Trump nega ter chamado Haiti e El Salvador de 'buracos de merda' após acusação de jornal

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, negou ter chamado o Haiti, El Salvador e países africanos de "buracos de merda" durante uma reunião nesta quinta-feira (11). Uma reportagem do jornal Washington Post revelou que as ofensas teriam acontecido durante uma discussão sobre imigração, depois que legisladores da Casa Branca citaram o nome dos países. "Por que estão vindo pra cá todas essas pessoas de países que são um buraco de merda?", teria dito o presidente. Ainda segundo o Washington Post, Trump então sugeriu que os Estados Unidos deveriam trazer mais pessoas de países como a Noruega. Ao discutir um acordo para proteger imigrantes, Trump teria sinalizado ainda que haitianos não deveriam ser incluídos. "Por que precisamos de mais haitianos? Tirem eles", reforçou. Por meio do Twitter, Trump admitiu ter usado uma linguagem "dura" durante o evento, mas negou ter feito as ofensas. "A linguagem usada por mim no DACA foi dura, mas não foi a linguagem que eu usei", publicou o presidente, em referência à Ação Diferida para os Chegados na Infância (DACA, na sigla em inglês). Ele também disse ter "uma ótima relação com os haitianos".