Saldanha, que tentou o drible e foi derrubado na área. O juiz acusou a penalidade máxima. Na cobrança, Ramon bateu rasteiro e não deu chance para o goleiro Milton.

 

Aos 30, a Juazeirense quase tomou a frente do placar. Depois de cobrança de escanteio, Elcarlos completou para o meio da área, a bola desviou e a defesa do Bahia conseguiu evitar o gol em cima da linha. Três minutos depois, Alex Travassos cobrou falta para boa defesa de Fernando.

 

Gugu acerta a trave

 

O Cancão quase marcou o segundo quando o relógio marcava 36 minutos. Após cruzamento, Elcarlos desviou e Gugu chutou a bola no pé da trave.

 

Aos 45, Elcarlos cruzou na área, Douglas Valle completou e o goleiro Fernando ficou com a bola.

 

FICHA TÉCNICA
Juazeirense 1 x 1 Bahia
Campeonato Baiano - 1ª rodada

Local: Adauto Moraes, em Juazeiro
Data: 22/01/2020 (quarta-feira)
Horário: 21h30
Árbitro: Bruno Pereira Vasconcelos
Auxiliares: Paulo de Tarso Bregalda Gussen e Edevan de Oliveira Pereira

Cartões amarelos: Clebson, Nino Guerreiro, Anderson (2x) (Juazeirense) / Cristiano (Bahia)

Cartão vermelho: Anderson

Gols: Jhonata (Juazeirense) / Ramon (Bahia)

 
Juazeirense: Roger Kath (Milton); Alex Travassos, Kanu, Junior Gaúcho e Wendell; Waguinho, Jhonata, Clebson e Elcarlos; Jeam (Gugu) e Nino Guerreiro (Douglas Valle). Técnico: Vladimir de Jesus
 


Bahia: Fernando; Willean Lepo; Ignácio, Anderson e Mayk; Edson, Ramon (Luciano Buiu) e Caio Mello (Cristiano); Gustavo, Gabriel Esteves e Saldanha (Caíque). Técnico: Dado Cavalcanti.

Histórico de Conteúdo