Scalene faz show comemorativo de 10 anos de carreira neste domingo em Salvador 
Foto: Divulgação

O grupo brasiliense Scalene, que ficou conhecido em todo Brasil após participar do programa Superstar, faz um show comemorativo de 10 anos de carreira, neste domingo (15), em Salvador. A apresentação acontece a partir das 16h, no Portela Café, situado no bairro do Rio Vermelho. 


O repertório do espetáculo combina canções atuais como "Percevejo", "Furta-Cor" e "Ciclo Senil" com algumas mais conhecidas, a exemplo de "Surreal" e "Danse Macabre". "Apesar de ter um pouco de nostalgia, é algo que olha pra frente, com músicas do disco que lançamos agora, o 'Respiro', e clássicas", conta o guitarrista e tecladista Tomás Bertoni, que compõe a banda ao lado de Gustavo Bertoni (voz e guitarra), Lucas Furtado (baixo) e Philipe “Makako” Nogueira (bateria).


SERVIÇO
O QUÊ:
Scalene
QUANDO: Domingo, 15 de dezembro, às 16h
ONDE: Portela Café – Rio Vermelho – Salvador (BA)
VALOR: R$ 40

Governo muda presidência do Iphan; Luciana Rocha Feres é nova titular
Luciana Rocha Feres é nova presidente do Iphan | Foto: Reprodução / Linkedin

O governo federal exonerou, nesta quarta-feira (11), Kátia Santos Bogéa da presidência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico (Iphan).

 
A nova nomeada para o cargo é a arquiteta e urbanista Luciana Rocha Feres, ex-diretora do Conjunto Arquitetônico da Pampulha, ligada à Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte (MG). Os atos de exoneração e nomeação foram publicados no Diário Oficial da União desta quarta-feira (11).


De acordo com o currículo publicado no Linkedin, Luciana é “arquiteta e urbanista, professora e consultora na área de patrimônio cultural. Doutoranda em Ambiente construído e patrimônio sustentável na UFMG”.

 

Segundo o colunista Guilherme Amado, na revista Época, a nomeação de Luciana foi “apadrinhada” pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, titular da pasta à qual hoje está vinculada a Secretaria Especial de Cultura. De acordo com a publicação, o secretário Roberto Alvim pretendia escalar Olav Schrader - monarquista e seguidor de Olavo de Carvalho - para o cargo, mas foi “atropelado” pelo ministro.

Casa da Música faz nova edição do Itapuã Canta Gonzagão no Dia do Forró
Foto: Divulgação

A Casa da Música realiza mais uma edição do projeto Itapuã Canta Gonzagão nesta sexta-feira (13), Dia Nacional do Forró e aniversário de Luiz Gonzaga. A entrada é gratuita.


O evento, que tem como objetivo reverenciar o artista e seu grande legado para a cultura nordestina, acontece a partir das 18h no entorno da lagoa do Abaeté, com um encontro de forrozeiros, fogueira e comidas típicas. A iniciativa integra a programação do Viva o Abaeté – Luau na Lagoa.


SERVIÇO
O QUÊ:
Itapuã Canta Gonzagão
QUANDO: Sexta-feira, 13 de dezembro, às 18h
ONDE: Ao lado da Lagoa do Abaeté – Salvador (BA)
VALOR: Gratuito

Caetano pede multa de R$ 2,8 milhões após Olavo de Carvalho descumprir ordem judicial 
Foto: Divulgação / Reprodução

Condenado pela 6ª Vara Cível do Rio de Janeiro a pagar R$ 40 mil para Caetano Veloso e retirar publicações nas redes sociais que associam o artista baiano à pedofilia (clique aqui e saiba mais), Olavo de Carvalho até hoje não cumpriu a decisão judicial.


De acordo com informações da coluna assinada por Ancelmo Gois no jornal O Globo, o guru e ideólogo do clã Bolsonaro descumpre a ordem há mais de 280 dias, mantendo as postagens. Diante disto, Caetano voltou a recorrer à Justiça para que Olavo pague uma multa, desta vez no valor de cerca de R$ 2,8 milhões. 

Cancelado pela Ancine, 'A Vida Invisível' será exibido gratuitamente na Cinelândia
Foto: Divulgação

Após ter uma sessão cancelada pela Agência Nacional do Cinema (Ancine) (clique aqui), o longa-metragem “A Vida Invisível”, dirigido por Karim Aïnouz e selecionado para representar o Brasil na disputa do Oscar (clique aqui), será exibido gratuitamente, nesta quinta-feira (12). 


De acordo com informações da coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo, o público poderá conferir uma sessão aberta do filme às 19h, na Cinelândia, no Rio de Janeiro. A exibição, organizada por servidores da Ancine descontentes com o veto, será seguida de um bate-papo com produtor, Rodrigo Teixeira, e Gregorio Duvivier, que integra o elenco. 


Na terça-feira (11), o ator havia adiantado que os funcionários se movimentavam para realizar a sessão e levantou uma versão sobre a motivação do veto. “Motivo alegado: a nova diretoria me odeia e acha que Rodrigo Teixeira [produtor do filme] é ‘comunista’”, disse, em suas redes sociais (clique aqui). 


Mencionado, Teixeira comentou o incidente. Para ele, “quem representa a cultura no governo brasileiro enlouqueceu completamente”. “Sou completamente contra qualquer tipo de censura. Acho um absurdo”, avaliou.


Funcionários da Ancine também formalizaram um documento  (clique aqui) para solicitar explicações sobre o cancelamento da exibição do filme e a retirada de cartazes da sede do órgão (clique aqui).

Quarta, 11 de Dezembro de 2019 - 07:50

Doodle do Google faz homenagem a Noel Rosa no aniversário do sambista

por Jamile Amine

Doodle do Google faz homenagem a Noel Rosa no aniversário do sambista
Foto: Reprodução / Google

O Doodle do Google estampa, nesta quarta-feira (11), uma imagem do sambista, cantor e compositor brasileiro Noel Rosa. 


A publicação é uma homenagem pelo aniversário do artista, nascido no dia 11 de dezembro de 1910, no Rio de Janeiro, e morto aos 26 anos, em 4 de maio de 1937, por causa da tuberculose.


O carioca, que em 2016 foi agraciado in memoriam com a Ordem do Mérito Cultural do Brasil, é autor – sozinho ou com parceiros - de diversos clássicos, a exemplo de "Com que roupa?", "Conversa de Botequim", "Filosofia", "Feitiço da Vila", “Fita Amarela”, “Palpite Infeliz” e “Onde está a honestidade?”. 

 

Relembro um dos maiores sucessos de Noel:

Histórias marginais se cruzam no espetáculo 'A Mão na Face'
Foto: Divulgação

De autoria do dramaturgo Rafael Martins e fruto da conclusão do componente curricular Laboratório de Direção Teatral A Cena Fechada - Realismo - do curso de Direção Teatral da UFBA, "A Mão na Face", conta a a história de duas personagens, Mara, uma prostituta veterana, e Gina, uma jovem travesti, que dividem suas histórias no camarim de uma boate. As apresentações acontecem no Estúdio Zona de Produção, no Rio Vermelho, nos dias 12, 13 e 14 de dezembro, às 20h, e no dia 15 de dezembro, às 19h30.

 

Durante o desenrolar da história, as personagens vão aos poucos revelando suas angústias e questionamentos existenciais, na medida em que elementos surpresas vão sendo incorporados dramaticamente ao diálogo revelador.

 

O espetáculo tem a direção de Rodrigo Queiroz, texto de Rafael Martins e a atuação de Sônia Leite e Rodrigo Queiroz.

 

SERVIÇO:
O QUÊ: Espetáculo "A Mão na Face"
QUANDO: 12, 13, 14 e 15 de dezembro
ONDE: Estúdio Zona de Produção (Rua Ilhéus, 258 - Rio Vermelho)
VALOR: Entrada gratuita

Terça, 10 de Dezembro de 2019 - 20:40

'Tem que acabar o Dia da Consciência Negra', diz nomeado para Fundação Palmares

por Gustavo Uribe | Folhapress

'Tem que acabar o Dia da Consciência Negra', diz nomeado para Fundação Palmares
Foto: Reprodução / G1

Nomeado para o comando da Fundação Palmares, o jornalista Sérgio Camargo defendeu nesta terça-feira (10) o fim do Dia da Consciência Negra e disse que o órgão federal responsável por promover a cultura de matriz africana no país não apoiará a data comemorativa.

Na semana passada, a nomeação do jornalista foi suspensa pelo juiz Emanuel José Matias Guerra, da 18ª Vara Federal do Ceará. Nesta segunda-feira (9) a AGU (Advocacia-Geral da União) recorreu da decisão. Ele havia sido nomeado para o posto no final de novembro pelo secretário especial da Cultura, Roberto Alvim.

"Claro que tem que acabar o Dia da Consciência Negra, que é uma data que a esquerda se apropriou para propagar vitimismo e ressentimento racial. Isso não é data do negro brasileiro, mas das minorias empoderadas pela esquerda que propagam ódio, ressentimento e divisão racial. No que depender de mim, a Fundação Palmares não dará suporte algum a essa data", disse.

No último dia 20 de novembro, o Palácio do Planalto não marcou nenhuma cerimônia para celebrar a data e o presidente Jair Bolsonaro também não se manifestou sobre o dia nas redes sociais, diferentemente do que fez, por exemplo, no Dia da Bandeira e no Dia Internacional da Mulher. 

Após audiência com Bolsonaro, no Palácio do Planalto, Camargo defendeu que seja revalorizado no país o 13 de maio, Dia da Abolição da Escravatura. Na opinião dele, o racismo é circunstancial, não estrutural, e capitaneado sobretudo por movimentos de esquerda. Ele disse que nunca negou a existência do racismo no Brasil.

"Nós vamos revalorizar o dia 13 de maio e o papel da princesa Isabel na libertação dos negros", afirmou. "Hoje, o pior racismo é o racismo da esquerda, das milhares de pessoas que nas redes sociais estão me chamando de capitão do mato, uma injúria racial que deve ser levado à Justiça no momento certo. São pessoas racistas e militantes da esquerda que me chamam de capitão do mato. Esses, sim, piores racistas no Brasil", acrescentou.

Antes de ser nomeado para o posto, o jornalista afirmou em suas redes sociais que o Brasil tem "racismo nutella" e que o "racismo real" existe nos Estados Unidos. Ele também escreveu que a escravidão foi terrível, "mas benéfica para os descendentes". Na sequência, disse que "negros do Brasil vivem melhor que os negros da África".

"Eu nunca neguei a existência do racismo no Brasil. Isso é uma deturpação das minhas postagens em redes sociais. Eu afirmo que há racismo. O racismo, porém, não é estrutural segundo a tese da esquerda. Ele é circunstancial", disse.

Camargo afirmou ainda que está confiante de que a sua nomeação seja restituída e chamou a decisão judicial de "absurda" e "política". 

Também presente na audiência com Bolsonaro, Alvim disse que o jornalista é um "intelectual" e ressaltou que tem "extremo respeito por ele". Ele ressaltou ainda que o presidente está "muito tranquilo" com as indicações feitas por ele para secretarias e fundações. 

"Não houve nenhuma cobrança em relação às críticas. As críticas, no meu ponto de vista, não procedem em absoluto. O que nós estamos fazendo é criando uma equipe muito forte para promover um renascimento da cultura e da arte no Brasil", afirmou.

Para ele, há um diferença na forma como a direita e a esquerda encaram a produção artística. Ele ressaltou que tem trabalhado para evitar a divulgação de propaganda política em filmes e peças.

"Um governo de esquerda patrocina propaganda ideológica. Um governo de direita patrocina obras de arte. Então, nós estamos lutando pelo renascimento do conceito de obra de arte, não por um veículo de propaganda ideológica", ressaltou.

Alvim ganhou a simpatia de Bolsonaro ao ter criticado Fernanda Montenegro. Ele usou as redes sociais em setembro para atacar a atriz, após ela ter posado para a capa da revista Quatro Cinco Um. Na época, ele disse sentir "desprezo" por ela e a acusou de ser "mentirosa". Na publicação, ela aparecia vestida de bruxa em uma simulação de uma fogueira de livros.

Perguntado nesta terça-feira (10), Alvim disse, no entanto, que financiaria uma produção artística com a participação da atriz.

Funcionários da Ancine questionam ações da agência em documento
Foto: Divulgação / Bruno Machado

Os funcionários da Agência Nacional de Cinema (Ancine) formalizaram um pedido de esclarecimento por parte da agência em relação a retirada de cartazes de filmes nacionais da parede da sede do órgão no Rio. A solicitação aconteceu através de um ofício da Associação dos Servidores Públicos da Ancine (Aspac).

 

Eles também questionam, no mesmo documento, o canelamento da exibição do filme brasileiro indicado ao Oscar, 'A Vida Invisível', do diretor Karim Aïnouz, que seria realizada nesta quinta-feira (12), durante um evento de capacitação de servidores. 

 

A alegação de um dos funcionários para o cancelamento da sessão seria a de que o projetor estava quebrado. O texto da Aspac nega a justificativa, "considerando que temos conhecimento de que todos os equipamentos do auditório estão em perfeitas condições de funcionamento". Procurada pela reportagem, a Ancine disse que "não vai se pronunciar sobre o assunto neste momento".?

 

Conforme noticiou a Folha, no ofício enviado para a agência, a Aspac diz que entre os princípios de gestão da Ancine está a "estrita observância aos princípios da atuação administrativa, dentre eles, os da impessoalidade, isonomia e interesse público".

Indicada ao Festival Educadora FM, Sons de Mercúrio leva 'Passos Peregrinos' ao Sesc Feira
Foto: Divulgação / Ana Reis

A banda feirense Sons de Mercúrio vai apresentar, no próximo sábado (14), o espetáculo poético-musical "Passos Peregrinos", no Teatro do Centro Cultural Sesc de Feira de Santana. A apresentação comemora os dois anos da banda, que concorre ao Festival Educadora FM deste ano na categoria voto popular.

 

O espetáculo poético-musical é dirigido pelo ator Revson Costa, que também interpreta um alquimista artesão que vive em busca do sentido de ser. O espetáculo busca resgatar a essência que deu origem ao projeto dos músicos Cartre Sans, Thiago Matos e Mohzah Nascimento.

 

A Sons de Mercúrio traz as músicas que ladrilham esse caminho, executando canções que fazem parte do seu disco de estreia, denominado “Entre Crendices e Amores Pagãos” (2019), além de harmonias vocais e instrumentais feitas para o show.


SERVIÇO
O QUÊ: Espetáculo Passos Peregrinos
QUANDO: 14 de dezembro (sábado)
ONDE: Teatro do Centro Cultural Sesc - Feira de Santana

Centro de Comercalização do Artesanato da Bahia é inaugurado na Barra
Foto: Divulgação

O governo estadual inaugurou, na manhã desta terça-feira (10), o novo Centro de Comercialização do Artesanato da Bahia, no Largo do Porto da Barra, em Salvador. O espaço reúne trabalhos artesanais de todas as regiões do estado, como bordados, carpintaria, cerâmica, cestaria, costura, renda, tapeçaria e tecelagem.

 

O espaço reunirá trabalhos que representam o artesanato produzido nos 27 territórios de identidade da Bahia, selecionados de acordo com a relevância cultural, técnica e a representatividade estadual.

 

Os trabalhos dos Mestres Artesãos do Estado e do Selo Bahia Feita à Mão também estarão à venda no Centro de Comercialização. São produtos atraentes, diferenciados e de qualidade, criados para atender turistas e os próprios baianos que buscam objetos para presentes, decoração, moda e acessórios.

Terça, 10 de Dezembro de 2019 - 16:50

Após perda de patrocínio, artistas defendem Festival do Rio como ato de resistência

por Cris Veronez | Folhapress

Após perda de patrocínio, artistas defendem Festival do Rio como ato de resistência
Foto: Divulgação / Rogerio Resende

O Festival do Rio teve início na noite desta segunda (9) com a exibição do filme "Adoráveis Mulheres", de Greta Gerwig, no Cine Odeon, no centro da capital fluminense. Atores, diretores e produtores celebraram a realização do evento, que segue até o dia 19 e só não foi cancelado porque conseguiu verba por meio de um financiamento coletivo.

"O cinema é uma expressão importante para a cidade e o festival mostrou isso. Conseguimos, num gesto de resistência, fazer com que ele acontecesse. Tem que ser assim. Vivemos um quadro tenebroso, mas não podemos parar", disse o ator Edson Celulari, 61.

O veterano esteve presente na cerimônia de abertura do evento ao lado da esposa, Karin Roepke, 37, com quem pretende fazer mais um projeto audiovisual para 2020. "O Miguel Falabella, 63, também estará junto, mas não posso dar mais detalhes", afirmou.

O casal já trabalhou junto em dois curtas: "Cinzas" (2017), protagonizado por Roepke e dirigido por Celulari, e "Europa" (previsão de estreia em 2020), em que atuam juntos e cuja direção também é assinada por Celulari.

"Os curtas têm um espaço muito particular, não existe muito espaço comercial, mas vamos fazer circuito internacional e partir para um longa", revela o veterano.

Os atores também confirmaram um novo projeto pessoal, ainda sem data certa. Eles querem engravidar. Celulari já é pai de Enzo, 22, e Sophia, 16, do antigo casamento com a atriz Cláudia Raia, 52.

A atriz Mariana Nunes, 39, também prestigiou o primeiro dia de festival. Ela atua em dois filmes da programação: "Pureza" (Renato Barbieri) e "M8 - Quando a morte socorre a vida" (Jeferson De).

"Em 'Pureza' serei Elenice, uma auditora fiscal do trabalho que ajuda Pureza (Dira Paes) que teve seu filho capturado pelo mercado de trabalho escravo. Em 'M8' sou Cida, a mãe de Maurício um jovem universitário cotista que entra para a faculdade de medicina. Ele vê que todos os cadáveres das aulas de anatomia são negros e a maioria dos alunos são brancos. É fantástico", conta a atriz.

Com os cabelos platinados para uma personagem sobre a qual faz suspense, Nunes diz que as dificuldades com a verba para levantar o festival após o cancelamento dos patrocínios da Petrobrás e do BNDES só fortaleceu os ânimos da classe artística.

"Parece que dá mais vontade ainda de fazer cinema e de resistir. Eles estão tentando, mas não vão nos parar. Não sei como será ano que vem, mas temos algumas produções em andamento. Mesmo com pouco dinheiro, continuaremos fazendo. A existência do festival neste ano é uma prova disso", afirma.

Sem citar o montante, a atriz Nathalia Dill , 33, revela ter contribuído com a vaquinha que bancou o festival."Estou muito feliz de participar da abertura do festival. É importante estarmos aqui e mostrarmos que os cariocas são unidos não só para o Carnaval, mas para a arte também", diz.

Pai de Camila Pitanga, o ator Antonio Pitanga, 80, exaltou a importância da cultura para a democracia do país. "Nossa cultura está sendo avacalhada, levada para a vala. A cultura é um dos bens mais valiosos de qualquer civilização. Foi através dela que nasceu a democracia na Grécia Antiga. É o instrumento socializador democrático. Essa vitrine do festival não tem preço. Essa galera luta para que esse festival exista mesmo nos momentos mais sombrios que estamos vivendo."

Otimista, a diretora-executiva do Festival do Rio, Walkíria Barbosa, disse que sempre acreditou que o festival se manteria vivo.

"Minha história sempre foi de luta pela democracia, pela liberdade de expressão, e principalmente pela inteligência. Acredito que o Brasil tem tudo para ser uma das maiores potências na produção de conteúdo audiovisual. Ninguém pode nos impedir de ocupar nosso lugar no mundo", pontuou.

A atriz Mariana Ximenes, 38, que comandou a cerimônia, declarou aberta a temporada para os cinéfilos do Rio de Janeiro: "Mais uma vez, atrizes, atores, roteiristas, diretores e talentos do mundo inteiro vão provar que não há obstáculo que impeça a mente humana de criar coisas memoráveis".

Escritora lança livro infanto-juvenil inspirado na vida de Irmã Dulce 
Foto: Divulgação

Nascida em São Paulo e radicada em Salvador há 35 anos, a escritora Cristina Cunha lança um livro infanto-juvenil inspirado na vida de Irmã Dulce, nesta sexta-feira (11), em Salvador. O evento de lançamento de “Estelinha” acontece a partir das 18h, no quarto piso do Shopping Barra.


Editado pela Caramurê, a obra faz parte da coleção Eu Vim da Bahia e narra a história de Estelinha, uma garota que vivia na Cidade Baixa e era vizinha da família de Maria Rita, hoje Santa Dulce dos Pobres. A mãe de Estelinha, percebendo semelhanças entre a filha e Irmã Dulce, resolve contar para ela sobre a trajetória da santa baiana. 


Inspirada pela história, Estelinha se anima a espalhar amor e decide formar a Sociedade dos Amigos da Inclusão, junto aos amigos da escola.


SERVIÇO
O QUÊ:
Lançamento do livro “Estelinha”
QUANDO: Quarta-feira, 11 de dezembro, das 18h às 21h30
ONDE: 4º piso do Shopping Barra – Salvador (BA)
VALOR: Entrada gratuita

Episódio de Grey’s Anatomy sobre estupro e orientações para vítimas aumenta denúncias
Foto: Reprodução/EBC

O número de denúncias sobre casos de estupro, abuso e incesto aumentou 1.000% nos Estados Unidos depois de um episódio da 15ª temporada de Grey's Anatomy que tratou sobre o tema e orientou vítimas a denunciarem.

 

Um estudo publicado pelo "The Journal of the American Medical Association" revelou o aumento percebido após a exibição do episódio "Silent All These Years". Tanto no início quando no final do capítulo apareceram mensagens divulgando um número para denunciar casos de estupro, abuso e incesto.

 

O estudante de medicina Trevor Trogerson da Universidade Estadual de Oklahoma e co-autor do estudo afirmou que a procura pela linha direta do canal de denúncias americano aumentou em 43% nas 48 horas após o episódio, conforme reportagem do site Spinoff. “Essas descobertas são importantes, pois mostram outra maneira de a mídia e as partes envolvidas alcançarem sobreviventes de violência sexual que podem não estar cientes dos recursos”.

 

No Brasil, o número para denúncias de abuso sexual é o 180. 

Coletivo feminista pernambucano apresenta 'A Dita Curva' em Salvador
Foto: Divulgação / Duda Albuquerque

Com elenco formado por 10 artistas pernambucanas, o espetáculo musical “A Dita Curva” faz curta temporada desta sexta-feira (13) a domingo (15), na Caixa Cultural Salvador.


No palco, Aishá Lourenço, Aninha Martins, Flaira Ferro, Isaar, Isadora Melo, Laís de Assis, Luna Vitrolira, Paula Bujes, Sofia Freire e Ylana Queiroga misturam música, poesia e dança em performances com o propósito de revelar a força do feminino. 


Idealizado pela cantora, compositora e dançarina Flaira Ferro, o espetáculo tem direção musical de Paula Bujes e direção artística de Lilli Rocha. "Precisamos contar nossa história. Sem mediadores ou intérpretes. Precisamos falar com nossas palavras sobre quem somos, o que sentimos e como queremos desfrutar nossas vidas. Esse espetáculo, assim como tantas iniciativas feministas emergentes, traz, através da arte, a autonomia da nossa voz. É político, poético e urgente numa sociedade patriarcal que mata, oprime e silencia nossa existência", conta Flaira Ferro.


SERVIÇO
O QUÊ:
“A Dita Curva”
QUANDO: 13 a 15 de dezembro. Sexta-feira, às 20h. Sábado, às 18h e 20h. Domingo, às 19h
ONDE: Caixa Cultural Salvador
VALOR: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

Duvivier diz que Ancine censurou filme por diretora odiá-lo e achar produtor 'comunista'
Gregório Duvivier interpreta Antenor no filme | Foto: Divulgação

Parte do elenco de “A Vida Invisível”, o ator Gregório Duvivier disse ter confirmado a acusação de funcionários da Agência Nacional do Cinema (Ancine), de que a Secretaria de Gestão Interna do órgão proibiu a exibição do filme em evento para os servidores (clique aqui).


“Acabo de confirmar: exibição gratuita d’A Vida Invisível foi cancelada pela Ancine”, declarou o artista, por meio de suas redes sociais. “Motivo alegado: a nova diretoria me odeia e acha que Rodrigo Teixeira [produtor do filme] é ‘comunista’”, acrescentou. Duvivier disse ainda que funcionários descontentes com a censura planejam projetar o filme na rua.


Com direção de Karim Aïnouz, “A Vida Invisível” foi selecionado para representar o Brasil na disputa pelo Oscar de Melhor Longa-metragem Internacional (clique aqui). O elenco do longa conta com Fernanda Montenegro, que foi xingada por Roberto Alvim, hoje secretário especial da Cultura e então diretor da Funarte (clique aqui). 

Terça, 10 de Dezembro de 2019 - 12:50

'O Continente', de Érico Veríssimo, ganha edição especial 70 anos após lançamento

por Guilherme Henrique | Folhapress

'O Continente', de Érico Veríssimo, ganha edição especial 70 anos após lançamento
Foto: Divulgação / Leonid Strealiev

"Ele sabia que queria escrever algo grandioso, mas não imaginava que estaríamos aqui, 70 anos depois, debatendo seu livro". A confissão do escritor Luis Fernando Veríssimo à reportagem ocorreu na noite desta segunda-feira (9), no Teatro Eva Herz, na Livraria Cultura, em São Paulo, durante o lançamento da edição comemorativa de "Continente", primeiro volume da trilogia de "O Tempo e Vento", escrito por Érico Veríssimo e publicado em 1949.

Filho de Érico, Luis Fernando acompanhou da primeira fila o debate realizado pela Companhia das Letras, que reuniu o ator Tarcísio Meira e o escritor Luiz Ruffato. A mediação ficou a cargo da jornalista e tradutora Livia Deorsola. "Estarmos aqui hoje é um ato de resistência pela cultura, que está sendo destruída pelo atual governo", disse Ruffato, antes descrever a gestão em voga como "a irracionalidade que chegou ao poder".

Ruffato conheceu a trilogia vasculhando os livros na casa de uma tia em Minas Gerais, ainda na adolescência. Ele diz acreditar que a história contada por Érico Veríssimo não pode ser caracterizada como regionalista, lugar que ocupa ao lado de escritores como Graciliano Ramos, Jorge Amado e Rachel de Queiroz. "Esse livro é o maior conjunto de reflexão histórica sobre a história política brasileira."

Para o escritor, no entanto, a magnitude da obra ainda não foi totalmente descoberta. "Poucos puderam alcançar o patamar do Érico nesse livro. Talvez a falta de reconhecimento seja porque parte da crítica literária brasileira não goste e tenha preconceito com autores que fazem sucesso". 

No total, "O Tempo e o Vento" possui sete volumes, divididos em três fases: "O Continente" (1949), "O Retrato" (1951) e "O Arquipélago" (1961). A trilogia narra a história do Rio Grande do Sul e do Brasil, a partir da cidade fictícia de Santa Fé, com as relações entre as famílias Terra, Caré, Cambará e Amaral. O percurso narrado pelo autor vai de 1745, com as missões jesuíticas, até 1945 e a chegada do Estado Novo.

Ao percorrer os séculos 18, 19 e 20, Ruffato diz que história ajuda a construir um panorama do Brasil que se mantém até hoje. "Os interesses de certa burguesia e aristocracia que se sobrepõe às necessidades da nação estão aí", comenta. "Não forjamos um senso de nação. Temos um país, mas essa nacionalidade talvez nunca tenha existido", completa.

Responsável pela leitura de alguns trechos de "O Continente" ao longo do evento, Tarcísio Meira, hoje aos 84 anos, chegou ao debate em uma cadeira de rodas, culpando a dificuldade de locomoção às três cirurgias realizadas no joelho esquerdo. Ele conta ter conhecido a obra durante uma viagem ao Rio Grande do Sul, entre 1963 e 1964. Vinte anos depois, quando a Globo decidiu fazer a minissérie "O Tempo e o Vento", o ator foi convidado pelo diretor Paulo José para interpretar Rodrigo Cambará, um dos personagens centrais da trama.

"Eu já não tinha mais idade para viver um capitão jovem, mas o Paulo garantiu que eu ficaria bem no papel", conta. Ele tinha 50 anos quando interpretou o personagem, definido por ele como "o mais importante" da carreira.

Ao ser questionado sobre as características de Rodrigo Cambará, Tarcísio Meira afirmou que ele "namorava muito", mas ressaltou que o capitão "é o que todo homem gostaria de ser, e o homem que toda mulher gostaria de ter". Livia Deorsola, responsável pela mediação, retrucou: "Olha, hoje eu já não diria isso".

'Autora de seu próprio texto', Edvana Carvalho vence tabus e reafirma arte atemporal
Foto: Priscila Melo / Bahia Notícias

“Mulher preta inteligente, bonita, gostosa em cena. A autora de seu próprio texto”: é desta forma que a atriz baiana Edvana Carvalho quer que, não só o público, mas também o mundo a enxergue. Em cartaz no Cabaré dos Novos, no Teatro Vila Velha, com o espetáculo “Aos 50 – Quem me aguenta?”, até o dia 22 de dezembro, ela conversou com o Bahia Notícias sobre o envelhecimento e a maturidade, matérias-primas para a montagem de sua autoria (clique aqui e saiba mais). 

 

A partir de seu próprio cotidiano, a artista de 51 anos construiu o enredo do solo, estrelado por ela mesma. “Eu escrevi inicialmente duas crônicas para já ter na manga caso alguém me convidasse para um Sarau, ou algum evento. E a partir disso comecei a escrever sobre a vantagem de se chegar aos 50. Eu brinco muito com isso, com os tipos de namorados que aparecem querendo um relacionamento, fui escrevendo sobre a questão hormonal, que já vamos vendo as mudanças...”, conta a artista. 

 

Apesar das risadas e do bom humor, Edvana busca levar ao palco uma visão realista e não romantizada deste processo. “Rapaz, envelhecer é muito ruim, não é legal, não. Essa coisa de dizer ‘ah, é ótimo!’. Mentira! O bom é ter 20 anos, não é não, pai? Você não sente uma dor na coluna, nada! Você curte cinco, seis dias de carnaval e não volta nem em casa, que nada… Mas assim, é melhor estar vivo do que estar morto, não é? “, provoca a atriz, que costuma brincar com os truques bastante usados atualmente para tentar burlar as marcas do tempo. “Quando eu vejo as pessoas da revista na rua e vejo o tamanho da transformação, eu fico pensando: ‘oh, cansou de ser bonita!’”, ironiza a artista que já tem uma neta, ama o novo status, mas prefere ser chamada de “vovóguete”.

 

Na entrevista ao BN, além de contar alguns causos divertidos, Edvana falou ainda sobre episódios de racismo pelos quais passou; comentou sobre os últimos trabalhos na TV Globo, em "Malhação" e "Pega Pega"; e revelou algumas informações de bastidores da série “Irmãos Freitas”, na qual ela interpreta a mãe do pugilista baiano Popó. A atriz destacou ainda a importância do Bando de Teatro Olodum em sua formação como artista, pessoa e ativista negra, e revelou que pela primeira vez será protagonista de um longa-metragem. “Se tudo não parar nesse país, como pelo visto está encaminhando pra parar, eu acho que no fim de 2020 deve sair”, conta Edvana sobre o filme “Receba”, com roteiro e direção de dois baianos, Rodrigo Luna e Pedro Perazzo. “Apesar de ser gravado em Salvador, a história não tem nada das coisas mais folclóricas de Salvador. É um filme que pode ser rodado no Japão ou em Nova York. É meio de ação, meio policial, eu estou sempre fugindo de bandidos que querem me pegar e eu também não sou tão boa coisa. Mas eu sou meio heroína no filme”, explica. Clique aqui e leia a entrevista na coluna Cultura. 

Terça, 10 de Dezembro de 2019 - 10:40

Deputados entram com PDL para suspender ato de Bolsonaro que exclui MEI de artistas

por Jamile Amine

Deputados entram com PDL para suspender ato de Bolsonaro que exclui MEI de artistas
Foto: Agência Brasil

Mesmo após o presidente Jair Bolsonaro anunciar o recuo (clique aqui) na decisão de excluir o cadastro de 14 categorias – dentre elas várias ligadas ao setor cultural – como Microempreendedores Individuais (MEI), deputados do PDT, PSOL, PCdoB e PT desconfiados das intenções do governo decidiram atuar para “evitar uma maior precarização dos trabalhadores e da cultura brasileira”.


“Primeiro, o Governo exclui do MEI uma série de profissões ligadas ao setor cultural. Depois, eles dizem que vão recuar. Só que até o momento, não publicaram a revogação da portaria”, disse o deputado Túlio Gadelha (PDT-PE) em suas redes sociais. “Como não dá pra confiar em Bolsonaro e sua trupe, acabamos de entrar com um PDL [Projeto de Decreto Legislativo]  para suspender a resolução do governo que exclui da categoria de Microempreendedor Individual (MEI) 14 ocupações e atividades, das quais algumas diretamente ligadas à área de cultura - como Músico Independente, DJ, Humorista, Instrutor de Arte e Cultura e Instrutor de Música”, declarou o pernambucano.


Na publicação, Túlio informou ainda que um levantamento realizado pelo Sebrae em setembro apontou que “33% desses microempresários registrados no MEI atuavam na informalidade anteriormente, e hoje, podem acessar vários benefícios da previdência social (INSS), como auxílio-doença, aposentadoria por idade e salário-maternidade, e até crédito”. Segundo o parlamentar, o Sebrae avalia que a mudança atingiria mais de 611 mil profissionais hoje registrados no país.


“Ao excluir essas atividades, a resolução do governo está devolvendo estes trabalhadores para a informalidade e, consequentemente, reduzindo a arrecadação dos impostos formalmente constituídos a partir da regularização destas atividades”, afirmou Túlio Gadelha. 

Terça, 10 de Dezembro de 2019 - 10:02

Vocalista do Roxette, Marie Fredriksson morre aos 61 anos

Vocalista do Roxette, Marie Fredriksson morre aos 61 anos
Foto: Divulgação

A cantora sueca Marie Fredriksson, vocalista da banda Roxette, morreu aos 61 anos, na manhã desta terça-feira (10). "É com muita tristeza que temos que anunciar que Marie Fredriksson, da Roxette, faleceu na manhã de 9 de dezembro, após uma batalha de 17 anos contra o câncer”, diz comunicado oficial.

 

Nascida em 30 de maio de 1958, na Suécia, Marie Fredriksson deu início à sua carreira musical ao se aproximar do futuro companheiro de banda, Per Gessle. Em 1984 ela atuou em carreira solo, até que em 1986 se juntou a Gessle para criar o Roxette. Ao longo da longeva trajetória, a banda acumulou sucessos como ”Listen To Your Heart”, ”It Must Have Been Love”, ”Joyride”, ”Dressed For Success”, ”How Do You Do!”, ”Sleeping In My Car”, ”Dangerous” e “Fading Like A Flower”.

 

Relembre um dos maiores sucessos do Roxette: 

Terça, 10 de Dezembro de 2019 - 10:00

Grupos religiosos fazem campanha contra especial de Natal do Porta dos Fundos

por Fábio Zanini | Folhapress

Grupos religiosos fazem campanha contra especial de Natal do Porta dos Fundos
Foto: Divulgação

Entre as tradições de fim de ano, ao lado do show do Roberto Carlos e daquela música da Simone, uma tem ganhado força: a ira de grupos religiosos, sobretudo evangélicos, com o Porta dos Fundos.

Os protestos de 2019 têm como mote o especial de Natal que o grupo colocou no ar na semana passada na plataforma Netflix, chamado A Primeira Tentação de Cristo.

É um programa de 46 minutos, em vez dos esquetes curtos pelos quais o Porta é mais conhecido.

Resumindo para quem não viu (e sem dar spoiler), o enredo satiriza uma das passagens mais importantes da vida de Jesus, quando ele, já perto dos 30 anos, jejua por 40 dias no deserto, após ser batizado.

Nesse período, é tentado pelo Diabo, mas resiste às investidas. De volta do retiro, dá início às suas pregações e milagres, até ser crucificado, três anos depois.

Na versão do Porta, Jesus (Gregório Duvivier) traz um amigo meio esquisitão (Fábio Porchat) para casa, ao retornar do deserto, bem na noite de Natal.

O filho de Deus vive um romance gay, em outras palavras, para espanto de José, Maria, reis magos e até de Deus.

A saraivada contra a sátira começou quase que imediatamente.

A Coalizão pelo Evangelho, grupo que reúne representantes de dezenas de igrejas pelo Brasil, iniciou uma campanha pelo cancelamento da assinatura da Netflix.

“Manter-me na qualidade de um patrocinador de produções cinematográficas que zombam e vilipendiam o Senhor é o mesmo que esbofeteá-lo, cuspir nele, bater em sua cabeça para lhe enterrar os espinhos da coroa”, escreveu o pastor Joel Theodoro, da Igreja Presbiteriana do Bairro Imperial, no Rio de Janeiro.

Pastor da Igreja Trindade, em São José dos Campos (SP), Thiago Guerra formulou um decálogo sobre qual deveria ser a relação de cristãos com o episódio do Porta veiculado pela Netflix.

“Todo cristão tem a responsabilidade de ser ‘sal’ nesse mundo, ou seja, evitar a putrefação constante de nossa sociedade. Portanto o engajamento cultural do cristão é uma obrigação”, afirma ele, ao explicar por que defende o boicote à plataforma de vídeos como resposta.

Outro a protestar contra a produção foi o deputado federal Marco Feliciano (Podemos-SP), um dos expoentes da bancada evangélica, que escreveu, numa rede social: “Está na hora de uma ação conjunta das igrejas e pessoas de bem para dar um basta nisso. Unidos somos fortes!”.

Já o ator Carlos Vereza, conhecido por suas posições de direita, chamou os integrantes do Porta dos Fundos de “lamentáveis”, “idiotas pretensiosos” e daí pra baixo.

No passado, já houve críticas de conservadores ao Porta dos Fundos, em ocasiões em que satirizaram a religião. Eles estão acostumados, portanto.

O especial de Natal de 2018, por exemplo, ironizava a Santa Ceia, e acabou de ser agraciado com o prêmio Emmy Internacional.

O grupo também já sofreu críticas de outras formas. Foram processados pelo Botafogo (sim, o time) por um esquete, mas ganharam a ação judicial.

A assessoria de imprensa do Netflix foi procurada para comentar a campanha de cancelamento de assinaturas, mas não foi encontrada.

Os integrantes do Porta dos Fundos não responderam aos pedidos de comentário até a conclusão deste texto.

 

Confira o trailer do especial:

Martagão realiza 4º Jantar do Bem nesta quarta com shows de Gal Costa e Ju Moraes
Foto: Funarte

O Hospital Martagão Gesteira realiza nesta quarta-feira (11) a quarta edição do "Jantar do Bem", com o objetivo de arrecadar fundos para a instituição de saúde. O evento contará com shows de Gal Costa e Ju Moraes, gastronomia sob o comando da chef Tereza Paim, além da participação do poeta baiano Edgard Abbehusen. O Jantar do Bem acontece a partir das 17h30, na Chácara Baluarte, no Santo Antônio Além do Carmo.

 

Os ingressos para o evento custam R$ 450 e estão sendo vendidos na Loja Social do Martagão Gesteira ou pelo portal da Lojinha do Martagão (clique aqui).

 

Toda a renda do jantar será revertida para o serviço de transplante de medula óssea. O Martagão será o primeiro hospital da Bahia a realizar este tipo de tratamento.

 

Para cada pessoa será disponibilizado uma entrada, dois pratos principais, além de sobremesa e bebidas. Também será dado como recordação um prato estampado com poesia de Edgard Abbehusen e ilustração de Suzart.

Terça, 10 de Dezembro de 2019 - 09:00

Giro: Clima de Resort

por Adriana Barreto e Cris Montenegro

Giro: Clima de Resort
Foto: Divulgação

 

Fundada em 2016, em Fortaleza, a marca Republic Paradise ganha sua primeira loja própria na capital baiana, no Salvador Shopping. A chegada da label está marcada para o próximo dia 12 de dezembro, com coquetel assinado pelo Buffet Carol Sahade. A chegada a Salvador marca o processo de expansão da marca, hoje com 5 lojas nos principais centros de compras do Nordeste. Os DJs Léo Melo e Alexandre Schnitman prometem criar o clima de resort perfeito para a turma antenada que promete passar por lá, já pra garantir os looks dos agitos de Verão. Os olhos, sem dúvida, estarão de olho na qualidade da marca, que aposta em shorts com estamparia exclusiva e tecnologias especiais e camisaria 100% de linho puro francês. (por Adriana Barreto)

Escola de Dança da Funceb abre inscrições para Cursos de Férias 2020
Foto: Divulgação

A Escola de Dança da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) abriu 870 vagas para seus Cursos de Férias, que serão realizados de 6 a 31 de janeiro de 2020. 


Os interessados em participar de alguma das 25 modalidades disponíveis podem se inscrever diretamente com o professor, a partir do dia 6 de janeiro na própria Escola, situada no Pelourinho, em Salvador.


As aulas acontecem duas vezes na semana, sempre às segundas e quartas ou terças e quintas, das 13h às 15h, ou das 15h30 às 17h30. O valor da matrícula para todo curso é R$ 150, já as aulas avulsas custam R$ 25.


Dentre as opções oferecidas estão: body heat, canto e dança dos orixás em Yorubá, balé básico, dança aérea em tecido, dança criativa com ênfase na capoeira, coisas cruas – investigação do corpo em movimento, dança afro-brasileira, tango, stiletto esambas.

Deborah Secco e Bruna Surfistinha integram evento com obras censuradas por Bolsonaro
Foto: Guilherme Jacobs/Gshow

Deborah Secco e Raquel Pacheco, que é conhecida como Bruna Surfistinha, participam de um bate-papo no festival Verão sem Censura, evento promovido pela prefeitura de São Paulo, com obras censuradas pelo governo federal.


De acordo com informações da coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo, o debate acontece após a exibição do filme “Bruna Surfistinha” em um telão montado na Praça das Artes, em São Paulo, no dia 18 de janeiro. 


Em julho deste ano o presidente Jair Bolsonaro propôs a criação de um filtro no apoio do governo para vetar obras consideradas por ele inapropriadas. “Não posso admitir que façam filmes como o da Bruna Surfistinha”, disse ele à época (clique aqui e saiba mais).

Servidores da Ancine são proibidos de exibir filme brasileiro indicado ao Oscar
Foto: Divulgação

A Secretaria de Gestão Interna da Ancine proibiu a exibição do filme "A vida invisível", de Karim Aïnouz, para os funcionários do órgão. A obra seria exibida durante um evento de capacitação dos servidores da agência, que é responsável por pensar políticas públicas e por fiscalizar a indústria cinematográfica nacional.

 

Servidores, que preferiram não se identificar, disseram para a Folha de São Paulo que a mostra estava prevista para a próxima quinta-feira (12). Mensalmente, um filme nacional é exibido e há um debate com a presença de produtores como parte de um processo de capacitação anual com servidores para que haja a progressão de cargo.

 

Vale lembrar que o filme "A vida invisível" é a película brasileira inscrita para o Oscar em 2020. Para concorrer ela terá que ser aprovada para uma das cinco vagas ao prêmio de melhor filme estrangeiro.

Caetano é procurado em investigação do processo milionário de João Gilberto, diz jornal
Foto: Reprodução / Facebook

Caetano e Paula Lavigne foram procurados pelo perito responsável por estabelecer o valor que a antiga gravadora EMI deve a João Gilberto, morto em julho deste ano. A informação, veiculada na coluna do Lauro Jardim em O Globo nesta segunda-feira (9), disse ainda que outras figuras que conheciam bastante o músico baiano também foram procuradas.

 

O objetivo da busca seria o de encontrar uma orientação de onde encontrar registros de  venda de discos, notas fiscais ou qualquer documento contábil que o ajudasse a identificar a quantia devida a João Gilberto.

 

A explicação dada por Caetano, como consta no processo é de que João "nunca foi ligado com a parte financeira, dando apenas atenção ao seu trabalho musical", assim, seria quase impossível obter qualquer documento que pudesse comprovar sua produção comercial, o mesmo ocorrendo com qualquer órgão de defesa do artista, que pudesse fornecer tais documentos".

 

Outra peça importante procurada, o autor do livro "Chega de saudade — A história e as histórias da Bossa Nova", Ruy Castro, disse ao perito que não tinha como colaborar.

Governo recorre de decisão que suspende nomeação de presidente da Fundação Palmares
Foto: Reprodução / Facebook

O governo Bolsonaro, através da Advocacia Geral da União (AGU), recorreu da decisão da Justiça Federal que suspende a nomeação de Sérgio Camargo para a presidência da Fundação Palmares. O recurso, apresentado na sexta-feira (6) ao Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5), se dá em um contexto em que o indicado ao cargo foi acusado de fazer declarações racistas nas redes sociais.

 

O próprio Sérgio Camargo se define em seu Facebook como “Negro de direita, contrário ao vitimismo e ao politicamente correto”. Uma de suas afirmações seria a de que o Brasil tem "racismo nutella", ressaltando que "racismo real existe nos EUA". Para ele, a escravidão foi terrível, "mas benéfica para os descendentes".

 

As informações são da Folha de São Paulo.

Prefeitura prorroga inscrições para Selo Literário João Ubaldo Ribeiro
Foto: Divulgação / Max Haack

A Prefeitura de Salvador prorrogou as inscrições para o Selo Literário João Ubaldo Ribeiro – Ano III até o dia 13 de dezembro. Para participar do edital, que é promovido pela Fundação Gregório de Mattos (FGM), o candidato deverá acessar o site, onde terá o edital e a ficha de inscrição.

 

O Selo João Ubaldo vai selecionar oito obras de sete gêneros para serem publicadas sem custo: conto, crônica, dramaturgia, literatura infantil, poesia, romance e categoria livre. Todas elas serão de autoria de novos escritores e escritoras.

Segunda, 09 de Dezembro de 2019 - 17:00

Teatro Vila Velha sedia ato em defesa da cultura e das artes

Teatro Vila Velha sedia ato em defesa da cultura e das artes
Foto: Divulgação

O Teatro Vila Velha vai sediar, na próxima segunda-feira (16), às 19h, o Palco Aberto em Defesa da Cultura e das Artes. O evento é promovido por artistas, produtores e profissionais da área artística e cultural, através do Movimento Cultura Bahia.

 

O ato vai contar também com representantes de instituições como o Ministério Público estadual, a Defensoria Pública, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e de parlamentares da Assembleia Legislativa da Bahia.

Histórico de Conteúdo