Sexta, 01 de Junho de 2018 - 16:00

Maior símbolo da greve

por Benito Gama

Maior símbolo da greve
Foto: Reprodução / Benito Gama

A greve nacional dos caminhoneiros é reivindicatória e legítima. A Constituinte de 1988 afirma com propriedade a consagração deste direito e defendo. A sociedade teve sim o impacto não só com os prejuízos em consequência desta greve com a falta de abastecimento dos postos de gasolina e de mercadoria, bem como o setor de industrial e agrícola, mas, também, com o principal impacto que foi a da relevância da categoria. Ficou ainda mais notório o quão importante são estes trabalhadores para o nosso Brasil. Foi isso que despertou o apoio da sociedade e que igualmente, me solidarizo. Agora, essa mesma sociedade que apoiou a causa precisa do apoio dos caminhoneiros e não pode ser ainda mais sacrificada.

 

Não podemos permitir e transformar este ato em espaço para alguns políticos manipularem o lado X ou y da questão. O foco é a força deste movimento dos caminhoneiros que impulsionam a economia, que são filhos, pais, irmãos e trabalhadores que lutam por suas famílias. O acordo positivo entre Governo Federal e categoria significa o caminho de condições para o reequilíbrio.

 

O Governo Federal foi assertivo ao antecipar importante mudança por meio de Medida Provisória – MP que resultaram do acordo com os caminhoneiros para pôr fim à greve nacional. O acordo estabelece reserva de parte do frete da Companhia Nacional de Abastecimento – Conab para caminhoneiros autônomos preveem a fixação do preço mínimo do frete e dispensam o pagamento de pedágio do eixo suspenso de caminhões. O Congresso Nacional vai analisar e votar estas MPs, com força de lei desde a edição e que vigoram por até 120 dias.

 

A tramitação seguirá inicialmente com a criação de três comissões mistas (de deputados e senadores), onde são votadas e podem ser alteradas. Depois das comissões, as MPs vão ser votadas pelos plenários da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. É um trabalho intenso, conjunto e que terá o meu apoio. Portanto, há sim uma mobilização intensa para amenizar os prejuízos diversos nos setores e na sociedade. Agora, é ampliar o debate e analisar possíveis imperfeições na concorrência para o desequilíbrio tributário.

 

Com isso, fica a lição desta mobilização de que não toleramos a corrupção e o descompromisso com questões sociais. É preciso continuar lutando no Congresso Nacional para acabar com as injustiças e desequilíbrio econômico-social buscando sempre a previsibilidade de questões essenciais para o funcionamento do país. Afinal, os direitos dos trabalhadores devem ser preservados e não apenas dos caminhoneiros, mas de todas as categorias. No Partido Trabalhista Brasileiro – PTB essa é uma das nossas maiores lutas. Bandeira Brasileira: maior símbolo da greve nacional dos caminhoneiros!

 

* Benito Gama é deputado federal pelo PTB-BA e vice-líder do Governo no Congresso Nacional.

 

* Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias.

Histórico de Conteúdo