Defensoria recorre ao STJ contra Sérgio Camargo na Fundação Palmares
Foto: Reprodução/Twitter

A Defensoria Pública da União (DPU) recorreu, nesta terça-feira (18), contra a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que autorizou a nomeação do jornalista Sérgio Camargo para Fundação Palmares (relembre aqui). 

 

No pedido, a DPU argumenta que o currículo e o histórico de Camargo "o habilitam exclusivamente para causar a deletéria redução da proteção ao direito à igualação dos negros". O texto ainda diz que a nomeação do jornalista "desafia a própria Constituição Federal, no que abre flanco permissivo à implementação de políticas públicas voltadas à desconstrução dos avanços historicamente alcançados pela sociedade brasileira".

 

O texto ainda destaca que o pedido do órgão não tem relação com "bravatas empolgadas pelo ambiente virtual ou de singulares excessos nas manifestações em redes sociais", mas sim pelo fato de que Camargo "ostenta um ethos singular estruturado sobre a sistemática defesa negacionista do racismo e o discurso estofado pelas ideias de que escravidão foi 'benéfica para os descendentes', de que não há 'racismo real', e de que o 'movimento negro' deve ser extinto.

Histórico de Conteúdo