Cariocas promovem 'esfihaço' em apoio a refugiado sírio vítima de intolerância

Moradores do Rio de Janeiro promoveram neste sábado (12) um 'esfihaço', em apoio ao refugiado sírio MOhamed Ali. Dias atrás, ele foi vítima de intolerância por parte de outros vendedores ambulantes. Tudo começou com uma vaquinha online iniciada por um empresário amigo do sírio para tentar conseguir um food truck para o amigo. Guilherme Benedictis promoveu o evento "Comer esfiha na barraca do Mohamed" em uma rede social, o que recebeu a confirmação de 11 mil pessoas e despertou o interesse de outras 33 mil. MOhamed tem 33 anos, é filho de pai sírio e mãe egípcia, nasceu na Síria e foi criado no Egito, deonde saiu há três anos. Segundo ele, no Brasil as pessoas respeitam a religião do outro e ele pode viver em paz. O vendedor é casado com uma brasileira e tem um filho. A agressão que sofreu de outros ambulantes foi registrada em vídeo, segundo o qual um dos agressores aparece com dois pedaçoes de madeira na mão e fala pra ele voltar ao país dele. "Sai do meu país! Eu sou brasileiro e estou vendo meu país ser invadido por esses homens-bomba miseráveis que matam crianças, adolescentes. São miseráveis. Vamos expulsar ele", disse o homem. Mohamed não registrou ocorrência justificando que só quer trabalhar, não criar problemas. Na quinta-feira (10), o prefeito Marcelo Crivella entregou a ele uma licença para trabalhar em Copacabana.