Segunda, 19 de Agosto de 2019 - 11:10

Sidninho

por Ailma Teixeira

Sidninho
Atualmente, o Podemos de Salvador integra a base do governador Rui Costa (PT), mas essa relação anda estremecida. Membros do partido têm reclamado publicamente do espaço concedido à sigla dentro do grupo, como é o caso do líder da oposição na Câmara Municipal de Salvador (CMS), o vereador Sidninho. Para ele, o Podemos municipal “não está contemplado”. “O partido hoje tem três vereadores, com alguns suplentes fortes. O projeto 2020 está forte, [o deputado federal] Bacelar é candidato a prefeito. É uma decisão partidária municipal, e se o governador realmente tem interesse no Podemos nesse projeto, ele tem que fazer algum gesto", cobra o vereador em entrevista ao Bahia Notícias.Em seu primeiro mandato, o edil aposta no crescimento de seu partido no cenário político da capital baiana. Ele acredita que a legenda terá um crescimento na próxima janela partidária, inclusive com a entrada de políticos que hoje compõem a base do prefeito ACM Neto (DEM) no município.

Leia mais

Segunda, 12 de Agosto de 2019 - 11:10

José de Arimateia

por Mauricio Leiro

José de Arimateia
Após o desastre com a Barragem do Quati, na região de Pedro Alexandre e Coronel João Sá, o deputado estadual José de Arimateia (PRB), responsável pela Comissão do Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos da Assembleia Legislativa da Bahia, que fiscalizou os equipamentos, defende que a fiscalização das barragens aconteça também por iniciativa do poder municipal. "Uma coisa que nos alertou e também alertou o Legislativo é que eles precisam acompanhar esses problemas. Os vereadores disseram que os órgãos reguladores nunca comunicaram que estavam fazendo vistorias. O prefeito e os vereadores precisam ser comunicados, pois envolve a comunidade", comentou o deputado. Arimateia vê que o problema das barragens ainda não está resolvido e que, somente com a junção de esforços entre os entes públicos, a questão pode ter uma solução. "A população aonde fomos está assustada, pois o problema em si ainda não foi resolvido. O governo precisa levar com mais responsabilidade tanto o estadual como o federal, o Poder Público era para dar o exemplo e eles não priorizaram um problema que pode causar vítimas, isso é complicado", analisou ele.

Leia mais

Segunda, 05 de Agosto de 2019 - 11:10

Leonardo Prates

por João Brandão

Leonardo Prates
O secretário Municipal de Saúde de Salvador, Leo Prates, afirmou que o orçamento da pasta é vitaminada por 56% do Município, acima do que investe a União e o governo estadual na secretaria. “Hoje Salvador investe mais que o governo do Estado e governo federal no que se refere à Secretaria Municipal de Saúde. Governo federal e governo estadual representam 44% do orçamento da Secretaria Municipal de Saúde. Olha a inversão da lógica e grandeza do que foi feito pelo prefeito ACM Neto durante esses anos”, cutucou, em entrevista ao Bahia Notícias. Prates, no entanto, ponderou que a relação dele com o secretário estadual da Saúde na Bahia, Fábio Vilas Boas, é muito boa. Questionado sobre seus movimentos como conversas com membros do PCdoB, elogios a deputados de esquerda e possibilidade de ir para o PDT, Prates disse que preza pelo diálogo com todos e não descartou incluir uma pessoa de sigla opositora na chapa governista em 2020. “Posso pensar diferente das pessoas e ser amigo. É possível dialogar. Abaixo esse ódio”, pregou.

Leia mais

Segunda, 29 de Julho de 2019 - 11:10

Jerônimo Rodrigues

por Rodrigo Daniel Silva

Jerônimo Rodrigues
O secretário estadual de Educação (SEC), Jerônimo Rodrigues, criticou, em entrevista ao Bahia Notícias, o alto número de reprovações de estudantes na rede pública. Para ele, a medida tem prejudicado a Educação no estado, pois, muitos alunos abondam as escolas após perder constantemente e ter que repetir a mesma série. "Em momento algum, a gente está pedindo aqui para que professores aprovem estudantes, que não tenha a capacidade. Mas também não dá para a gente não questionar que estudantes são reprovados sem um critério mais apreciado de fatores", frisou. O titular da SEC negou, ainda, que pretenda fechar escolas na Bahia. Segundo ele, vai ocorrer um "reordenamento". "Às vezes, as escolas são vizinhas e divididas por um muro. A escola, às vezes, tem 800 alunos, outra 300, e na outra vizinha tem 200. Aí tem que manter uma estrutura física com três quadras, três auditórios. Mas se tem uma estrutura com uma única escola, com uma boa equipe de professores de ação pedagógica, laboratórios, é isso que a gente chama de reordenamento", declarou. O secretário voltou a falar que pretende "municipalizar" estudantes do ensino fundamental I e II, que estão na rede estadual. Jerônimo afirmou que quer se reunir com o secretário municipal de Salvador, Bruno Barral, para tratar do assunto

Leia mais

Segunda, 22 de Julho de 2019 - 11:10

Mário Dantas

por Maurício Leiro / Lucas Arraz

Mário Dantas
O novo presidente da bicentenária Associação Comercial da Bahia (ACB), o empresário Mário Dantas defende com afinco uma boa relação entre os setores público e privado. “O empresário responsável não pode se abster de construir um bom diálogo”, defendeu. Nos últimos tempos, uma série de investigações e crises de corrupção tornaram a relação mais distante de governos com empresas, um sinal de alerta para a sociedade. Entretanto, em entrevista ao Bahia Notícias após assumir o comando da ACB, o novo presidente disse que essa relação precisa ser retomada. O novo gestor da ACB, como boa parte dos empresários, aguarda uma resposta do Poder Público para equilibrar as contas do país por meio de reformas. “No momento em que você aprova a reforma da Previdência, você deixa as contas públicas muito mais próximas de um equilíbrio. Aí esse país ou essa empresa passa a ser financiável e receber investimentos”, falou. Ao defender o diálogo, o presidente também comentou que pretende intensificar os encontros e discussões entre empresários e políticos. Apesar da aproximação por meio de eventos com Rodrigo Maia, João Doria e ACM Neto, Dantas nega o viés eleitoral do diálogo para a sucessão de Jair Bolsonaro em 2022. ”Um erro grande que a gente comete é quando se discute o presente, olhando as próximas eleições. Temos que nos abstrair das discussões das próximas eleições e focar no presente. O que é preciso fazer hoje para desenvolver as atividades empresariais e criar melhor os nossos filhos?”, comentou.

Leia mais

Segunda, 15 de Julho de 2019 - 14:10

Adélia Pinheiro

por Matheus Caldas

Adélia Pinheiro
Ex-reitora da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Adélia Pinheiro resolveu aceitar o convite do governo estadual para assumir a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti). Em entrevista ao Bahia Notícias, no entanto, a titular da pasta afirma que pensa em, futuramente, se filiar a algum partido político para concorrer em eleições. “A militância político-partidária específica com filiação, eu digo que tudo tem um tempo para acontecer”, indica. Dentro outros assuntos, Adélia falou sobre a relação do governo do estado com as universidades estaduais após o período de greve das instituições e dos cortes federais em bolsas e investimentos na área de Ciência e Tecnologia. "No cenário atual, as assimetrias tendem a se perpetuar, o que, obviamente, não contribui para o desenho e fortalecimento do desenvolvimento dessas regiões [Norte/Nordeste/Centro-Oeste]”, preocupa-se. Ao longo da entrevista, a secretária também fala sobre os investimentos estaduais na área, a atuação da Secti junto às instituições de ensino, a relação da pasta com a Secretaria de Educação (SEC) e o modelo de gestão do Parque Tecnológico da Bahia. Investir em ciência e tecnologia sempre foi um problema no Brasil e se agravou muito recentemente, com o corte de bolsas e investimentos na área. Como a senhora avalia os cortes promovidos pelo governo federal influenciam nos financiamentos de bolsas e pesquisas?

Leia mais

Segunda, 08 de Julho de 2019 - 11:10

Thiago Dantas

por Ailma Teixeira

Thiago Dantas
Um dos pontos de entrave na discussão da reforma da Previdência do governo federal, a capitalização está presente no projeto de Previdência Complementar enviado pela Prefeitura de Salvador à Câmara Municipal (CMS). Agora excluído do texto em trâmite no Congresso, o sistema sugerido pelo governo federal consiste no próprio trabalhador poupar o dinheiro para sua aposentadoria. Já no âmbito do município, o sistema prevê uma contribuição compartilhada entre o servidor e o Poder público. Por isso, na avaliação do secretário Municipal de Gestão, Thiago Dantas, o modelo proposto pelo prefeito ACM Neto (DEM) é "muito saudável". "Lá, a grande discussão é que o regime de capitalização não incorpora contrapartida, a capitalização ocorre exclusivamente a partir de contribuições do trabalhador. Já o nosso projeto prevê que a Previdência complementar consagra a ideia de capitalização de parte a parte. Então, ela envolve a contribuição do servidor e contribuição também do Poder Público, o que significa dizer que todos os riscos que são associados à proposta que está sendo discutida no âmbito do governo federal não são em absoluto aplicáveis aqui", ressalta Dantas em entrevista ao Bahia Notícias. O projeto, que está na Comissão de Constituição, Justiça e Redação Final na CMS, vai incorporar apenas os servidores que ingressarem na prefeitura após sua sanção. Os servidores já presentes no quadro antes da medida permanecem sujeitos às regras anteriores. Porém, a gestão também planeja uma reforma da Previdência, que será formulada e enviada para o Legislativo se a reforma federal, de fato, não englobar estados e municípios. Quanto às constantes reivindicações de reajuste salarial, Dantas ratifica: nada de aumento até setembro. A ordem é aguardar os números do segundo quadrimestre para avaliar se a arrecadação cresce a ponto de permitir a reabertura das negociações. Ao longo da entrevista, o secretário elenca ainda alguns feitos da gestão, a exemplo do concurso público para 18 carreiras, a mudança de órgãos da prefeitura para a região do Comércio e também seus planos futuros para quando deixar a secretaria.

Leia mais

Segunda, 01 de Julho de 2019 - 11:10

Capitão Alden

por Mauricio Leiro

Capitão Alden
O deputado estadual Capitão Alden (PSL) compreende que o PSL “vive um processo de construção” na Bahia e que divergências políticas sempre ocorrem, mas que seu contato recente com Alberto Pimentel, um dos líderes da legenda e titular da Secretaria Municipal de Trabalho, Esportes e Lazer (Semtel), fez com que superassem as divergências e pensar nos projetos para o partido. Alden é criador da cartilha de orientação policial de linguagens simbólicas do crime, a “cartilha das tatuagens”, e ressalta que o estudo vem interligando em um grande centro de informações as polícias de vários estados além de que "o resultado das operações tem sido confirmado e positivado em função das informações que foram detalhadas no estudo”. Sobre a atuação parlamentar, a população, segundo o deputado, vem pedindo que os deputados sejam mais compromissados com a questão pública e que tenham uma “nova roupagem, no uso mais razoável, no uso mais racional dinheiro e direcionando para quem realmente precisa”.

Leia mais

Segunda, 24 de Junho de 2019 - 11:10

Josias Gomes

por Lucas Arraz / Mauricio Leiro

Josias Gomes
Secretário de Desenvolvimento Rural, o deputado federal licenciado Josias Gomes vê como fundamental o investimento na agricultura familiar. "Não tem fábrica ou empresa na Bahia, por maior porte que seja, que empregue um contingente como esse. Com um detalhe: que vivem no campo, produzindo os produtos que consumimos todos os dias", analisou. Josias é contrário à liberação deliberada de agrotóxicos. A medida tomada pelo governo Bolsonaro é vista com preocupação. Apesar de entender que a SDR não tem o que fazer, ele diz "lamentar que o pais tenha voltado com esses venenos". Durante a entrevista, o deputado licenciado do PT explicou que entende que a campanha Lula Livre é fundamental para libertar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em razão dele ser um preso político. Na sua visão, as manifestações contra os contingenciamentos de verbas na educação seriam vinculadas ao ex-presidente Lula por ele ter sido responsável pela propagação da educação em todo o país.

Leia mais

Segunda, 17 de Junho de 2019 - 11:10

João Roma

por Rodrigo Daniel Silva

João Roma
Relator da reforma tributária na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, João Roma (PRB) defendeu a proposta de acabar com as isenções fiscais no país.  O item divide políticos. Para o parlamentar Daniel Almeida (PCdoB), a medida pode prejudicar a Bahia, que teria dificuldade de competir com estados do Sul e Sudeste na atração de empresas. "A maneira correta de fazer desenvolvimento é através de política de desenvolvimento. É com aporte de recursos do governo. E não com isenção fiscal, que, muitas vezes, é injusta", declarou ao Bahia Notícias. Para Roma, a proposta, que altera o sistema tributário, não será vetada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), mesmo não tendo sido elaborada pelo governo. “Essa reforma alia sentimentos, que hoje tanto o Legislativo quanto o Executivo enxergam a importância e a necessidade disto para o Brasil", pontuou. 

Leia mais

Histórico de Conteúdo